Arquivo do mês: outubro 2013

Trabalhando com Poesia

“… De tudo, ao meu amor serei atento, antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto, que mesmo em face do maior encanto, dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento e em seu louvor hei de espalhar meu canto e rir meu riso e derramar meu pranto, ao seu pesar ou seu contentamento e assim, quando mais tarde me procure, quem sabe a morte, angústia de quem vive, quem sabe a solidão, fim de quem ama, eu possa me dizer do amor (que tive): Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure…” Continuar lendo

Anúncios
Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“…Vai meu irmão, pegue esse avião, você tem razão de correr assim desse frio, mas beija o meu Rio de Janeiro, antes que um aventureiro lance mão… Pede perdão pela duração dessa temporada, mas não diga nada que me viu chorando e pr’os da pesada diz que eu vou levando… Vê como é que anda aquela vida à tôa e se puder me manda uma notícia boa… Vai meu irmão, pegue esse avião, você tem razão de correr assim desse frio, mas beija o meu Rio de Janeiro, antes que um aventureiro lance mão…” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro, seja lá como for. Há de fazer do corpo uma morada, onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada, para viver um grande amor…” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Eu sem você não tenho porque, porque sem você não sei nem chorar, sou chama sem luz, jardim sem luar, luar sem amor, amor sem se dar. E eu sem você sou só desamor, um barco sem mar, um campo sem flor, tristeza que vai, tristeza que vem, sem você meu amor eu não sou ninguém… Ah que saudade, que vontade de ver renascer nossa vida, volta querida, os meus braços precisam dos teus, teus abraços precisam dos meus, estou tão sozinho tenho os olhos cansados de olhar para o além, vem ver a vida, sem você meu amor eu não sou ninguém…” Continuar lendo

Publicado em Livros | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Quando a madrugada entrou eu estendi o meu peito nu sobre o teu peito, estavas trêmula e teu rosto pálido e tuas mãos frias e a angústia do regresso morava já nos teus olhos. Tive piedade do teu destino que era morrer no meu destino, quis afastar por um segundo de ti o fardo da carne, quis beijar-te num vago carinho agradecido. mas quando meus lábios tocaram teus lábios, eu compreendi que a morte já estava no teu corpo e que era preciso fugir para não perder o único instante, em que foste realmente a ausência de sofrimento, em que realmente foste a serenidade…” (Vinicius de Moraes – Receita de mulher – Comp.: Vinicius de Moraes), no “Trabalhando com Poesia” de hoje. Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Feira da Fraternidade da Paroquia de Santo Amaro de Ipitanga

Feira da Fraternidade movimentando o nosso município de Lauro de Freitas. Neste final de semana acontecerá na Paroquia Santo Amaro de Ipitanga Continuar lendo

Publicado em Música | Marcado com , | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Vou ficar a noite em claro sem pegar no sono, meditando sobre o que de fato aconteceu, eu até pensei que fosse terminar na cama, como era de costume entre você e eu… Eu fiz de tudo, mas era tarde, foi o que eu podia dar, você não entendeu… Eu quis ir fundo e você com medo, tirou onda, pois agora quem não quer sou eu… É… Quem não quer sou eu… Quem não quer sou eu! Pois é… E vai a noite, vem o dia e eu aqui pensando, um cigarro atrás do outro e, eu fumo sem parar… Da janela eu vejo o trânsito congestionado, no meu peito, o coração parece buzinar… Eu fiz de tudo, mas era tarde, foi o que eu podia dar você não entendeu… Eu quis ir fundo e você com medo, tirou onda, pois agora quem não quer sou eu…” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com , | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Tava pensando em nós dois, buscando um jeito inédito pra falar de amor, nem reparei que o tempo passou… Sonhando, pensando, querendo, meus olhos caçando você… Pensando, sonhando, querendo, minha boca mirando você… Já é, suficientemente especial, posso dizer, que encontrei a cara metade que eu sempre busquei… Basta olhar pra você, pra minha boca querer um beijo bis, tenho a sorte de ter alguém como você, sou feliz… Basta olhar pra você, pra minha boca querer um beijo bis, tenho a sorte de ter alguém como você, sou feliz…” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… No serviço de auto-falante do morro do Pau da Bandeira, quem avisa é o Zé do Caroço, amanhã vai fazer alvoroço, alertando a favela inteira… Aí como eu queria que fosse em mangueira, que existisse outro Zé do Caroço, pra falar de uma vez pra esse moço, carnaval não é esse colosso, nossa escola é raiz, é madeira… Mas é o Morro do Pau da Bandeira, de uma Vila Isabel verdadeira… E o Zé do Caroço trabalha e, o Zé do Caroço batalha e, que malha o preço da feira… E na hora que a televisão brasileira, destrói toda gente com a sua novela, é que o Zé bota a boca no mundo, ele faz um discurso profundo, ele quer ver o bem da favela…” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Só de me encontrar no seu olhar, já muda tudo! Posso respirar você e, posso te enxergar no escuro… Tem muito tempo na estrada, muito tem! E como quem não quer nada, você vem… Depois da onda pesada, a onda zen e, namorar na almofada e dormir bem… Foi o seu olhar o que me encantou, quero um pouco mais desse seu amor… Foi o seu olhar o que me encantou, quero um pouco mais desse seu amor…” Seu Jorge canta “Seu Olhar” no “Trabalhando com Poesia” de hoje. Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Tive razão, posso falar, não foi legal, não pegou bem! Que vontade de chorar, dói em pensar que ela não vem, só dói, mas pra mim tá tranquilo, eu vou zoar, o clima é de partida, vou dar sequência na vida!…” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Agimos certo sem querer, foi só o tempo que errou, vai ser difícil sem você, porque você está comigo o tempo todo… E quando vejo o mar, existe algo que diz que a vida continua e se entregar é uma bobagem… Já que você não está aqui, o que posso fazer, é cuidar de mim… Quero ser feliz ao menos, lembra que o plano era ficarmos bem?” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“…Gosto de ver você dormir, que nem criança com a boca aberta, o telefone chega sexta-feira, aperto o passo por causa da garoa, me empresta um par de meias, a gente chega na sessão das dez, hoje eu acordo ao meio-dia, amanhã é a sua vez… Vem cá, meu bem, que é bom lhe ver, o mundo anda tão complicado, que hoje eu quero fazer tudo por você… Temos que consertar o despertador, e separar todas as ferramentas, que a mudança grande chegou, com o fogão e a geladeira e a televisão, não precisamos dormir no chão, até que é bom, mas a cama chegou na terça e na quinta chegou o som…” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com , , | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Sempre precisei de um pouco de atenção, acho que não sei quem sou, só sei do que não gosto, e destes dias tão estranhos, fica a poeira se escondendo pelos cantos… Esse é o nosso mundo: O que é demais nunca é o bastante, e a primeira vez é sempre a última chance. Ninguém vê onde chegamos! Os assassinos estão livres, nós não estamos… Vamos sair, mas não temos mais dinheiro, os meus amigos todos estão procurando emprego, voltamos a viver como há dez anos atrás, e a cada hora que passa envelhecemos dez semanas… Vamos lá, tudo bem, eu só quero me divertir. Esquecer, dessa noite, ter um lugar legal pra ir… Já entregamos o alvo e a artilharia, comparamos nossas vidas e esperamos que um dia, nossas vidas possam se encontrar…” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com , , | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Mas é claro que o sol vai voltar amanhã, mais uma vez, eu sei. Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã. Espera que o sol já vem… Tem gente que está do mesmo lado que você, mas deveria estar do lado de lá. Tem gente que machuca os outros, tem gente que não sabe amar… Tem gente enganando a gente, veja nossa vida como está, mas eu sei que um dia a gente aprende… Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo… Quem acredita sempre alcança…” Legião Urbana canta “Mais uma vez”, no “Trabalhando com Poesia” de hoje. Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Me fiz em mil pedaços, pra você juntar, e queria sempre achar explicação pro que eu sentia, como um anjo caído, fiz questão de esquecer que mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira, mas não sou mais tão criança a ponto de saber tudo… Já não me preocupo se eu não sei por que. Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê, e eu sei que você sabe, quase sem querer, que eu vejo o mesmo que você…” Legião Urbana canta “Quase sem querer”, NO “Trabalhando com Poesia” de hoje Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“…E se hoje não fosse essa estrada, se a noite não tivesse tanto atalho, o amanhã não fosse tão distante, solidão seria nada pra você… Se, ao menos, o meu amor estivesse aqui, e eu pudesse ouvir seu coração, se ao menos mentisse ao meu lado, estaria em minha cama, outra vez…”, Zé Ramalho canta “O amanhã é distante”, encerrando o “Trabalhando com Poesia” de hoje. Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Quantos olhos você têm pra me falar? Quantas bocas você diz a me olhar? Quantos dentes eram tristes? Quantos eram solidão? Outros eram diferentes, não nasceram para o chão… Quantos olhos você têm pra me falar? Quantas bocas você diz a me olhar? Quantos dentes eram tristes? Quantos eram solidão? Outros eram diferentes, não nasceram para o chão… Claros pelos evidentes nascerão em cada mão, lívidos e conscientes, pelo vinho e pelo pão… Beijos de doce veneno, quero sim e quero não, pelo fogo dos repentes, desafia o coração…” Zé Ramalho – “Pelo vinho e pelo pão” Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Você é a orquídea negra, que brotou da máquina selvagem, e o anjo do impossível, plantou como nova paisagem… E o anjo do impossível, plantou como nova paisagem… Você é a dor do dia a dia, você é a dor da noite à noite, você é a flor da agonia, a chibata, o chicote e o açoite… Lá fora ecoa a ventania, e os ventos arrastam vendavais, do que foi, do que seria, do que nunca volta jamais…” No “Trabalhando com Poesia” de hoje, Zé Ramalho canta “Orquídea negra”. Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Sinais que parimos um clone, capaz de sermos imortais… Sinais que marcaram teu corpo, que tiraram as mãos do destino que vais. Sinais de que ainda nascemos e não temos ao menos a paz!…” Zé Ramalho em “Sinais”, uma das músicas de hoje no “Trabalhando com Poesia”. Continuar lendo

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário