Trabalhando com Poesia

“… Você roubou a minha vida, a alma inteira, você não sabe como é a minha dor, mas eu não quero a sua pena… Você não sabe o tanto que eu perdi, não liga se meu mundo quebrar e cair, em um abismo de desilusão… Você já me roubou a vida e eu me sinto como uma pedra onde o mar derrama a onda e acostumada, nada sente… Você não sabe o importante que foi, que sua ausência nunca vai chegar ao fim, que eu te dei um pedaço de mim… Você não sabe o que é o amor, que o medo invade qualquer solidão, você não sabe que dano causou, que faz em pedaços meu pobre coração, que batia quando ouvia o som vazio em sua voz, o som macio em sua voz… Você que me roubou a vida, todos os sonhos e me deixou somente o frio da sensação de já não ter mais esperança… Você não imagina o quanto eu perdi, não sabe que será impossível esquecer e que a saudade só pensa em você… Você não sabe o que é o amor, que o medo invade qualquer solidão, você não sabe que dano causou, que fez em pedaços meu pobre coração, que batia quando ouvia som vazio em sua voz, o som macio em sua voz… Você não sabe a verdade de quem ama, você não sabe como foi que me deixou, você foi fria e congelou a minha alma, você deixou em mim o vazio e a dor, você não sabe o que é o amor, que o medo invade qualquer solidão, você não sabe que dano causou, que fez em pedaços meu pobre coração, você não sabe o que é o amor, que o medo invade qualquer solidão… Você não sabe que dano causou, que fez em pedaços meu pobre coração…” (Alexandre Pires – Você Roubou a Minha Vida – Comp.: Estefano, Donato Poveda Versão: Dudu Falcão)

“… Beijar tua boca é a minha aventura, voar pelos ventos do seu bem-querer, beijar tua boca é perder a inocência, beijar tua boca é jogar e perder… Por isso entenda que eu te preciso, que sem tua boca eu posso enlouquecer e mesmo sabendo o quanto me custa, ter o sentimento jogado aos teus pés… É minha paixão que me leva à loucura, que te traz prá mim quando eu tento esquecer… Maldito o tempo que se acaba, quando estou contigo, maldito, maldito, o tempo que não estás, maldito o tempo que te esconde, quando eu te preciso… E que seja bendita essa necessidade! E que seja bendita essa necessidade… Beijar tua boca é voar no infinito, não fazer perguntas, nem saber porque beijar tua boca é a dor e o remédio, que cura esse mêdo de nunca te ter… Por isso é que guardo teu beijo comigo, que te trás prá mim, quando eu tento esquecer… Maldito o tempo que se acaba, quando estou contigo, maldito, maldito, o tempo que não estás, maldito o tempo que te esconde, quando eu te preciso… E que seja bendita essa necessidade! E que seja bendita essa necessidade… Beijar tua boca é simplesmente tudo que está dentro de mim, por isso que esqueço de te esquecer… Maldito o tempo que se acaba quando estou contigo, maldito, maldito o tempo que não estás, maldito o tempo que te esconde quando eu te preciso… E que seja bendita essa necessidade! E que seja bendita essa necessidade… Maldito o tempo que se acaba quando estou contigo, maldito, maldito o tempo que não estás, maldito o tempo que te esconde quando eu te preciso… E que seja bendita essa necessidade! E que seja bendita essa necessidade…” (Alexandre Pires – Necessidade – Comp.: Alexandre Pires)

“… Descansei a dor no azul do mar, disfarcei meu pranto andando pela chuva, mas meu coração não ficou em paz, meio atormentado por uma saudade… Quis me acostumar, depois quis fugir, foi inútil resistir, tô me entregando, mas sei, posso ser feliz, pelo menos uma vez , estou tentando… Não basta ter você, com o pensamento longe pelo ar… Não tente me iludir, eu vou perceber, vai me machucar… Mas se você quiser vou estar aqui, eu vou te esperar, só não sei até quando… Mas sei, posso ser feliz, pelo menos uma vez, estou tentando… Mas sei posso ser feliz, pelo menos uma vez, estou te amando… Olha, dessa vez não vamos pensar em nada! Vamos sair, andar, pela calçada e a madrugada nos envolve numa trama… Daí, depois na cama, a gente faz amor, não importa se sou eu, ou se é você que me domina, deixa acontecer, menina… Como a chuva, sem hora, não demora, me apaixono por você… Se você quiser, vou estar aqui , eu vou te esperar, só não sei até quando, mas sei que posso ser feliz, pelo menos uma vez, estou tentando… Sei que posso ser feliz… Mas sei posso ser feliz, pelo menos uma vez, estou te amando… Mas sei posso ser feliz, pelo menos uma vez, estou te amando…” (Alexandre Pires & Simony – Pelo Menos Uma Vez – Comp.: Alexandre Pires)

“Não procure coÍecionar tesouros apenas nesta terra, porque os ladrões podem roubá-lo e seu tesouro pode envelhecer. Além disso, não se esqueça de que, quando partir da terra, aqui deixará tudo, até seu próprio corpo. Então, por que ser avarento? Colecione os tesouros das boas obras, do bem que pratica em benefício do próximo, por que essas riquezas o acompanharão além túmulo.” (Minutos de sabedoria Pg. 141)

Boa tarde pessoal,

Recebemos ontem a informação da Fundação ABRINQ Save The Children da classificação do nosso município entre os 354 finalistas do Prêmio Prefeito Amigo da Criança, num universo de aproximadamente 1500 inscritos em todo o país. Parabéns à Prefeita Moema Gramacho, por acreditar na possibilidade e a Ednalva minha parceira incansável na articulação das outras secretarias neste objetivo, sem esquecer de agradecer e parabenizar a cada representante das demais secretarias.

Saiba mais sobre o PPAC em meu blog, no link abaixo:

https://oipa2.wordpress.com/2011/08/29/lauro-de-freitas-entre-354-municipios-selecionados-pelo-premio-prefeito-amigo-da-crianca/

Nosso Governador Jaques Wagner concedeu entrevista ao Jornal Tribuna da Bahia ontem falando sobre diversos temas e, quando perguntado sobre a sua sucessão, mesmo lembrando que ainda é cedo para este debate elencou potenciais nomes para o processo, entre os membros do PT e, para nós de Lauro de Freitas é de extrema satisfação ver o nome da nossa prefeita Moema entre esses nomes. Trabalho, competência e comprometimento com o Projeto nacional e estadual com certeza não lhe faltam.

Confira a entrevista do Governador em meu blog:

https://oipa2.wordpress.com/2011/08/29/wagner-ja-fala-em-nomes-para-2014-por-osvaldo-lyra-editor-de-politica-tribuna-da-bahia/

Os nossos parabéns aos aniversariantes de hoje, entre os quais a colega Vera Lúcia, da equipe do Banco de Serviços/SEFAZ. Também aos amigos (as) Adriana Santos, Andréa Silveira, Douglas Jordão, Márcio Wesley, Pola Ribeiro, ao Professor Rodrigo Francco e Valéria Vaz. Abraços e o desejo de muita paz, saúde e felicidades.

Hoje Às 14 horas na AR de Areia Branca teremos nossa Audiência Pública sobre o Plano Municipal em Defesa das Pessoas com Deficiência. Participe!

Em 30 de Agosto de 1972 morria Dalva de Oliveira

http://pt.wikipedia.org/wiki/Dalva_de_Oliveira

Em 30 de Agosto de 1999 é deciddo em Plebiscito a independência do Timor-Leste

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”, que já ultrapassou a marca das 13.000 visitas. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2011/08/30/trabalhando-com-poesia-344/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Terça feira abençoada por Deus e Protegida pelo olhar aguçado de Ogum.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=1139376304
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

As Meninas – Cecilia Meirelles

Arabela
abria a janela.
Carolina
erguia a cortina.
E Maria
olhava e sorria:
“Bom dia!”

Arabela
foi sempre a mais bela.
Carolina,
a mais sábia menina.
E Maria
apenas sorria:
“Bom dia!”

Pensaremos em cada menina
que vivia naquela janela;
uma que se chamava Arabela,
uma que se chamou Carolina.
Mas a profunda saudade
é Maria, Maria, Maria,
que dizia com voz de amizade:
“Bom dia!”

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s