Retrospectiva: veja tudo sobre o ano tricolor! Equipe ecbahia.com

Ano Feliz. Que 2011 seja ainda melhor!!

A temporada de 2010 foi bastante especial para a torcida tricolor. Com um início conturbado e sem planejamento, perdemos o Campeonato Baiano e fomos eliminados na Copa do Brasil, ambos por critérios de desempate. No Brasileiro, pórem, viria a nossa grande alegria. Após aguerridas atuações e a providencial ajuda da Nação, que lotou estádios, aeroportos e ruas da cidade, retornamos à elite do futebol nacional com duas rodadas de antecipação. Veja a partir de agora a retrospectiva feita pelo ecbahia.com (garantimos que vale a pena!):

Janeiro – O mês de aniversário do Bahia, que completou 79 anos no dia 1º, teve um começo problemático, principalmente na montagem do elenco. Wilson Júnior, único atacante naquela ocasião, estava junto com os garotos na Copa São Paulo, competição onde o Tricolor foi eliminado após ser derrotado pelo Barueri. Edilson, Abedi, Rafael, Rogerinho e Rodrigo Gral eram as principais contratações. Edilson entrou pra história do clube, não com títulos, mas como o jogador mais velho a vestir a camisa tricolor, aos 39 anos de idade.
Mendes, que futuramente viria a defender o Bahia, negou proposta e foi jogar no Sertãozinho-SP. Renato Gaúcho, novo técnico e grande surpresa da direção, decretava regime de concentração total no Fazendão. No campo político, a Associação Bahia Livre, movimento de oposição, falava sobre a falta de planejamento e gestão profissional do Bahia e a Revolução Tricolor iniciava a cobrança pelas promessas de campanha do presidente Marcelo Guimarães Filho, entre elas transparência e eleições diretas. No marketing, Duda Mendonça era a ataçãp. No Campeonato Baiano, iniciamos bem com um triunfo maiúsculo sobre o Colo-Colo, contudo perdemos o primeiro clássico para o rival e, na estreia de Edilson, demos vexame dentro de casa na derrota para o Bahia de Feira, que fez cinco gols no Esquadrão.

Fevereiro – Mês com início ruim. O “anãozinho” do Bahia morria logo na primeira madrugada, vítima de um atropelamento. Nos bastidores, o superintendente Elizeu Godoy e o técnico Renato Gaúcho começavam a trocar farpas. Renato, após alguns jogos ruins, já não era unanimidade. Na lateral direita, posição que nos deu dor de cabeça até o último jogo do ano, era contratado Apodi. Na disputa política, o conselheiro Rui Cordeiro pedia a renúncia do presidente Marcelo Guimarães Filho em documento protocolado na sede do clube. As mídias sociais chamaram a atenção de todos quando o atacante Jael, através do Orkut, demonstrou intenção de voltar ao país para atuar pelo Bahia. Na Copa do Brasil, o Tricolor vencia o Vitória-ES e eliminava o jogo de volta. No dia 28, vencemos o segundo clássico do ano contra o Vitória, em Pituaçu, por 2 a 1.

Março – A Lotto, empresa fornecedora do material esportivo do clube, assume a operação da loja Viva Bahêa, prometendo melhores serviços. No marketing, o Bahia fecha parceria com Patrick Gonçalves, que correria já neste mês pela Stock Car com o carro estampando o escudo e as cores do Bahia. A desapropriação da Sede de Praia voltava a ser assunto. Segundo informações, o Tricolor receberia R$ 10 milhões para ser usado no departamento de futebol O meia Maurício, grande promessa tricolor, viaja para testes na França. Futuramente, estes testes comprometeriam seu retorno ao time titular. Na copa do Brasil, mesmo vencendo do Atlético-GO, éramos eliminados pelo critério dos gols marcados na casa do adversário.

Abril – Assembleia Geral é convocada, porém as mudanças polêmicas e esperadas pela torcida, como eleições diretas para presidente e de chapas no Conselho Deliberativo, não são votadas. ABL e Revolução Tricolor se manifestam sobre as irregularidades ocorridas. No departamento de futebol, Elizeu e Renato Gaúcho continuam se criticando. Renato declara que faz as ações do diretor e acusa Elizeu de omissão. O superintendente ameaça reagir às críticas do técnico. Enquanto isso, Paulo Angioni chega para dirigir o setor. Em paralelo à chegada de Angioni, os atacantes Itacaré e Mendes são confirmados no Fazendão. No Campeonato Baiano, chegamos à final após empate com o Bahia de Feira, fato que futuramente seria fundamental para a decisão do título. Na primeira partida da final, em Pituaçu, perdemos por 1 a 0 para o Vitória, o que ampliou a desvantagem para o último jogo a ser realizado no campo adversário.

Maio – Precisando vencer por pelo menos dois gols de diferença, não conseguimos o título baiano, principal meta do primeiro semestre. Em atuação de um tempo só, batemos o rival de virada por 2 a 1, dentro do Barradão, porém o placar foi insuficiente para levantarmos a taça. Restou-nos a alegria do futebol de base, que se consagrou campeão baiano de juniores. Dá-se início à reformulação do elenco para a Série B que começaria logo depois. O lateral direito Rafael, o volante Mateus e o atacante Lima eram dispensados. Edilson confirmou sua saída. Daniel, lateral esquerdo, e Mário, atacante, são afastados do time principal. O goleiro Renê é contratado juntamente com o lateral Dênis. Na estreia da Série B, começamos com o pé direito. Vencemos o América-RN em Pituaçu por 1 a 0 e ainda ganharíamos de Ipatinga e Vila Nova fora, além do Sport, em casa. O técnico Renato Gaúcho, mantido, volta a cobrar da diretoria a chegada de reforços. Após diversas sondagens, Morais, meia do Corinthians, e Jael, diretamente da Suécia, chegam para ajudar na subida à elite. Ananias e Rodrigo Gral, com grandes atuações, são sondados por clubes do país e do exterior, mas presidente reajusta salário e não permite liberação de atletas. Pesquisa sobre torcidas de futebol aponta a tricolor como a 12ª maior do Brasil e a maior do Nordeste. Rumores surgem a respeito de um novo Centro de Treinamento em Dias D´ávila.

Junho – Duas derrotas seguidas na Série B tiram o clube do G-4 e acendem a luz de alerta. No intervalo do campeonato, devido ao início da Copa do Mundo, os jogadores têm folga de 12 dias. Em paralelo, começava o Campeonato do Nordeste, onde o Bahia atuaria com um time formado por jogadores da base e os que não estavam sendo aproveitados no grupo da série B. Tricolor contrata o jogador que futuramente seria o artilheiro do time no Brasileiro: Carlos Adriano Souza Cruz, o Adriano Michael Jackson, que estava no Fluminense e vem por empréstimo até o final do campeonato. Também chegam Bruno Octávio, Arilton e Hélder. Enquanto isso, Thiago Carpini, Bruno Silva e Abedi acertam a rescisão. Assunto de relevância pra torcida tricolor, as obras de demolição da Fonte Nova são iniciadas. Na política, em reunião do Conselho Deliberativo para aprovação das contas do exercício 2009, mais confusão e acusações de agressão ao conselheiro Rui Cordeiro. Na base, o Esquadrãozinho era goleado e saía da Taça BH.

Julho – Tricolor “reestreia” com derrota na Série B. Diante do Guaratinguetá, em São Paulo, sob forte chuva, o time perde por 4 a 2 e cai para a 10ª posição. Carente de lateral direito, diretor de futebol sai em busca de jogadores para a posição. Nos bastidores, de acordo com declaração do presidente Marcelo Guimarães Filho sobre a venda da sede social, as Transcons da prefeitura de Salvador sairiam em 15 dias, porém o ano passaria completamente sem que a quantia fosse entregue ao clube. Com objetivo de antecipar receitas, Tricolor anuncia programa de ingressos para o restante do campeonato. O programa permitiria acesso ao estádio e outros benefícios. No Nordestão, time B sofre para tentar se classificar.

Agosto – Com triunfos sobre ASA e Portuguesa, fora de casa, e Paraná e América-MG, em Pituaçu, Bahia volta a se colocar na busca do acesso. Renato Gaúcho, criticado no mês anterior, recebe convite do Grêmio e deixa o Bahia. Naquele momento, o clube estava na sexta colocação. Márcio Araújo é contratado e chega cercado de dúvidas. No ramo das contratações, desembarca o lateral Jancarlos. Meia Jorge Wagner (São Paulo) é especulado. De olho na grandeza da Nação Tricolor, a Lotto lança novos uniformes. Na disputa das torcidas, o Ibope revela que a torcida tricolor ultrapassou a do Flamengo e é considerada a maior do Estado. Em Salvador, a saudosa Fonte Nova, que irá ser reconstruída para a Copa de 2014, é implodida às 10h27 do dia 29. Na divisão de base, os jogadores Feijão e Paulinho são convocados para a seleção sub-16.

Setembro – Continua a caminhada rumo ao acesso. Triunfos sobre América-RN, Ipatinga, Ponte Preta e Sport deixam o Tricolor em posição privilegiada dentro do G-4. Lateral Ávine, que vem se destacando ao longo do campeonato, faz excelente partida contra o Ipatinga participando ativamente de três gols. Jael, que vem marcando gols importantes na Série B, vira alvo do Grêmio. Triunfo de virada sobre a Ponte Preta leva o Esquadrão à liderança da Série B. Euforia tricolor toma conta da cidade. Estádios cheios, camisas nas ruas e recepções no aeroporto seriam fatos que ainda aconteceriam outras vezes ao longo do torneio. Em declaração para a mídia nacional, o presidente Lula revela não conseguir entender o Bahia fora da elite. Goleiro Renê, importante atleta tricolor, é pego no exame antidoping e desfalcaria a equipe até o término do campeonato. O goleiro Fernando o substituiria bem nas partidas finais. Zagueiro Luizão e atacante Everton são os últimos reforços de 2010. Na base, o goleiro Lucas e o meio-campista Felipe são convocados para a seleção sub-14.

Outubro – Com triunfos sobre Guaratinguetá, Náutico, ASA-AL e Paraná, o Tricolor se firma de vez na briga pelo acesso. Em partida realizada em Salvador, o Bahia aplica goleada de 5 a 1 sobre o ASA com excelente atuação da dupla Adriano e Ávine. O triunfo contra o Paraná fora de casa, com gol de cabeça do atacante Jael, é importantíssimo para as pretensões tricolores. Jancarlos, lateral que vinha atuando bem, sofre entrada desleal e sai do campeonato por ruptura nos ligamentos do joelho. Nos bastidores, a diretoria assina acordo com o grupo “Arena Fonte Nova” que declara oficialmente a intenção de o Bahia jogar na nova Fonte após o Mundial. Marketing do clube lança novo uniforme em homenagem à Espanha, conhecido como Fúria Tricolor. O presidente responde em entrevista que pretende se mudar para novo CT em Dias ´Ávila em 2012. Nas eleições oficiais do país, ele, que concorria à reeleição, não consegue o objetivo.

Novembro – Emfim, após sete anos fora da elite, o Esquadrão de Aço volta à Série A do futebol nacional. O triunfo em cima do América-MG com gol do artilheiro Jael deixou o clube a apenas três pontos da vaga e o jogo contra a Portuguesa, em Pituaçu, entraria pra história em caso de triunfo… E é o que acontece. Em apresentação digna de Série A, com todos os 32.157 assentos ocupados, não só vencemos como goleamos a Lusa por 3 a 0 e finalmente VOLTAMOS. Trios elétricos invadem a orla e a festa não teve hora pra acabar. Ainda restavam duas partidas para o final da competição, mas o objetivo já estava alcançado. Com 65 pontos, 19 triunfos, 8 empates e 11 derrotas o Esporte Clube Bahia estava garantido na elite em 2011. No Campeonato do Nordeste, fomos eliminados após o time de Canabrava colocar o sub-17 e apenas empatar com o Treze-PB, rival tricolor pela classificação. Fora de campo, o Esquadrão lança a nova loja oficial na intenet, http://www.loja88.com.br

Dezembro – Campeonatos finalizados, folga geral. Tricolor é declarado pela CBF o primeiro campeão brasileiro ao ter a Taça Brasil de 1959 aprovada como o certame da época. Torcida do Bahia é premiada com o título de Torcida de Ouro, prêmio fornecido também pela confederação. Revista Placar trata o retorno do Esquadrão como o fato do ano. Rede de TV fechada ESPN Brasil transmite especial sobre o acesso. Dentro do clube, as novidades ficam por conta das renovações e contratações para 2011. O técnico Márcio Araújo não continua. Diretoria traz o técnico Rogério Lourenço, experiente com jovens de categorias de base e com passagens pelo Flamengo e pela seleção brasileira sub-20. Na lista de renovações, entram Ávine, Hélder, Nen e Luizão (Alison e Fábio Bahia ainda são aguardados). Chegam Tiago, Bruno Paulo e Magno (Vasco), Souza, Dodô e Boquita (Corinthians) e Rafael Jataí (Atlético-MG) –além disso, Titi, Marcos, Zezinho e Ramon só estariam à espera da oficialização. Saem nomes como Fernando, Vagner, Leandro, Morais, Rodrigo Gral, Adriano e Vander, este emprestado ao Flamengo.

Fonte: http://www.ecbahia.com/imprensa/noticia.asp?nid=19905

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e política e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s