Trabalhando com Poesia

“… Amou daquela vez como se fosse a última, beijou sua mulher como se fosse a última e, cada filho seu como se fosse o único e, atravessou a rua com seu passo tímido, subiu a construção como se fosse máquina… Ergueu no patamar quatro paredes sólidas, tijolo com tijolo num desenho mágico, seus olhos embotados de cimento e lágrima, sentou pra descansar como se fosse sábado… Comeu feijão com arroz como se fosse um príncipe, bebeu e soluçou como se fosse um náufrago, dançou e gargalhou como se ouvisse música e, tropeçou no céu como se fosse um bêbado e, flutuou no ar como se fosse um pássaro e, se acabou no chão feito um pacote flácido, agonizou no meio do passeio público, morreu na contramão atrapalhando o tráfego… Amou daquela vez como se fosse o último, beijou sua mulher como se fosse a única e, cada filho seu como se fosse o pródigo e, atravessou a rua com seu passo bêbado… Subiu a construção como se fosse sólido, ergueu no patamar quatro paredes mágicas, tijolo com tijolo num desenho lógico, seus olhos embotados de cimento e tráfego, sentou pra descansar como se fosse um príncipe… Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo, bebeu e soluçou como se fosse máquina, dançou e gargalhou como se fosse o próximo e, tropeçou no céu como se ouvisse música e, flutuou no ar como se fosse sábado e, se acabou no chão feito um pacote tímido, agonizou no meio do passeio náufrago, morreu na contramão atrapalhando o público… Amou daquela vez como se fosse máquina, beijou sua mulher como se fosse lógico, ergueu no patamar quatro paredes flácidas, sentou pra descansar como se fosse um pássaro e, flutuou no ar como se fosse um príncipe e, se acabou no chão feito um pacote bêbado, morreu na contramão atrapalhando o sábado… Por esse pão pra comer, por esse chão pra dormir, a certidão pra nascer e a concessão pra sorrir, por me deixar respirar, por me deixar existir… Deus lhe pague… Pela cachaça de graça que a gente tem que engolir, pela fumaça e a desgraça, que a gente tem que tossir, pelos andaimes pingentes que a gente tem que cair… Deus lhe pague… Pela mulher carpideira pra nos louvar e cuspir e, pelas moscas bicheiras a nos beijar e cobrir e, pela paz derradeira que enfim vai nos redimir… Deus lhe pague…” (Chico Buarque – Construção – Comp.: Chico Buarque)

“… Agora eu era o herói e o meu cavalo só falava inglês, a noiva do cowboy, era você além das outras três… Eu enfrentava os batalhões, os alemães e seus canhões, guardava o meu bodoque e ensaiava o rock para as matinês… Agora eu era o rei, era o bedel e era também juiz e, pela minha lei, a gente era obrigado a ser feliz… E você era a princesa que eu fiz coroar e, era tão linda de se admirar, que andava nua pelo meu país… Não, não fuja não, finja que agora eu era o seu brinquedo, eu era o seu pião, o seu bicho preferido… Vem, me dê a mão, a gente agora já não tinha medo, no tempo da maldade acho que a gente nem tinha nascido… Agora era fatal que o faz-de-conta terminasse assim, pra lá deste quintal, era uma noite que não tem mais fim… Pois você sumiu no mundo sem me avisar e, agora eu era um louco a perguntar: O que é que a vida vai fazer de mim?…” (Chico Buarque, Sivuca e Nara Leão – João e Maria – Comp.: Chico Buarque / Sivuca)

“… Amanhã vai ser outro dia… Amanhã vai ser outro dia… Amanhã vai ser outro dia… Amanhã vai ser outro dia… Hoje você é quem manda, falou, tá falado, não tem discussão, não! A minha gente hoje anda falando de lado e olhando pro chão, viu… Você que inventou esse estado e inventou de inventar toda a escuridão, você que inventou o pecado esqueceu-se de inventar o perdão… Apesar de você, amanhã há de ser outro dia… Eu pergunto a você, onde vai se esconder da enorme euforia?… Como vai proibir quando o galo insistir em cantar? Água nova brotando e a gente se amando sem parar… Quando chegar o momento, esse meu sofrimento, vou cobrar com juros, juro… Todo esse amor reprimido, esse grito contido, este samba no escuro… Você que inventou a tristeza, ora, tenha a fineza de desinventar… Você vai pagar e é dobrado, cada lágrima rolada nesse meu penar… Apesar de você, amanhã há de ser outro dia… Inda pago pra ver, o jardim florescer, qual você não queria… Você vai se amargar, vendo o dia raiar, sem lhe pedir licença… E eu vou morrer de rir, que esse dia há de vir, antes do que você pensa… Apesar de você, amanhã há de ser outro dia… Você vai ter que ver a manhã renascer e esbanjar poesia… Como vai se explicar, vendo o céu clarear, de repente, impunemente?… Como vai abafar nosso coro a cantar na sua frente?… Apesar de você, amanhã há de ser outro dia… Você vai se dar mal, Etc. e tal… Lá lá lá lá laiá …” (Chico Buarque –Apesar de você – Comp.: Chico Buarque)

“Deus nos guia sempre, dando-nos a orientação de nossa vida. Mas precisamos ser receptivos, para ouvir sua voz, sabendo a interpretar, através das circunstâncias que cercam nossa vida, levando-nos ao maior progresso espiritual do nosso ser. Procure meditar silenciosa mente, para ouvir a voz de Deus, que o guia, sem jamais abandoná-lo.” (Minutos de Sabedoria Pg. 073)

Bom dia pessoal,

Despediu-se ontem da equipe da Casa Civil e de sua missão no Governo do Estado da Bahia o companheiro Rui Costa, que reassume o cargo de Deputado Federal e dedica-se, a partir de hoje à missão a ele delegada pelo Partido dos Trabalhadores e partidos aliados. O nosso desejo de sucesso a Rui em sua nova caminhada, que os caminhos a sua frente sejam abertos e de luz. Estaremos juntos nesta tarefa. Valeu companheiro!

A presidenta Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira (31), ao referir-se ao golpe militar de 1964, que o dia de hoje exige que nos lembremos e contemos o que aconteceu. Dilma lembrou que 50 anos atrás o Brasil deixou de ser um país de instituições ativas, independentes e democráticas e que por 21 anos nossa liberdade e nossos sonhos foram calados, mas que graças ao esforço de todas as lideranças do passado, dos que vivem e dos que morreram, foi possível ultrapassar os 21 anos de ditadura.

“O dia de hoje exige que lembremos e contemos o que aconteceu. Devemos isso a todos que morreram e desapareceram, aos torturados e perseguidos, a suas famílias, a todos os brasileiros. Lembrar e contar faz parte de um processo muito humano, desse processo que iniciamos com as lutas do povo brasileiro, pela anistia, Constituinte, eleições diretas, crescimento com inclusão social, Comissão Nacional da Verdade, todos os processos de manifestação e democracia que temos vivido ao longo das últimas décadas. Um processo que foi construído passo a passo, durante cada um dos governos eleitos depois da ditadura”.

Dilma afirmou que o Brasil aprendeu o valor da liberdade, de Legislativo e Judiciário independentes e ativos, da liberdade de imprensa, do voto secreto, de eleger governadores, prefeitos, um exilado, um líder sindical, que foi preso várias vezes, e uma mulher também que foi prisioneira.

“A grande Hannah Arendt escreveu um dia que toda dor humana pode ser suportada se sobre ela puder ser contada uma história. A dor que nós sofremos, as cicatrizes visíveis e invisíveis que ficaram nesses anos, elas podem ser suportadas e superadas porque hoje temos uma democracia sólida e podemos contar nossa história. Como eu disse, nesse Palácio, repito, há quase dois anos atrás, quando instalamos a Comissão da Verdade, eu disse: se existem filhos sem pais, se existem pais sem túmulos, se existem túmulos sem corpos, nunca, nunca, mas nunca mesmo, pode existir uma história sem voz. E quem da voz à história são os homens e as mulheres livres que não têm medo de escrevê-la. E acrescento: quem dá voz à história somos cada um de nós”.

A presidenta Dilma Rousseff manifestou apoio nesta segunda (31), em sua conta no Twitter, à jornalista Nana Queiroz e às mulheres ameaçadas ou vítimas de violência.

Nana Queiroz organizou o protesto #NãoMereçoSerEstuprada após divulgação de pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que revelou que quase três quintos (58%) dos 3.810 entrevistados em 212 cidades entre maio e junho de 2013 responderam que “se as mulheres soubessem se comportar, haveria menos estupros”.

“A jornalista Nana Queiroz se indignou com os dados da pesquisa do Ipea sobre o machismo na nossa sociedade. Por ter se manifestado nas redes contra a cultura de violência contra a mulher, a jornalista foi ameaçada de estupro. Organizadora do protesto #NãoMereçoSerEstuprada, Nana Queiroz merece toda a minha solidariedade e respeito. Nenhuma mulher merece ser vítima de violência, seja física ou sob a forma de ameaça. O governo e a lei estão do lado de Nana Queiroz e das mulheres ameaçadas ou vítimas de violência”.

A presidenta Dilma Rousseff afirmou neste sábado (29), durante sessão inaugural da LV Reunião Anual da Assembleia de Governadores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que acontece na Costa do Sauípe, na Bahia, que a realidade desmentirá julgamentos apressados e conclusões precipitadas sobre a economia brasileira.

“Estamos convencidos da absoluta necessidade de preservar a solidez dos fundamentos macroeconômicos (…) Este compromisso não será alterado. Tampouco nos abalaremos com julgamentos apressados e por conclusões precipitadas, que a realidade desmentirá. Todos sabemos que, em economia, a realidade sempre se impõe. Em alguns momentos, expectativas, especulações, avaliações subjetivas e até mesmo interesses políticos podem obscurecer a visão objetiva dos fatos”.

Dilma afirmou que o governo continuará agindo para manter o país no rumo certo, sem abdicar, em nenhum momento, do compromisso fundamental com a solidez da economia e com a inclusão e o desenvolvimento social e ambiental do país. A presidenta lembrou que nos últimos 10 anos a taxa de inflação se manteve rigorosamente dentro dos limites estabelecidos pelo Conselho Monetário Nacional e garantiu que assim também será em 2014.

No discurso, a presidenta disse ainda que as reservas internacionais estão em mais de 370 bilhões de dólares, o que proporciona um lastro confortável e seguro para enfrentar qualquer volatilidade, e que nos últimos 12 meses o país recebeu mais de 65,8 bilhões de dólares em investimentos estrangeiros diretos.

“Em 2014, faremos novas concessões, ampliando ainda mais nossa parceria com o setor privado em investimentos em infraestrutura logística e energia e infraestrutura urbana. O Brasil tem ainda inúmeros desafios para enfrentar e superar e haverá sempre novos obstáculos a serem removidos. Podemos, contudo, nos orgulhar de ter construído um caminho para o desenvolvimento, o que nos permite dizer, que o Brasil vai muito bem, e irá ainda melhor”.
A presidenta afirmou que o Brasil se tornou um país menos desigual, mais inclusivo, gerador de empregos e de oportunidades para os cidadãos.

“O Brasil que recebe esta reunião é radicalmente distinto do existente há 11 anos. Retiramos 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza, 22 milhões dos quais nos últimos três anos e meio. Propiciamos a ascensão de 42 milhões de pessoas à classe média, que, hoje, representa no Brasil, só a classe média, 55% da população. A renda per capita familiar subiu 78% em 10 anos. Geramos 4 milhões e 800 mil empregos formais e foram, nos ultimos 11 anos, na ultima década, 20 milhões de empregos, fazendo com que alcançássemos hoje o menor índice de desemprego de nossa história”.

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, alguns textos do Site Brasil 247. Vale a pena conferir:

Se Jango fosse impopular em 1964, bastaria esperar a eleição de 1965 e derrotá-lo, Por Eduardo Guimarães – O fato é que esses jornais golpistas fogem até hoje da verdade sobre o que praticaram àquela época. E a verdade está sendo escrita na Comissão da Verdade, que encerrará seus trabalhos no fim deste ano. Em 31 de março de 2014, com exatos 50 anos de atraso a esquerda invadiu o local que sediou o Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-CODI), órgão subordinado ao Exército, de inteligência e repressão do governo brasileiro durante o regime inaugurado com o golpe de 31 de março de 1964.
.
http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/135143/Se-Jango-fosse-impopular-em-1964-bastaria-esperar-a-elei%C3%A7%C3%A3o-de-1965-e-derrot%C3%A1-lo.htm

Dilma: “por 21 anos nossos sonhos foram calados” – Em discurso em Brasília, presidente afirmou que “o dia de hoje exige que nos lembremos e contemos o que aconteceu”, ao se referir ao golpe militar de 1964; “Devemos isso a todos os que morreram e desapareceram, aos torturados e perseguidos, às suas famílias, a todos os brasileiros”; Dilma Rousseff, ela própria presa e torturada durante a ditadura, disse que “por 21 anos, nossa liberdade, nossos sonhos foram calados”, mas relembrou de “todos os processos de manifestação e democracia que temos vivido ao longo das últimas décadas”

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/135092/Dilma-%E2%80%9Cpor-21-anos-nossos-sonhos-foram-calados%E2%80%9D.htm

Cardozo pede desculpas pelos crimes da ditadura – Ministro da Justiça disse ter o “dever constitucional” de pedir perdão às pessoas atingidas pela ditadura; “o ministro da Justiça tem o dever de pedir desculpas pelo arbítrio, pelo abuso, e assegurar que a memória daqueles que foram ofendidos seja restaurada e resgatada”; segundo José Eduardo Cardozo, que deu as declarações durante o ato “Para não repetir – 50 anos do golpe militar” na sede da OAB, em Brasília, o fato de um ministro da Justiça pedir desculpas em nome do Estado “é algo que mostra um novo tempo”…

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/135117/Cardozo-pede-desculpas-pelos-crimes-da-ditadura.htm

Fiscais param Itaquerão. Abertura da Copa em risco – Situação da Arena Corinthians, onde está previsto o jogo de abertura da Copa do Mundo no Brasil, se torna, cada dia, mais insustentável; depois da morte de um operário que trabalhava na obra no último final de semana, auditores fiscais da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de São Paulo interditaram, na noite desta segunda (31), a montagem das arquibancadas provisórias; trabalho estará paralisado até que sejam instaladas proteções coletivas contra queda de trabalhadores que atuam em locais altos; 100 operários devem cruzar os braços; o que dirão agora Marcelo Odebrecht, e Andres Sanchez, que pilotam a obra, para o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke?

http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/135151/Fiscais-param-Itaquer%C3%A3o-Abertura-da-Copa-em-risco.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2014/04/01/trabalhando-com-poesia-609

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Terça-feira abençoada por Deus.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

ESCREVE-ME… – Florbela Espanca

Escreve-me! Ainda que seja só
Uma palavra, uma palavra apenas,
Suave como o teu nome e casta
Como um perfume casto d’açucenas!
Escreve-me! Há tanto, há tanto tempo
Que te não vejo, amor! Meu coração
Morreu já, e no mundo aos pobres mortos
Ninguém nega uma frase d’oração!
“Amo-te!” Cinco letras pequeninas,
Folhas leves e tenras de boninas,
Um poema d’amor e felicidade!
Não queres mandar-me esta palavra apenas?
Olha, manda então… brandas… serenas…
Cinco pétalas roxas de saudade…

SER POETA – Florbela Espanca

Ser Poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!
É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!
É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim…
É condensar o mundo num só grito!
E é amar-te, assim, perdidamente…
É seres alma e sangue e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda gente!

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s