Trabalhando com Poesia

“… Se eu ainda soubesse, como mudar o mundo, se eu ainda pudesse saber um pouco de tudo, eu voltaria atrás do tempo, eu não te deixaria presa no passado e arrumaria um jeito, pra você estar ao meu lado de novo, eu voltaria no tempo… Pra voltar pra ontem, sem temer o futuro e olhar pra hoje, cheio de orgulho, eu voltaria atrás do tempo, eu voltaria atrás, atrás do tempo… Os nossos erros seriam apagados, nossos primeiros desejos ressuscitados e de novo eu voltaria no tempo, eu não te deixaria desistir tão fácil e não te negaria nenhum abraço de novo, eu voltaria no tempo… Pra voltar pra ontem, sem temer o futuro e olhar pra hoje, cheio de orgulho, eu voltaria atrás do tempo, eu voltaria atrás, atrás do tempo… E a gente fez nosso futuro, quase quebrando o nosso mundo, o nosso mundo, nosso mundo… Pra voltar pra ontem, sem temer o futuro e olhar pra hoje, cheio de orgulho, eu voltaria atrás do tempo, eu voltaria atrás, atrás do tempo, do tempo, do tempo, atrás do tempo…” (Barão Vermelho – Nosso MUndo – Comp.: Maurício Barros e Guto Goffi)

“…Amor, meu grande amor, não chegue na hora marcada, assim como as canções, como as paixões e as palavras… Me veja nos seus olhos, na minha cara lavada, me venha sem saber se sou fogo ou se sou água… Amor, meu grande amor, me chegue assim bem de repente, sem nome ou sobrenome, sem sentir o que não sente… E tudo o que ofereço é, meu calor, meu endereço, a vida do teu filho, desde o fim, até o começo… Amor, meu grande amor, só dure o tempo que mereça e quando me quiser, que seja de qualquer maneira… Enquanto me tiver, que eu seja o último e o primeiro e quando eu te encontrar, meu grande amor Me reconheça… E tudo o que ofereço é, meu calor, meu endereço, a vida do teu filho, desde o fim, até o começo… Amor, meu grande amor, que eu seja o último e o primeiro e quando eu te encontrar, meu grande amor, por favor, me reconheça… Pois tudo o que ofereço é, meu calor, meu endereço, a vida do teu filho, desde o fim, até o começo… Pois tudo o que ofereço é, meu calor, meu endereço, a vida do teu filho, desde o fim, até o começo…” (Barão Vermelho – amor meu grande amor – Comp.: Ângela Ro Ro e Ana Terra)

“… Mais uma dose? É claro! É claro que eu tô a fim, a noite nunca tem fim, por que quê a gente é assim? Agora fica comigo e não, não, não desgruda de mim, vê se ao menos me engole, não me mastigue assim… Canibais de nós mesmos, antes que a terra nos coma, cem gramas, sem dramas, por que quê a gente é assim? Mais uma dose? É claro! É claro que eu tô a fim, a noite nunca tem fim, por que quê a gente é assim? Você tem exatamente três mil horas prá parar de me beijar, meu bem, você tem tudo, tudo prá me conquistar… Você tem apenas um segundo, um segundo, prá aprender a me amar, você tem a vida inteira, baby! A vida inteira prá me devorar… Agora fica comigo e não, não, não desgruda de mim, vê se ao menos me engole, não me mastigue assim… Você tem exatamente três mil horas prá parar de me beijar, meu bem, você tem tudo, tudo prá me conquistar… Você tem apenas um segundo, um segundo, prá aprender a me amar, você tem a vida inteira, baby! A vida inteira prá me devorar…” (Barão Vermelho – Por que é que a gente é assim? – Comp.: Frejat/ Ezequiel/ Cazuza)

“…Por você, eu dançaria tango no teto, eu limparia os trilhos do metrô, eu iria a pé do Rio à Salvador… Eu aceitaria a vida como ela é, viajaria a prazo pro inferno, eu tomaria banho gelado no inverno… Por você eu deixaria de beber, por você eu ficaria rico num mês, eu dormiria de meia prá virar burguês… Eu mudaria até o meu nome, eu viveria em greve de fome, desejaria todo o dia a mesma mulher… Por você! Por você! Por você! Por você!… Por você, conseguiria até ficar alegre, pintaria todo o céu de vermelho, eu teria mais herdeiros que um coelho… Eu aceitaria a vida como ela é, viajaria a prazo pro inferno, eu tomaria banho gelado no inverno… Eu mudaria até o meu nome, eu viveria em greve de fome, desejaria todo o dia a mesma mulher… Por você! Por você! Por você! Por você!… Eu mudaria até o meu nome, eu viveria em greve de fome, desejaria todo o dia a mesma mulher… Por você! Por você! Por você! Por você!… Por você! Por você! Por você! Por você! Por você! Por você! …” (Barão Vermelho – Por você – Comp.: Roberto Frejat / Guto Goffi / Mauro Santa Cecília)

“…Eu procuro um amor, que ainda não encontrei, diferente de todos que amei… Nos seus olhos quero descobrir uma razão para viver e, as feridas dessa vida eu quero esquecer… Pode ser que eu a encontre, numa fila de cinema, numa esquina, ou numa mesa de bar… Procuro um amor, que seja bom pra mim, vou procurar, eu vou até o fim… E eu vou tratá-la bem, pra que ela não tenha medo, quando começar a conhecer os meus segredos… Eu procuro um amor, uma razão para viver e as feridas dessa vida, eu quero esquecer… Pode ser que eu gagueje, sem saber o que falar, mas eu disfarço e não saio sem ela de lá… Procuro um amor, que seja bom pra mim, vou procurar, eu vou até o fim… Procuro um amor, que seja bom pra mim, vou procurar, eu vou até o fim… Procuro um amor, que seja bom pra mim, vou procurar, eu vou até o fim…” (Barão Vermelho – Segredos – Comp.: Cazuza & Frejat)

“Não dê ouvidos às intrigas e calúnias; só a árvore que produz frutos é que se vê apedrejada, para deixá-los cair. A árvore estéril ninguém dá importância. A calúnia, muitas vezes, é uma honra para quem a recebe. Não pare seu serviço por causa da calúnia. Se pára de fazer o que estava fazendo, dá razão ao caluniador. Siga à frente, e todos acabarão calando-se e no fim ainda baterão palmas ao seu trabalho.” (Minutos de Sabedoria Pg. 144)

“O homem é o que pensa. Se você insistir em pensar no mal, na dor, na doença, você os atrairá para si. Pense na saúde, na alegria, na prosperidade, e sua vida tomará novo rumo. Afirme sempre que é feliz, que as dores passaram, que a saúde se consolida cada vez mais, e a felicidade baterá à sua porta. Seja otimista e permaneça o mais possível ligado ao Pai Celestial.” (Minutos de Sabedoria Pg. 145)

“Cuide bem de seu corpo, dando-lhe alimentação sadia e frugal. Não abuse de carnes nem de bebidas alcoólicas. Mas não esqueça também que a alma precisa de alimentação! Procure ler bons livros. Faça da leitura um hábito diário. Não é só de pão que vive o homem! É também da sabedoria. E esta você a encontrará nos bons livros, companheiros deliciosos e cheios de ensinamentos úteis.” (Minutos de Sabedoria Pg. 146)

“A cooperação é uma das coisas mais sublimes da vida, mas a interferência é uma das mais desagradáveis. Ajude sem interferir. Não imponha seu ponto de vista quando ajuda alguém. A cooperação ajuda, a interferência atrapalha. Então, coopere como todos, mas sem interferir em sua maneira especial de agir e de pensar.” (Minutos de Sabedoria Pg. 147)

Boa tarde pessoal,

O corre corre desta semana e o feriado de ontem acabaram me tirando a oportunidade de interagir com vocês. Confesso que acabo vendo o dia como incompleto por não enviar a nossa mensagem diária, mas, como diria minha vó: “A obrigação vem antes da devoção”. Tentarei resgatar com o envio de hoje e amanhã, que traz a música do Barão Vermelho prefaciando a poesia musicada de Belchior. Espero que gostem.

Nos pegamos sempre fazendo análises de outras pessoas no nosso cotidiano, as vezes pensando ou falando de como a pessoa tal é boa amiga, é companheira, etc. em outras ocasiões nos pegamos pensando ou falando como a falsidade as vezes também impera em algumas relações cotidianas.

Não, o problema não são as pessoas, mas, da forma como as vemos em nossas vidas. Escrevi na terça feira na minha página do facebook que não são apenas os românticos, em versão Vander Lee, que acham que o outro é o paraíso. No fim e ao cabo de tudo, cada um de nós espera nas outras pessoas um paraíso ou um porto seguro. na verdade isso é o reflexo de nossas carências afetivas ou existenciais. As pessoas são o que são. Nós é que as tentamos pintar ou moldar ao nosso gosto. Mas é exatamente assim e por isso que viver é essa maravilha: Nos encontros e desencontros das almas e dos sentimentos é que se aprende e, em se aprendendo se cresce e, em se crescendo trilhamos o caminho da evoluçáo.

Os parabéns de hoje aos amigos Aurélio Bina Brizolara Júnior, Deco Gonçalves, Dri Michels, Edson Paiva Filho, Krys Marque, Marcus Meireles, Maria Carvalho. Parabéns, paz, Saúde e Felicidades.

Nossos parabéns aos Fisioterapeutas pela passagem do seu dia.

Em 08 de setembro de 1522 Um dos cinco navios da expedição do navegador português Fernão de Magalhães, volta à Espanha completando a primeira circum-navegação do globo.

Em 08 de setembro de 1793 – Primeiro Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em Belém do Pará, imagem.

Em 08 de setembro de 1855 Rússia capitula com o fim do Cerco de Sebastopol

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticia/HOJE+NA+HISTORIA+1855++RUSSIA+CAPITULA+COM+O+FIM+DO+CERCO+DE+SEBASTOPOL_15021.shtml

Em 08 de setembro de 1941 O exército nazista inicia o cerco a Leningrado, que se estenderia por 900 dias e reduziria sua população de 2.500.000 para 600.000 pessoas.

http://www.canaldehistoria.pt/hoyenhistoria

Em 08 de setembro de 1944 Partigiani avisam que seguirão lutando contra o nazifascismo.

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticia/HOJE+NA+HISTORIA+1944++PARTIGIANI+AVISAM+QUE+SEGUIRAO+LUTANDO+CONTRA+O+NAZIFASCISMO_14967.shtml

Em 08 de setembro de 1944 – Primeiro ataque das bombas voadoras alemãs V-2 contra Londres.

Em 08 de setembro de 1954 EUA, Austrália, França, Nova Zelândia, Reino Unido, Paquistão, Tailândia e Filipinas assinam em Manila o Tratado de Defesa do Sudeste Asiático.

Em 08 de setembro de 1970 Lançado o Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral), financiado principalmente por incentivos fiscais.

Em 08 de setembro de 1986 É decretado Estado de Sitio no Chile

http://historica.com.br/hoje-na-historia/8-de-setembro-de-1986-decretado-estado-de-sitio-no-chile

Em 08 de setembro de 1988 a exemplo do que os soviéticos já haviam feito, os EUA iniciam a destruição de seus mísseis de médio alcance instalados na Europa, em cumprimento do acordo de dezembro de 1987.

Em 08 de setembro de 1994 O presidente Itamar Franco sanciona lei que pune com mais rigor os homicídios qualificados e cometidos por grupos de extermínio, classificados como hediondos.

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2011/09/08/trabalhando-com-poesia-347/

Abraços nos amigos, beijos nos filhos e nas amigas, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta feira abençoada por Deus e que Oxossi caçador possa estar sempre ao nosso lado com sua astúcia e visão aguçada.

Okearô!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=1139376304
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Divina Comédia Humana (Belchior)

Estava mais angustiado que um goleiro na hora do gol
Quando você entrou em mim como um Sol no quintal
Aí um analista amigo meu disse que desse jeito
Não vou ser feliz direito
Porque o amor é uma coisa mais profunda que um encontro casual
Aí um analista amigo meu disse que desse jeito
Não vou viver satisfeito
Porque o amor é uma coisa mais profunda que um transa sensual
Deixando a profundidade de lado
Eu quero é ficar colado à pele dela noite e dia
Fazendo tudo de novo e dizendo sim à paixão morando na filosofia
Eu quero gozar no seu céu, pode ser no seu inferno
Viver a divina comédia humana onde nada é eterno
Ora direis, ouvir estrelas, certo perdeste o senso
Eu vos direi no entanto:
Enquanto houver espaço, corpo e tempo e algum modo de dizer não
Eu canto

Galos, Noites e Quintais (Belchior)

Quando eu não tinha o olhar lacrimoso,
que hoje eu trago e tenho;
Quando adoçava meu pranto e meu sono,
no bagaço de cana do engenho;
Quando eu ganhava esse mundo de meu Deus,
fazendo eu mesmo o meu caminho,
por entre as fileiras do milho verde
que ondeia, com saudade do verde marinho:
Eu era alegre como um rio,
um bicho, um bando de pardais;
Como um galo, quando havia…
quando havia galos, noites e quintais.
Mas veio o tempo negro e, à força, fez comigo
o mal que a força sempre faz.
Não sou feliz, mas não sou mudo:
hoje eu canto muito mais

Mucuripe (Belchior & Fagner)

As velas do Mucuripe
Vão sair para pescar
Vão levar as minhas mágoas
Pras águas fundas do mar
Hoje à noite namorar
Sem ter medo da saudade
Sem vontade de casar
Calça nova de riscado
Paletó de linho branco
Que até o mês passado
Lá no campo inda era flor
Sob o meu chapéu quebrado
Um sorriso ingênuo e franco
De um rapaz moço encantado
Com vinte anos de amor
Aquela estrela é bela
Vida vento vela levame daqui
Aquela estrela é bela
Vida vento vela leva-me daqui
As velas do Mucuripe
Vão sair para pescar
Vão levar as minhas mágoas
Pras águas fundas do mar
Hoje à noite namorar
Sem ter medo da saudade
Sem vontade de casar
Calça nova de riscado
Paletó de linho branco
Que até o mês passado
Lá no campo inda era flor
Sob o meu chapéu quebrado
Um sorriso ingênuo e franco
De um rapaz moço encantado
Com vinte anos de amor
Aquela estrela é bela
Vida vento vela levame daqui
Aquela estrela é bela
Vida vento vela leva-me daqui

Comentários a Respeito de Jonh (Belchior & José Luiz Penna)

Saia do meu caminho
Eu prefiro andar sozinho
Deixem que eu decida a minha vida
Han! Han!
Não preciso que me digam
De que lado nasce o sol
Porque bate lá meu coração
Hum! Hum!…
Sonho e escrevo em letras grandes,
de novo!
pelos muros do país
joão!
O tempo
andou mexendo Com a gente Sim!
John!
Eu não esqueço
(Oh No! Oh No!)
A felicidade
É uma arma quente
Quente, quente
Yeh!….
Saia do meu caminho
Eu prefiro andar sozinho
Deixem que eu decida a minha vida
Han! Han!
Não preciso que me digam
De que lado nasce o sol
Porque bate lá meu coração
Hum! Hum!…
Sob a luzdDo teu cigarro na cama
Hum! Hum!
Teu gosto ruge
Teu batom me diz
João!
O tempo
andou mexendo com a gente sim!
John!
Eu não esqueço
(Oh No! Oh No!)
A felicidade
É uma arma quente
Quente, quente….

Paralelas (Belchior)

Dentro do carro
Sobre o trevo
A cem por hora, ó meu amor
Só tens agora os carinhos do motor
E no escritório em que eu trabalho
e fico rico, quanto mais eu multiplico
Diminui o meu amor
Em cada luz de mercúrio
vejo a luz do teu olhar
Passas praças, viadutos
Nem te lembras de voltar, de voltar, de voltar
No Corcovado, quem abre os braços sou eu
Copacabana, esta semana, o mar sou eu
Como é perversa a juventude do meu coração
Que só entende o que é cruel, o que é paixão
E as paralelas dos pneus n’água das ruas
São duas estradas nuas
Em que foges do que é teu
No apartamento, oitavo andar
Abro a vidraça e grito, grito quando o carro passa
Teu infinito sou eu, sou eu, sou eu, sou eu

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s