Trabalhando com Poesia

“… Sorriu pra mim, provocando uma festa em meu coração, nasceu assim, uma grande paixão… Em seu olhar Um brilho de ternura ofusca o luar, que se escondeu para o sol despertar… Aconteceu amor floriu, igual uma estrela cadente, ao ver que me sorriu… Veio alegrar meu interior, pois ele estava tristonho, carente de amor…E assim, todo céu reluziu, outra vida surgiu, nova emoção apossou-se de mim, em forma de canção, deixou minha voz solta pelo ar… Então cantei, cantei e vou cantar, pois me faz feliz ver essa raiz, que um dia vai brotar… Sorriu pra mim… Sorriu pra mim, provocando uma festa em meu coração, nasceu assim, uma grande paixão… Em seu olhar Um brilho de ternura ofusca o luar, que se escondeu para o sol despertar… Aconteceu amor floriu, igual uma estrela cadente, ao ver que me sorriu… Veio alegrar meu interior, pois ele estava tristonho, carente de amor…E assim, todo céu reluziu, outra vida surgiu, nova emoção apossou-se de mim, em forma de canção, deixou minha voz solta pelo ar… Então cantei, cantei e vou cantar, pois me faz feliz ver essa raiz, que um dia vai brotar… Então cantei, cantei e vou cantar, pois me faz feliz ver essa raiz, que um dia vai brotar… Então cantei, cantei laiá, laiá lá laíá laiá laiá, laiá lá laíá laiá… Então cantei, cantei laiá, laiá lá laíá laiá laiá, laiá lá laíá laiá…” (Fundo de Quintal – Sorriu pra mim – Comp.: Mauro Diniz / Sereno)

“… Aquela dama, que ostenta a fama, de ser a dona do meu coração, Não quis o que eu quis, nem tudo que eu tinha pra dar… Não quis ser feliz, dos versos que fazem sonhar… Não quis o que eu fiz, nem quis o meu perdão… Quis a solidão, e agora não dá pra voltar… Viver de ilusão, é tarde demais pra tentar… Não quis se entregar e disse adeus então… Aquela dama, que ostenta a fama, de ser a dona do meu coração, Não quis o que eu quis, nem tudo que eu tinha pra dar… Não quis ser feliz, dos versos que fazem sonhar… Não quis o que eu fiz, nem quis o meu perdão… Quis a solidão, e agora não dá pra voltar… Viver de ilusão, é tarde demais pra tentar… Não quis se entregar e disse adeus então… Me disse adeus, fugiu, teve medo de amar… Quem diz adeus, não pensa um dia em voltar… Quem diz adeus, quer esquecer… Só diz adeus quem acha que é pra valer… Aquela dama, que ostenta a fama, de ser a dona do meu coração, Não quis o que eu quis, nem tudo que eu tinha pra dar… Não quis ser feliz, dos versos que fazem sonhar… Não quis o que eu fiz, nem quis o meu perdão… Quis a solidão, e agora não dá pra voltar… Viver de ilusão, é tarde demais pra tentar… Não quis se entregar e disse adeus então… Me disse adeus, fugiu, teve medo do amor… Quem diz adeus, não sabe o que é dar valor… Quem diz adeus, tem que saber… Só diz adeus, quem acha que é pra valer… Aquela dama, que ostenta a fama, de ser a dona do meu coração, Não quis o que eu quis, nem tudo que eu tinha pra dar… Não quis ser feliz, dos versos que fazem sonhar… Não quis o que eu fiz, nem quis o meu perdão… Quis a solidão, e agora não dá pra voltar… Viver de ilusão, é tarde demais pra tentar… Não quis se entregar e disse adeus então… E agora não dá pra voltar… É tarde demais pra tentar… Me disse Adeus então…” (Fundo de Quintal – Aquela dama – Comp.: Arlindo Cruz, Acyr Marques e Jorge David)

 

“… O que eu quero mesmo é ter você pra mim, ser o berço dessa fonte de amor, tão clara… Sonho acordado em tê-la em meus braços, pra abrandar meus anseios, como um grande rio, a correr pro mar, vou seguindo a correnteza do prazer, de te amar… Chego a pensar que estou no paraíso, cheio de felicidade, me faço crer que esse amor é igual entre a gente, posso jurar pra você, nunca se viu tanto amor, assim tão diferente, o amor dos Deuses invejei… Quisera eu parar o mundo agora, eternizando enfim o nosso sentimento, e ao universo anunciar, que nada vai nos separar, amor… Amor… Amor… Amor… Queria ser a pele do seu corpo, pra estar junto com você a todo tempo, e só assim realizar o meu desejo em te amar, Amor… O que eu quero mesmo é ter você pra mim, ser o berço dessa fonte de amor, tão clara… Sonho acordado em tê-la em meus braços, pra abrandar meus anseios, como um grande rio, a correr pro mar, vou seguindo a correnteza do prazer, de te amar… Chego a pensar que estou no paraíso, cheio de felicidade, me faço crer que esse amor é igual entre a gente, posso jurar pra você, nunca se viu tanto amor, assim tão diferente, o amor dos Deuses invejei… Quisera eu parar o mundo agora, eternizando enfim o nosso sentimento, e ao universo anunciar, que nada vai nos separar, amor… Amor… Amor… Amor… Queria ser a pele do seu corpo, pra estar junto com você a todo tempo, e só assim realizar o meu desejo em te amar, Amor… Quisera eu parar o mundo agora, eternizando enfim o nosso sentimento, e ao universo anunciar, que nada vai nos separar, amor… Amor… “(Fundo de Quintal – Amor dos Deuses – Comp.: Ronaldinho do Banjo e Mário Sérgio)

 

 

“… Para ver o sol brilhar, basta olhar, seu olhar a me olhar, feliz, para o mundo se encantar, basta ouvir seu cantar, assim, feito um canto no ar, onde me vou perfilar, entre os que vão lhe adorar… E se acaso você for, meu amor, ao voltar, vai voltar bem vinda, e qualquer que seja a cor do pintor, vai pintar mais linda… Perco o rumo, se não achar, só há prazer se é você quem dá, a minha chave e o segredo… Fada, que ao me tocar me fez um rei… Tarda, mas sempre acerta onde eu errei… Por nada, amor, eu hei de lhe perder… Você é mais, é muito mais, bem mais do que sonhei… Fada, que ao me tocar me fez um rei… Tarda, mas sempre acerta onde eu errei… Por nada, amor, eu hei de lhe perder… Você é mais, é muito mais, bem mais do que sonhei… Para ver o sol brilhar, basta olhar, seu olhar a me olhar, feliz, para o mundo se encantar, basta ouvir seu cantar, assim, feito um canto no ar, onde me vou perfilar, entre os que vão lhe adorar… E se acaso você for, meu amor, ao voltar, vai voltar bem vinda, e qualquer que seja a cor do pintor, vai pintar mais linda… Perco o rumo, se não achar, só há prazer se é você quem dá, a minha chave e o segredo… Fada, que ao me tocar me fez um rei… Tarda, mas sempre acerta onde eu errei… Por nada, amor, eu hei de lhe perder… Você é mais, é muito mais, bem mais do que sonhei… Fada, que ao me tocar me fez um rei… Tarda, mas sempre acerta onde eu errei… Por nada, amor, eu hei de lhe perder… Você é mais, é muito mais, bem mais do que sonhei…” (Fundo de Quintal – Fada – Comp.: Mario Sérgio / Flavio Venutes / luiz carlos da vila)

 

 

Curta mais um pouco de Fundo de Quintal

 

Programa Ensaio – 27/09/2015

Fundo de Quintal – Sucessos de 1986 a 1999

 

Fundo de Quintal Convida – 2004

 

1991 DVD Fundo de Quintal – Programa Ensaio (Completo)

 

“Quantas vezes queremos ser bons e amáveis, e vemos destruídos nossos propósitos de virtude. Mas ser bom com quem é bom não é vantagem. O heroísmo consiste, justamente, em ser bom com quem é mau. Em permanecer calmo diante das pessoas irritantes. Em ser generoso com as pessoas egoístas. Procure chegar a esse ponto e demonstre, com o exemplo, que você sabe ser bom.” (Minutos de Sabedoria Pg. 193)

 

Bom dia pessoal,

 

Mais um fim de semana chegando e como sempre a nossa expectativa de momentos de paz e de alegria com os nossos amigos e familiares. Desde 2013, o mês de junho não me é um mês de muita felicidade. Vai chegando o dia 10 e a recordação da perda do meu pai sempre vai povoando meus pensamentos. A dor vai se tornando aos poucos numa saudade, que nos faz recordar muitos momentos.

Reproduzo uma boa escrita de Carta Capital, intitulada “A morte de Konibu e o crime de genocídio de Romero Jucá”, publicada hoje. Nos leva a uma reflexão acerca do que está colocado no Brasil do Temerário, em diversas questões caras a nós brasileiros (as), neste caso, a demarcação de terras indígenas. Boa leitura: Enquanto era presidente da Funai, Jucá entregou as terras dos índios Akuntsu a seus algozes, diz sertanista – Na última quinta-feira, 26 de maio, faleceu em Rondônia o indígena Konibu, o velho líder e xamã do povo Akuntsu. Sobrevivente de um genocídio, ele já estava bastante debilitado por um câncer e problemas cardíacos, e tinha em torno de 85 anos., Morreu em paz, deitado na rede dentro da maloca onde viva, auxiliado por agentes de saúde e pelo sertanista da Funai, Altair Algayer. Se a morte foi tranquila, no entanto, Konibu sofreu muito em vida. E parte desse sofrimento se deve a um ato político de Romero Jucá enquanto era presidente da Funai: a destinação da terra onde os indígenas vivam para fazendeiros.

Leia a matéria na íntegra em http://www.cartacapital.com.br/sociedade/a-morte-de-konibu-e-o-crime-de-genocidio-de-romero-juca

 

 

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje, textos do site Blog do Miro. Vale a pena conferir:

Resistência e justiça na EBC. Por Paulo Moreira Leite – É bom lembrar que a liminar do ministro Dias Toffoli que desfez a nomeação do jornalista Laerte Rimoli e determinou o retorno de Ricardo Melo ao posto de diretor-presidente da EBC não tem caráter definitivo. Pelos aspectos políticos envolvidos, pode-se imaginar que nos próximos dias os advogados do governo interino de Michel Temer apresentarão recurso para tentar levar a decisão a plenário, esperando colocar a discussão para ser resolvida em caráter definitivo pelo colegiado do STF. Até lá, no entanto, vale a decisão de Toffoli, que deve ser celebrada como uma vitória importante das regras do Estado Democrático de Direito contra um ato arbitrário, que o presidente interino Temer assinou apenas cinco dias depois de empossado. Embora mudanças repentinas no primeiro escalão do governo interino não sejam uma novidade de chamar tanta atenção, três semanas depois da posse, neste caso há uma diferença importante…

 

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/resistencia-e-justica-na-ebc.html

 

Golpistas têm medo da derrota no Senado. Por Fernando Brito- Até agora, todos previam a duração do processo de impeachment até setembro. Quando Anastasia tentou antecipar, foi para agosto, o que já era discutível. Agora, por ordem direta de Michel Temer, o PMDB quer apertar mais o prazo: julho. Deu um golpe de mão para isso, hoje, na comissão do impeachment no Senado. Um ato de força, sim. Que, em condições normais, não prevaleceria no Judiciário, mas com este aí nada se pode garantir. Mas é também um sinal de fraqueza…

 

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/golpistas-tem-medo-da-derrota-no-senado.html

 

O xadrez de Michel Temer, o breve. Por Luis Nassif – Movimento 1. Michel, o interino, torna-se Michel, o breve – A cada dia que passa, a sucessão infindável de erros deixa nítida a incapacidade do presidente interino de tocar o país. Não tem noção de como se portar em um presidencialismo de coalizão. Deixou o barco solto, loteou o Ministério de uma forma irresponsável que nem o próprio José Sarney ousou, soltou as rédeas liberando o ataque bárbaro às instituições, cada grupo tratando de saquear o território conquistado. Há um conjunto de instituições cuja cultura vem se desenvolvendo no tempo, independentemente do presidente de plantão. É o caso da EBC, IBGE, IPEA, Secretarias de direitos humanos, CGU…

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/o-xadrez-de-michel-temer-o-breve.html

 

 

Complô contra Dilma envolveu políticos e STF. Por André Barrocal – Romero Jucá e Sérgio Machado são velhos amigos. Senadores pelo PSDB no governo Fernando Henrique, aderiram via PMDB à gestão Lula e hoje estão enrolados na Operação Lava Jato. Foi em nome dos bons tempos que Jucá abriu a porta de casa quando Machado chegou de surpresa logo cedo em meados de março. Conversaram longamente sobre a situação política e econômica do País. E também a policial. Especialmente a policial. Com a Lava Jato no encalço de Machado, Jucá comentou estar na política a salvação do amigo e dos figurões em geral…

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/complo-contra-dilma-envolveu-politicos.html

 

França: a luta social pega fogo. Por Pepe Escobar – Paris está em chamas, enquanto o presidente François Hollande trapaceia. Esta é síntese dos protestos por toda a França contra a proposta da “reforma” trabalhista, enquanto o presidente posa no G-7, no Japão, como se fosse um dos Senhores do Universo. A França está semiparalizada – dos trabalhadores nas docas do porto Le Havre (um hub-chave de comércio) a operários das refinarias, depósitos de petróleo, estações de energia nuclear (que respondem por 75% do fornecimento nacional de energia), aeroportos, e o sistema de transportes sobre trilhos metropolitano de Paris. Isso converteu-se em pânico numa miríade de postos de gasolina – com a paralisação de grande parte do sistema de transportes francês…

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/franca-luta-social-pega-fogo.html

 

Lula, a Justiça e o justiciamento. Por Renato Rovai – Faz quase 1 ano que advogados de empreiteiros falam em off pra quem quiser ouvir que muitos dos seus clientes vinham sendo pressionados a envolver Lula em delações premiadas. No início, a pressão era mais discreta. Perguntava-se se o ex-presidente havia participado de negociações, se em algum momento teria realizado algum telefonema, se insinuara que sabia do caso ou alguma coisa assim mais indireta. Com o tempo, perdeu-se a cerimônia. Os investigadores já chegavam com supostas acusações e querendo que o investigado as assumisse…

 

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/lula-justica-e-o-justiciamento.html

 

 

Dilma passa de impopular à líder de massas. Por Najla Passos – Nos dez últimos dias, tive duas oportunidades de estar frente a frente com a presidenta afastada, Dilma Rousseff. Duas oportunidades históricas de ver como ela é recebida nas ruas, de saber o que tem a dizer após o afastamento forçado e, em um dos casos, até de lhe fazer uma pergunta meio ácida, olhos nos olhos. A primeira foi no último dia 20, em Belo Horizonte (MG), durante o V Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais, quando ela fez sua primeira aparição pública após o afastamento da presidência. A última ocorreu nesta segunda (30), na Universidade de Brasília (UnB), onde ela participou do lançamento do livro “A resistência ao golpe de 2016”. Em ambos os casos, me surpreendi com o que vi, ouvi e senti. Tanto nas ruas da capital mineira quanto na academia da capital do país, a presidenta afastada foi aclamada como heroína por milhares de pessoas que se acotovelavam para dar a ela uma palavra de apoio, um abraço de incentivo, um grito de solidariedade. Por vários milhares. Como já começam a demonstrar as pesquisas, o golpe transformou Dilma de uma presidenta impopular que até mesmo seus partidários tinham reservas de defender em uma líder de massas que desconhecidos se orgulham de dizer que irão apoiar até seu retorno à presidência…

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/dilma-passa-de-impopular-lider-de-massas.html

 

 

Propina na reeleição de FHC não dá manchete. Por Altamiro Borges – Qualquer denúncia vazia, sem qualquer prova, contra o ex-presidente Lula logo vira manchete dos jornalões, capa das revistonas e motivo de ácidos comentários na rádio e tevê. Já a reafirmação, pela “enésima vez”, de que o ex-presidente FHC comprou a sua reeleição, em 1997, não causa maiores escândalos na imprensa tucana. Nesta semana, o ex-deputado federal Pedro Corrêa confirmou em sua “delação premiada” que o grão-tucano “comprou mais de cinquenta parlamentares” para garantir a aprovação da emenda que rasgou a Constituição Federal e lhe permitiu mais quatro anos de mandato. A denúncia, que já fora fartamente comprovada no indispensável livro “O príncipe da privataria”, do jornalista Palmério Dória, apareceu em tímidas reportagens e logo sumiu do noticiário…

 

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/propina-na-reeleicao-de-fhc-nao-da.html

 

 

Não dá para confiar no Senado. Só nas ruas! Por Altamiro Borges – Parece que bateu o desespero nos golpistas, o que só confirma o novo apelido de presidente interino: “Michel Treme”. Nesta quinta-feira (2), a tal “comissão especial do impeachment” do Senado decidiu reduzir em 20 dias o prazo para a tramitação do processo contra Dilma Rousseff. Com esta manobra, a votação final do estupro à democracia poderá ocorrer em meados de julho. A defesa da presidenta democraticamente eleita pelos brasileiros já anunciou que recorrerá da decisão, ilegal e arbitrária, no Supremo Tribunal Federal. Este golpe dentro do golpe revela que Michel Treme se borra de medo da onda crescente de protestos na sociedade e da possibilidade de vários senadores alterarem seu voto na discussão do mérito, afastando o golpista e garantindo o retorno de Dilma Rousseff. Na semana passada, o relator do impeachment, o tucano Antonio Anastasia – mais sujo do que pau de galinheiro –, já havia encurtado o tempo de defesa da presidenta Dilma e de discussão no Senado, fixando a votação final para 2 de agosto. A pressa para a concretização do golpe, porém, não foi suficiente para acalmar os golpistas…

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/nao-da-para-confiar-no-senado-so-nas.html

 

 

Se popularidade de Temer cair, Dilma volta. Por Eduardo Guimarães – Os sinais estão todos aí, só não vê quem não quer. A reportagem que você vai ler a seguir mostra que o governo Michel Temer está se enforcando sozinho e explica porque o jogo político começa a experimentar uma reviravolta surpreendente no Brasil. Confira: “O ministro de combate à corrupção do presidente interino do Brasil, Michel Temer, renunciou segunda-feira depois de uma gravação secreta mostrar que ele tentou frustrar arrebatadora investigação de corrupção que gira em torno Petrobras, a empresa nacional de petróleo. A queda de Fabiano Silveira, cujo título era ministro da transparência, é outro golpe para um governo que parece mancar de um escândalo a outro poucas semanas depois de o Sr. Temer substituir Dilma Rousseff

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2016/06/se-popularidade-de-temer-cair-dilma.html

 

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

 

https://oipa2.wordpress.com/2016/06/03/trabalhando-com-poesia-731
Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina.  Uma sexta-feira de caminhos abertos a nossa frente e coberta pela paz do Alá de Oxalá! Bom fim de semana. Até segunda.

 

Apio Vinagre Nascimento

e-mail: apiovinagre.adv@gmail.com

e-mail 1: apio.vinagre @pedraevinagre.adv.br

e-mail 2: oipa2@hotmail.com

e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br

site: http://www.pedraevinagre.adv.br
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr:
http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Skype: a_vinagre1
Youtube:
http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio 
Fones: (71) 98814-5332 / 99154-0168 / 99982-7223 / 98214-0894

 

Para Sempre – Carlos Drummond de Andrade

Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.
Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
— mistério profundo —
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.


Quadrilha – Carlos Drummond de Andrade

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para o Estados Unidos, Teresa para o
convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto
Fernandes
que não tinha entrado na história.


No meio do caminho – Carlos Drummond de Andrade

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.
Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.

 

Receita de ano novo – Carlos Drummond de Andrade

Para você ganhar um belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo, sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir a ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
ou seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros, Notícias e política e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s