Trabalhando com Poesia

“…A noite é um mistério, que eu finjo compreender, sentado nas varandas, esperando o amanhecer… Estrelas lá no céu, fogueiras no sertão e as luzes da cidade, não espantam a solidão… Dona lua já se foi, polvilhar outro rincão,com o trigo da saudade, que é a massa do meu pão… A noite é um caso sério, que eu não vou resolver, enquanto dormir longe de quem fiz meu bem querer… Dona lua já se foi, polvilhar outro rincão,com o trigo da saudade, que é a massa do meu pão… A noite é um caso sério, que eu não vou resolver, enquanto dormir longe de quem fiz meu bem querer…” (Almir Sater – Varandas – Comp.: Almir Sater)

“… Quando uma estrela cai, no escurão da noite e um violeiro toca suas mágoas, então os “zóio” dos bichos, vão ficando iluminados, rebrilham neles estrelas de um sertão enluarado… Quando o amor termina, perdido numa esquina e um violeiro toca sua sina, então os “zóio” dos bichos, vão ficando entristecidos, rebrilham neles lembranças dos amores esquecidos… Quando o amor começa, nossa alegria chama e um violeiro toca em nossa cama, então os “zóio” dos bichos, são os olhos de quem ama, pois a natureza é isso, sem medo, nem dó, nem drama… Tudo é sertão, tudo é paixão, se o violeiro toca, a viola, o violeiro e o amor se tocam… Tudo é sertão, tudo é paixão, se o violeiro toca, a viola, o violeiro e o amor se tocam… Quando o amor começa, nossa alegria chama e um violeiro toca em nossa cama, então os “zóio” dos bichos, são os olhos de quem ama, pois a natureza é isso, sem medo, nem dó, nem drama… Tudo é sertão, tudo é paixão, se o violeiro toca, a viola, o violeiro e o amor se tocam… Tudo é sertão, tudo é paixão, se o violeiro toca, a viola, o violeiro e o amor se tocam…” (Almir Sater – Um Violeiro Toca – Comp.: Almir Sater / Renato Teixeira)

“… De onde é que vem esses olhos tão tristes? Vem da campina onde o sol se deita, do regalo de terra que teu dorso ajeita e dorme serena, no sereno e sonha… De onde é que salta essa voz tão risonha? Da chuva que teima, mas o céu rejeita, do mato, do medo, da perda tristonha, mas, que o sol resgata, arde e deleita… Há uma estrada de pedra que passa na fazenda, é teu destino, é tua senda onde nascem tuas canções, as tempestades do tempo que marcam tua história, fogo que queima na memória e acende os corações… Sim, dos teus pés na terra nascem flores, a tua voz macia aplaca as dores e espalha cores vivas pelo ar… Ah, ah, ah … Sim, dos teus olhos saem cachoeiras, sete lagoas, mel e brincadeiras, espumas, ondas, águas do teu mar…Ah, ah, Elaia … Há uma estrada de pedra que passa na fazenda, é teu destino, é tua senda onde nascem tuas canções, as tempestades do tempo que marcam tua história, fogo que queima na memória e acende os corações… Sim, dos teus pés na terra nascem flores, a tua voz macia aplaca as dores e espalha cores vivas pelo ar… Ah, ah, ah … Sim, dos teus olhos saem cachoeiras, sete lagoas, mel e brincadeiras, espumas, ondas, águas do teu mar…Ah, ah, Elaia …” (Almir Sater& Paula Fernandes – Jeito de Mato – Comp.: Paula Fernandes/ Maurício Santini)

“Ando devagar porque já tive pressa e levo esse sorriso, porque já chorei demais, hoje me sinto mais forte, mais feliz quem sabe, só levo a certeza de que muito pouco eu sei, ou nada sei… Conhecer as manhas e as manhãs, o sabor das massas e das maçãs, é preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir… Penso que cumprir a vida, seja simplesmente compreender a marcha, ir tocando em frente, como um velho boiadeiro, levando a boiada, eu vou tocando os dias pela longa estrada, eu vou, estrada eu sou, conhecer as manhas e as manhãs, o sabor das massas e das maças, é preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz, pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir…. Todo mundo ama um dia, todo mundo chora, um dia a gente chega, no outro vai embora, cada um de nós compõe a sua história, cada ser em si, carrega o dom de ser capaz, e ser feliz, conhecer as manhas e as manhãs, o sabor das massas e das maças, é preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz, pra poder sorrir, é preciso a chuva para florir… Ando devagar porque já tive pressa e levo esse sorriso, porque já chorei demais, cada um de nós compõe a sua história, cada ser em si, carrega o dom de ser capaz, e ser feliz…” (Almir Sater – Tocando em Frente – Comp.: Almir Sater e Renato Teixeira)

“… La vai uma chalana, bem longe se vai, navegando no remanso do rio Paraguai… Ah! Chalana sem querer tu aumentas minha dor, nessas águas tão serenas vai levando meu amor… Ah! Chalana sem querer tu aumentas minha dor, nessas águas tão serenas vai levando meu amor… E assim ela se foi, nem de mim se despediu, a chalana vai sumindo na curva lá do rio e se ela vai magoada, eu bem sei que tem razão, fui ingrato, eu feri o seu pobre coração… Ah! Chalana sem querer tu aumentas minha dor, nessas águas tão serenas vai levando meu amor… Ah! Chalana sem querer tu aumentas minha dor, nessas águas tão serenas vai levando o meu amor…” (Almir Sater – Chalana – Comp.: Mario Zan e Arlindo Pinto)

“Saiba Viver os belos momentos de sua vida. Aproveite os minutos de alegria, sem pressa de novamente mergulhar nos trabalhos agitados. Goze amplamente seu repouso espiritual. Olhe a paisagem, comtemple as estrelas, aprecie os caprichos da natureza, colha em todos os canteiros as flores da alegria! Saiba viver integralmente os belos momentos de sua vida!” (Minutos de Sabedoria Pg. 128)

“Não se deixe arrastar pela vaidade. Aprenda a conhecer-se. Não se julgue indispensável. Quando lhe vier a tentação de julgar-se insubstituível, lembre- se de uma verdade irrefutável; só Deus é indispensável. Não se envaideça! Deus, que é grande, não assinou nenhuma de suas obras… Não se esqueça: quem se exalta será humilhado, mas quem se humilha será exaltado.” (Minutos de Sabedoria Pg. 129)

Boa tarde pessoal,

Não tivemos a nossa mensagem ontem, em função de um pequeno mal estar, mas, que já se resolveu. Quero agradecer a cada pessoa que me ligou, que mandou mensagem e que enfim, demonstrou preocupação com minha pessoa. Obrigado de coração.

Hoje a Igreja católica reverencia a São Lourenço, Padroeiro dos forneiros e cozinheiros.

http://www.estimacom.com.br/realese124.html

No Candomblé é dia de reverenciar Tempo “Quatro é o número da Terra; quatro foram os dias que Olorum levou para criar o mundo; a cada dia, Olorum criou quatro Odus – num total de 16; quatro são as estações do ano: verão, inverno, outono e primavera; quatro são os elementais da natureza: fogo, água, terra e ar. Ligado a este numero quatro, está o Orixá Tempo – de origem Angola e Congo – semelhante ao Iroko, da Nação Ketu e a Loko, de Nação Jeje. Tempo é o senhor das estações do ano; regente das mutações climáticas. Pai da maionga, o banho da Nação Angola.”

http://dofonodelogum.sites.uol.com.br/tempo.html

“…O tempo perguntou ao tempo, quanto tempo o tempo tinha… O tempo respondeu ao tempo: Tudo com o tempo tem tempo seu moço…” Zara Tempo (Trecho de música do Bloco Afro Bankoma)

“Nunca teremos respostas para tudo, mas as encontraremos em cada porta que tivermos coragem de abrir durante a vida.” Sobrevivente do Caos

Que sigamos os conselhos de Içami Tiba e consigamos, a cada segundo de nossa existência no Planeta Terra, ter coragem de abrir as portas.

Em 10 de Agosto de 1675 sob o patrocinio do rei carlos II é colocada a primeira pedra do Observatório Real de Greenwich, em Londres.

Em 10 de Agosto de 1830 a estátua da Venus de Milo, a deusa do amor, sem braços.

Em 10 de Agosto de 1959 é inaugurado o Museu de arte sacra da Bahia, em Salvador.

Em 10 de Agosto de 1974 Morria Tito de Alencar Lima, o Fei Tito, considerado um dos simbolos da luta contra a Ditadura Militar. Seu corpo foi encontrado enforcado em Lyon/França.

http://www.jblog.com.br/hojenahistoria.php?itemid=22918

Em 10 de Agosto de 1995 Morria Florestan Fernandes, considerado o pai da sociologia brasileira.

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”, que já ultrapassou a marca das 11200 visitas. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2011/08/10/trabalhando-com-poesia-333/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Quarta feira abençoada por Deus.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=1139376304
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

A Primeira Vez
Roberto Carlos
Composição: Roberto carlos e Erasmo Carlos

Quando nós nos conhecemos
Num segundo percebemos
Que em nós dois

Tanta coisa poderia
Existir daquele dia
Pra depois

A impressão que eu sentia
Era que te conhecia
Há muito tempo atrás

A primeira vez
Que eu vi você
A primeira vez

Por aquele nosso encontro
Eu não sei por quanto tempo
Eu esperei

O lugar aonde fomos
E até mesmo o que falamos
Eu guardei

Era fim de madrugada
A chuva fina na calçada
Eu te segurei

A primeira vez
Que eu beijei você
A primeira vez

Outras vezes nós nos vimos
E em cada vez sentimos
Que o amor

Se excedia em cada beijo
E nos abraços o desejo
Explodia em nós

Numa noite inesquecível
Controlar foi impossível
Tudo aquilo a sós

A primeira vez
O amor se fez
Na primeira vez

Acordávamos sorrindo
Cada vez era mais lindo
Amanhecer

Era tanta poesia
Transbordando em nossos dias
Que eu nem posso crer

Que naqueles dois amantes
Tanto amor não foi bastante
Pra evitar o fim

Você disse adeus
Tudo terminou
Na primeira vez!

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Trabalhando com Poesia

  1. Marcelo Queiroz Jr disse:

    Muito bom!..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s