Trabalhando com Poesia

“… Você precisa saber o que passa aqui dentro, eu vou falar pra você! Você vai entender a força de um pensamento, pra nunca mais esquecer… Pensamento é um momento que nos leva a emoção, pensamento positivo, que faz bem ao coração… O mal não… O mal não… Sempre que para você chegar terá que atravessar a fronteira do pensar… A fronteira do pensar… E o pensamento é o fundamento, eu ganho o mundo sem sair do lugar, eu fui para o Japão com a força do pensar, passei pelas ruínas e parei no Canadá, subi o Himalaia pra no alto cantar, com a imaginação que faz você viajar, todo mundo… Estou sem lenço, e o documento, meu passaporte é visto em todo lugar… Acorda meu Brasil com o lado bom de pensar, detone o pesadelo pois o bom ainda virá… Você precisa saber o que passa aqui dentro, eu vou falar pra você! Você vai entender a força de um pensamento, pra nunca mais esquecer… Custe o tempo que custar, que esse dia virá! Nunca pense em desistir, não, te aconselho a prosseguir… O tempo voa rapaz, pegue seu sonho rapaz, a melhor hora e o momento é você quem faz… Recitem poesias e palavras de um rei, faça por onde que eu te ajudarei… Recitem poesias e palavras de um rei, faça por onde que eu te ajudarei… Recitem poesias e palavras de um rei, faça por onde que eu te ajudarei… Recitem poesias e palavras de um rei, faça por onde que eu te ajudarei…” (Cidade Negra – Pensamento – Comp.: Da Gamma)

“…Dizem que guardam bom lugar pra mim no céu, logo que eu for pro beleléu… A minha vida só eu sei como guiar, pois ninguém vai me ouvir se eu chorar… Mas enquanto o sol puder arder, não vou querer meus olhos escurecer… Pois se eles querem meu sangue, verão o meu sangue só no fim… E se eles querem meu corpo, só se eu estiver morto, só assim… Meus inimigos tentam sempre me ver mal, mas minha força é como o fogo do Sol… Pois quando pensam que eu já estou vencido, é que meu ódio não conhece o perigo… Mas enquanto o Sol puder brilhar, eu vou querer a minha chance de olhar… Pois se eles querem meu sangue, verão o meu sangue só no fim… E se eles querem meu corpo, só se eu estiver morto, só assim… E eu vou lutar pra ter as coisas que eu desejo, não sei do medo, amor, pra mim não tem preço… Serei mais livre quando não for mais que osso, do que vivendo com a corda no pescoço… Mas enquanto o Sol no céu estiver, eu vou fechar meus olhos quando quiser… Pois se eles querem meu sangue, verão o meu sangue só no fim… E se eles querem meu corpo, só se eu estiver morto, só assim… Pois se eles querem meu sangue, verão o meu sangue só no fim… E se eles querem meu corpo, só se eu estiver morto, só assim…“ (Cidade Negra – Querem meu sangue – Comp.: Jimmy Cliff / Nando Reis)

“… Prá entender o Erê, tem que tá moleque, uh! Erê, Erê! Tem que conquistar alguém, que a consciência leve… Há semanas em que tudo vem, há semanas que é seca pura. Há selvagens que são do bem, há seqüência do filme muda… Milhões de anos luz podem durar, o que alguns segundos na vida podem representar… O Erê é a criança sincera, convicção fazendo a vida como o sol nos traz… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Prá entender o Erê, tem que tá moleque, uh! Erê, Erê! Tem que conquistar alguém, que a consciência leve… Pare e pense no que já se viu, pense e sinta o que já se fez… O mundo visto de uma janela, pelos olhos de uma criança… Milhões de anos luz podem durar, o que alguns segundos na vida podem representar… O Erê é a criança sincera, convicção fazendo a vida como o sol nos traz… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe!…” (Cidade Negra – O erê – Comp.: Bernardo Vilhena / Da Gama / Toni Garrido)

“Mantenha sempre no mesmo nível sua coragem para o bem. Não falamos da coragem de palavras, que é fácil. Contar vantagens, todos contam… Mas a coragem da luta contra seus próprios vícios é que tem valor, porque daí surgirá a vitória final. Seja constante e persistente, caminhe reto para a frente e para o alto, e mantenha firme sua coragem na ação de cada dia em busca do ideal.” (Minutos de Sabedoria Pg. 258)

Boa noite pessoal,

O “Trabalhando com Poesia” de hoje chega mais tarde. As tarefas do trabalho e da faculdade acabaram por não me permitir fazê-lo mais cedo. Espero que entendam.

Como abordamos ontem, o Ministro Celso de Melo manteve o seu entendimento em relação ao cabimento dos embargos Infringentes no desenrolar da AP-470.

Confira aqui a Íntegra do Voto: https://oipa2.wordpress.com/2013/09/19/trabalhando-com-poesia-510/voto-celso-de-melo-embargos-infringentes-ap-470/

Na nossa sugestão de leitura de hoje artigos que repercutem a questão. Vale a pena conferir:

“Celso de Mello decide que STF vai julgar Infringentes”, Por Rafael Baliardo e Elton Bezerra (Site Consultor – O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, deu nesta quarta-feira (18/9) voto favorável ao cabimento dos Embargos Infringentes na Ação Penal 470, o processo do mensalão, e assim fechou o julgamento em 6 a 5 pela admissibilidade do recurso. Último a votar na questão, o decano desempatou o julgamento, e assim garantiu a 12 réus o direito de ter parte de suas condenações revista pela corte. Celso de Mello acompanhou a divergência aberta pelo ministro Luís Roberto Barroso e os votos do revisor, Ricardo Lewandowski, e dos colegas Dias Toffoli, Rosa Weber e Teori Zavascki. Ficaram vencidos o relator e presidente do STF, Joaquim Barbosa, e os ministros Luiz Fux, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Marco Aurélio.

http://www.conjur.com.br/2013-set-18/leia-voto-celso-mello-conceder-embargos-infringentes

Greenhalgh: chicana de Barbosa virou aula magna (Via Brasil 247)- Segundo o advogado Luiz Eduardo Greenhalgh, a chicana que negou 5 minutos a Celso de Melo na semana passada se transformou em aula magna de mais de duas horas; “o tiro saiu pela culatra”, disse ele. – O advogado e ex-deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh, uma das principais lideranças do PT paulista, verbalizou no Twitter o entendimento que tomou conta tato de seu partido quanto dos advogados que defendem os principais réus da AP 470, o “mensalão”.

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/115360/Greenhalgh-chicana-de-Barbosa-virou-aula-magna.htm

A contragosto, Barbosa proclama vitória dos réus (Via Brasil 247) – Só depois de ser cobrado pelos colegas Luiz Fux e Carmen Lúcia, Joaquim Barbosa proclamou o resultado favorável aos réus; enfim, ele admitiu os embargos infringentes; sessão foi encerrada às 18h22; gesto teatral da renúncia à toga, para se lançar à presidência, não ocorreu; novos recursos beneficiam apenas réus que tiveram pelo menos quatro votos favoráveis, como José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoino (PT-SP) e João Paulo Cunha (PT-SP); Barbosa teve nova derrota, quando tentou limitar em 15 dias prazo para apresentação dos infringentes.

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/115349/A-contragosto-Barbosa-proclama-vit%C3%B3ria-dos-r%C3%A9us.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/19/trabalhando-com-poesia-510/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta-feira abençoada por Deus e coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Saudades – Cassemiro de Abreu

Nas horas mortas da noite
Como é doce o meditar
Quando as estrelas cintilam
Nas ondas quietas do mar;
Quando a lua majestosa
Surgindo linda e formosa,
Como donzela vaidosa
Nas águas se vai mirar!

Nessas horas de silêncio,
De tristezas e de amor,
Eu gosto de ouvir ao longe,
Cheio de mágoa e de dor,
O sino do campanário
Que fala tão solitário
Com esse som mortuário
Que nos enche de pavor.

Então — proscrito e sozinho —
Eu solto aos ecos da serra
Suspiros dessa saudade
Que no meu peito se encerra.
Esses prantos de amargores
São prantos cheios de dores:
— Saudades — dos meus amores,
— Saudades — da minha terra !

Sonhando – Cassemiro de Abreu

Um dia, oh linda, embalada
Ao canto do gondoleiro,
Adormeceste inocente
No teu delírio primeiro,
– Por leito o berço das ondas,
Meu colo por travesseiro!

Eu, pensativo, cismava
Nalgum remoto desgosto,
Avivado na tristeza
Que a tarde tem, ao sol-posto,
E ora mirava as nuvens,
Ora fitava teu rosto.

Sonhavas então, querida,
E presa de vago anseio
Debaixo das roupas brancas
Senti bater o teu seio,
E meu nome num soluço
À flor dos lábios te veio!

Tremeste como a tulipa
Batida do vento frio…
Suspiraste como a folha
Da brisa ao doce cicio…
E abriste os olhos sorrindo
Às águas quietas do rio!

Depois – uma vez – sentados
Sob a copa do arvoredo,
Falei-te desse soluço
Que os lábios abriu-te a medo…
– Mas tu, fugindo, guardaste
Daquele sonho o segredo!…

Uma História – Cassemiro de Abreu

A brisa dizia à rosa:
– “Dá, formosa,
Dá-me, linda, o teu amor;
Deixa eu dormir no teu seio
Sem receio,
Sem receio minha flor!

Da tarde virei da selva
Sobre a relva
Os meus suspiros te dar;
E de noite na corrente
Mansamente
Mansamente te embalar!” –

E a rosa dizia à brisa:
– “Não precisa
Meu seio dos beijos teus;
Não te adoro… és inconstante…
Outro amante,
Outro amante aos sonhos meus!

Tu passas de noite e dia
Sem poesia
A repetir-me os teus ais;
Não te adoro… quero o Norte
Que é mais forte
Que é mais forte e eu amo mais!” –

No outro dia a pobre rosa
Tão vaidosa
No hastil se debruçou;
Pobre dela! – Teve a morte
Porque o Norte
Porque o Norte a desfolhou!…

Voto Celso de Melo – Embargos Infringentes AP 470

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s