Trabalhando com Poesia

“… Esse aí é meu parceiro, fecha comigo e nunca deixa a peteca cair, esse aí é meu parceiro, fecha comigo e nunca deixa a peteca cair… Se eu precisar de uma mão, ou de uma força qualquer, ele tá junto sempre firme, não dar de mané… Ele que agita o carvão, o prato, garfo, a colher, o fogo a carne, ainda chega cheio de mulher, mulher… mulher… mulher… É fiel é cem por cento, é guerreiro é bom de pilha, é irmão pedra noventa, ele é nosso ele é família… É braço é sangue, é choque, é brother, malandro, amigo, cumpadre, maneiro… Esse aí é meu parceiro, fecha comigo e nunca deixa a peteca cair, esse aí é meu parceiro, fecha comigo e nunca deixa a peteca cair… Se eu precisar de uma mão, ou de uma força qualquer, ele tá junto sempre firme, não dar de mané… Ele que agita o carvão, o prato, garfo, a colher, o fogo a carne, ainda chega cheio de mulher, mulher… mulher… mulher… É fiel é cem por cento, é guerreiro é bom de pilha, é irmão pedra noventa, ele é nosso ele é família… É braço é sangue, é choque, é brother, malandro, amigo, cumpadre, maneiro… Esse aí é meu parceiro, fecha comigo e nunca deixa a peteca cair, esse aí é meu parceiro, fecha comigo e nunca deixa a peteca cair… Esse aí é meu parceiro, fecha comigo e nunca deixa a peteca cair, esse aí é meu parceiro, fecha comigo e nunca deixa a peteca cair…” (Seu Jorge – Meu parceiro – Comp:. Seu Jorge, Gabriel Moura, Pretinho da Serrinha, Pascal Rog)

“… Vou ficar a noite em claro sem pegar no sono, meditando sobre o que de fato aconteceu, eu até pensei que fosse terminar na cama, como era de costume entre você e eu… Eu fiz de tudo, mas, era tarde, foi o que eu podia dar você não entendeu… Eu quis ir fundo e você com medo, tirou onda pois agora quem não quer sou eu… É… Quem não quer sou eu… Quem não quer sou eu… Pois é… E vai a noite, vem o dia, e eu aqui pensando, um cigarro atrás do outro e eu fumo sem parar, da janela eu vejo o trânsito congestionado, no meu peito o coração parece buzinar… Eu fiz de tudo mas era tarde, foi o que eu podia dar você não entendeu… Eu quis ir fundo e você com medo, tirou onda pois agora quem não quer sou eu… É… Quem não quer sou eu… Quem não quer sou eu… Pois é… Quem não quer sou eu… Quem não quer sou eu… Pois é… Vou ficar a noite em claro sem pegar no sono, meditando sobre o que de fato aconteceu, eu até pensei que fosse terminar na cama, como era de costume entre você e eu… Eu fiz de tudo, mas, era tarde, foi o que eu podia dar você não entendeu… Eu quis ir fundo e você com medo, tirou onda pois agora quem não quer sou eu… É… Quem não quer sou eu… Quem não quer sou eu… Pois é… E vai a noite, vem o dia, e eu aqui pensando, um cigarro atrás do outro e eu fumo sem parar, da janela eu vejo o trânsito congestionado, no meu peito o coração parece buzinar… Eu fiz de tudo mas era tarde, foi o que eu podia dar você não entendeu… Eu quis ir fundo e você com medo, tirou onda pois agora quem não quer sou eu… É… Quem não quer sou eu… Quem não quer sou eu… Pois é… Quem não quer sou eu… Quem não quer sou eu… Pois é…” (Seu Jorge – Quem não quer sou eu – Comp:. Gabriel Moura/Adriano Trindade)

“… Carolina é uma menina bem difícil de esquecer, andar bonito e um brilho no olhar, tem um jeito adolescente que me faz enlouquecer, e um molejo que não vou te enganar… Maravilha feminina, meu docinho de pavê, inteligente, ela é muito sensual, te confesso que estou apaixonado por você, ô, Carolina, isso é muito natural… Ô, Carolina, eu preciso de você… Ô, Carolina, eu não vou suportar não te ver… Carolina, eu preciso te falar… Ô, Carolina, eu vou amar você… De segunda à segunda eu fico louco pra te ver, quanto eu te ligo você quase nunca está, isso era outra coisa que eu queria te dizer, não temos tempo, então melhor deixar pra lá… A princípio no domingo o que você quer fazer? Faça um pedido que eu irei realizar, olha aí, amigo, eu digo que ela só me dá prazer, essa mina Carolina é de abalar, ô… Ô, Carolina, eu preciso de você… Ô, Carolina, não vou suportar não te ver… Carolina, eu preciso te falar… Ô, Carolina eu vou amar você… Carolina… Carolina… Carolina, preciso te encontrar… Carolina, me sinto muito só… Carolina, preciso te dizer… Ô, Carolina, eu só quero amar você… Carolina, preciso te encontrar… Carolina, me sinto muito só… Carolina, preciso te dizer… Ô, Carolina, eu só quero amar você… Carolina é uma menina bem difícil de esquecer, andar bonito e um brilho no olhar, tem um jeito adolescente que me faz enlouquecer, e um molejo que não vou te enganar… Maravilha feminina, meu docinho de pavê, inteligente, ela é muito sensual, te confesso que estou apaixonado por você, ô Carolina isso é muito natural… Ô, Carolina, eu preciso de você… Ô, Carolina, não vou suportar não te ver… Carolina, eu preciso te falar… Ô, Carolina eu vou amar você… Eu vou amar você… Pois eu vou te dar muito carinho… Vou te dar beijinho no cangote… Oi, Carolina… Menina bela… Menina bela… Carolina, preciso te encontrar… Carolina, me sinto muito só… Carolina, preciso te dizer… Ô, Carolina, eu só quero amar você… Carolina, preciso te encontrar… Carolina, me sinto muito só… Carolina, preciso te dizer… Ô, Carolina, eu só quero amar você… Carolina, preciso te encontrar… Carolina, me sinto muito só… Carolina, preciso te dizer… Ô, Carolina, eu só quero amar você… Carolina… Carolina… Carol, Carol, Carol… Carol, Carol, Carol… Carol, Carol, Carol… Carol, Carol, Carol… Carol, Carol, Carol… Carol, Carol, Carol…” (Seu Jorge – Carolina – Comp:. Seu Jorge)

“Interprete corretamente a frase de Juvenal: “mente sã, corpo são.” Não é a mente que depende da saúde do corpo. Ao contrário, é o corpo sadio que depende da mente sadia. Quando o espírito está perfeitamente equilibrado, não há enfermidades que nos ataquem. Cuide de sua mente, para que a saúde se reflita em todo o seu corpo.” (Minutos de Sabedoria Pg. 151)

Bom dia pessoal,

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje textos do site Diário do centro do mundo e do Blog do Miro. Vale a pena conferir:

Nascer em bairro pobre ‘prejudica ascensão social por décadas’ – Na hora de determinar nosso destino econômico, poucas coisas importam tanto como o bairro em que nascemos e crescemos. Todos sabemos que viver em uma região mais pobre reduz as possibilidades materiais de seus habitantes. Por isso, muitos sonham ir para uma parte mais afluente da cidade onde vivem. Mas um estudo recente dos pesquisadores americanos Douglas Massey, da Universidade de Princeton, e Jonathan Rothwell, do Instituto Brookings, vai além: traz novas evidências de que simplesmente se mudar de um bairro precário para um melhor não é suficiente…

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/nascer-em-bairro-pobre-prejudica-ascensao-social-por-decadas/

O que acontece quando Armínio encontra Eliane Catanhêde? – Qual o resultado da mistura de Armínio Fraga com Eliane Cantanhêde? Bem, o resultado está no Estadão, numa entrevista. É o apocalipse. O Brasil acabou, para os dois. De um modo geral, quando leio esse tipo de coisa, me pergunto o que pessoas que pensam assim ainda fazem no país. O que Armínio retrata, com a ajuda milionária de Catanhêde, é uma distopia que só será superada se pessoas como eles estiverem no poder. É o triunfo do ressentimento e de falta de autoconhecimento. A não ser que consideremos que éramos o paraíso sob FHC. Uma frase simboliza a entrevista: “Estamos vivendo uma enorme crise de valores e isto é gravíssimo.”…

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-que-acontece-quando-arminio-encontra-eliane-catanhede/

Para a Grécia é melhor que Tsipras seja um novo Lula ou um novo Chávez? – Parecidos, mas diferentes. Boa a reflexão de um jornalista do Financial Times sobre Tsipras, o novo premiê grego. Ele vai ser um novo Lula ou um novo Chávez? Ou, em outras palavras: vai contemporizar, como Lula, ou vai para o enfrentamento, como Chávez? Tenho para mim que, a rigor, Tsipras não terá alternativa. Caso queira de fato mudar as coisas, terá que ser Chávez e não Lula. Você não faz revolução sem fazer revolução, disse Robespierre…

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/para-a-grecia-e-melhor-que-tsipras-seja-um-novo-lula-ou-um-novo-chavez/

A “calculadora de sonhos” de Alckmin. Por Altamiro Borges – O sonho presidencial de Geraldo Alckmin pode ir para o ralo. Até a Sabesp trabalha com a hipótese de um “rodízio drástico”, com cinco dias sem água e dois dias com este líquido cada vez mais escasso em São Paulo. A gritaria contra a falta de planejamento e de investimentos neste setor já contagia até os eleitores arrependidos do governador tucano…

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2015/01/a-calculadora-de-sonhos-de-alckmin.html

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2015/01/29/trabalhando-com-poesia-686

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta feira abençoada por Deus, coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 1: apiovinagre.adv@gmail.com
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
e-mail 3: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

A permissividade inocente de hoje pode levar à má educação no futuro, pois todo o financiamento pode ter servido à ignorância. Geralmente, os pais somente percebem que foram permissivos demais quando o filho já está trazendo problemas para eles, para os seus professores e, com certeza, para ele próprio. Não cumprir com suas pequenas obrigações escolares, faltar às aulas, ser reprovado, experimentar drogas: se isso continuar, pode evoluir para abandono escolar, analfabetismo, analfabetismo funcional, incompetência profissional, subemprego, baixa qualidade de vida e exclusão social. (Frases e Pensamentos de Içami Tiba)

Qualquer funcionário pode se tornar obsoleto e ser despedido do seu emprego. Essa obsolescência lhe tira a competência necessária para trabalhar no mundo de hoje. Ou ele vai para um subemprego, ou se atualiza e busca uma recolocação no mercado. Dessa mesma maneira, também os educadores podem estar obsoletos e seus métodos já não estarem condizentes com as necessidades dos alunos de hoje. Ou eles se atualizam, ou caem na ineficiência. Como os pais são para sempre, não há como não se atualizarem – sob o grave risco de os filhos perderem seu futuro. (Frases e Pensamentos de Içami Tiba)

Os filhos não devem ser colocados como culpados, responsáveis ou participantes da separação conjugal, muito menos como mantenedores do casal. Em uma separação, o melhor é transmitir aos filhos que o casal irá se desfazer, mas os vínculos de pai e mãe serão preservados o máximo possível. (Frases e Pensamentos de Içami Tiba)

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s