Trabalhando com Poesia

“… Somos kamikazes, incapazes de ir à luta, somos quase livres, isto é pior do que a prisão… Somos um exército, o exército de um homem só, um bando de vampiros que odeiam sangue… Sem bandeira, sem fronteiras para defender, somos um exército, o exército de um homem só… Nesse exército, no exército de um homem só… Todos sabem que tanto faz, ser culpado ou ser capaz, tanto faz…” (Engenheiros do Hawaii – o Exército de um homem só II – Comp.: Humberto Gessinger / Augusto Licks)

“… no ar que se respira, nos gestos mais banais, em regras, mandamentos, julgamentos, tribunais, na vitória do mais forte, na derrota dos iguais… A violência travestida faz seu trottoir… Na procura doentia de qualquer prazer, na arquitetura metafisica das catedrais, nas arquibancadas, nas cadeiras, nas gerais… a violência travestida faz seu trottoir… Na maioria silenciosa, orgulhosa de não ter vontade de gritar, nada pra dizer… a violência travestida faz seu trottoir nos anúncios de cigarro, que avisam que fumar faz mal… A violência travestida faz seu trottoir, em anúncios luminosos, lâminas de barbear, armas de brinquedo, medo de brincar… A violência travestida faz seu trottoir… No vídeo, idiotice intergaláctica, na mídia, na moda, nas farmácias, no quarto de dormir, na sala de jantar, a morte anda tão viva, a vida anda pra trás, é a livre iniciativa, igualdade aos desiguais, na hora de dormir, na sala de estar… a violência travestida faz seu trottoir… Uma bala perdida encontra alguém perdido, encontra abrigo num corpo que passa por ali e estraga tudo, enterra tudo, pá de cal, enterra todos na vala comum de um discurso liberal… A violência travestida faz seu trottoir, em anúncios luminosos, lâminas de barbear, armas de brinquedo, medo de brincar… A violência travestida faz seu trottoir… A violência travestida faz seu trottoir, em anúncios luminosos, lâminas de barbear, armas de brinquedo, medo de brincar… A violência travestida faz seu trottoir… E a violência travestida faz seu trottoir… A violência travestida faz seu trottoir, em armas de brinquedo, medo de brincar, em anúncios luminosos, lâminas de barbear, nos anúncios de cigarro que avisam que fumar faz mal… A violência travestida faz seu trottoir… A violência travestida faz seu trottoir… Tudo que ele deixou foi uma carta de amor pra uma apresentadora de programa infantil. Nela ele dizia que já não era criança, e que a esperança também dança como monstros de um filme japonês. Tudo que ele tinha era uma foto desbotada, recortada de revista especializada em vida de artista. Tudo que ele queria era encontrá-la um dia – todo suicida acredita na vida depois da morte. Tudo que ele tinha cabia no bolso da jaqueta. A vida quando acaba, cabe em qualquer lugar… E a violência travestida faz seu trottoir… Não se renda às evidências, não se prenda à primeira impressão, eles dizem com ternura: “o que vale é a intenção”. E te dão um cheque sem fundos, do fundo do coração, no ar que se respira, nessa total falta de ar… A violência travestida faz seu trottoir…” (Engenheiros do Hawaii – A violência travestida faz seu trottoir – Comp.: Humberto Gessinger / Augusto Licks)

“… A pampa é pop, o país é pobre, é pobre a pampa, o PIB é pouco, o povo pena mas não para, poesia é um porre… O poder, o pudor, VÁRIAS VARIÁVEIS, o pão, o peão, GRANA, ENGRENAGENS, a pátria à flor da pele pede passagem…PQP… O sonho é popular. Eu li isso em algum lugar, se não me engano é Ferreira Gullar, falando da arquitetura de um Oscar… O concreto paira no ar, mais aqui do que em Chandigarh… O sonho é popular… Um golpe em 61, um golpe qualquer, num lugar comum… UMA PÁGINA ARRANCADA, UM SEGREDO MANTIDO EM PASSAGENS SUBTERRÂNEAS, SOB A PRAÇA DA MATRIZ, UMA STÓRIA MAL CONTADA, UMA MENTIRA REPETIDA ATÉ VIRAR VERDADE… UMA PÁGINA VIRADA, UMA PÁGINA SUBTERRÂNEA, UM SEGREDO ARRANCADO EM PASSAGENS MAL CONTADAS, ATÉ VIRAR VERDADE… A VERDADE A VER NAVIOS, UMA MENTIRA REPETIDA… REPETIDA, REPETIDA…” (Engenheiros do Hawaii – O sonho é Popular – Comp.: Humberto Gessinger)

“… Era um garoto que como eu, amava os Beatles e os Rolling Stones… Girava o mundo sempre a cantar as coisas lindas da América… Não era belo, mas, mesmo assim, havia mil garotas afim… Cantava Help and Ticket to ride, oh! Lady Jane e Yesterday… Cantava viva à liberdade, mas uma carta, sem esperar, da sua guitarra, o separou, fora chamado na América… Stop! com Rolling Stones… Stop! Com Beatles songs… Mandado foi ao Vietnã, lutar com vietcongs… Ratá-tá tá tá… Tatá-rá tá tá… Ratá-tá tá tá… Tatá-rá tá tá… Ratá-tá tá tá… Tatá-rá tá tá… Ratá-tá tá tá… Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones, girava o mundo, mas acabou fazendo a guerra no Vietnã… Cabelos longos não usa mais, nem toca a sua guitarra e sim, um instrumento que sempre dá a mesma nota, ra-tá-tá-tá… Não tem amigos, não vê garotas, só gente morta caindo ao chão… Ao seu país, não voltará, pois está morto no Vietnã… Stop! com Rolling Stones… Stop! com Beatles songs… No peito um coração não há, mas duas medalhas sim… Ratá-tá tá tá… Tatá-rá tá tá… Ratá-tá tá tá… Tatá-rá tá tá… Ratá-tá tá tá… Tatá-rá tá tá… Ratá-tá tá tá… Ra-tá-tá tá-tá … Ra-tá-tá tá-tá …” (Engenheiros do Hawaii – Era Um Garoto Que Como Eu Amava Os Beatles e Os Rolling Stones – Comp.: Migliacci / Lusini)

“Desperte! Não deixe que a rotina arrase sua vida! Execute sua tarefa com amor sempre renovado, porque isto trará alegria a você mesmo. A rotina cansa e corrói a alma, desalenta e carcome o entusiasmo. Renove cada manhã seu armazenamento de alegria, de vi ver. Ajude a todos e cumpra alegremente sua tarefa, para receber de volta o benefício da felicidade de seu trabalho.” (Minutos de Sabedoria Pg. 025)

Bom dia pessoal,

E chegou o dia! A Bahia se vestirá de branco nesta quinta feira e percorrerá os 8 quilômetros que separam a Igreja da Conceição da Praia da Colina Sagrada, onde se abriga a Igreja do Nosso Senhor do Bomfim. Que possamos caminhar sob a paz que emana do Alá de Oxalá. Epa Babá!!!

Abaixo dois bons textos sobre a festa, compartilhado no face pelo amigo Patrick e que socializo com vocês:

Bomfim 1

Bomfim 2

Na manhã da terceira quinta-feira de janeiro todo o povo da Bahia se encaminha para a colina do Bonfim, onde está a Igreja do santo mais popular da cidade.

Obs.: Na verdade a festa ocorre na segunda quinta feira posterior aos festejos de Reis (Grifo nosso)
Oferendas ricas e oferendas pobres, grandes milagres e pequenos milagres.

Senhor do Bonfim é um recordista de milagres, ele quem faz chover e quem contém as enchentes dos rios, quem protege as plantações e quem evita as epidemias. Há muitos anos que este Santo faz milagres espantosos. Salva náufragos, fecha ferida de bala e afasta no último instante lâminas de punhal assassino!

Quem nunca viu esta procissão da lavagem do Bonfim não sabe os segredos da beleza nem os segredos da poesia.
Talvez por um milagre a mais do Senhor do Bonfim, talvez porque não seja mesmo hábito chover no verão baiano, a verdade é que a manhã desta quinta-feira é sempre esplêndida de luz.

Há um ar de festa nas ruas e o rosto dos homens se abre em sorrisos. Sim, porque quem nunca a viu, jamais poderá imaginar a surpreendente beleza desta procissão. Há uma harmoniosa confusão de músicas e cânticos, onde cantos religiosos em estropiado latim se misturam aos cânticos negros das macumbas. Mas, ah! existem também devotos que vivem na boêmia e não sabem nem os cânticos ilustres da igreja nem as canções em honra de Oxolufã. Ainda assim são devotos do Senhor do Bonfim e desejam cantar para o Santo, música em sua homenagem. E cantam então sambas e marchas, gemem as violas, as cuícas, os cavaquinhos. Mas é tudo em louvor do Santo e nesta quinta-feira o pecado não existe nas ruas da cidade da Bahia.

As barracas, de bandeirolas multicores de papel, se enfeitam ademais com as cores do vatapá amarelo de ouro, do caruru esverdeado, do efó negro, do acarajé, do abará.

Lá fora as barracas têm nomes como versos…

Eis um povo livre fazendo sua festa alegre! A massa popular, muita gente de pés descalços pagando promessas, serpenteia pelas ruas da cidade-baixa, em direção à colina do Bonfim.

Atrás as filhas-de-santo de diversos candomblés, com suas saias engomadas de muita roda, suas anáguas e seus turbantes, e tudo cheio de flores, e sobre as cabeças, num equilíbrio quase milagroso, os cântaros, as bilhas, os potes e os moringues. Filhas-de-santo de todos os candomblés da cidade, da Gomeia, do Bate Folha, do Engenho Velho, do Gantois. Vestidas de todas as cores levam para o santo as coisas mais puras do mundo: a água e as flores, a alegria também.

Nunca se reuniu no mundo tanto colorido, tanta graça e tanta alegria. Todas as cores nos vestidos das baianas, nos papéis pintados, nos desenhos dos tabuleiros, nas flores sobre as bilhas, os monringues, os potes. Ah! a sedução destas bilhas, destes potes, destes moringues… As frutas da Bahia, mangas, laranjas, sapotis, abacaxis, esplêndidas, saltam dos tabuleiros, são para o santo. Porque Senhor do Bonfim, como os orixás negros, recebe presentes de frutas nos ritos africanos.

Coisa tão lírica nunca se viu!

Eis uma verdade: Senhor do Bonfim não é exclusivo de nenhuma religião. para os negros o Senhor do Bonfim é Oxolufã, ou seja Oxalá-velho, Oxalá na sua maior dignidade. Para os céticos, ele é um símbolo do pitoresco e da poesia solta nas ruas da Bahia.

Fonte: Bahia de Todos os Santos, Jorge Amado com Maureen Bisilliat em Bahia Amada Amado ou O amor à Liberdade & A Liberdade no Amor. Empresa das Artes, 1996.

Na nossa sugestão de leitura de hoje alguns textos do site Correio do Brasil. Vale a pena conferir:

Criminosos provocam terror após onda de assassinatos em São Paulo – Os bombeiros permaneceram até o início da madrugada desta terça-feira no local onde um ônibus foi incendiado, noite passada, no Capão Redondo, Zona Sul de São Paulo. Este foi o sexto coletivo queimado por criminosos desde sábado, todos nas zonas Sul e Leste da cidade. O coletivo da Viação Campo Belo fazia a linha Terminal Capelinha – Valo Velho, quando foi parado na Rua Luar do Sertão por 30 pessoas que aparentavam ser menores de idade, segundo a Polícia Militar. Eles obrigaram os passageiros a desembarcar, atearam fogo no veículo e fugiram. Não houve feridos e ninguém foi preso.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/brasil/criminosos-provocam-terror-apos-onda-de-assassinatos-em-sao-paulo/677391/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140115

Estudantes da Gama Filho protestam contra descredenciamento – O diretor de Comunicações do Diretório Central dos Estudantes, Rafael Lima, disse que os alunos da Gama Filho continuarão lutando para que possam concluir os estudos na universidade – Um grupo de 45 estudantes da Universidade Gama Filho (UGF) embarcou, nesta terça-feira, em um ônibus para Brasília. Na capital federal, eles vão protestar em frente ao Ministério da Educação (MEC) contra o descredenciamento das universidades geridas pelo Grupo Galileo Educacional – Centro Universitário da Cidade (UniverCidade) e UGF.

http://correiodobrasil.com.br/educacao/estudantes-da-gama-filho-protestam-contra-descredenciamento/677430/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140115

Dilma avisa a Temer que PMDB não tem lugar na reforma do gabinete – A presidenta Dilma Rousseff disse ao vice-presidente Michel Temer em reunião na noite passada, que está encontrando dificuldades para ampliar o espaço do PMDB na Esplanada dos Ministérios, segundo relato de uma fonte do Palácio do Planalto à agência inglesa de notícias Reuters.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/dilma-avisa-a-temer-que-pmdb-nao-tem-lugar-na-reforma-do-gabinete/677410/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140115

PEC propõe mudanças profundas no STF após gestão de Barbosa – A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) de autoria da deputada Luiza Erundina (PSB-SP), em trâmite no Congresso, uma vez aprovada, significará profundas mudanças no Supremo Tribunal Federal (STF), a começar por sua composição, passando pela alteração na sistemática da nomeação de seus ministros e até mesmo alterar suas atribuições. A PEC aguarda análise pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados e o relator é o deputado Beto Albuquerque (PSB-RS). Para ser aprovada, precisará passar em dois turnos pelo Plenário. As mudanças foram concebidas após a atuação do ministro Joaquim Barbosa frente à Presidência da instituição e na relatoria da Ação Penal (AP) 470.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/pec-propoe-mudancas-profundas-no-stf-apos-gestao-de-barbosa/677401/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140115

Terrorismo eleitoral – As vésperas das reuniões do COPOM – Comitê de Política Econômica e Monetária – servem como senha para se medir a correlação de forças entre o governo e o rentismo. A atual conjuntura pré-eleitoral revela, por exemplo, que ante os fortes ataques especulativos, o governo se obriga a atuar com pragmatismo, sinalizando ao “Deus-mercado” juros mais altos para comprar tranquilidade no clima eleitoral que se avizinha.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/opiniao/terrorismo-eleitoral/677388/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20140115

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2014/01/16/trabalhando-com-poesia-562

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta-feira abençoada por Deus e coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Ah, um Soneto…
Meu coração é um almirante louco
que abandonou a profissão do mar
e que a vai relembrando pouco a pouco
em casa a passear, a passear…

No movimento (eu mesmo me desloco
nesta cadeira, só de o imaginar)
o mar abandonado fica em foco
nos músculos cansados de parar.

Há saudades nas pernas e nos braços.
Há saudades no cérebro por fora.
Há grandes raivas feitas de cansaços.

Mas — esta é boa! — era do coração
que eu falava… e onde diabo estou eu agora
com almirante em vez de sensação? …

Álvaro de Campos, in “Poemas”
Heterónimo de Fernando Pessoa

Adiamento

Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã…
Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,
E assim será possível; mas hoje não…
Não, hoje nada; hoje não posso.
A persistência confusa da minha subjetividade objetiva,
O sono da minha vida real, intercalado,
O cansaço antecipado e infinito,
Um cansaço de mundos para apanhar um elétrico…
Esta espécie de alma…
Só depois de amanhã…
Hoje quero preparar-me,
Quero preparar-rne para pensar amanhã no dia seguinte…
Ele é que é decisivo.
Tenho já o plano traçado; mas não, hoje não traço planos…
Amanhã é o dia dos planos.
Amanhã sentar-me-ei à secretária para conquistar o mundo;
Mas só conquistarei o mundo depois de amanhã…
Tenho vontade de chorar,
Tenho vontade de chorar muito de repente, de dentro…
Não, não queiram saber mais nada, é segredo, não digo.
Só depois de amanhã…
Quando era criança o circo de domingo divertia-me toda a semana.
Hoje só me diverte o circo de domingo de toda a semana da minha infância…
Depois de amanhã serei outro,
A minha vida triunfar-se-á,
Todas as minhas qualidades reais de inteligente, lido e prático
Serão convocadas por um edital…
Mas por um edital de amanhã…
Hoje quero dormir, redigirei amanhã…
Por hoje, qual é o espetáculo que me repetiria a infância?
Mesmo para eu comprar os bilhetes amanhã,
Que depois de amanhã é que está bem o espetáculo…
Antes, não…
Depois de amanhã terei a pose pública que amanhã estudarei. Depois de amanhã serei finalmente o que hoje não posso nunca ser.
Só depois de amanhã…
Tenho sono como o frio de um cão vadio.
Tenho muito sono.
Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã…
Sim, talvez só depois de amanhã…
O porvir…
Sim, o porvir…

Álvaro de Campos

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s