Trabalhando com Poesia

“… Toda vez que te olho crio um romance, te persigo, mudo todos instantes, falo pouco pois não sou de dar indiretas, me arrependo do que digo em frases incertas, se eu tento ser direto, o medo me ataca, sem poder nada fazer, sei que tento me vencer e acabar com a mudez, quando eu chego perto, tudo esqueço e não tenho vez, me consolo, foi errado o momento talvez, mas na verdade, nada esconde essa minha timidez… Eu carrego comigo a grande agonia de pensar em você, toda hora do dia, eu carrego comigo, a grande agonia, na verdade nada esconde essa minha timidez, na verdade nada esconde essa minha timidez… Talvez escreva um poema, no qual grite o seu nome, nem sei se vale a pena, talvez só telefone… Eu me ensaio, mas nada sai, o seu rosto me distrai e, como um raio, eu encubro , eu disfarço, eu camuflo, eu desfaço, Eu respiro bem fundo, hoje digo pro mundo mudei rosto e imagem, mas você me sorriu, lá se foi minha coragem, você me inibiu…sei que tento me vencer e acabar com a mudez, quando eu chego perto, tudo esqueço e não tenho vez, me consolo, foi errado o momento talvez, mas na verdade, nada esconde essa minha timidez… Eu carrego comigo a grande agonia de pensar em você, toda hora do dia, eu carrego comigo, a grande agonia, na verdade nada esconde essa minha timidez, na verdade nada esconde essa minha timidez, na verdade nada esconde essa minha timidez, na verdade nada esconde essa minha timidez… ” (Biquini Cavadão – Timidez – Comp.: Álvaro, Bruno, Sheik, Miguel, Coelho)

“… Alô!… Sabe esses dias em que horas dizem nada? E você nem troca o pijama, preferia estar na cama. Um dia, a monotonia tomou conta de mim, é o tédio, cortando os meus programas, esperando o meu fim… Sentado no meu quarto, o tempo vôa, lá fora a vida passa e eu aqui à tôa, eu já tentei de tudo, mas não tenho remédio prá livrar-me desse tédio… Vejo o programa, que não me satisfaz, leio o jornal que é de ontem, pois prá mim, tanto faz. Já tive esse problema, sei que o tédio é sempre assim! Se tudo piorar, não sei do que sou capaz… Sentado no meu quarto, o tempo vôa, lá fora a vida passa e eu aqui à tôa, eu já tentei de tudo, mas não tenho remédio prá livrar-me desse tédio… Vejo o programa, que não me satisfaz, leio o jornal que é de ontem, pois prá mim, tanto faz. Já tive esse problema, sei que o tédio é sempre assim! Se tudo piorar, não sei do que sou capaz… Sentado no meu quarto, o tempo vôa, lá fora a vida passa e eu aqui à tôa, eu já tentei de tudo, mas não tenho remédio prá livrar-me desse tédio… Tédio, não tenho um programa! Tédio, esse é o meu drama! O que corrói é o tédio, um dia eu fico cego, me atiro deste prédio…” (Biquini Cavadão – Tédio – Comp.: Sheik / Miguel / Álvaro / Bruno)

“… Quem foi que disse que amar é sofrer? Quem foi que disse que Deus é brasileiro, que existe ordem e progresso, enquanto a zona corre solta no congresso? Quem foi que disse que a justiça tarda mas não falha? Que se eu não for um bom menino, Deus vai castigar? Os dias passam lentos, aos meses seguem os aumentos… Cada dia eu levo um tiro, que sai pela culatra, eu não sou ministro, eu não sou magnata… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes… Quem foi que disse que os homens nascem iguais? Quem foi que disse que dinheiro não traz felicidade? Se tudo aqui acaba em samba, no país da corda bamba, querem me derrubar!? Quem foi que disse que os homens não podem chorar? Quem foi que disse que a vida começa aos quarenta? A minha acabou faz tempo, agora entendo por que …. Cada dia eu levo um tiro, que sai pela culatra, eu não sou ministro, eu não sou magnata… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes… Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes…Os dias passam lentos, os dias passam lentos… Cada dia eu levo um tiro, cada dia eu levo um tiro, eu não sou ministro, eu não sou magnata, eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém, aqui embaixo, as leis são diferentes…” (Biquini Cavadão – Zé Ninguém – Comp.: Bruno Gouveia)

“Quando a dúvida o assaltar, firme seu coração, no desejo de perseverar até o fim. Se a mágoa e a calúnia o ferirem, não fique a lamentar-se inutilmente: gaste seu tempo em trabalhos construtivos, auxiliando a todos os que necessitam de seu apoio. Não se deixe desfalecer pelas dores! Ao contrário: eleve seu pensamento confiante, pedindo o socorro do alto.” (Minutos de sabedoria Pg. 107)

Boa tarde pessoal,

Acabamos por não ter condições de enviar a nossa mensagem ontem, por conta das diversas atividades de ontem e hoje pela manhã.

A Prefeita Moema convocou ontem, sendo Lauro de Freitas o primeiro municipio baiano a fazê-lo, a primeira Conferência Municipal sobre Transparência e Controle Social, etapa preparatória e eletiva às etapas estadual e federal da mesma Conferência.

Conselho Municipal de Cultura definiu hoje pela manhã o roteiro da eleição de sábado para os conselheiros da Sociedade Civil, que ocorre neste sábado das 9 as 15 horas na Escola de Cadetes Mirins Anisio Teixeira.

Em reunião agora a pouco com o Presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia definimos a realização de atividades esportivas, voltadas para os servidores (as) municipais asociados e não associados à AFPEB, para os dias 30 e 31 de Julho. Teremos campeonato de futebol society, dominó, Snoker, baralho e, caso tenhamos praticantes em número suficiente, de voley. Sendo assim, solicito de vocês que verifiquem na sua secretaria se há quem pratique essas modalidades e nos avise. nosso contato é o oipa2@hotmail.com.

Reproduzo abaixo e-mail recebido da equipe do Mobilização BR, Marcha Mundial das Mulheres e CUT.

Hoje é o grande Dia Nacional da Mobilização, uma iniciativa da CUT ao lado de parceiros como o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Marcha Mundial de Mulheres e Central de Movimentos Populares. Você não pode ficar fora dessa! Se vista de vermelho e vá para as ruas contribuir com essa luta, que também é nossa. Afinal, melhores salários, alimentação de qualidade, impostos, fator previdenciário e trabalho decente, são assuntos que afetam a vida de todos nós..

Veja no link abaixo o mapa com os locais das atividades em seu estado:

http://maps.google.com.br/maps/ms?authuser=0&vps=2&ie=UTF8&hl=pt-BR&oe=UTF8&msa=0&msid=201495010697803824440.0004a71c09eea6102f71e

O presidente da CUT, Arthur Henrique fala da pauta: http://www.youtube.com/watch?v=6RukW4myCFs

O que acontecerá em cada estado:

http://www.cut.org.br/destaques/20902/rumo-ao-6-de-julho-dia-nacional-de-mobilizacao

Ainda dá para convidar seus amigos no facebook para participar desta mobilização – http://www.facebook.com/event.php?eid=223433961030846

Vamos fazer uma grande Cobertura Colaborativa postanto no twitter e no facebook fotos, vídeos e informações sobre a mobilização nas nossas cidades ou simplesmente enviem mensagens de apoio usando a tag #6deJulhoCUT e vamos lutar por um Brasil mais justo para todos!

Siga a CUT no Twitter: http://twitter.com/#!/cutnacional

E no Facebook: http://www.facebook.com/cutnacional1

Um abraço rumo à grande mobilização,

Equipe MobilizaçãoBR

Em 06 de Julho de 1946 nasceu Sylvester Stalone, ator Norte Americano.

Em 06 de Julho de 1971 morria Louis Armstrong, um dos maiores Jazzistas da história.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Louis_Armstrong

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”, que, graças a vocês e deixo aqui o meu agradecimento especial, atingiu a marca das 10 mil visitas. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com

Abraços nos amigos, beijos nos filhos e nas amigas, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quarta feira abençoada por Deus.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=1139376304
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

A Maré Encheu – Geraldo Vandré

A maré encheu
A maré vazou
Os cabelos da Morena
O riacho carregou

Era tão bonito a gente amando
Hoje vou sozinho vou lembrando
Ela que partiu, partiu chorando
Eu não sei chorar, vivo cantando

A maré encheu
A maré vazou
Os cabelos da Morena
O riacho carregou

Vida sem amor não vele nada
Samba só se faz com batucada
Triste só tem vez de madrugada
Ou mais, meu amor com minha amada

A maré encheu
A maré vazou
Os cabelos da Morena
O riacho carregou

Disparada – Geraldo Vandré
Prepare o seu coração
Prás coisas
Que eu vou contar
Eu venho lá do sertão
Eu venho lá do sertão
Eu venho lá do sertão
E posso não lhe agradar…

Aprendi a dizer não
Ver a morte sem chorar
E a morte, o destino, tudo
A morte e o destino, tudo
Estava fora do lugar
Eu vivo prá consertar…

Na boiada já fui boi
Mas um dia me montei
Não por um motivo meu
Ou de quem comigo houvesse
Que qualquer querer tivesse
Porém por necessidade
Do dono de uma boiada
Cujo vaqueiro morreu…

Boiadeiro muito tempo
Laço firme e braço forte
Muito gado, muita gente
Pela vida segurei
Seguia como num sonho
E boiadeiro era um rei…

Mas o mundo foi rodando
Nas patas do meu cavalo
E nos sonhos
Que fui sonhando
As visões se clareando
As visões se clareando
Até que um dia acordei…

Então não pude seguir
Valente em lugar tenente
E dono de gado e gente
Porque gado a gente marca
Tange, ferra, engorda e mata
Mas com gente é diferente…

Se você não concordar
Não posso me desculpar
Não canto prá enganar
Vou pegar minha viola
Vou deixar você de lado
Vou cantar noutro lugar

Na boiada já fui boi
Boiadeiro já fui rei
Não por mim nem por ninguém
Que junto comigo houvesse
Que quisesse ou que pudesse
Por qualquer coisa de seu
Por qualquer coisa de seu
Querer ir mais longe
Do que eu…

Mas o mundo foi rodando
Nas patas do meu cavalo
E já que um dia montei
Agora sou cavaleiro
Laço firme e braço forte
Num reino que não tem rei

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s