Trabalhando com Poesia

“… Se meus joelhos não doessem mais diante de um bom motivo, que me traga fé, que me traga fé… Se por alguns segundos eu observar e só observar a isca e o anzol, a isca e o anzol, a isca e o anzol, a isca e o anzol… Ainda assim, estarei pronto pra comemorar, se eu me tornar menos faminto e curioso, curioso… O mar escuro trará o medo, lado a lado com os corais, mais coloridos… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Se eu ousar catar na superfície de qualquer manhã, as palavras de um livro, sem final! Sem final! Sem final! Sem final! Final… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Se eu ousar catar na superfície de qualquer manhã, as palavras de um livro, sem final! Sem final! Sem final! Sem final! Final… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões…” (O Rappa – Pescador de ilusões – Comp.: Lauro Farias / Marcelo Falcão / Marcelo Lobato / Marcelo Yuka / Xandão)

“… Hey Joe, onde é que você vai com essa arma aí na mão? Hey Joe, esse não é o atalho pra sair dessa condição… dorme com tiro acorda ligado, tiro que tiro trik-trak boom para todo lado… meu irmão, é só desse jeito consegui impor minha moral, eu sei que sou caçado e visto sempre como um animal… sirene ligada os homi chegando trik-trak boom boom, mas eu vou me mandando… Hey Joe, assim você não curte o brilho intenso da manhã…acorda com tiro, dorme com tiro… Hey Joe, o que o teu filho vai pensar quando a fumaça baixar? fumaça de fumo, fogo de revólver e é assim que eu faço, eu faço a minha história… Meu irmão, aqui estou por causa dele e vou te dizer: Talvez eu não tenha vida, mas é assim que vai ser… Armamento pesado, o corpo é fechado, eu quero é mais ver, mais vai ser difícil me deter… Hey Joe, muitos castelos já caíram e você ta na mira… Tá na mira, tá na mira, tá na mira!… Hey Joe, muitos castelos já caíram e você ta na mira… Tá na mira, tá na mira, tá na mira!… Também Morre quem atira… Também morre quem atira… Também morre quem atira… menos de 5% dos caras do local, são dedicados a alguma atividade marginal e impressionam quando aparecem nos jornais, tapando a cara com trapos, com uma uzi na mão, parecendo árabes, árabes, árabes do caos… Sinto muito cumpadi, mas é burrice pensar que esses caras é que são os donos da biografia, já que a grande maioria daria um livro por dia, sobre arte, honestidade e sacrifício, sacrifício, arte, honestidade e sacrifício… Também Morre quem atira… Também morre quem atira… Também morre quem atira…” (O Rappa e Marcelo D2 – Hey Joe – Comp.: Billy Roberts (versão: O Rappa))

“… Se eles são Exu, eu sou Iemanjá, se eles matam o bicho, eu tomo banho de mar, com o corpo fechado ninguém vai me pegar, Lado A, lado B, Lado B, lado A… No bê abá da chapa quente, eu sou mais Jorge Bem, tocando bem alto no meu walkman, esperando o carnaval do ano que vem… Não sei se o ano vai ser do mal, ou se vai ser do bem… Se vai ser do bem, do bem, do bem… Se vai ser do bem, se vai ser do bem, do bem, do bem!… O que te guarda a lei dos homens, o que me guarda a lei de Deus, não abro mão da mitologia negra, para dizer que eu não pareço com você… Há um despacho na esquina pro futuro, com oferendas carimbadas todo dia e eu vou chegar, pedir e agradecer, pois a vitória de um homem as vezes se esconde num gesto forte, que só ele pode ver… Eu sou guerreiro, sou trabalhador e todo dia vou encarar, com fé em Deus e na minha batalha… Espero estar bem longe, quando o rodo passar!… Espero estar bem longe quando tudo isso passar… Eu sou guerreiro, sou trabalhador e todo dia vou encarar, com fé em Deus e na minha batalha… Espero estar bem longe, quando o rodo passar!… Espero estar bem longe quando tudo isso passar… Se eles são Exu, eu sou Iemanjá, se eles matam o bicho, eu tomo banho de mar, com o corpo fechado ninguém vai me pegar, Lado A, lado B, Lado B, lado A… No bê abá da chapa quente, eu sou mais Jorge Bem, tocando bem alto no meu walkman, esperando o carnaval do ano que vem… Não sei se o ano vai ser do mal, ou se vai ser do bem… Se vai ser do bem, do bem, do bem… Se vai ser do bem, se vai ser do bem, do bem, do bem!… O que te guarda a lei dos homens, o que me guarda a lei de Deus, não abro mão da mitologia negra, para dizer que eu não pareço com você… Há um despacho na esquina pro futuro, com oferendas carimbadas todo dia e eu vou chegar, pedir e agradecer, pois a vitória de um homem as vezes se esconde num gesto forte, que só ele pode ver… Eu sou guerreiro, sou trabalhador e todo dia vou encarar, com fé em Deus e na minha batalha… Espero estar bem longe, quando o rodo passar!… Espero estar bem longe quando tudo isso passar… Eu sou guerreiro, sou trabalhador e todo dia vou encarar, com fé em Deus e na minha batalha… Espero estar bem longe, quando o rodo passar!… Espero estar bem longe quando tudo isso passar…” (O Rappa – Lado B Lado A – Comp.: Falcão / Lauro Farias / Marcelo Lobato / Marcelo Yuka / Xandão)

“Acenda sua luz interior, a luz da sabedoria e da bondade. Dedique alguns minutos de seu dia à meditação, porque o (a) homem/mulher iluminado (a) não encontra trevas em seu caminho. Por onde passa, a luz se irradia de si mesmo, atingindo todos os que lhe estão perto. Mergulhe em seu íntimo, e ouça a voz de sua consciência, que é a voz silenciosa de Deus falando dentro de você mesmo.” (Minutos de Sabedoria Pg. 262)

Bom dia pessoal,

Estar de bem consigo mesmo é aspecto fundamental na sua caminhada. Feito isso você terá a capacidade de enfrentar qualquer situação. Sem essa condição, qualquer brisa será um tornado em sua vida. Nunca se esqueça disso. Não se trata do que os outros te fazem, mas, de quanto você está pronto e preparado para isso. É minha dica de hoje.

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje dois textos do blog Brasil 247. Vale a pena conferir:

Lula: “vitória de Dilma é minha vitória; tô no jogo” – Ex-presidente concedeu entrevista a um grupo de jornalistas da Rede Brasil Atual, site, rádio e revista, da TVT e do jornal ABCD Maior; ele afirma que seu papel no processo será o “papel que a Dilma quiser” que ele tenha; admite dificuldades na permanência do governador Eduardo Campos na base de apoio, vê obstáculos adicionais nas alianças com o PSB em alguns estados, como CE e PE, e vai considerar um grande feito, uma vez consolidada a ruptura, que os partidos façam um pacto de não hostilidade nos palanques em que forem adversários; sobre o julgamento da Ação Penal 470, ex-presidente foi cauteloso: “depois que o julgamento estiver totalmente concluído eu vou falar. Tenho muita coisa pra falar”

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/115864/Lula-vit%C3%B3ria-de-Dilma-%C3%A9-minha-vit%C3%B3ria;-t%C3%B4-no-jogo.htm

CRMs sabotam, mas médicos apoiam Mais médicos – Médicos assinam manifesto em apoio ao programa federal que tem a desaprovação dos conselhos de medicina; documento reforça necessidade da vinda dos médicos estrangeiros para o país; “nós temos convicção de que progressivamente esse programa irá se consolidar e terá na população seu sustentáculo. A própria categoria médica, ao não se sentir prejudicada pelos colegas que ingressam no sistema, adotará uma postura mais racional e amistosa, e nossas entidades terão que realisticamente atualizar suas posições”, afirmam manifesto, assinado por 20 profissionais com longa carreira na medicina…

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/115862/CRMs-sabotam-mas-m%C3%A9dicos-apoiam-Mais-m%C3%A9dicos.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/25/trabalhando-com-poesia-514/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quarta-feira abençoada por Deus e repleta da força da rainha dos ventos e trovões. Eparrey Oyá.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 1: apio.nascimento@sedesba.ba.gov.br
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Eu, Palhaço – Tude Celestino

“Enquanto o lábio trêmulo gargalha, dentro do peito o coração soluça.” (de ‘O Palhaço’, Pe. Antônio Tomaz)
Com o coração dopado, eis-me aqui em cena
No palco da ilusão pintado de alvaiade;
Trazendo uma esperança unida a uma saudade,
Enfrento a plebe-rude, essa feroz hiena.
Nas contrações da face escondendo a vil gangrena
Do meu terrível tédio e, em mágica habilidade,
Promovo galhofeiro e levo a chã vaidade
À infrene turba-multa que ruge na arena.
E em meio a essa gente e luzes divinais,
Escamoteio a dor de minhas emoções
Quando o aplauso ou a vaia estruge nas gerais.
Burlesco alvo à mercê desses contrastes todos,
Eu choro temeroso em meio às ovações
E rio como forte, enfrentando os apodos.

Ilhas – Tude Celestino

Que tormento, meu Deus, se eu não a via,
Que angústia se a tinha a meu lado
Pois muito antes de ela ter chegado
Já a dor de sua partida eu pressentia.
Como era longa a ausência de um só dia
Quando eu contava as horas desolado
Como eu sofria, meu Deus, com ela abraçado,
Longe dela, meu Deus, como eu sofria!
Mas deste amor as chamas se apagaram
E dessa lava ardente, hoje absorto,
Contemplo só as cinzas que ficaram.
Foram-se as juras, foram-se os carinhos
Somos agora as ilhas de um mar morto
Vivemos lado a lado e tão sozinhos.

Boêmio – Tude Celestino

Boêmio, eu sei, teu mal não tem remédio,
Teu riso louco, tua louca alegria,
São guizos que prendeste com ironia
No nebuloso manto do teu tédio.
No peito magro que já foi tão nédio
Cravaste o punhal da hipocondria
E para disfarçar tua agonia
Manténs o bar num incessante assédio
E assim, ébrio, disperso, desregrado,
No riso a esconder pesar profundo,
Destróis em ti o que há de mais sagrado
Tuas ânsias de revolta mal contendo,
Vês entre as taças de licor imundo
Teus sonhos todos, um por um, morrendo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s