Trabalhando com Poesia

“… Olhe nos meus olhos e diga o que você vê, quando eles vêem que você me vê… Olho nos seus olhos e o que eu posso ler, que eles ficam melhores, quando eles me lêem… Eu leio as suas cartas, eu vejo a letra, meu Deus que homem forte, que me contempla… Sou sua mas não posso ser, sou seu mas ninguém pode saber… Amor eu te proíbo de não me querer… Olho nos seus olhos e sinto que você faz eles brilharem como astro rei… Olhe nos meus olhos e o que você vai ver, seu rosto iluminado, a lua de um além… Eu leio as suas asas, borboletas. Meu Deus que linda imagem me atormenta… Sou seu mas eu não posso ser, sou sua mas ninguém pode saber… Amor eu te proíbo de não me querer… De não me querer… De não me querer… De não me querer…” (Nando Reis – Nos seus olhos – Comp.: Nando Reis)

“… Eu só queria que você cuidasse um pouco mais de mim, como eu cuido de você… Cuidar é simplesmente olhar prum mundo que você não vê… Pra medir o amor não existe cálculo, um mais um pode não ser dois… Sentir a sua liberdade, desejo que não é sonho é mera ilusão… Se não sabe, se afaste de mim, mas se ainda cabe, me abrace, enfim… Só ligue se tiver vontade, só venha se quiser me ver… Mentir é pura vaidade, de quem precisa se esconder… Será que eu vejo apenas o que você não vê? Eu não entendo como você não pode perceber, que eu não sei mais, eu não sei mais, eu não sei mais, eu não sei mais, eu não sei mais o que fazer… O sangue é o rio que irriga a carne, a alma é a margem e o contorno, é luz antiga ao fim da tarde, essa saudade sem socorro… Se não sabe, se afaste de mim, mas antes que seja tarde, nos salve do fim…” (Nando Reis – Luz antiga – Comp.: Nando Reis)

“… Não é porque eu sujei a roupa bem agora que eu já estava saindo, nem mesmo por que eu peguei o maior trânsito e acabei perdendo o cinema… Não é porque não acho o papel, onde anotei o telefone que estou precisando, nem mesmo o dedo que eu cortei abrindo a lata e ainda continua sangrando… Não é porque fui mal na prova de geometria e periga d’eu repetir de ano, nem mesmo o meu carro, que parou de madrugada, só por falta de gasolina… Não é porque tá muito frio, não é porque tá muito calor… O problema é que eu te amo, não tenho dúvidas que com você daria certo, juntos faríamos tantos planos, com você o meu mundo ficaria completo, eu vejo nossos filhos brincando e depois cresceriam, e nos dariam os netos… A fome que devora alguns milhões de brasileiros, perto disso já nem tem importância, a morte que nos toma a mãe insubstituível, de repente dela eu já nem me lembro… A derrota de 50 e a campanha de 70 perdem totalmente o seu sentido, as datas, fatos e aniversários passam sem deixar o menor vestígio… Injúrias e promessas e mentiras e ofensas caem fora pelo outro ouvido, roubaram a carteira com meus documentos, aborrecimentos que eu já nem ligo… Não é porque eu quis e eu não fiz, não é porque não fui e eu não vou… O problema é que eu te amo, não tenho dúvidas que eu queria estar mais perto, juntos viveríamos por mil anos, por que o nosso mundo estaria completo, eu vejo nossos filhos brincando com seus filhos que depois nos trariam bisnetos… Não é por que eu sei que ela não virá que eu não veja a porta já se abrindo, e que eu não queira tê-la, mesmo que não tenha a mínima lógica esse raciocínio… Não é que eu esteja procurando no infinito, a sorte pra andar comigo, se a fé remove até montanhas, o desejo é o que torna o irreal possível… Não é por isso que eu não possa estar feliz, sorrindo e cantando, não é por isso que ela não possa estar feliz, sorrindo e cantando… Não vou dizer que eu não ligo, eu digo o que eu sinto e o que eu sou… O problema é que eu te amo, não tenha dúvidas, pois isso não é mais secreto, juntos morreríamos, pois nos amamos e de nós o mundo ficaria deserto, eu vejo nossos filhos lembrando, com os seus filhos que já teriam seus netos… Eu te amo… E eu também…” (Nando Reis & Cássia Eller– Meu mundo ficaria completo com você – Comp.: Nando Reis)

“Amigo, se por força de sua profissão é obrigado a lidar com o público, não perca sua paciência! Sabemos que é difícil manter se calmo diante de certas pessoas, que já chegam irritadas, que são exigentes e não mantêm uma linha de boa educação. No entanto, é nesses casos que se deve evidenciar nossa virtude de calma e paciência. Controle seus nervos, e procure compreender e servir com amor.” (Minutos de Sabedoria Pg. 065)

Bom dia pessoal,

Os times baianos estrearam ontem na Copa do Brasil. A Dupla BaxVi jogou fora de casa e empatou em 1×1 contra o Vila Nova / MG e Jota Mallocelli / PR, respectivamente. Único baiano a estrear em casa, o Bahia de Feira perdeu por 2×0 para o Corinthians e está desclassificado da competição. Jogos de volta em Salvador ocorrem dias 16 e 17 de Abril. Atenções voltam-se agora para o clássico de domingo na Fonte Nova.

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta quarta (19) que o governo federal tem tomado uma série de medidas garantir a convivência da população do semiárido com a seca. Em cerimônia realizada em Sobral, para comemoração do Dia de São José, padroeiro do Ceará, e entrega de títulos de propriedade rural para agricultores familiares, Dilma falou sobre projetos que visam garantir segurança hídrica para o estado e citou a construção de cisternas como um exemplo de mecanismo eficaz para minimizar os efeitos da seca.

“Conviver com a seca é se prevenir, é saber que ela chega e que a gente tem um poder: se preparar para ela e atuar da melhor forma possível para que a gente continue vivendo mesmo quando ela surge e nos ataca. Por isso, são importantíssimos os “grandes projetos”, como o Eixão das Águas. E por isso que é importante esse outro projeto, o Cinturão das Águas que, de fato, é como um cinturão, garantindo a segurança hídrica paro estado do Ceará, abraçando o estado. É um abraço de água”, afirmou a presidenta.

A presidenta ressaltou que a ação do Água para Todos não é isolada, ela se combina com outros programas sociais, como o Bolsa Família, além de outras ações preventivas em relação à situação das pessoas diante da seca, como o Garantia Safra e a Bolsa Estiagem. Dilma listou ainda investimentos futuros para construção de mais cisternas no estado.

“Quero dizer que as ações do Água pra Todos que anunciamos hoje fazem parte desse imenso esforço de R$ 244 milhões para que a gente construa mais 19 mil cisternas para consumo humano, mas também cisternas maiores, para produção, para alimentar o gado, regar uma horta”, comentou.

Dilma entregou 363 certificados do Água Para Todos para implantação de sistemas simplificados de abastecimento de água, com investimento de R$ 85,5 milhões, que beneficia 19.075 famílias no Ceará. A presidenta ainda assinou ordens de serviços de mais 110 sistemas, de 19.586 cisternas de placas e de 7.673 cisternas de enxurradas, e anunciou regularização de 29.060 propriedades rurais.

A presidenta Dilma Rousseff afirmou que o Eixão das Águas, que teve o quinto e último trecho inaugurado nesta quarta-feira (19), vai garantir a segurança hídrica do Ceará pelos próximos 30 anos. Com 256 quilômetros e investimento total de R$ 1,47 bilhão, o Eixão das Águas é a maior obra de infraestrutura hídrica do Ceará, beneficiando 4,2 milhões de habitantes.

“Quero dizer que também estou feliz de estar aqui hoje na cerimônia que conclui o Eixão das Águas (…) aqui hoje estamos fazendo uma das obras estruturantes para a segurança hídrica do Ceará. É a que não aparece, porque ninguém fica passando nos 256 quilômetros e olhando a água correr. Eu fui lá, fiquei impressionada. Mas essa obra que ninguém vê todos os dias é a obra cujos resultados a gente vê todos os dias quando abre a torneira e toma um copo d’agua (…) Podem ter certeza, essa é uma das maiores obras de segurança hídrica”, disse.

O trecho V, inaugurado hoje, compreende um trecho de 57 km e é composto por adutoras, estações elevatórias e reservatórios. A obra abrange os municípios cearenses de Pacatuba, Maracanaú, Caucaia e São Gonçalo do Amarante.
“Garantia por 30 anos é algo forte. Que durante 30 anos, aqui nessa região onde vive a maior parte da população urbana do estado, é algo estratégico para o estado do Ceará. Por isso, fico orgulhosa e quero enfatizar isso porque quero deixar claro a avaliação do governo federal sobre essas obras e a qualidade da parceria que construímos aqui com o governo do Ceará”.

O Eixão das Águas é um canal para transposição das águas do Açude Castanhão até a região metropolitana de Fortaleza e ao Complexo Portuário e Industrial do Pecém. Com 256 quilômetros e investimento total de R$ 1,47 bilhão, o Eixão das Águas é a maior obra de infraestrutura hídrica do Ceará, beneficiando 4,2 milhões de habitantes e garantindo o abastecimento de água da região metropolitana de Fortaleza pelos próximos 30 anos.

A presidenta Dilma Rousseff inaugurou nesta quarta-feira (19) o trecho V do Eixão das Águas. A entrega do quinto e último trecho – que recebeu investimento de R$ 314,97 milhões, sendo R$ 261,52 milhões do Orçamento Geral da União e R$ 53,45 milhões do Governo do Ceará – finaliza a obra. O trecho V é um sistema adutor com 57,09 quiilômetros, que liga o Açude Gavião à região metropolitana de Fortaleza e ao Complexo Industrial e Portuário de Pecém, abrangendo os municípios de Pacatuba, Maranguape, Caucaia e São Gonçalo do Amarante.

O trecho I, que vai do Açude Castanhão ao Açude Curral Velho, tem 53,21 quilômetros e está em funcionamento desde 2005. O trecho II, de Açude Curral Velho à Serra do Félix, está em funcionamento desde 2009 e tem extensão de 46,2 quilômetros. O trecho III, de Serra do Félix ao Açude Pacajus, funciona desde 2009 e tem 66,3 quilômetros. Inaugurado em 2012, o trecho IV vai do Açude Pacajus ao Açude Gavião e tem 33,9 quilômetros.

Na nossa sugestão de leitura de hoje alguns textos do site da OAB. Vale a pena conferir:

OAB ressalta conquistas da advocacia no novo Código de Processo Civil – Os deputados federais Fábio Trad (PMDB-MS) e Paulo Teixeira (PT-SP) estiveram presentes na sessão ordinária do Conselho Federal da OAB desta terça-feira (18). A convite do presidente nacional da OAB, Marcus Vinicius Furtado Coêlho, os parlamentares foram homenageados pelo trabalho no projeto do novo Código de Processo Civil (CPC): Trad presidiu a comissão especial da Câmara que analisou a proposta e Teixeira foi o relator.

http://www.oab.org.br/noticia/26810/oab-ressalta-conquistas-da-advocacia-no-novo-codigo-de-processo-civil?utm_source=2894&utm_medium=email&utm_campaign=OAB_Informa

XXII Conferência Nacional: OAB firma acordo com Procuradoria do Rio – O Conselho Federal da OAB anunciou nesta terça-feira (18), durante sessão plena, convênio com a Procuradoria-Geral do Município do Rio de Janeiro para a realização da XXII Conferência Nacional dos Advogados. O acordo com o órgão permite a utilização do centro de convenções Riocentro para as atividades do encontro da advocacia, que reunirá milhares de pessoas entre os dias 20 e 23 de outubro. A contrapartida à cessão do espaço de 40 mil metros quadrados foi a realização do Encontro Nacional dos Procuradores Municipais, além de um fórum que reunirá os procuradores de todas as capitais do país.

http://www.oab.org.br/noticia/26808/xxii-conferencia-nacional-oab-firma-acordo-com-procuradoria-do-rio?utm_source=2894&utm_medium=email&utm_campaign=OAB_Informa

Instituto dos Advogados divulga carta em favor do habeas corpus – Durante a posse da nova Comissão Especial de Garantia do Direito de Defesa da OAB, na segunda-feira (17), o Colégio de Presidentes do Instituto dos Advogados do Brasil publicou carta em defesa do “habeas corpus”, instrumento de defesa tema de homenagem no mesmo evento. Assinado por Fernando Fragoso, presidente do IAB, o documento ataca as atuais restrições impostas ao uso do “habeas corpus” e defende a garantia dos preceitos constitucionais acerca do assunto. Leia abaixo a íntegra da carta divulgada pelo Instituto dos Advogados do Brasil: DEFESA DA LIBERDADE – O histórico referente à doutrina brasileira do “habeas corpus” sempre referendou a consagração dos direitos individuais, assumindo-o mais do que tudo como um remédio para a defesa de garantias constitucionais.

http://www.oab.org.br/noticia/26809/instituto-dos-advogados-divulga-carta-em-favor-do-habeas-corpus?utm_source=2894&utm_medium=email&utm_campaign=OAB_Informa

STJ mantém competência federal para as ações da OAB e de seus órgãos – O Superior Tribunal de Justiça manteve a competência federal para ações que envolvam a OAB e seus órgãos. A decisão do ministro Ricardo Villas Bôas Cueva vem após uma ação que envolve a Caixa de Assistência dos Advogados de Minas Gerais ter sido julgada pela justiça estadual. A nova decisão transfere a competência do julgamento para o Juízo Federal de 3ª Vara. Inicialmente, ao transferir a competência do julgamento para a Justiça Estadual, a Justiça Federal afirmara que, por possuir personalidade jurídica própria, a Caixa de Assistência aos Advogados seria autônoma e não se identificaria como órgão da OAB.

http://www.oab.org.br/noticia/26806/stj-mantem-competencia-federal-para-as-acoes-da-oab-e-de-seus-orgaos?utm_source=2894&utm_medium=email&utm_campaign=OAB_Informa

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2014/03/20/trabalhando-com-poesia-601

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta feira abençoada por Deus, coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Viver de Poesia – Elisa Lucinda

Há tanto o que fazer com a poesia
que eu quase não dou conta das tarefas.
Trazê-la em estado de circulação
é mais que assumi-la sangue
de tanto me afundar no mangue
decorei o caminho do emergir
a volta do desmaio
do cair em si em mi
e mais todas as notas do percurso e escola.
Há tanto o que transar com a poesia
que tenho estado com ela sem nenhum projeto de anticoncepção
falá-la então é o VT desse sexo explícito de procriação
com direito a prazer e gozo em cada dobra de rima
Trazendo-a em estado vivo exerço a alquimia
de atropelar o efêmero
com o doce trator da perpetuação
agarrada aos motivos eternos
dos versos que eu escrevi
latejante exposição em estado de música e fotografia
é o que faço aqui
e aqui chego com meus cães:
sigo tudo de acordo com as ordens do Deus poema
que é o fiel domador.
Corro, sento, busco ossos
e inda faço gracinhas
elefante, golfinho, leão, macaquinho,
sopro, tambor, teclado, cavaquinho
vou bebendo vinho.
Há tanto o que fazer com a poesia
Há tanto o que namorar com a poesia
Há tanto o que compreender com a poesia
Há tanto o que viajar com a poesia
que eu com esse excesso de bagagem
passo na cara do vigia
de mãos vazias.
Mas tamanha é a magia
que toda a muamba que ninguém via
agora se esparrama no palco:
ela rainha, galinha
sambando no pedaço,
minha rainha poesia
e de salto alto.
(Rio, verão de 1991)

Mulata Exportação – Elisa Lucinda

“Mas que nega linda
E de olho verde ainda
Olho de veneno e açúcar!
Vem nega, vem ser minha desculpa
Vem que aqui dentro ainda te cabe
Vem ser meu álibi, minha bela conduta
Vem, nega exportação, vem meu pão de açúcar!
(Monto casa procê mas ninguém pode saber, entendeu meu dendê?)
Minha tonteira minha história contundida
Minha memória confundida, meu futebol, entendeu meu gelol?
Rebola bem meu bem-querer, sou seu improviso, seu karaoquê;
Vem nega, sem eu ter que fazer nada. Vem sem ter que me mexer
Em mim tu esqueces tarefas, favelas, senzalas, nada mais vai doer.
Sinto cheiro docê, meu maculelê, vem nega, me ama, me colore
Vem ser meu folclore, vem ser minha tese sobre nego malê.
Vem, nega, vem me arrasar, depois te levo pra gente sambar.”
Imaginem: Ouvi tudo isso com calma e sem dor.
Já preso esse ex-feitor, eu disse: “Seu delegado…”
E o delegado piscou.
Falei com o juiz, o juiz se insinuou e decretou pequena pena
com cela especial por ser esse branco intelectual…
Eu disse: “Seu Juiz, não adianta! Opressão, Barbaridade, Genocídio
nada disso se cura trepando com uma escura!”
Ó minha máxima lei, deixai de asneira
Não vai ser um branco mal resolvido
que vai libertar uma negra:
Esse branco ardido está fadado
porque não é com lábia de pseudo-oprimido
que vai aliviar seu passado.
Olha aqui meu senhor:
Eu me lembro da senzala
e tu te lembras da Casa-Grande
e vamos juntos escrever sinceramente outra história
Digo, repito e não minto:
Vamos passar essa verdade a limpo
porque não é dançando samba
que eu te redimo ou te acredito:
Vê se te afasta, não invista, não insista!
Meu nojo!
Meu engodo cultural!
Minha lavagem de lata!
Porque deixar de ser racista, meu amor,
não é comer uma mulata!
(Da série “Brasil, meu espartilho”)

Chupetas Punhetas Guitarras – Elisa Lucinda

Choram meus filhos pela casa
fraldas colos fanfarras
Meus filhos choram querendo talvez meu peito
ou talvez o mesmo único leito que reservei pra mim
Assim aprendi a doar
com o pranto deles
Na marra aprendi a dar mundo a quem do mundo é
A quem ao mundo pertence e de quem sou mera babá
Um dia serei irremediavelmente defasada, demodê
Meus filhos berram meu nome função
querendo pão, ternura, verdade e ainda possibilidade de ilusão
Meus filhos cometem travessuras sábias
no tapa bumerangue da malcriação
Eu que por eles explodi buceta afora afeto adentro
ingiro sozinha o ouro excremento desta generosidade
Aprendo que não valho nada em mim
Que criar pessoa é criar futuro
não há portanto recompensa, indenização
mesquinhas voltas, efêmeros trocos.
Choram pela casa e eu ouço sem ouvidos
porque meus sentidos vivem agora sob a égide da alma
Chupetas punhetas guitarras
meus filhos babam conhecimentos da nova era
no chão de minha casa.
Essa deve ser minha felicidade.
Aprendo a dar meu eu, aquilo que não tem cópia
tampouco similar
E o tempo, esse cuidadoso alfaiate, não me conta nada
Assíduo guardador dos nossos melhores segredos
sabe o enredo da estória
Vai soprando tudo aos poucos e muito aos pouquinhos
Faz eu lembrar que meu pai também já foi pequenininho
Que só por ele ter podido ser meu ontem
Só por ele ter fodido com desesperado desejo minha mãe
um dia eu existi.
Choram meus filhos pela Nasa onde passeamos planetas e reveses
Eu escuto seus computadores, eu limpo suas fezes
faço compressas pra febre, afirmo que quero morrer antes deles
assino um documento onde aceito de bom grado
lhes ter sido a mala o malote a estrela guia
Um dia eles amarão com a mesma grandeza que eu
uma pessoa que não pode ser eu
Serão seus filhos suas mulheres seus homens
Eu serei aquela que receberá sua escassa visita
Não serei a preferida.
Serei a quem se agradece displicente
pelo adianto, pela carona
de poderem ter sido humanidade.
Choram meus filhos pela casa
Eu sou a recessiva bússola
a cegonha a garça
com um único presente na mão:
Saber que o amor só é amor quando é troca
E a troca só tem graça quando é de graça.

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s