Trabalhando com Poesia

“… O ar que se respira agora expira novos tempos, e sonhos meus e os teus decoram o nosso apartamento… Lá fora a sorte trama, enquanto aqui reflete a lua em nossa cama, e a vida segue assim, tão docemente vista da sacada da varanda, eterna, plena, adormecida sobre as ondas… E eu vizinho de uma estrela, adoro vê-la iluminando o meu pedaço… Foi Deus quem me mandou seguir seus passos. Pensando bem, a lua tem seus traços. E o céu desaba em nosso corredor, esse é o nosso amor… Esse é o nosso amor… Esse é o nosso amor… Lençol de fogo no frio, a porta aberta pro cio, brincar de amor… Lençol de fogo no frio, a porta aberta pro cio, brincar de amor… Lençol de fogo no frio, a porta aberta pro cio, brincar de amor… Lençol de fogo no frio, a porta aberta pro cio, brincar de amor… Um dia eu saí, pus o pé nessa estrada, teu coração foi meu guia, enquanto ensinava aprendia, todas as formas de amar… Vivi de aventura, perdi tanto tempo, todas pensei que eu podia, se era paixão, não sabia e, quando cansei fui morar… Na primeira estrela do céu, só então foi que eu pude enxergar, que a primeira estrela do céu, estava em casa, eu podia tocar… Ah, se eu te magoei, amor! Ah, perdoa, meu amor!… Ah, se eu te magoei, amor! Ah, perdoa, meu amor!… Ah, se eu te magoei, amor! Ah, perdoa, meu amor!… Ah, se eu te magoei, amor! Ah, perdoa, meu amor!… Tanto tempo a gente não ficava tão contente, a felicidade andou brigada com a gente, nada nesse mundo abalou, nosso amor… Nosso amor… Só Deus sabe o que a gente passou… Por tanta maldade nós brigamos sem querer, pra falar a verdade não foi briga pra valer, não tive coragem pra sofrer, eu fiquei perdido sem você, quando me encontrei com a solidão, reagiu meu coração… Só me dá prazer, ver tanto desejo em nosso olhar… Longe de você, fico triste só de imaginar, todo amor nasceu pra ser feliz e a gente nasceu pra se amar… Só me dá prazer, ver tanto desejo em nosso olhar… Longe de você, fico triste só de imaginar, todo amor nasceu pra ser feliz e a gente nasceu pra se amar… Só me dá prazer … Só me dá prazer, ver tanto desejo em nosso olhar… Longe de você, fico triste só de imaginar, todo amor nasceu pra ser feliz e a gente nasceu pra se amar…” (Revelação – Novos Tempos – Comp.: Jorge Aragão / A Primeira Estrela – Comp.: Jorge Aragão / Só me dá prazer – Comp.: Sem informações)

“… Dá um tempo! Tem que ser agora, não vejo melhor momento. Não dá pra negar que o nosso relacionamento está cada dia ficando pior… Vai embora, dói meu coração ter que te pedir: “Não chora”, se não me comovo, te abraço e te beijo agora. Também vou sofrer com a separação, pro bem da nossa união, ter ciúme é tão natural, meu amor, mas, o teu vai além do normal… Por favor, não me venha dizer que sou eu o culpado, por você ser assim… Não, essa não, meu violão de estimação, que meu irmão de criação me deu, qual é? Você quebrou, desconfiando ser presente de mulher… Fez muito mais, um ano atrás, xingou meu pai, que pediu paz pra mim e pra você… Pro nosso bem-querer… Vai relaxar, raciocinar, depois que a poeira baixar, se me provar que se curou dessa doença, eu te aceito numa boa, sem terror… Meu sonho diz que só assim, a gente pode ser feliz, meu amor, meu amor, meu grande amor… Dá um tempo! Tem que ser agora, não vejo melhor momento. Não dá pra negar que o nosso relacionamento está cada dia ficando pior… Vai embora, dói meu coração ter que te pedir: “Não chora”, se não me comovo, te abraço e te beijo agora. Também vou sofrer com a separação, pro bem da nossa união, ter ciúme é tão natural, meu amor, mas, o teu vai além do normal… Por favor, não me venha dizer que sou eu o culpado, por você ser assim… Não, essa não, meu violão de estimação, que meu irmão de criação me deu, qual é? Você quebrou, desconfiando ser presente de mulher… Fez muito mais, um ano atrás, xingou meu pai, que pediu paz pra mim e pra você… Pro nosso bem-querer… Vai relaxar, raciocinar, depois que a poeira baixar, se me provar que se curou dessa doença, eu te aceito numa boa, sem terror… Meu sonho diz que só assim, a gente pode ser feliz, meu amor, meu amor, meu grande amor… Vai relaxar, raciocinar, depois que a poeira baixar, se me provar que se curou dessa doença, eu te aceito numa boa, sem terror… Meu sonho diz que só assim, a gente pode ser feliz, meu amor, meu amor, meu grande amor… É isso aí meu compadre: Água de chuva não sobe ladeira e coração blindado não pega feitiço…” (Revelação – Além do normal – Comp.: Zé Roberto)


“…Lelele, lelelelelelelele… Lelele, lelelelelelelele…No serviço de auto falante, do morro do pau da bandeira, quem avisa é Zé do Caroço, amanhã vai fazer alvoroço, alertando a favela inteira… Como eu queria que fosse em mangueira, que existisse outro Zé do Caroço, Caroço, Caroço, pra dizer de uma vez pra esse moço, carnaval não é esse colosso, nossa escola é raiz é madeira… Mas é o morro do pau da bandeira, de uma Vila Isabel verdadeira, é que o Zé do Caroço trabalha, o Zé do Caroço batalha, é que malha o preço da feira… E na hora em que a televisão brasileira, distrai toda gente com a sua novela, é que o Zé põe a boca no mundo, e faz um discurso profundo, ele que ver o bem da favela… Está nascendo um novo líder, no morro do pau da bandeira… Está nascendo um novo líder, no morro do pau da bandeira… No morro do pau da bandeira… No morro do pau da bandeira… Lelele, lelelelelelelele… Lelele, lelelelelelelele… No serviço de auto falante, do morro do pau da bandeira, quem avisa é Zé do Caroço, amanhã vai fazer alvoroço, alertando a favela inteira… Como eu queria que fosse em mangueira, que existisse outro Zé do Caroço, Caroço, Caroço, pra dizer de uma vez pra esse moço, carnaval não é esse colosso, nossa escola é raiz é madeira… Mas é o morro do pau da bandeira, de uma Vila Isabel verdadeira, é que o Zé do Caroço trabalha, o Zé do Caroço batalha, é que malha o preço da feira… E na hora em que a televisão brasileira, distrai toda gente com a sua novela, é que o Zé põe a boca no mundo, e faz um discurso profundo, ele que ver o bem da favela… Está nascendo um novo líder, no morro do pau da bandeira… Está nascendo um novo líder, no morro do pau da bandeira… No morro do pau da bandeira… No morro do pau da bandeira…Eu vou sambar… No morro do pau da bandeira… Eu vou batucar… No morro do pau da bandeira… Vou cantarolar… No morro do pau da bandeira…Revelação vai revelar… No morro do pau da bandeira…Lelele, lelelelelelelele… Lelele, lelelelelelelele… Lelele, lelelelelelelele… Lelele, lelelelelelelele…” (Revelação – Zé do Caroço – Comp.: Leci Brandão)

“… O pandeiro tem um som maneiro, chegou no terreiro, botou pra quebrar… O tantã vem cortando ligeiro, tocando faceiro até o sol raiar. Reco-reco vem centralizando, cavaco chorando, olha o banjo no ar… Todo mundo sambando e cantando, que o nosso samba já vai começar… Quem é bamba entra na roda, quem não é bamba também pode entrar, nosso samba não tem preconceitos, todos têm direito de participar… A viola vem harmonizando, cavaco chorando, olha o banjo no ar… Levantando a poeira do chão, quero ver, palma da mão ecoar… Batendo na palma da mão, sambando com revelação… Batendo na palma da mão, sambando com revelação… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… O pandeiro tem um som maneiro, chegou no terreiro, botou pra quebrar… O tantã vem cortando ligeiro, tocando faceiro até o sol raiar. Reco-reco vem centralizando, cavaco chorando, olha o banjo no ar… Todo mundo sambando e cantando, que o nosso samba já vai começar… Quem é bamba entra na roda, quem não é bamba também pode entrar, nosso samba não tem preconceitos, todos têm direito de participar… A viola vem harmonizando, cavaco chorando, olha o banjo no ar… Levantando a poeira do chão, quero ver, palma da mão ecoar… Batendo na palma da mão, sambando com revelação… Revelação acabou de chegar… Batendo na palma da mão, sambando com revelação… E o samba já vao começar…Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Batendo na palma da mão, sambando com revelação… Batendo na palma da mão, sambando com revelação… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê…Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê… Lê,lê,lê,lê,lê,lê,ê…” (Revelação – Na palma da mão – Comp.: Xande / Mauro Jr)

“… Pai, Pai, que tudo fez, que tudo faz, ô, Pai, ô, Pai… Pai, Pai, que é força vida luz e paz, ô, Pai, ô, Pai… Pai, Pai, que tudo fez, que tudo faz, ô, Pai, ô, Pai… Pai nosso que estás no céu,,, Pai, Pai, que é força vida luz e paz, ô, Pai, ô, Pai… Santificado seja o teu nome… Tá todo mundo louco, tá tudo diferente, o rico acha pouco, a gente quer ser gente… O mundo tá uma zona, e o medo dá insônia, o clima tá em coma, coitada da Amazônia… A filha da vizinha nem 13 anos tem, largou a mamadeira, já teve um neném… E o crime tá na moda, o carro tá blindado, a roda-viva roda, o mundo tá mudado, Pai… Pai, Pai, que tudo fez, que tudo faz, ô, Pai, ô, Pai… Pai, Pai, que é força vida luz e paz, ô, Pai, ô, Pai… E o cara que eu votei caiu na CPI, jurando, “não roubei”, quase morri de rir… E o homem vai à lua, se enche de poder, a criança na rua sem ter o que comer… Tá tudo liberado, é só pirataria, tô sendo assaltado, a letra e melodia, e todo mundo quer é só levar vantagem, pra meter o pé, ficar de sacanagem… Tá barra do jeito que tá, tá tudo virado de pernas pro ar… Será que existe um lugar, pra gente cantar, ser feliz e sambar?… Tá barra do jeito que tá… Tá barra do jeito que tá, tá tudo virado de pernas pro ar… Será que existe um lugar, pra gente cantar, ser feliz e sambar?… E o cara que eu votei caiu na CPI, jurando, “não roubei”, quase morri de rir… E o homem vai à lua, se enche de poder, a criança na rua sem ter o que comer… Tá tudo liberado, é só pirataria, tô sendo assaltado, a letra e melodia, e todo mundo quer é só levar vantagem, pra meter o pé, ficar de sacanagem… Tá barra do jeito que tá, tá tudo virado de pernas pro ar… Será que existe um lugar, pra gente cantar, ser feliz e sambar?… Tá barra do jeito que tá… Tá barra do jeito que tá, tá tudo virado de pernas pro ar… Será que existe um lugar, pra gente cantar, ser feliz e sambar?…” (Revelação – Pai – Comp.: André Renato / Ronaldo Barcelos)

Confira outros sucessos do Grupo Revelação:

“Aprenda a respirar. A respiração é nossa principal função biológica e através dela fornecemos ao organismo a vida e a saúde, trazidas a nós pela energia Cósmica. Tudo o que vive, respira: plantas, animais e criaturas humanas. Se impedirmos a respiração, dá-se o fenômeno da morte. A respiração é a fonte da vida. Cada vez que aspiramos, introduzimos no organismo a Energia Cósmica, que é Fluido Divino. a respirar consciente mente e evitará numerosas doenças.” (Minutos de Sabedoria Pg. 051)

Bom dia pessoal,

Mais um final de semana chega e com ela a nossa sempre presente expectativa de momentos de lazer e de diversão junto aos nossos familiares.

Na abertura da Festa da Uva, em Caxias do Sul, nesta quinta-feira (20), a presidenta Dilma Rousseff afirmou ser parceira da produção agrícola da região. Dilma reafirmou o compromisso do governo com os produtores de uva e vinho brasileiros e elogiou Caxias do Sul e a Serra Gaúcha como referência na produção de vinhos e sucos, que, segundo ela, vem ganhando qualidade e reconhecimento dentro e fora do país.

Dilma destacou ainda a publicação, no Diário Oficial de hoje, do novo preço mínimo de R$ 0,63 por quilo de uva, que irá vigorar ao longo deste ano e que, conforme acordado com o setor, é 10% superior ao vigente até agora.

“Faço questão de repetir o que disse em 2012, quando estive aqui, nessa mesma festa: vocês têm uma presidenta parceira da produção agrícola desta região (…) Esta tem sido nossa prática: aprimorar, a cada safra, os instrumentos de apoio à produção agropecuária brasileira e à sua comercialização. Nossa tarefa, que cumpriremos com zelo, é oferecer aos dedicados e competentes agricultores de nosso país o apoio que precisam para continuar batendo recordes de produção, e garantindo o abastecimento e a segurança alimentar de nossa população”.

A presidenta Dilma Rousseff participou nesta quinta-feira (20), em Caxias do Sul (RS), da entrega de 28 motoniveladoras e 90 caminhões-caçamba a 118 municípios gaúchos. As máquinas vão beneficiar 72,2 mil agricultores familiares e ajudar os pequenos municípios a cuidar das estradas vicinais, facilitando o deslocamento das pessoas e o escoamento da produção. Todos as cidades do Rio Grande do Sul já receberam retroescavadeira; 218 municípios gaúchos receberam motoniveladoras; e 167 municípios receberam caminhões-caçamba. Dilma afirmou que a entrega de 18 mil máquinas em todo o país faz parte do esforço do governo de sempre olhar os pequenos municípios nos programas do governo.

“Ano passado repassamos para os municípios, dentro desse espírito de ajudar, R$ 1 bilhão, e agora em abril nós vamos repassar mais R$ 1 bilhão a título de suporte ao custeio. Essas 18 mil máquinas têm papel importante. Esse kit tem papel importante, permite autonomia para os prefeitos para atender a população (…) Eu acredito que os prefeitos saberão fazer muito bom uso delas. Acredito que com isso eles têm condições de enfrentar os problemas cotidianos de uma forma melhor (…) nós nos comprometemos sempre a olhar os pequenos municípios nos programas do governo”.

Durante a cerimônia, Dilma anunciou ainda investimento de R$ 37,8 milhões para obras de mobilidade urbana em Caxias do Sul. Os recursos serão destinados para reestruturação de corredores de ônibus, implantação de estações de integração na Zona Norte e Zona Nordeste da cidade e aquisição de equipamentos para melhor gerenciamento do trânsito. Também serão investidos R$ 24,7 milhões para obras de pavimentação na Radial Sudoeste e nas ruas Cristóforo Randon, Pedro Olavo Hoffmann e João Oreste Faoro.

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, alguns textos do site Pátria Latina. Vale a pena conferir:

O NOME DISSO É ESCÁRNIO – O sultanato de jaleco branco trata a saúde como um mercado de camelos; alia-se ao conservadorismo retrógrado e tem na embaixada dos EUA um corredor de fuga. por: Saul Leblon/Carta Maior – Algo outrora inescapável do epíteto de um escárnio contra o povo brasileiro está em curso nos dias que correm.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e&cod=13268

O incrível e o inacreditável – “Incrível” e “inacreditável” querem dizer a mesma coisa — e não querem. “Incrível” é elogio. Você acha incrível o que é difícil de acreditar de tão bom. Já inacreditável é o que você se recusa a acreditar de tão nefasto, nefário e nefando — a linha média do Execrável Futebol Clube. Por Luis Fernando Veríssimo, no Jornal GGN – Incrível é qualquer demonstração de um talento superior, seja o daquela moça por quem ninguém dá nada e abre a boca e canta como um anjo, o do mirrado reserva que entra em campo e sai driblando tudo, inclusive a bandeirinha do córner, o do mágico que tira moedas do nariz e transforma lenços em pombas brancas, o do escritor que torneia frases como se as esculpisse.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=01f6211e00cc8f00a7b68e8e24b1b4d6&cod=13269

A AMEAÇA FASCISTA NA VENEZUELA – Por Altamiro Borges – Pelo terceiro dia consecutivo, a Venezuela foi palco de graves confrontos neste sábado (15). Setores de oposição voltaram a apostar na violência com o objetivo explícito de derrubar o presidente Nicolás Maduro, democraticamente eleito no ano passado. Estes grupos, alguns de conotação fascista, pregam abertamente “A saída”, a deposição do atual governante. Diante da gravidade da situação, o governo alertou que está em curso uma nova tentativa de golpe – a exemplo da investida fracassada de abril de 2002 – e prometeu resistir para defender a democracia. Em discurso durante a “marcha pela paz” em Caracas, Nicolás Maduro acusou de “fascista” o principal líder da oposição, Leopoldo López.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=10a9288f519d683f87f6443f7b6810e6&cod=13266

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2014/02/21/trabalhando-com-poesia-587

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma sexta-feira abençoada por Deus e coberta pela paz do Alá de Oxalá! Bom final de semana e até segunda feira.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

O Canto do Guerreiro – Gonçalves Dias

I

Aqui na floresta
Dos ventos batida,
Façanhas de bravos
Não geram escravos,
Que estimem a vida
Sem guerra e lidar.
— Ouvi-me, Guerreiros,
— Ouvi meu cantar.

II

Valente na guerra,
Quem há, como eu sou?
Quem vibra o tacape
Com mais valentia?
Quem golpes daria
Fatais, como eu dou?
— Guerreiros, ouvi-me;
— Quem há, como eu sou?

III

Quem guia nos ares
A frecha emplumada,
Ferindo uma presa,
Com tanta certeza,
Na altura arrojada
onde eu a mandar?
— Guerreiros, ouvi-me,
— Ouvi meu cantar.

IV

Quem tantos imigos
Em guerras preou?
Quem canta seus feitos
Com mais energia?
Quem golpes daria
Fatais, como eu dou?
— Guerreiros, ouvi-me:
— Quem há, como eu sou?

V

Na caça ou na lide,
Quem há que me afronte?!
A onça raivosa
Meus passos conhece,
O imigo estremece,
E a ave medrosa
Se esconde no céu.
— Quem há mais valente,
— Mais destro que eu?

VI

Se as matas estrujo
Co’os sons do Boré,
Mil arcos se encurvam,
Mil setas lá voam,
Mil gritos reboam,
Mil homens de pé
Eis surgem, respondem
Aos sons do Boré!
— Quem é mais valente,
— Mais forte quem é?

VII

Lá vão pelas matas;
Não fazem ruído:
O vento gemendo
E as matas tremendo
E o triste carpido
Duma ave a cantar,
São eles — guerreiros,
Que faço avançar.

VIII

E o Piaga se ruge
No seu Maracá,
A morte lá paira
Nos ares frechados,
Os campos juncados
De mortos são já:
Mil homens viveram,
Mil homens são lá.

IX

E então se de novo
Eu toco o Boré;
Qual fonte que salta
De rocha empinada,
Que vai marulhosa,
Fremente e queixosa,
Que a raiva apagada
De todo não é,
Tal eles se escoam
Aos sons do Boré.
— Guerreiros, dizei-me,
— Tão forte quem é?

Canção do Exílio – Gonçalves Dias

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas,
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar — sozinho, à noite —
Mais prazer encontro eu lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Coimbra, julho de 1843.

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s