Trabalhando com Poesia

“… Ela é amiga da minha mulher, pois é, pois é, mas vive dando em cima de mim, enfim, enfim. Ainda por cima é uma tremenda gata, pra piorar minha situação, se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… Minha mulher me perguntou até qual é, qual é? Eu respondi que não tô nem aí, menti, menti… De vez em quando eu fico admirando, é muita areia pro meu caminhão… Se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… O meu cunhado já me avisou, que se eu der mole ele vai me entregar… A minha sogra me orientou, isso não tá certo é melhor parar… Falei, ela não quis ouvir, pedi, ela não respeitou, eu juro! A carne é fraca, mas nunca rolou… Falei, ela não quis ouvir, não quis ouvir, pedi, ela não respeitou, e juro! A carne é fraca, mas nunca rolou… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… Ela é amiga da minha mulher, pois é, pois é, mas vive dando em cima de mim, enfim, enfim. Ainda por cima é uma tremenda gata, pra piorar minha situação, se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… Minha mulher me perguntou até qual é, qual é? Eu respondi que não tô nem aí, menti, menti… De vez em quando eu fico admirando, é muita areia pro meu caminhão… Se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… O meu cunhado já me avisou, que se eu der mole ele vai me entregar… A minha sogra me orientou, isso não tá certo é melhor parar… Falei, ela não quis ouvir, pedi, ela não respeitou, eu juro! A carne é fraca, mas nunca rolou… Falei, ela não quis ouvir, não quis ouvir, pedi, ela não respeitou, e juro! A carne é fraca, mas nunca rolou… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, não pego não…” (Seu Jorge – Amiga da minha mulher – Comp.: Seu Jorge)

“… Vai no cabeleireiro, no esteticista, malha o dia inteiro, pinta de artista, saca dinheiro, vai de motorista, com seu carro esporte, vai zoar na pista… Final de semana, na casa de praia, só gastando grana, na maior gandaia, vai pra balada, dança bate estaca, com a sua tribo, até de madrugada… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Só no filé… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Tem o que quer… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Do croissant… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Suquinho de maçã… Vai no cabeleireiro, no esteticista, malha o dia inteiro, pinta de artista, saca dinheiro, vai de motorista, com seu carro esporte, vai zoar na pista… Final de semana, na casa de praia, só gastando grana, na maior gandaia, vai pra balada, dança bate estaca, com a sua tribo, até de madrugada… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Só no filé… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Tem o que quer… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Do croissant… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Suquinho de maçã… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha… ” (Seu Jorge – Burguesinha – Comp.: Seu Jorge / Gabriel Moura / Pretinho da Serrinha)

“… Tô namorando aquela mina, mas não sei se ela me namora, mina maneira do condomínio, lá do bairro onde eu moro… Tô namorando aquela mina, mas não sei se ela me namora, mina maneira do condomínio, lá do bairro onde eu moro… Seu cabelo me alucina, sua boca me devora, sua voz me ilumina, seu olhar me apavora… Me perdi no seu sorriso, nem preciso me encontrar, não me mostre o paraíso, que se eu for, não vou voltar… Pois eu vou… Eu vou… Eu digo “oi”, ela nem nada, passa na minha calçada, dou bom dia ela nem liga… Se ela chega eu paro tudo, se ela passa eu fico doido, se vem vindo eu faço figa… Eu mando um beijo, ela não pega, pisco olho, ela se nega, faço pose, ela não vê… Jogo charme, ela ignora, chego junto, ela sai fora, eu escrevo ela não lê… Minha mina, minha amiga, minha namorada… Minha gata, minha sina do meu condomínio… Minha musa, minha vida, minha monalisa… Minha vênus, minha deusa, quero seu fascínio… Minha mina, minha amiga, minha namorada… Minha gata, minha sina do meu condomínio… Minha musa, minha vida, minha monalisa… Minha vênus, minha deusa, quero seu fascínio… Tô namorando aquela mina, mas não sei se ela me namora, mina maneira do condomínio, lá do bairro onde eu moro… Tô namorando aquela mina, mas não sei se ela me namora, mina maneira do condomínio, lá do bairro onde eu moro… Seu cabelo me alucina, sua boca me devora, sua voz me ilumina, seu olhar me apavora… Me perdi no seu sorriso, nem preciso me encontrar, não me mostre o paraíso, que se eu for, não vou voltar… Pois eu vou… Eu vou… Eu digo “oi”, ela nem nada, passa na minha calçada, dou bom dia ela nem liga… Se ela chega eu paro tudo, se ela passa eu fico doido, se vem vindo eu faço figa… Eu mando um beijo, ela não pega, pisco olho, ela se nega, faço pose, ela não vê… Jogo charme, ela ignora, chego junto, ela sai fora, eu escrevo ela não lê… Minha mina, minha amiga, minha namorada… Minha gata, minha sina do meu condomínio… Minha musa, minha vida, minha monalisa… Minha vênus, minha deusa, quero seu fascínio… Minha mina, minha amiga, minha namorada… Minha gata, minha sina do meu condomínio… Minha musa, minha vida, minha monalisa… Minha vênus, minha deusa, quero seu fascínio… Minha namorada, do meu condomínio, minha monalisa, quero seu fascínio… Minha namorada, do meu condomínio, minha monalisa, quero seu fascínio… Minha namorada, do meu condomínio, minha monalisa, quero seu fascínio…” (Seu Jorge – Mina do meu condomínio – Comp.: Seu Jorge / Gabriel Moura / Pretinho da Serrinha / Pierre Aderne)

“Renove sua saúde por meio de afirmações positivas. Todas as suas células e seus órgãos cumprirão integralmente seus deveres, se você não os maltratar com pensamentos negativos de descrença, de medo, de raiva nem de vingança. Envie pensamentos positivos de saúde a seus órgãos e células, e forneça a seu corpo alimentos sadios, para não lhe dar demasiado trabalho.” (Minutos de Sabedoria Pg. 070)

Bom dia pessoal,

Aconteceu ontem a noite a primeira rodada das semifinais do campeonato baiano. Em Conquista, o time de Canabrava venceu de virada o Vitória da Conquista pelo placar de 2×1. Com o resultado, o time pode até perder por um gol de diferença que se classifica para a final.

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira (25), ao entregar 944 moradias em Bauru, que o governo federal resolveu o problema da habitação para os setores de baixa renda porque colocou os interesses da população em primeiro lugar.

“Não tinhamos uma política habitacional que pudesse garantir casa para quem mais precisasse, para as pessoas que ganhassem até R$ 1.600. O que se pensava é que o governo federal não precisava fazer nada porque o mercado imobiliário iria resolver o problema. O mercado não resolve esse problema de jeito nenhum (…) Como resolvemos o problema? Resolvemos porque colocamos os interesses das pessoas desse país em primeiro lugar, de todas as pessoas, em especial aquelas que mais precisam”.

Foram entregues 560 unidades do Residencial Água da Grama e 384 unidades do Residencial Três Américas II. Os empreendimentos, destinados a famílias com renda de até R$ 1,6 mil, receberam investimentos de R$ 34,7 milhões e 23,8 milhões, respectivamente, com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR).

“Quero dizer para vocês que é sempre emocionante participar de uma entrega das chaves, porque sei que a pessoa consegue a chave e entra numa esperança porque entra numa nova vida, num caminho de esperança (…) Essa emoção é uma que, a todos nós, honra e orgulha, porque mostra que a gente está em um caminho correto”.

A Advocacia-Geral da União (AGU) e a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) lançaram, nesta terça-feira (24), a cartilha “Condutas Vedadas aos Agentes Públicos Federais em Eleições”, que reúne as normas e as orientações para evitar atos indevidos ou que interfiram na lisura do processo eleitoral de 2014. O Advogado-Geral da União substituto, Fernando Luiz Albuquerque Faria, explica quais condutas são vedadas aos agentes públicos, as penalidades e a abrangência da legislação que trata da matéria. Ele foi um dos palestrantes do seminário “Em ano de eleição, a regra é clara”, realizado nesta terça-feira no Palácio do Planalto.

Qual o papel da AGU na edição da cartilha?

A AGU, em virtude das suas competências constitucionais, presta assessoria e consultoria jurídica ao Poder Executivo. Na medida em que a Instituição tem essa função, ela também assessora e orientar o Poder Executivo e os agentes públicos desse poder sobre atos que podem ser enquadrados como vedados pela legislação eleitoral. Preventivamente, a ideia da Advocacia-Geral da União é que essa cartilha seja um documento de orientação geral aos agentes públicos. É importante registrar que é um trabalho em conjunto com outros órgãos, cabendo destacar a Subchefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil, o Centro de Ética Pública, a Comissão de Ética Pública, todos da Presidência da República, além do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e a própria Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, que é nossa parceira no lançamento da cartilha.

Qual princípio básico das condutas vedadas aos agentes públicos durante as eleições?

O princípio básico que deve nortear os agentes públicos neste período de pleito eleitoral está disposto no artigo 73 da Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997) cujo teor determina que todos eles devem evitar a pratica de condutas que sejam tendentes a afetar a isonomia da disputa entre os candidatos. É importante dizer que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) entende que aquelas condutas vedadas previstas na legislação têm uma presunção de afetar essa igualdade de oportunidades. Então, para configurar esses atos como ilícito não é necessário demonstrar o desequilíbrio entre candidatos, ou seja, que algum deles foi beneficiado por práticas de agentes públicos e com isso conseguiu ser eleito. Além disso, para o TSE, embora não seja necessária a prova da quebra dessa isonomia, existem duas condutas descritas que precisam de demonstração que os atos foram em favor de candidatos, partidos ou coligação. São elas a utilização indevida de bens, imóveis ou móveis públicos e o uso promocional indevido da distribuição gratuita de bens e serviços públicos custeados pelo Estado. Para essas condutas deve haver a demonstração de que os atos foram em favor dos candidatos, partidos ou coligação para serem classificadas como ato ilícito eleitoral.

Confira a íntegra:

http://blog.planalto.gov.br/agu-explica-condutas-vedadas-aos-agentes-publicos-em-ano-eleitoral/#more-67641

A presidenta Dilma Rousseff afirmou, em sua conta no Twitter, que as famílias despejadas em 2012 do terreno conhecido como Pinheirinho terão a partir de hoje a chance de recomeçar a vida com dignidade. Dilma está em São José dos Campos (SP) para assinar ordem de serviço para o início da das obras do Residencial Pinheirinho, que vai atender as famílias despejadas em 2012.

“O despejo das famílias da comunidade do Pinheirinho, em São José dos Campos, em 22/01/2012, nunca será esquecido. Sabemos que o diálogo é fundamental numa democracia porque cria consensos e permite a garantia de direitos. Hoje um novo Pinheirinho está surgindo no horizonte. Estou em São José dos Campos para o início das obras do Residencial Pinheirinho. Serão 1.700 moradias em área regularizada, com todos os serviços públicos. Casas que vão proporcionar a cada família a oportunidade de recomeçar a vida com dignidade”.

O Residencial Pinheirinho dos Palmares vai beneficiar famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil e será composto por casas térreas, com área privativa de 46,50m², divididas em dois quartos, circulação, sala, banheiro, cozinha e área de serviço externa, com piso cerâmico em todos os ambientes.

“Foi a partir do diálogo com o movimento social e entre os governos federal, estadual e municipal que somamos recursos para os residenciais Pinheirinho. Escreveremos juntos essa história. Os moradores do Pinheirinho, com sua determinação e força; nós, do governo, com a mobilização de recursos e políticas que garantem o direito à moradia”, disse a presidenta.

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira (25), em São José dos Campos (SP), que um novo Pinheirinho está surgindo no horizonte com o início das obras para a construção de 1.700 casas do Residencial Pinheirinho dos Palmares. O empreendimento vai beneficiar as famílias da comunidade do Pinheirinho que foram despejadas em 2012.
“Esse novo Pinheirinho vai ser construído aqui nesse terreno (…) teremos 1.700 casas regularizadas, com todos os serviços públicos. Casas que vão proporcionar, a cada uma das famílias que virão morar aqui, a oportunidade de recomeçar a vida. Recomeçar a vida com essa dignidade que vocês demonstraram, ao lutar pela moradia de cada um de vocês, de recomeçar a vida sem os sobressaltos que por anos marcaram a vida de vocês”.

Dilma elogiou as famílias do Pinheirinho pela perseverança na busca pela casa própria. Segundo a presidenta, a casa própria não é um privilégio, mas sim um direito de todos. Com investimento superior a R$ 140,25 milhões, com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial, o empreendimento será composto por casas térreas, com área privativa de 46,50m², divididas em dois quartos, circulação, sala, banheiro, cozinha e área de serviço externa, com piso cerâmico em todos os ambientes.

“Quero dizer para as famílias do Pinheirinho. Quando vocês, daqui a um ano, entrarem na casa de vocês, entrem de cabeça erguida. Vocês não devem essa casa a ninguém, nem a mim, não devem ao governo federal, ao governo estadual nem à prefeitura. Essa casa vem primeiro, do dinheiro arrecadado do povo brasileiro. Segundo, vem também da luta de vocês. Vocês conquistaram essa casa. Vocês têm direito a ela, é uma questão de cidadania e é assim que o povo do Brasil tem de ser tratado”.

Na nossa sugestão de leitura de hoje alguns textos do site Correio do Brasil. Vale a pena conferir:

Dilma segue em agenda positiva enquanto oposição se debate por CPI – No primeiro de uma série de eventos marcados para esta semana, a presidenta Dilma Rousseff assinou, nesta terça-feira, um contrato para construção de moradias aos sem-teto, expulsos pela Polícia Militar paulista do assentamento de Pinheirinho, em 2012. Dilma relembrou, em sua conta no Twitter, a ação truculenta da Tropa de Choque do governo do Estado de São Paulo em janeiro de 2012 ao despejar cerca de 1,5 mil famílias do bairro de Pinheirinho, em São José dos Campos. “O despejo das famílias da comunidade do #Pinheirinho, em S. José dos Campos, em 22/01/2012, nunca será esquecido”, escreveu Dilma.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/dilma-segue-em-agenda-positiva-enquanto-oposicao-se-debate-por-cpi/693865/

Agência classificada como ‘estelionatária’ reduz notas de 13 bancos brasileiros – A agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P), caracterizada como ‘estelionatária’ por um dos mais renomados economistas brasileiros, Luiz Gonzaga Belluzzo, voltou a alertar aos investidores quanto à redução na capacidade de empresas, no país, de cumprir com os seus compromissos financeiros. A agência reduziu a nota de crédito, em escala global, de 13 instituições financeiras nacionais, em função do rebaixamento da nota soberana do país, anunciada no último dia 24.

http://correiodobrasil.com.br/ultimas/agencia-classificada-como-estelionataria-reduz-notas-de-13-bancos-brasileiros/693912/

A Anistia, o STF, Amarildo e Dona Claudia Ferreira: elos da história! – A decisão dos nossos juízes anistiou previamente, por ausência de sentido de justiça e ignorância de nossa história, aqueles que matariam Amarildo e Claudia. Segundo relatório recentemente publicado pelo Forum Brasileiro de Segurança Pública, a cada dia a polícia brasileira mata cinco pessoas. Da mesma forma, dezenas de policiais são mortos nos confrontos com o crime organizado, muitos deles – pessoas honradas – abatidos de forma desigual pelo tráfico fortemente armado. Outra organização independente, a “Human Rights Watch”, em relatório também deste ano, denunciou a sistematicidade da tortura nas prisões brasileiras, ressaltando que mesmo sob a custódia de um Estado (de Direito), a tortura é uma realidade cotidiana no Brasil.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/opiniao/a-anistia-o-stf-amarildo-e-dona-claudia-ferreira-elos-da-historia/693980/

Ausência de Silvio Santos bota pavor no SBT – A ausência de Silvio Santos, há quase quatro meses nos Estados Unidos, tem provocado preocupações em setores do SBT. Em condições normais, ele já teria retomado o seu trabalho, como sempre aconteceu entre fevereiro e março, durante ou logo depois do Carnaval. Não fosse por outros motivos, o seu programa ainda é uma das maiores audiências de toda grade e já não existem gravações inéditas suficientes para aguentar muito tempo.

http://correiodobrasil.com.br/ultimas/ausencia-de-silvio-santos-bota-pavor-no-sbt/693879/

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2014/03/27/trabalhando-com-poesia-606

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta feira abençoada por Deus, coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Serenata – Cecília Meireles

” … Permita que eu feche os meus olhos,
pois é muito longe e tão tarde!
Pensei que era apenas demora,
e cantando pus-me a esperar-te.
Permite que agora emudeça:
que me conforme em ser sozinha.
Há uma doce luz no silencio,
e a dor é de origem divina.
Permite que eu volte o meu rosto
para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho
como as estrelas no seu rumo … ”

Personagem – Cecília Meireles

Teu nome é quase indiferente
e nem teu rosto mais me inquieta.
A arte de amar é exactamente
a de se ser poeta.

Para pensar em ti, me basta
o próprio amor que por ti sinto:
és a ideia, serena e casta,
nutrida do enigma do instinto.

O lugar da tua presença
é um deserto, entre variedades:
mas nesse deserto é que pensa
o olhar de todas as saudades.

Meus sonhos viajam rumos tristes
e, no seu profundo universo,
tu, sem forma e sem nome, existes,
silêncio, obscuro, disperso.

Teu corpo, e teu rosto, e teu nome,
teu coração, tua existência,
tudo – o espaço evita e consome:
e eu só conheço a tua ausência.

Eu só conheço o que não vejo.
E, nesse abismo do meu sonho,
alheia a todo outro desejo,
me decomponho e recomponho.
É Preciso Não Esquecer Nada
É preciso não esquecer nada:
nem a torneira aberta nem o fogo aceso,
nem o sorriso para os infelizes
nem a oração de cada instante.

É preciso não esquecer de ver a nova borboleta
nem o céu de sempre.

O que é preciso é esquecer o nosso rosto,
o nosso nome, o som da nossa voz, o ritmo do nosso pulso.

O que é preciso esquecer é o dia carregado de atos,
a idéia de recompensa e de glória.

O que é preciso é ser como se já não fôssemos,
vigiados pelos próprios olhos severos conosco,
pois o resto não nos pertence.

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Trabalhando com Poesia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s