Trabalhando com Poesia

“…Entre as coisas mais lindas que eu conheci, só reconheci suas cores belas, quando eu te vi… Entre as coisas bem-vindas que já recebi, eu reconheci minhas cores nela então eu me vi… Está em cima com o céu e o luar, hora dos dias, semanas, meses, anos, décadas e séculos, milênios que vão passar… Água-marinha põe estrelas no mar, praias, baías, braços, cabos, mares, golfos e penínsulas e oceanos que não vão secar… E as coisas lindas são mais lindas, quando você está, onde você está, hoje você está… Nas coisas tão mais lindas, porque você está, onde você está, hoje você está, nas coisas tão mais lindas…” (Nando Reis e os Infernais – As coisas tão mais lindas – Comp.:Nando Reis)

“… Desculpe, estou um pouco atrasado, mas, espero que ainda dê tempo de dizer que andei errado, e eu entendo as suas queixas tão justificáveis e a falta que eu fiz nessa semana, coisas que pareceriam óbvias até pra uma criança… Por onde andei, enquanto você me procurava? E o que eu te dei? Foi muito pouco ou quase nada. E o que eu deixei? Algumas roupas penduradas. Será que eu sei, que você é mesmo tudo aquilo que me falta?… Amor eu sinto a sua falta e a falta, é a morte da esperança, como um dia que roubaram o seu carro deixou uma lembrança, que a vida é mesmo coisa muito frágil, uma bobagem, uma irrelevância, diante da eternidade do amor de quem se ama… Por onde andei, enquanto você me procurava? E o que eu te dei? Foi muito pouco ou quase nada. E o que eu deixei? Algumas roupas penduradas. Será que eu sei, que você é mesmo tudo aquilo que me falta?… Amor eu sinto a sua falta e a falta, é a morte da esperança, como um dia que roubaram o seu carro deixou uma lembrança, que a vida é mesmo coisa muito frágil, uma bobagem, uma irrelevância, diante da eternidade do amor de quem se ama… Por onde andei, enquanto você me procurava? E o que eu te dei? Foi muito pouco ou quase nada. E o que eu deixei? Algumas roupas penduradas. Será que eu sei, que você é mesmo tudo aquilo que me falta?… Por onde andei, enquanto você me procurava? E o que eu te dei? Foi muito pouco ou quase nada. E o que eu deixei? Algumas roupas penduradas. Será que eu sei, que você é mesmo tudo aquilo que me falta?…“ (Nando Reis – Por onde andei – Comp.: Nando Reis)

“… Eu não quero mais mentir, usar espinhos que só causam dor. Eu não enxergo mais o inferno que me atraiu, dos cegos do castelo me despeço e vou, a pé até encontrar um caminho, um lugar pro que eu sou… Eu não quero mais dormir, de olhos abertos me esquenta o sol. Eu não espero que um revólver venha explodir, na minha testa se anunciou, a pé a fé devagar, foge o destino do azar que restou… E se você puder me olhar, se você quiser me achar e se você trouxer o seu lar… Eu vou cuidar, eu cuidarei dele. Eu vou cuidar do seu jardim… Eu vou cuidar, eu cuidarei muito bem dele, eu vou cuidar, Eu cuidarei do seu jantar, do céu e do mar e de você e de mim… Eu não quero mais mentir, usar espinhos que só causam dor. Eu não enxergo mais o inferno que me atraiu, dos cegos do castelo me despeço e vou, a pé até encontrar um caminho, um lugar pro que eu sou… E se você puder me olhar, se você quiser me achar e se você trouxer o seu lar… Eu vou cuidar, eu cuidarei dele. Eu vou cuidar do seu jardim… Eu vou cuidar, eu cuidarei muito bem dele, eu vou cuidar, Eu cuidarei do seu jantar, do céu e do mar e de você e de mim… E você e de mim… E de você e de mim…” (Nando Reis – Os cegos do castelo– Comp.: Nando Reis)

“Cultive a Verdade em todos os momentos de sua vida, e a Verdade o levará triunfantemente ao progresso. Seja verdadeiro em todos os pensamentos, ações e emoções, e nada lhe ocorrerá de mal. Deixe que a Divindade se manifeste por seu intermédio, e procure ouvir a voz silenciosa que lhe fala do fundo de seu coração, por meio de sua consciência. Obedeça aos conselhos que ela lhe der!” (Minutos de Sabedoria Pg. 224)

Boa tarde pessoal,

Depois de uma longa pausa, tempo suficiente para colocar as ideias no lugar, o “Trabalhando com Poesia” está de volta. Confesso que senti muita falta deste convívio diário, ao longo destes meses, mas, creio que foi uma pausa interessante, tanto para mim, mas, principalmente para vocês.

E a nossa volta ocorre num momento diferente em minha vida e de minha família, logo após uma perda irreparável, que foi a passagem de meu velho pai. É inverno, tempo de frio e, mesmo na Bahia, normalmente quente, as oportunidades para a busca de calor humano é sempre uma boa prática e foi exatamente com esse intuito que nasceu o “Trabalhando com Poesia”. Espero que gostem desta nova fase e que, na medida do possível, me mandem sugestões.
Hoje ainda não faremos o habitual “dia na história”, mas, a partir de Agosto retornaremos.

A leitura dos Índices de Desenvolvimento Humano divulgados pelo PNUD em relação a Lauro de Freitas nos dão, notadamente a quem participou da gestão 2005-2012, capitaneado pela companheira Moema Gramacho, a noção exata da importância que gestões comprometidas com Políticas Sociais de inclusão. Ainda estamos analisando os dados para uma discussão mais aprofundada, mas, perceber que em 2010, ou seja, após cinco anos da nossa gestão, Lauro de Freitas só perdia no IDH total para a capital do Estado, sendo que no IDH renda era a primeira colocada, sendo a segunda no IDH longevidade e o quarto no IDH Educação. Valeu Moema!! A luta e o trabalho valeu a pena.

Confira os dados do IDHM de Lauro de Freitas no link abaixo:

http://atlasbrasil.org.br/2013/perfil/lauro-de-freitas_ba

Essa semana homenageamos o Poeta e amigo Damário da Cruz, Soterocachoeirano como bem gostava de se titular e que nos deixou precocemente, em 21 de maio de 2010. No Prefácio musical a presença sempre qualificada de Nando Reis, um dos bons letristas da atual geração musical brasileira. Espero que gostem!
Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/07/30/trabalhando-com-poesia-479/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma terça-feira abençoada por Deus e repleta da força guerreira de Ogum.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Todo risco – Damário da Cruz
A possibilidade de arriscar
É que nos faz homens
Vôo perfeito
no espaço que criamos
Ninguém decide
sobre os passos que evitamos
Certeza
de que não somos pássaros
e que voamos
Tristeza
de que não vamos
por medo dos caminhos.

***

Saudade – Damário da Cruz

Deixarei
a lua acesa
na varanda.

No meu retorno
dos becos noturnos
e do lual de Luciano,
evitarei tropeçar
na tua ausência…

In Segredo das Pipas

Previsão metereológica – Damário da Cruz

Nenhum
dia é triste!
Nós é que chovemos
na hora errada.

In Segredo das Pipas

Anzol – Damário da Cruz

Angustiado olhar
do peixe capturado.
Angustiado olhar
do peixe
na mesa do mercado.
O amor, às vezes,
tem esse olhar
de quem vacila prisioneiro
quando tudo é mar.

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s