Jaques Wagner recebe título de cidadão e reafirma compromisso com a Bahia

Foto: João Raimundo DECOM/PMLF

Em sessão solene realizada nesta quinta-feira (30) na Assembléia Legislativa da Bahia (ALB), a prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho, entregou ao governador do Estado, Jaques Wagner, o título de Cidadão Baiano. A honraria é fruto do Projeto de Resolução da então deputada, aprovado em 22 de dezembro de 2004. “Wagner é duplamente baiano: primeiro porque escolheu a Bahia, segundo porque foi escolhido, duas vezes, pelos baianos”. As autoridades foram recepcionadas, na rampa de entrada da ALBA, pela Orquestra de Berimbau do Pólo de Capoeira de Lauro de Freitas.

A prefeita se emocionou e chegou a chorar durante seu discurso, em dia de plenário lotado. Ela iniciou agradecendo aos pais do governador, Cypa Perla Wagner e Joseph Wagner, poloneses, por “terem plantado no Brasil sementes que ofereceram um bom fruto para a Bahia”. Moema ressaltou as principais realizações dos primeiros quatro anos de mandato do governador, com destaque para os investimentos e resultados obtidos na saúde, educação, infraestrutura e segurança pública.

Familiares de Jaques Wagner também estavam presentes na cerimônia. “Este diploma seguramente estará na mesa do governador até o final do mandato” – brincou ele. Wagner completou, em junho, 37 anos morando no Estado. “Quem me deu régua e compasso foi a Bahia. Me sinto profundamente grato, orgulhoso e com o dever de fazer sempre mais por este povo acolhedor” – discursou, também emocionado, o governador.

Da aprovação no legislativo até a entrega do título, passaram-se quase sete anos. “Demorou para eu me sentir a altura desta homenagem. Aqui é a concretização do que sempre senti. Sou baiano na música, na culinária, nas festas populares”. A trajetória política de Jaques Wagner foi relembrada pela prefeita Moema Gramacho durante a cerimônia, que incluiu a apresentação de um vídeo e a participação da cantora Margareth Menezes, que abriu a homenagem cantando o Hino ao 2 de Julho.

Moema Gramacho também foi responsável pela condecoração do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, com o mesmo título. Entre as autoridades, marcaram presença o ministro das Cidades, Mario Negromonte, a presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, desembargadora Telma Brito, a reitora da UFBA, Dora Leal Rosa, o prefeito de Salvador, João Henrique, o ex-governador Roberto Santos, e o presidente da Associação Baiana de Imprensa (ABI), Walter Pinheiro.

Departamento de Comunicação – DECOM
3288-8630/8764

http://www.laurodefreitas.ba.gov.br
http://www.imprensalauro.com.br
http://www.twitter.com/imprensalauro
http://www.transparencialaurodefreitas.ba.gov.br
http://www.flickr.com/imprensalauro


Confira a Íntegra do Discurso da Prefeita Moema Gramacho em homenagem ao Governador Jaques Wagner:

SAUDAÇÃO AO GOVERNADOR JAQUES WAGNER,CIDADÃO BAIANO

Foto: João Raimundo - DECOM/PMLF

Sr Presidente, Senhores Deputados, Senhoras Deputadas, Autoridades Presentes à Mesa, Autoridades Presentes no Plenário. Nossa amiga e companheira Fátima Mendonça, Fatinha, primeira Dama e Presidenta das Voluntárias Sociais, a família do Governador, e uma saudação especial ao nosso homenageado, companheiro Governador Jaques Wagner.
Senhores e Senhoras, fiquei me perguntando como faria um discurso para concessão de um título de tamanha importância para esta Casa Legislativa quando o homenageado é o gestor maior do nosso Estado. Olha só o nível de responsabilidade.

Pensei em primeiro falar da sua Biografia, mas essa já está escrita em vários espaços e consolidada na história. Então pensei em começar por suas obras e ações que demonstram o cuidado com a Bahia e os Baianos ao longo de toda a sua trajetória. Mas, são tantas as realizações que não daria tempo de discorrer sobre tudo; destacaremos apenas algumas delas. Por fim farei um resumo que mostra a razão pela qual Jaques Wagner é duplamente Baiano: escolheu a Bahia para viver e os Baianos o escolheram já por duas vezes para governá-la.

Começo fazendo um agradecimento a um casal, Cypa Perla Wagner e Joseph Wagner. Ela polonesa, judia, fugitiva e ele mascate polonês, judeu, comunista, também fugitivo do regime nazista, que, encontrando-se no Rio de Janeiro ao final dos anos 30, dão origem à família de três filhos, dentre eles Jaques Wagner, que nasceu em 16 de março de 1951.
Dona Paulina e Sr. Joseph não sabiam, mas estavam formando um grande homem, cujos princípios foram, eles próprios, fonte de inspiração. Obrigada, Dona Paulina e Sr Joseph, por terem plantado no Brasil sementes que ofereceram um bom fruto para a Bahia.

Jaques estudou no Colégio Militar no Rio de Janeiro. Depois iniciou sua militância política em 1969, no curso de Engenharia Civil da Pontifícia Universidade Católica ( PUC-RJ), onde presidiu o Diretório Acadêmico. Em 1973, perseguido pelo regime militar, foi obrigado a deixar o curso e sair do Rio de Janeiro. Passou por Minas Gerais e São Paulo e chegou à Bahia em 1974.

Em 1976 consegue seu primeiro emprego na indústria petroquímica, como caldeireiro, em Candeias. Depois, como técnico de manutenção, ingressa na Nitrocarbono, empresa do Pólo Petroquímico de Camaçari.

De operário do Pólo a operário da Cidadania.

Não demorou muito para Wagner entrar na luta em defesa dos trabalhadores, dentro e fora da fábrica. Transformou-se em grande liderança sindical e, entrando para a diretoria do sindquímica, deixa sua marca implantando mecanismos democráticos de gestão, com a extinção do cargo de presidente e a instituição de diretoria colegiada, uma das primeiras experiências de transformação da estrutura do sindicalismo brasileiro. Sua atuação no sindicato serviu de exemplo para diversas lideranças, hoje expressões políticas presentes na vida pública e privada.

Sua tarefa era ainda maior. Além de cuidar dos trabalhadores petroquímicos, participou de forma decisiva da construção da CUT- Central Única dos Trabalhadores, para organizar os trabalhadores de várias categorias.

Durante um congresso de petroleiros, em Salvador, nos anos 80, conheceu Luis Inácio Lula da Silva. Junto com Lula, intelectuais e lideranças sindicais, participou da criação do Partido dos Trabalhadores, do qual foi o primeiro presidente na Bahia, contribuindo de forma decisiva para a organização política dos trabalhadores neste estado.

Continuando sua luta em favor do povo baiano, Jaques Wagner é eleito Deputado Federal pela Bahia em 1990. Ao lado de Alcides Modesto, conquistou os primeiros mandatos do PT Baiano na Câmara dos Deputados.

Reeleito em 1994 e 1998, na Câmara teve atuação destacada como Vice- Lider do PT entre 1993 e 1997, sendo eleito líder da bancada do PT em 1995 e terceiro secretario da Câmara nos anos de 1999 e 2000. No exercício das atividades parlamentares, Wagner integrou várias comissões da Câmara representando o Estado brasileiro em missões Internacionais.

Em 2000, mesmo exercendo o cargo de Deputado Federal, atendeu ao apelo dos militantes do PT de Camaçari, emprestando seu nome para concorrer ao cargo de prefeito, abalando a estrutura de poder daquele município, obtendo uma votação tão expressiva que rearticulou as forças oposicionistas no município, sendo de fundamental importância para garantir a vitória do prefeito eleito em 2004.

Em 2002, foi a vez da militância do Estado convocá-lo para ser candidato a Governador, e com mais de 2 milhões de votos contribuir para uma grande alavancada na eleição do Presidente Lula. Wagner ajudou a eleger o 1º Operário Presidente da República.

Com a sua destacada articulação na luta travada em defesa dos trabalhadores e do povo baiano e brasileiro, o presidente Lula nomeia o amigo galego Ministro do Trabalho, cargo que comandou de 1° de janeiro de 2003 a janeiro de 2004. À frente do Ministério ocupou a presidência do Conselho Nacional de Imigração, do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (CODEFAT) e do Conselho Curador do FGTS.

Foi membro do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – CONSEA, entre outros órgãos ligados a Presidência da República.

Wagner abriu caminho para a criação de quatro milhões de empregos com carteira assinada entre 2003 e 2006.
O combate ao trabalho escravo levou o Brasil a ser destacado na OIT- Organização Internacional do Trabalho como exemplo a ser seguido.

Como Ministro da Secretaria Especial do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da Republica promoveu o diálogo entre o governo, agentes econômicos, sociais e populares e coordenou a elaboração da Agenda Nacional de Desenvolvimento.

Em 2005, convocado pelo Presidente Lula, assumiu o Ministério das Relações Institucionais e ganhou projeção Nacional como articulador político, interlocutor do governo junto a sociedade, contribuindo para solucionar a crise política, recompor a base parlamentar do governo e consolidar as alianças que reelegeram Lula em 2006.

Eleito Governador da Bahia em 2006, surpreendeu a todos com a vitória no primeiro turno.

Começam aí as mudanças da cara da Bahia, uma Bahia livre, democrática de todos e todas. A Bahia de todos nós.
Wagner introduziu a prática democrática de gestão, a exemplo da abertura das contas governamentais para o cidadão no portal Transparência Bahia. Coisa que os deputados baianos lutaram tanto – para ter ao menos a senha – nos governos anteriores.

Implantou eleições diretas para diretores e vices nas escolas da rede pública estadual, além da desconcentração de oportunidades de desenvolvimento.

Em sintonia com o presidente Lula, definiu a área social como prioridade absoluta e reforçou os programas federais de transferência de renda e democratização de bens essenciais como energia elétrica. Seu primeiro governo registrou avanços expressivos na redução das desigualdades sociais históricas da Bahia. Vale destacar:

TOPA – Alfabetização de 751 mil pessoas, e outras 185 mil já em salas de aula, adultos, idosos e maiores de 15 anos. Construção de 113 unidades escolares e reforma de 302 outras unidades. 97% das crianças de 06 a 14 anos estão na escola e a Bahia está perto de universalizar o ensino fundamental.

ÁGUA PARA TODOS – Atendeu a 2,8 milhões de baianos com água encanada de qualidade e saneamento básico.

GERAÇÃO DE EMPREGOS – Gerou mais de 280 mil empregos formais, colocando a Bahia em primeiro lugar na geração de postos de trabalho formal no Nordeste.

Os processos de qualificação beneficiaram 57.920 jovens e trabalhadores.

O programa de microcrédito do Estado (CredBahia) atingiu, no final de 2010, 108 milhões de empréstimo dos quais R$ 80,4 milhões neste governo, com 70.267 contratos assinados.

SAÚDE – Em quatros anos foram entregues 5 novos hospitais, em Santo Antonio de Jesus, Juazeiro, Salvador, Feira de Santana e Irecê. Foram criados mais de 1.200 novos leitos, os leitos de UTI passaram de 427 para 789.

Mais de 7 mil pacientes hipertensivos e diabéticos de 38 municípios baianos já recebem, de graça e via sedex, medicamentos em casa. Os recursos do Programa Medicamento em Casa passaram de 205,2 milhões para R$ 484 milhões, mais que o dobro.

Reformou diversos hospitais dentre eles o Hospital Menandro de Faria, em Lauro de Freitas, reestruturando-o completamente e inaugurando o Registro de Nascimento na maternidade em parceria com o Tribunal de Justiça.
Na área de Segurança os recursos passaram de R$ 1,6 bilhões para R$ 2,2 bilhões em 2010. A PM incorporou 7.345 homens e mulheres. São 5.899 soldados e 372 oficiais nas ruas, somando-se aos 32 mil policiais já atuantes.
Na polícia civil, outros 587 policiais, entre delegados, investigadores e escrivães foram nomeados. O departamento de polícia técnica ganhou reforço de 555 peritos.

Essa política se consolida com o Pacto pela Vida – Programa lançado no segundo governo, de alto alcance envolvendo toda a sociedade.

Numa política de Desenvolvimento Social com inclusão entregou mais de 31,8 mil unidades habitacionais, reduzindo o déficit de moradia na Bahia. Urbanizou área de baixa renda, com regularização fundiária e mediação de conflito.
Os investimentos já realizados e previstos para os próximos anos somam R$ 2,75 bilhões em habitação. Incluindo o PAC e o Minha Casa Minha Vida, serão construída mais 77,6 mil unidades, 53,8 mil delas em obras e 23,8 mil com recursos garantidos.

A Bahia é recordista nacional do Minha Casa Minha Vida. Mas de 45 mil casas construídas em 41 municípios com população acima de 50 mil habitantes para a população de até 3 salários mínimos.

Entre 2007 e 2010 o programa Luz para Todos em parceria com o governo federal, praticamente dobrou o número de ligações, permitindo o acesso a luz elétrica para um milhão e meio de pessoas em 413 municípios baianos. Foi feita a eletrificação de mais 7,2 mil domicílios de famílias de baixa renda em áreas urbanas e rurais e estão programadas mais 6 mil rurais e 3 mil urbanos não contemplados ainda pelo programa.

No Combate a Pobreza foi o estado que mais avançou na adoção de políticas sociais com mais de 1,6 milhões de famílias atendidas

Se Saúde, Educação e Segurança foram desafios enfrentados com a garra de quem estava acostumado às tricheiras de luta, não foi menor o desafio de recuperar e ampliar a infraestrutura logística do Estado. A malha viária foi o alvo principal. Foram quase 3 mil Km recuperados e outros 2.500 em execução. Um investimento que só no último ano superou os R$ 600 milhões. Nunca se investiu tanto em infraestrutura na Bahia, como nos últimos quatro anos. Todas as regiões do estado foram beneficiadas, quem anda pelas estradas pode ver a diferença, e tem mais em projeto.

Mas não é só. Em Salvador, obras de grande impacto como o complexo de viadutos Dois de Julho, os Viadutos da Rótula do Abacaxi, maior obra viária dos últimos 30 anos – parte de uma obra ainda maior, a Via Expressa – que vai dar uma nova feição à trafegabilidade na capital baiana, tanto tempo relegada ao esquecimento em gestões anteriores.
E o que dizer da ferrovia Oeste-Leste? Um investimento de mais de R$ 6 bilhões, com recursos do PAC, que vai impulsionar toda a economia baianas, sobretudo os 32 municípios que serão cortados por esta iniciativa. 1,5 mil Km transportando produtos e esperanças dos baianos, concretizando sonhos e um novo padrão de vida para milhares de pessoas, a partir do Porto Sul, em Ilhéus, até Barreiras e daí ao Tocantins.

É tão bom ver Dona Enedina, aluna do topa com 100 anos, orgulhosa de ser alfabetizada. Dona Isabel, tolinha com a água linda que bebe, mesmo sem sentir sede. Dona Iaiá encantada com aquela medicina toda. Sr José e Dona Luciene felizes com a Casa própria. Sr. Carlos Nascimento todo alegre com o armariozinho do novo emprego. Sr Edson Souza, de Santo Estevão, do Luz para Todos que disse: “ Se eu tivesse foguete tinha sortado na hora”, além de tantos outros anônimos que serão eternamente agradecidos a esse novo baiano.

Com tantas realizações, o povo que já o havia adotado como seu líder, reafirma o compromisso com o projeto que implantou na Bahia com apoio de aliados históricos e de outros que se somaram, a exemplo do Vice Oto Alencar, e o reelege, mais uma vez, no primeiro turno, Governador da Bahia em 2010, com 63,84% dos votos válidos.

Sua vitória expressiva na Bahia repercute nacionalmente também para eleger a primeira mulher presidenta da República do Brasil – Dilma Russef.

Wagner, reeleito governador da Bahia, segue fortalecendo a cidadania baiana junto com Dilma, transformando o Brasil num País de Todos e Todas.

Já no segundo mandato cria a Secretaria de Política para as Mulheres mostrando o seu compromisso com a questão de gênero e assegura a continuidade do combate à descriminação racial com a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial. Prepara a Bahia para a Copa e as Olimpíadas, acima de tudo para deixar um legado de infraestrutura para os baianos viverem melhor.

Portanto, motivos existem de sobra para torná-lo um cidadão Baiano.

Foto: João Raimundo - DECOM/PMLF

Desde a chegada à Bahia, mais especificamente a Salvador, onde nasceram seus três filhos, Mariana, Mônica e Mateus (fruto de sua relação com Bete), Wagner, que inicialmente morou em Plataforma, deu continuidade a sua vida política dentro dos movimentos sociais, sindicais e na política partidária. Wagner é tão baiano quanto qualquer cidadão que nasceu neste belo Estado.

Foi aqui que ele viu seus filhos crescerem, estudarem e se tornarem cidadãos. Foi nesta terra que fez o enfrentamento em defesa dos trabalhadores. Foi neste estado que, enquanto militante, Parlamentar, Ministro e Governador, conheceu e conhece cada palmo deste estado, conhece o sofrimento dos sertanejos, dos ribeirinhos, dos quilombolas, dos índios, dos sem terra, das mulheres, dos negros e de todos os baianos e baianas que lutam por uma vida mais digna.

Foi nesta terra que encontrou Maria de Fátima Mendonça, com quem se casou e ganhou mais um filho, Dudu.
Se Wagner já demostrava o seu amor pela Bahia, a entrada de Fatinha na sua vida fez esse amor tornar-se explicito no seu semblante. E quem os vê sente a felicidade de serem baianos, viverem na Bahia e para a Bahia.

Wagner e Fatinha têm levado esperança e solidariedade aos quatro cantos dessa Bahia que eles tanto amam.
Sua sensibilidade e atenção a todos e todas e aos amigos é singular. Nunca me equecerei que em plena campanha eleitoral, durante um jogo da Copa do Mundo de 2010, ele largou o jogo para se preocupar com um problema que eu estava passando com meu netinho Bernardo, e sob sua orientação conseguimos esclarecer tudo, que não passou de um susto. Wagner e isso. É humano. É Companheiro, É Amigo.

Amigo de Lula, de Dilma, Meu Amigo. Amigo e Avô de Júlia, que como muitos da sua geração, terão orgulho desse cidadão, Amigo da Bahia e de todos os Baianos.

O Cidadão Jaques Wagner é baiano duas vezes, porque escolheu a Bahia e porque nós baianos o escolhemos.

VIVA O MAIS NOVO CIDADÃO BAIANO, OPERÁRIO DA CIDADANIA

Moema Gramacho

Anúncios
Esse post foi publicado em Notícias e política e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s