Trabalhando com Poesia

“… Sabe o que eu queria agora, meu bem? Sair, chegar lá fora e encontrar alguém, que não me dissesse nada, não me perguntasse nada também… Que me oferecesse um colo, um ombro, onde eu desaguasse todo desengano… Mas a vida anda louca, as pessoas andam tristes, meus amigos são amigos de ninguém… Sabe o que eu mais quero agora, meu amor? Morar no interior do meu interior, pra entender porque se agridem, se empurram pro abismo, se debatem, se combatem sem saber… Meu amor, deixa eu chorar até cansar, me leve pra qualquer lugar, aonde Deus possa me ouvir… Minha dor, eu não consigo compreender, eu quero algo pra beber, me deixe aqui, pode sair… Sabe o que eu mais quero agora, meu amor? Morar no interior do meu interior, pra entender porque se agridem, se empurram pro abismo, se debatem, se combatem sem saber… Meu amor, deixa eu chorar até cansar, me leve pra qualquer lugar, aonde Deus possa me ouvir… Minha dor, eu não consigo compreender, eu quero algo pra beber, me deixe aqui, pode sair… Adeus…” (Vander Lee – Aonde Deus possa me ouvir – Comp.: Vander Lee)

“… Aquele jeito que você me olhou, varreu meu pensamento, todas as coisas saíram do chão, eu me esqueci de tudo, antes que eu me desse conta, já era seu meu querer… Foi como o sol que desponta, numa montanha dourada, na terra do faz de conta, pra me banhar de prazer… Mas o vazio que você deixou, no meu apartamento, quase transbordou meu coração, meu mundo ficou mudo, você foi pra tão distante e eu quero tanto te ver… Por isso não se espante se numa noite bela, aquela estrela brilhante em sua janela bater… Por isso não se espante se numa noite bela, aquela estrela brilhante em sua janela bater… Mas o vazio que você deixou, no meu apartamento, quase transbordou meu coração, meu mundo ficou mudo, você foi pra tão distante e eu quero tanto te ver… Por isso não se espante se numa noite bela, aquela estrela brilhante em sua janela bater… Por isso não se espante se numa noite bela, aquela estrela brilhante em sua janela bater…” (Vander Lee – Aquela estrela – Comp.: Vander Lee)

“… O dedo invisível do tempo, modelando nosso destino, no barro da vida é um velho, girando, virando menino… Sonhando sons, criando asas e as asas pisando o céu, entrando e saindo das casas, brincando qual pipa de papel… Driblando dragões e cometas e, contando histórias pra lua, brincando de roda com os planetas, bem ali, na porta da rua… E a tarde fugindo sem pressa, na velha cidade da luz, presente no sol que atravessa, futura na estrela que conduz… O dedo invisível do tempo, modelando nosso destino, no barro da vida é um velho, girando, virando menino… Sonhando sons, criando asas e as asas pisando o céu, entrando e saindo das casas, brincando qual pipa de papel… Driblando dragões e cometas e, contando histórias pra lua, brincando de roda com os planetas, bem ali, na porta da rua… E a tarde fugindo sem pressa, na velha cidade da luz, presente no sol que atravessa, futura na estrela que conduz… ” (Vander Lee – O dedo do Tempo no barro da vida – Comp.: Vander Lee)

“…A moça diante do espelho, pôs laço vermelho em sua calcinha, o velho mostrando cansaço, deixava espaço pro novo que vinha… O pai que brincava com o filho, teve a paciência que há muito não tinha, a mulher debaixo da ponte banhou-se na fonte, sentiu-se rainha… O guarda guardou a espingarda, livrou-se da farda, ficou à paisana, o larapio não roubou no troco da agua de coco e do caldo de cana… Madame desceu do tamanco, também vestiu branco e foi pra caravana, tão cheia de seu desengano esperar mais um ano em Copacabana… Saiam de tantos lugares, das casas, dos bares e dos edifícios… Dezenas, centenas, milhares, dos morros dos mares, cadeias e hospícios… Novenas seguindo sem pressa, fazendo promessa pra vencer os vícios… Deixando pros deuses manjares, usando cocares como sacrifício… E vinham de todos os lados, banidos, suados, ciganos, megeras… Um povo inteiro em polvorosa, cheiro de pólvora na atmosfera… Cortejos de corpos surrados, desejos bordados, planos e quimeras… Eu sempre me vi diferente, vendo aquela gente é que vi que não era… Relógios piscaram mais lentos aos olhos atentos do Cristo Redentor… Cascatas de luz, cataventos de cores, rebentos de paz e calor… Por um segundo não houve, no mundo nem crime nem guerra nem dor… E os anjos brindando em meu rosto, uma lágrima fria com gosto de amor…” (Vander Lee – Onde Deus possa me ouvir – Comp.: Vander Lee)

“Não desanime! Aprenda a começar e a recomeçar! Não se deixe arrastar pela indiferença: se caiu, levante-se e recomece. Se errou, erga-se e recomece. Se não consegue dominar-se, firme sua vontade e recomece. Não desanime jamais! Talvez chegue ao fim da luta cheio de cicatrizes, mas estas se transformarão em luzes, diante do Pai Todo Compassivo.” (Minutos de Sabedoria Pg. 113)

Bom dia pessoal,

O cinema mundial perdeu ontem um dos seus ícones. O ator e comediante Robin Williams morreu aos 63 anos, segundo a polícia de Marin County, Califórnia. Segundo comunicado, a suspeita é de que Williams tenha tirado a própria vida.
“Robin Williams morreu esta manhã. Ele vinha lutando contra a depressão ultimamente”, diz o comunicado oficial divulgado por um membro da equipe do ator. “É uma perda trágica e repentina. A família respeitosamente pede por privacidade para este momento de profundo sofrimento”.

A suspeita é de que a morte tenha sido causada por asfixia. Em nota, a polícia diz que recebeu um chamado telefônico informando que um homem foi encontrado sem respirar e sem responder dentro de uma casa em Tiburon, Califónia. O socorro chegou ao local ao meio dia e o homem foi declarado morto às 12h02 (16h02, no horário Brasília). A vítima foi então identificada como Robin McLaurin Williams. Ainda segundo a nota, Williams foi visto vivo pela última vez pela mulher, cerca de 2 horas antes do chamado. Uma autópsia será feita nesta terça-feira (12).

O último filme de Williams foi “O Que Fazer”, com Peter Dinklage e Melissa Leo, lançado este ano. Ele estava filmando “Uma Noite no Museu 3”.

Ele deixou um filho da primeira relação, Zachary Pim, 31 anos, e dois do segundo casamento, com a babá Marsha Garces, Zelda Rae, 25 anos, e Cody Alan, 22 anos. Ele ainda adotou William Reeve, 22 anos, único filho do casal Diana Reeve e Crhistopher Reeve, de quem Williams sempre foi amigo. Atualmente, ele era casado com a designer Susan Schneider.

“Nesta manhã eu perdi meu marido e meu melhor amigo”, disse a mulher do ator, Susan Schneider, à imprensa norte-americana.

“Rehab”

William se internou este ano novamente em uma clínica de reabilitação. Ele se internou em julho na Hazelden Addiction Treatment Center, em Minnesota, que tem um programa focado em manter a sobriedade a longo prazo. Segundo um assessor do ator, depois de participar da gravação de vários projetos Robin queria se dedicar ao tratamento.
O ator lutou contra os vícios em cocaína e álcool por décadas. Em 2006, ele voltou a procurar uma clínica para tratar o alcoolismo depois de uma recaída que aconteceu após 20 anos de sobriedade.

Conhecido pelos seus papéis famosos, Williams também ficou marcado por um episódio triste e obscuro que aconteceu em 1982, quando seu amigo, o ator John Belushi, foi encontrado morto por overdose de drogas em Los Angeles. Williams e o ator Robert De Niro foram os últimos a estar com Belushi na noite.

Carreira longa

Williams começou sua carreira em 1977 e atuou em vários filmes ao longo destes quases 40 anos. Entre seus filmes mais famosos estão “Bom Dia, Vietnã” (186), “Sociedade dos Poetas Mortos” (1989), “Tempo de Despertar” (1990), “Uma Babá Quase Perfeita” (1993), “Jumanji” (1995), “Patch Adams – O Amor é COntagioso” (1998), “O Homem Bicentenário” (1999), e “Gênio Indomável” (1997).

Ele foi vencedor do Oscar de ator coadjuvante por sua performance no filme “Gênio Indomável” e também ganhou dois prêmios Emmy seis Globos de Ouro, dois prêmios do Screen Actors Guild e cinco Grammys. Fonte: Correio da Bahia
O Trabalhando com Poesia homenageia a este grande ator com duas das suas belas obras:

Bom dia Vietnã

Sociedade dos poetas mortos

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, alguns textos do Site Brasil 247. Vale a pena conferir:

Aécio ao JN: Cláudio (MG) “precisava do aeroporto” – Candidato tucano abre série de entrevistas, de 15 minutos cada, com candidatos feitas pelos apresentadores do Jornal Nacional, da Rede Globo; primeiro tema foi economia; “Vivemos uma crise de confiança no Brasil”, disse Áecio Neves; William Bonner retrucou que questão sobre aumento de tarifas públicas não fora respondida; “Vamos realinhar os preços, quando e como isso se tornar necessário”, prosseguiu tucano; jornalistas perguntaram ainda sobre o polêmico aeródromo de Cláudio (MG); “O que vale mais: uma fazenda com ou sem aeroporto?”, perguntou Bonner; “É um sítio”, respondeu Aécio; perguntas duras…
http://www.brasil247.com/pt/247/poder/149761/A%C3%A9cio-ao-JN-Cl%C3%A1udio-%28MG%29-precisava-do-aeroporto.htm
Presidente de Israel pede desculpas a Dilma – O presidente recém-eleito de Israel, Reuven Rivlin, tentou consertar o estrago causado nas relações com o Brasil, depois que um porta-voz da chancelaria israelense classificou o País como “anão diplomático”; num telefonema nesta segunda-feira, ele esclareceu que as expressões usadas por esse funcionário “não correspondem aos sentimentos da população de seu país em relação ao Brasil”; Rivlin justificou os ataques a Gaza como autodefesa, mas a presidente Dilma voltou a condenar a desproporcionalidade dos bombardeios ordenados pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu; leia nota do Planalto…

http://www.brasil247.com/pt/247/mundo/149772/Presidente-de-Israel-pede-desculpas-a-Dilma.htm

Íntegra da fita serviu para Petrobras achar espião – Cobrada por ter editado a fita sobre a suposta farsa na CPI da Petrobras, a revista Veja publicou, neste fim de semana, a íntegra das imagens de uma reunião ocorrida da empresa; ao que tudo indica, o dono da caneta espiã é o advogado Bruno Ferreira; é ele quem, nos momentos mais importantes da gravação, tenta induzir seus superiores a indicar a suposta trama denunciada pela revista; perícia contratada pelo senador Delcídio Amaral (PT-MS) contestou edição das imagens; em entrevista, o ministro Ricardo Berzoini classificou o escândalo como “cortina de fumaça” para encobrir o que chamou de “aécioporto”; internamente, na Petrobras, o caso foi classificado como “molecagem”…

http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/149619/%C3%8Dntegra-da-fita-serviu-para-Petrobras-achar-espi%C3%A3o.htm

Investigação do caso Wikipédia começa nesta 3ª – Criada por ordem da presidente Dilma Rousseff, que classificou o episódio como “inadmissível”, a comissão que irá investigar as alterações feitas em perfis dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia inicia seus trabalhos nesta terça-feira, 12; ela terá um prazo de 30 dias para concluir quem foi o autor das modificações; presidente da comissão será o secretário-executivo da Casa Civil, Valdir Simão. Ele será auxiliado por Renato Martini, do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, Maurício Marques, da Secretaria de Administração da Secretaria-Geral da Presidência, e Márcio Lopes, assessor especial do Ministério da Justiça…

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/149768/Investiga%C3%A7%C3%A3o-do-caso-Wikip%C3%A9dia-come%C3%A7a-nesta-3%C2%AA.htm

A Wikipédia e as lembranças de Stanislaw Ponte Preta, por Bepe Damasco – É público e notório: a imprensa corporativa brasileira se julga acima do bem e do mal e não aceita ser criticada – Cronista, radialista, escritor e compositor de sucesso, Sérgio Porto (1923-1968) escrevia sob o pseudônimo de Stanislaw Ponte Preta. Para satirizar declarações, comportamentos e posturas dos políticos, além de notícias publicadas pela imprensa , Porto criou o genial FEBEAPA – Festival de Besteiras que Assola o País…

http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/149669/A-Wikip%C3%A9dia-e-as-lembran%C3%A7as-de-Stanislaw-Ponte-Preta.htm

Queda da inflação desmoraliza os urubólogos, por Altamiro Borges – Miriam Leitão e Carlos Aberto Sardenberg não devem estar chateados somente com as alterações nos seus perfis no Wikipédia. Há muito tempo eles garantem na Rede Globo que a inflação no país vai explodir – Miriam Leitão e Carlos Aberto Sardenberg não devem estar chateados somente com as alterações nos seus perfis no Wikipédia. Há muito tempo eles garantem na Rede Globo – uma propriedade cruzada que inclui jornal, revista, telejornais e outros veículos – que a inflação no país vai explodir. Juraram que esta hecatombe ocorreria em 2011, em 2012, em 2013 e, com certeza absoluta, em 2014. Nesta sexta-feira (8), porém, o IBGE divulgou a inflação do mês de julho, que atingiu o menor patamar dos últimos quatro anos e não estourou o absurdo teto da meta fixado pelo Banco Central (6,5% ao ano). Depois os dois famosos “analistas do mercado” ainda reclamam de algumas verdades descritas no Wikipédia…

http://www.brasil247.com/pt/247/artigos/149670/Queda-da-infla%C3%A7%C3%A3o-desmoraliza-os-urub%C3%B3logos.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2014/08/12/trabalhando-com-poesia-649

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Terça-feira abençoada por Deus e protegida pela força guerreira de Ogum. Ogunhê!!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Flor da Mocidade – Machado de Assis

Eu conheço a mais bela flor;
És tu, rosa da mocidade,
Nascida aberta para o amor.
Eu conheço a mais bela flor.
Tem do céu a serena cor,
E o perfume da virgindade.
Eu conheço a mais bela flor,
És tu, rosa da mocidade.
Vive às vezes na solidão,
Como filha da brisa agreste.
Teme acaso indiscreta mão;
Vive às vezes na solidão.
Poupa a raiva do furacão
Suas folhas de azul celeste.
Vive às vezes na solidão,
Como filha da brisa agreste.
Colhe-se antes que venha o mal,
Colhe-se antes que chegue o inverno;
Que a flor morta já nada val.
Colhe-se antes que venha o mal.
Quando a terra é mais jovial
Todo o bem nos parece eterno.
Colhe-se antes que venha o mal,
Colhe-se antes que chegue o inverno.

Menina e Moça – Machado de Assis

A Ernesto Cibrão
Está naquela idade inquieta e duvidosa,
Que não é dia claro e é já o alvorecer;
Entreaberto botão, entrefechada rosa,
Um pouco de menina e um pouco de mulher.
Às vezes recatada, outras estouvadinha,
Casa no mesmo gesto a loucura e o pudor;
Tem cousas de criança e modos de mocinha,
Estuda o catecismo e lê versos de amor.
Outras vezes valsando, o seio lhe palpita,
De cansaço talvez, talvez de comoção.
Quando a boca vermelha os lábios abre e agita,
Não sei se pede um beijo ou faz uma oração.
Outras vezes beijando a boneca enfeitada,
Olha furtivamente o primo que sorri;
E se corre parece, à brisa enamorada,
Abrir as asas de um anjo e tranças de uma huri.
Quando a sala atravessa, é raro que não lance
Os olhos para o espelho; e raro que ao deitar
Não leia, um quarto de hora, as folhas de um romance
Em que a dama conjugue o eterno verbo amar.
Tem na alcova em que dorme, e descansa de dia,
A cama da boneca ao pé do toucador;
Quando sonha, repete, em santa companhia,
Os livros do colégio e o nome de um doutor.
Alegra-se em ouvindo os compassos da orquestra;
E quando entra num baile, é já dama do tom;
Compensa-lhe a modista os enfados da mestra;
Tem respeito a Geslin, mas adora a Dazon.
Dos cuidados da vida o mais tristonho e acerbo
Para ela é o estudo, excetuando-se talvez
A lição de sintaxe em que combina o verbo
To love, mas sorrindo ao professor de inglês.
Quantas vezes, porém, fitando o olhar no espaço,
Parece acompanhar uma etérea visão;
Quantas cruzando ao seio o delicado braço
Comprime as pulsações do inquieto coração!
Ah! se nesse momento, alucinado, fores
Cair-lhe aos pés, confiar-lhe uma esperança vã,
Hás de vê-la zombar de teus tristes amores,
Rir da tua aventura e contá-la à mamã.
É que esta criatura, adorável, divina,
Nem se pode explicar, nem se pode entender:
Procura-se a mulher e encontra-se a menina,
Quer-se ver a menina e encontra-se a mulher!

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s