Trabalhando com Poesia

“… É a sua vida que eu quero bordar na minha, como se eu fosse o pano e você fosse a linha… E a agulha do real nas mãos da fantasia, fosse bordando ponto a ponto nosso dia-a-dia… E fosse aparecendo aos poucos nosso amor, os nossos sentimentos loucos, nosso amor… O zig-zag do tormento, as cores da alegria, a curva generosa da compreensão, formando a pétala da rosa, da paixão… A sua vida o meu caminho, nosso amor, você a linha e eu o linho, nosso amor, nossa colcha de cama, nossa toalha de mesa, reproduzidos no bordado, a casa, a estrada, a correnteza, o sol, a ave, a árvore, o ninho da beleza… É a sua vida que eu quero bordar na minha, como se eu fosse o pano e você fosse a linha… E a agulha do real nas mãos da fantasia, fosse bordando ponto a ponto nosso dia-a-dia… E fosse aparecendo aos poucos nosso amor, os nossos sentimentos loucos, nosso amor… O zig-zag do tormento, as cores da alegria, a curva generosa da compreensão, formando a pétala da rosa, da paixão… A sua vida o meu caminho, nosso amor, você a linha e eu o linho, nosso amor, nossa colcha de cama, nossa toalha de mesa, reproduzidos no bordado, a casa, a estrada, a correnteza, o sol, a ave, a árvore, o ninho da beleza…” (Gilberto Gil – A linha e o linho – Comp.: Gilberto Gil)

“… Uma lata existe para conter algo, mas quando o poeta diz: “Lata”, pode estar querendo dizer o incontível… Uma meta existe para ser um alvo, mas, quando o poeta diz: “Meta”, pode estar querendo dizer o inatingível… Por isso, não se meta a exigir do poeta, que determine o conteúdo em sua lata. Na lata do poeta tudo, nada cabe, pois ao poeta cabe fazer com que na lata venha caber o incabível… Deixe a meta do poeta, não discuta. Deixe a sua meta fora da disputa, meta dentro e fora, lata absoluta, deixe-a simplesmente metáfora… Uma lata existe para conter algo, mas quando o poeta diz: “Lata”, pode estar querendo dizer o incontível… Uma meta existe para ser um alvo, mas, quando o poeta diz: “Meta”, pode estar querendo dizer o inatingível… Por isso, não se meta a exigir do poeta, que determine o conteúdo em sua lata. Na lata do poeta tudo, nada cabe, pois ao poeta cabe fazer com que na lata venha caber o incabível… Deixe a meta do poeta, não discuta. Deixe a sua meta fora da disputa, meta dentro e fora, lata absoluta, deixe-a simplesmente metáfora…” (Gilberto Gil – metáfora – Comp.: Gilberto Gil)

“… Há de surgir uma estrela no céu cada vez que você sorrir… Há de apagar uma estrela no céu cada vez que você chorar… O contrário também bem que pode acontecer, de uma estrela brilhar quando a lágrima cair, ou então de uma estrela cadente se jogar, só pra ver a flor do seu sorriso se abrir… Hum! Deus fará absurdos, contanto que a vida seja assim… Sim, um altar, onde a gente celebre tudo o que ele consentir… Há de surgir uma estrela no céu cada vez que você sorrir… Há de apagar uma estrela no céu cada vez que você chorar… O contrário também bem que pode acontecer, de uma estrela brilhar quando a lágrima cair, ou então de uma estrela cadente se jogar, só pra ver a flor do seu sorriso se abrir… Hum! Deus fará absurdos, contanto que a vida seja assim… Sim, um altar, onde a gente celebre tudo o que ele consentir…” (Gilberto Gil – estrela – Comp.: Gilberto Gil)

“… Um dia, vivi a ilusão de que ser homem bastaria, que o mundo masculino tudo me daria, do que eu quisesse ter… Que nada, minha porção mulher que até então se resguardara, é a porção melhor que trago em mim agora, é o que me faz viver… Quem dera, pudesse todo homem compreender, ó mãe, quem dera, ser o verão no apogeu da primavera, e só por ela ser… Quem sabe, o super-homem venha nos restituir a glória, mudando como um Deus o curso da história, por causa da mulher… Quem sabe, o super-homem venha nos restituir a glória, mudando como um Deus o curso da história, por causa da mulher…” (Gilberto Gil – Super homem, a canção – Comp.: Gilberto Gil)

“…Não me iludo, tudo permanecerá do jeito que tem sido, transcorrendo, transformando, tempo e espaço navegando todos os sentidos… Pães de Açúcar, Corcovados, fustigados pela chuva e pelo eterno vento… Água mole, pedra dura, tanto bate que não restará nem pensamento… Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Transformai as velhas formas do viver. Ensinai-me Oh Pai! O que eu, ainda não sei, Mãe Senhora do Perpétuo socorrei!… Pensamento! Mesmo o fundamento singular do ser humano, de um momento, para o outro poderá não mais fundar nem gregos, nem baianos… Mães zelosas, pais corujas, vejam como as águas de repente ficam sujas… Não se iludam, não me iludo, tudo agora mesmo pode estar por um segundo… Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Transformai as velhas formas do viver. Ensinai-me Oh Pai! O que eu, ainda não sei, Mãe Senhora do Perpétuo socorrei!… Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Transformai as velhas formas do viver. Ensinai-me Oh Pai! O que eu, ainda não sei, Mãe Senhora do Perpétuo socorrei!…” (Gilberto Gil – Tempo rei – Comp.: Gilberto Gil)

“… Se eu quiser falar com Deus, tenho que ficar a sós, tenho que apagar a luz, tenho que calar a voz… Tenho que encontrar a paz, tenho que folgar os nós dos sapatos, da gravata, dos desejos, dos receios, tenho que esquecer a data, tenho que perder a conta, tenho que ter mãos vazias, ter a alma e o corpo nus… Se eu quiser falar com Deus, tenho que aceitar a dor, tenho que comer o pão que o diabo amassou… Tenho que virar um cão, tenho que lamber o chão dos palácios, dos castelos suntuosos do meu sonho, tenho que me ver tristonho, tenho que me achar medonho e apesar de um mal tamanho, alegrar meu coração… Se eu quiser falar com Deus, tenho que me aventurar, tenho que subir aos céus, sem cordas pra segurar… Tenho que dizer adeus, dar as costas, caminhar decidido, pela estrada, que ao findar vai dar em nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, nada, do que eu pensava encontrar…” (Gilberto Gil – Se eu quiser falar com Deus – Comp.: Gilberto Gil)

Confira outros sucessos de Gilberto Gil:

“Não diga jamais que é pobre. A pobreza não é falta de dinheiro: a pobreza verdadeira é a falta de compreensão. Todo aquele que compreende a vida, que sabe dizer uma palavra de conforto, que sabe estender a mão compassiva ao que sofre, que sabe distinguir alegria e otimismo, é rico, imensamente rico de bondade, de jamais falta, por mais que você a distribua por milhares de pessoas.” (Minutos de Sabedoria Pg. 086)

Bom dia pessoal,

O “Trabalhando com Poesia” desta sexta feira é dedicado a uma grande amiga, pessoa por quem tenho carinho especial e a quem desejo todas as bênçãos possíveis. Aniversaria nesse 04 de julho a companheira, ex-Deputada Estadual, Prefeita de Lauro de Freitas, Secretária de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza do Estado da Bahia e, com fé em Deus e com a força do povo próxima Deputada Federal Moema Gramacho. Que você siga, minha querida amiga Moema, a sua trajetória vitoriosa, repleta de paz, saúde e de muito sucesso. Que Deus siga te abençoando e cobrindo a sua vida de muitas bênçãos. Feliz Aniversário.

Parabéns Moema. Paz, Saúde e Sucesso nesse novo ano. Feliz Aniversário!

Parabéns Moema. Paz, Saúde e Sucesso nesse novo ano. Feliz Aniversário!

A análise mais crítica da pesquisa divulgada anteontem pelo Instituto Datafolha aponta para o quanto se perdeu em seu ódio a direita e a mídia conservadora desse nosso querido Brasil. A tristeza com que os âncoras do principal telejornal brasileiro ao dissecar esses dados, desde a aprovação do nosso governo, bem como as avaliações da população dos episódios das agressões à Presidenta Dilma (76% de reprovação), a aprovação da copa (60%) ilustram bem essa afirmação. Como bem afirmou Ricardo Kotscho, “Deu zebra: saiu tudo errado para os pregadores apocalípticos da urubuzada midiático-empresarial-partidária”, que disse ainda que “não se deve confundir futebol com política”, mas questiona: “de quem partiu a iniciativa de misturar as coisas e apontar o fracasso da Copa no Brasil como o fracasso do governo petista?”.

Quando se fala das eleições presidenciais, o Datafolha apresenta novos dados, ou antecipa os ajustes das suas inverdades? Ao confirmar os índices da última pesquisa IBOPE, que reitera a possibilidade concreta de triunfo no primeiro turno da nossa presidenta Dilma.

Começam hoje as partidas válidas pelas quartas de final da Copa do Mundo e como deve ser, com dois clássicos. As 13 horas, no Maracanã, confronto de campeões mundiais entre França e Alemanha, decretando qual o próximo super time a voltar para casa mais cedo.

As 17 horas, todos os caminhos nos levam a acompanhar o duelo de sul americanos das quartas de final. Na Arena Castelão a nossa seleção canarinho enfrenta o bom time da Colômbia, detentora até o momento da melhor campanha da copa das copas. Vamos lá Brasil, sou mais você!!

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, alguns textos do site Brasil 247. Vale a pena conferir:

Dilma sai da defensiva: “pagamos a dívida deles”- Animada pela pesquisa Datafolha, que apontou seu crescimento de 34% para 38% das intenções de voto, a presidente Dilma Rousseff faz um duro discurso contra os adversários, durante evento de lançamento da candidatura da senadora Gleisi Hoffmann ao governo do Paraná, nesta quinta-feira (3); “Nossos adversários mentem sistematicamente a nosso respeito. Proponho que nós falemos a verdade sobre eles. Vamos lembrar ao povo o que produziram quando estavam no governo: recessão, desemprego, menos renda, entrega do patrimônio do país. Submeteram o país a receituário imposto pelo capital”, disse…

http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/145642/Dilma-sai-da-defensiva-pagamos-a-d%C3%ADvida-deles.htm

Pesquisa expõe o vexame da imprensa vira-latas – Datafolha que mostra recuperação da presidente Dilma Rousseff e aprovação generalizada à Copa Mundo deveria levar imprensa tradicional a olhar no espelho para analisar sua espetacular derrota diante dos fatos; “Raramente a imprensa hegemônica de um país se vê confrontada tão cruamente com um erro monumental, de sua exclusiva responsabilidade”, assinala, em artigo, jornalista Ricardo Amaral; “Sociedade brasileira foi conduzida à descrença, ao mau humor e à crítica sem fundamento”…


http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/145632/Pesquisa-exp%C3%B5e-o-vexame-da-imprensa-vira-latas.htm

“Quem cresceu mais do que o Brasil? Pouquíssimos” – Em entrevista a correspondentes internacionais em São Paulo, ex-presidente Lula admitiu não estar satisfeito com o crescimento do Brasil, mas afirmou não ver necessidade de grandes mudanças na política econômica da presidente Dilma Rousseff; “Obviamente o PIB nosso não é o PIB que a gente gostaria”, disse, mas questionou em seguida; “Quando as pessoas acham que o Brasil não cresceu muito nestes últimos quatro anos, a pergunta que faço é: ‘quem cresceu mais do que o Brasil’?”; ele mesmo respondeu, depois da citação de Peru e Chile: “eles são pouquíssimos”; petista também criticou quem acha que precisamos “ter um pouco de desemprego” para derrubar a inflação: “Nós não pensamos assim”…

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/145618/Quem-cresceu-mais-do-que-o-Brasil-Pouqu%C3%ADssimos.htm

Dallari: “é preciso pensar na renovação do STF” – Jurista Dalmo de Abreu Dallari afirma que a chegada do ministro Ricardo Lewandowski à presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) é o momento oportuno para “o começo de uma ampla discussão sobre a renovação da mais alta corte de Justiça do país, para que ela cumpra efetivamente, com rigor ético, firmeza e coerência teórica, independência e serenidade, sua função precípua de guarda da Constituição”…

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/145635/Dallari-%C3%A9-preciso-pensar-na-renova%C3%A7%C3%A3o-do-STF.htm

Ironia suprema: após tanta sabotagem, “Copa das Copas” pode reeleger Dilma – Não faz sentido que Aécio e Eduardo ganhem pontos porque eles estiveram entre os mais vira-latas no que tange a Copa. Garantiram que o Brasil passaria “vergonha”, que as obras não ficariam prontas – Pergunto a você, estimadíssimo leitor: o que mais os grupos político-midiáticos de direita e esquerda que apostaram na Copa de 2014 como meio de desgastar Dilma poderiam ter feito para atingir tal objetivo? Eu diria que fizeram de tudo e mais um pouco…

http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/145595/Ironia-suprema-ap%C3%B3s-tanta-sabotagem-%E2%80%9CCopa-das-Copas%E2%80%9D-pode-reeleger-Dilma.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2014/07/04/trabalhando-com-poesia-622

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma sexta-feira abençoada por Deus e coberta pela paz do Alá de Oxalá! Bom final de semana e até segunda feira.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

ASAS DE OURO – Cruz e Souza

Oh! vinte anos enfim! – Chegas-te ao cume
Da glória e mais do amor – desses carinhos
Que a alma recebe no frescor dos ninhos
Nos roseirais abertos em perfume.
Deus te estrele de sonhos em cardume
Essa cabeça doce como arminhos
E te gorjeiem muitos passarinhos
Dos teus olhos leais no vivo lume.
Bom dia, jovem rei! Noivo aloirado
Da primavera que auroresce o prado
Noivo da mocidade e da alegria.
Uma chuva de trêmulos canários
Flavos, trinantes, vindos de céus vários
Vá ao teu quarto gorjear: Bom dia!
Regeneração

O QUE É O INFERNO – Cruz e Souza

Sentir as ilusões, puras e belas,
inteiramente mortais e perdidas,
como um milhão simpático de vidas
iluminadas, doces todas elas;
Sentir murchar, como as gentis capelas
da virgindade as crenças tão floridas,
mandando o olhar às tristes avenidas
de uma existência rica de procelas;
Erguer do chão, às vezes, a migalha
de algum consolo envolto na mortalha
de uma ironia, de um sarcasmo eterno!
Entrar em vida num sepulcro mudo,
sem um lar, sem amor, sem luz, sem tudo,
só isso e nada mais é que é inferno.

Saiba mais sobre o Poeta Cruz e Souza:


http://fcc.sc.gov.br/cruzesousa/

http://fcc.sc.gov.br/cruzesousa/cruzesousa_vol1_poesia.pdf

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s