Trabalhando com Poesia

“… Por ser de lá, do sertão, lá do cerrado, lá do interior do mato, da caatinga do roçado… Eu quase não saio, eu quase não tenho amigos, eu quase que não consigo ficar na cidade sem viver contrariado… Por ser de lá, na certa por isso mesmo, não gosto de cama mole, não sei comer sem torresmo… Eu quase não falo, eu quase não sei de nada, sou como rês desgarrada, nessa multidão boiada caminhando a esmo… Por ser de lá, do sertão, lá do cerrado, lá do interior do mato, da caatinga do roçado… Eu quase não saio, eu quase não tenho amigos, eu quase que não consigo ficar na cidade sem viver contrariado… Por ser de lá, na certa por isso mesmo, não gosto de cama mole, não sei comer sem torresmo… Eu quase não falo, eu quase não sei de nada, sou como rês desgarrada, nessa multidão boiada caminhando a esmo…(Gilberto Gil – Lamento sertanejo – Comp.: Gilberto Gil & Dominguinhos)

“… Não me iludo, tudo permanecerá do jeito que tem sido, transcorrendo, transformando tempo e espaço navegando todos os sentidos… Pães de Açúcar, corcovados, fustigados pela chuva e pelo eterno vento… Água mole, pedra dura, tanto bate, que não restará nem pensamento… Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Transformai as velhas formas do viver… Ensinai-me, Oh Pai! O que eu, ainda não sei… Mãe Senhora do Perpétuo socorrei!… Pensamento! Mesmo o fundamento singular do ser humano, de um momento, para o outro, poderá não mais fundar nem gregos, nem baianos… Mães zelosas, pais corujas, vejam como as águas de repente ficam sujas… Não se iludam, não me iludo, tudo agora mesmo pode estar por um segundo… . Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Transformai as velhas formas do viver… Ensinai-me, Oh Pai! O que eu, ainda não sei… Mãe Senhora do Perpétuo socorrei!… . Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Oh Tempo Rei! Transformai as velhas formas do viver… Ensinai-me, Oh Pai! O que eu, ainda não sei… Mãe Senhora do Perpétuo socorrei!…(Gilberto Gil – Tempo rei – Comp.: Gilberto Gil)

“… Vamos fugir! Deste lugar, Baby! Vamos fugir… Tô cansado de esperar que você me carregue… Vamos fugir! Pr’outro lugar, Baby! Vamos fugir… Pr’onde quer que você vá, que você me carregue… Pois diga que irá, Irajá, Irajá… Pra onde eu só veja você, você veja a mim só… Marajó, Marajó… Qualquer outro lugar comum, outro lugar qualquer… Guaporé, Guaporé… Qualquer outro lugar ao sol, outro lugar ao sul… Céu azul, céu azul… Onde haja só meu corpo nu, junto ao seu corpo nu… Vamos fugir! Pr’outro lugar, Baby! Vamos fugir… Pr’onde haja um tobogã, onde a gente escorregue… Vamos fugir! Deste lugar, Baby! Ah! Vamos fugir… Tô cansado de esperar que você me carregue… Pois diga que irá, Irajá, Irajá… Pra onde eu só veja você, você veja a mim só… Marajó, Marajó… Qualquer outro lugar comum, outro lugar qualquer… Guaporé, Guaporé… Qualquer outro lugar ao sol, outro lugar ao sul… Céu azul, céu azul… Onde haja só meu corpo nu, junto ao seu corpo nu… Vamos fugir! Pr’outro lugar, Baby! Vamos fugir… Pr’onde haja um tobogã, onde a gente escorregue… Todo dia de manhã, flores que a gente regue… Uma banda de maçã, outra banda de reggae… Tô cansado de esperar que você me carregue… Pr’onde quer que você vá, que você me carregue… Pr’onde haja um tobogã, onde a gente escorregue… Todo dia de manhã, flores que a gente regue… Uma banda de maçã, outra banda de reggae… Tô cansado de esperar que você me carregue…(Gilberto Gil – Vamos fugir – Comp.: Gilberto Gil e Liminha)

 

“Não se queixe de abandono. Ninguém está abandonado pelo Pai. Se notar que está só, que ninguém o procura, faça o inverso: procure você alguém que precise de sua ajuda. Visite os lares pobres, as crianças necessitadas, os corações famintos de seu carinho. Derrame seu coração afetuoso no seio daqueles que sofrem e jamais se sentirá abandonado.” (Minutos de Sabedoria Pg. 212)

 

Bom dia pessoal,

E o mês de junho vai embora. Que Julho traga ainda mais bons motivos para sorrirmos. Que tudo o que tenha sido negativo em nosso cotidiano nos traga o aprendizado suficiente para identificar novas metas, noos desafios, novos motivos para seguir lutando. #VamoQueVamo

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje textos do site Brasil 247:

EBC rebate AGU de Temer: déficit não condiz com a realidade –  Em nota, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) negou que haja déficit como foi dito pela Advocacia-Geral da União em recurso apresentado ao Supremo Tribunal Federal; “O déficit citado no recurso, de R$ 94,8 milhões, não corresponde à realidade, tratando-se meramente de estimativa caso medidas de contenção de custos não tivessem sido tomadas já desde o começo do corrente ano”, afirmou. Em nota, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) negou que haja déficit como foi dito pela Advocacia-Geral da União em recurso apresentado ao Supremo Tribunal Federal. “O déficit citado no recurso, de R$ 94,8 milhões, não corresponde à realidade, tratando-se meramente de estimativa caso medidas de contenção de custos não tivessem sido tomadas já desde o começo do corrente ano”, afirmou

http://www.brasil247.com/pt/247/brasilia247/241193/EBC-rebate-AGU-de-Temer-d%C3%A9ficit-n%C3%A3o-condiz-com-a-realidade.htm

 

STF revoga prisão de ex-ministro Paulo Bernardo – Ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, atendeu a uma reclamação feita pelo pelo advogado Juliano Breda, que defende o ex-ministro Paulo Bernardo, preso na última quinta-feira pela Operação Custo Brasil, um desdobramento da Lava Jato; Toffoli entendeu que houve, na ação, “flagrante e constrangimento ilegal, passível de correção por habeas corpus de ofício”, e que por isso “determina-se cautelarmente a revogação da prisão preventiva”; Toffoli determinou que a Justiça de São Paulo avalie a aplicação de medidas alternativas contra Paulo Bernardo, como o uso de tornozeleira eletrônica. O ministro Dias Toffoli, do Superior Tribunal Federal, revogou nesta quarta-feira, 29, a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, que havia sido preso preventivamente pela Polícia Federal na quinta-feira, 23, no âmbito da Operação Custo Brasil, que investiga desvios do Ministério do Planejamento

 

http://www.brasil247.com/pt/247/parana247/241098/STF-revoga-pris%C3%A3o-de-ex-ministro-Paulo-Bernardo.htm

 

Com impacto de R$ 26 bi, Senado aprova reajuste salarial do Judiciário e MPF – O Senado aprovou nesta quarta (29) os projetos de lei que reajustam os salários dos servidores do Judiciário e do Ministério Público Federal; os servidores do Poder Judiciário Federal deverão, pelo texto, receber um aumento total de 41% dividido em oito parcelas a serem pagas entre junho deste ano e julho de 2019; além disso, a gratificação judiciária, hoje correspondente a 90% do vencimento básico, chegará gradualmente a 140%, em janeiro de 2019; servidores do MP terão aumento de 12% no vencimento básico de analistas e técnicos escalonado em oito parcelas semestrais até dezembro de 2019. Por Mariana JungmannO Plenário do Senado aprovou hoje (29) os projetos de lei que reajustam os salários dos servidores do Judiciário e do Ministério Público Federal. Os servidores do Poder Judiciário Federal deverão, pelo texto, receber um aumento total de 41% dividido em oito parcelas a serem pagas entre junho deste ano e julho de 2019…

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/241219/Com-impacto-de-R$-26-bi-Senado-aprova-reajuste-salarial-do-Judici%C3%A1rio-e-MPF.htm

 

Tereza Campello: com Dilma, era eleitoreiro; com Temer, pode – Ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome no governo Dilma, Tereza Campello, aponta a contradição dos críticos do governo do PT e do Bolsa Família depois que o governo interino de Michel Temer anunciou, nesta quarta-feira 29, um reajuste de 12,5% para o programa a partir de julho; “Diziam que a autorização dada por Dilma era ilegal, que era irresponsabilidade fiscal e era eleitoreira. Agora pode?”, questiona Tereza, sobre o aumento de 9% anunciado por Dilma em maio desse ano; para ela, o reajuste anunciado hoje foi um recuo do governo interino, que achou que “iria ficar impune” ao “não conceder o reajuste anunciado pela Presidenta Dilma”. A ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome no governo Dilma Rousseff, Tereza Campello, criticou nesta quarta-feira 29 a contradição dos críticos do governo do PT e do Bolsa Família depois que o governo interino de Michel Temer anunciou um reajuste de 12,5% para o programa a partir de julho

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/241133/Tereza-Campello-com-Dilma-era-eleitoreiro;-com-Temer-pode.htm

 

 

Por que o MP rejeita a delação de Cunha? – Membros do Ministério Público, comandado por Rodrigo Janot, mandaram recado pelo colunista Lauro Jardim, do Globo: o de que são grandes as chances de uma delação premiada de Eduardo Cunha não ser aceita; um dos motivos é que o deputado afastado pode ser um troféu dos procuradores, e com a delação, ele poderia se livrar da prisão; outro é de que, a essa altura, Cunha teria capacidade reduzida de entregar peixes grandes; “De que adianta ele delatar 80 deputados do baixo claro?”, teriam questionado; jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, pergunta: “Estranha lógica a dos ‘fiscais da lei’: ‘só’ oitenta cidadãos que têm o direito de decidir, com seu voto, como serão as leis do país, os direitos do povo e o destino dos dinheiros públicos? Ou será que suas excelências se preocupam que Cunha, delatando, fale dos peixes grandes com os quais conversava como chefe do cardume?”. Integrantes do Ministério Público Federal mandaram um recado pelo colunista Lauro Jardim, do Globo. Em uma nota publicada nesta quarta-feira 29, o jornalista afirma que são grandes as chances de uma possível delação premiada de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) não ser aceita. Entre os motivos estaria o de que o deputado afastado pode ser um troféu para os procuradores na Operação Lava Jato, e com a delação, ele poderia se livrar da prisão

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/241153/Por-que-o-MP-rejeita-a-dela%C3%A7%C3%A3o-de-Cunha.htm

 

 

Dilma: ‘Impedido de ir à Câmara pode ir ao Jaburu no domingo à noite?’ – Com ironia, a presidente eleita Dilma Rousseff voltou a questionar nesta quarta-feira 29, em entrevista à rádio Panorâmica, da Paraíba, o encontro ocorrido no último domingo, na residência oficial da vice-presidência, entre o interino Michel Temer e o deputado afastado Eduardo Cunha; “Fica visível que o vice-presidente é capturado pelo Cunha, que tem duas denúncias do STF, acusações de lavagem de dinheiro, contas no exterior…”, destacou Dilma, lembrando que o Supremo “proibiu este senhor de ir à Câmara dos Deputados”; ela revelou ainda uma “desilusão” com “alguns ex-ministros”, que votaram a favor do impeachment, a quem chamou de traidores; e reafirmou que a perícia do Senado comprova que “não há crime” cometido por ela e que, portanto, o que acontece é um golpe. A presidente Dilma Rousseff voltou a questionar nesta quarta-feira 29 as circunstâncias do encontro realizado entre o presidente interino, Michel Temer, e deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Palácio do Jaburu no último domingo. A visita de Cunha não estava na agenda de Temer, que disse, por meio de aliados, que não tinha alternativa senão receber o correligionário

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/241086/Dilma-%E2%80%98Impedido-de-ir-%C3%A0-C%C3%A2mara-pode-ir-ao-Jaburu-no-domingo-%C3%A0-noite%E2%80%99.htm

 

 

Dilma diz que recorrerá ao STF contra o golpe e declara apoio ao plebiscito – Entrevistada nesta quarta (29) pelo jornalista Kennedy Alencar, para o SBT Brasil, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha é uma “ameaça integral” para o presidente interino Michel Temer; “É uma ameça integral, em todos os sentidos”, disse; ela também avisou que recorrerá ao Supremo Tribunal Federal, caso o resultado do julgamento no Senado seja pelo seu afastamento definitivo da Presidência da República;  “A perícia feita pela comissão do Senado constata que não há minha participação no Plano Safra e não teve qualquer irregularidade minha nas pedaladas fiscais. De fato, não se pode falar em crime de responsabilidade. Primeiro reforço o caminho para o Senado. Depois há outra batalha no Supremo, que é a última instância”, ressaltou; sobre o plebiscito pela antecipação das eleições, Dilma disse que se os senadores propuserem isso, ela irá endossar; “Eu não vou tomar essa iniciativa, como sendo minha. Em qualquer hipótese, para se afirmar a democracia, passa por um requisito: a minha volta à Presidência da República, com plenos direitos”, reforçou. Entrevistada nesta quarta-feira (29) pelo jornalista Kennedy Alencar, para o SBT Brasil, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha é uma “ameaça integral” para o presidente interino Michel Temer. “É uma ameça integral, em todos os sentidos”, diz ela

 

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/241192/Dilma-diz-que-recorrer%C3%A1-ao-STF-contra-o-golpe-e-declara-apoio-ao-plebiscito.htm

 

 

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

 

https://oipa2.wordpress.com/2016/06/30/trabalhando-com-poesia-750
Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina.  Uma quinta feira abençoada por Deus, coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!

 

Apio Vinagre Nascimento

e-mail: apiovinagre.adv@gmail.com

e-mail 1: apio.vinagre @pedraevinagre.adv.br

e-mail 2: oipa2@hotmail.com

e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br

site: http://www.pedraevinagre.adv.br
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr:
http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Skype: a_vinagre1
Youtube:
http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio 
Fones: (71) 98814-5332 / 99154-0168 / 99982-7223 / 98214-0894

 

Lago de NarcisoTude Celestino

Não basta ser feliz, ainda preciso,

Além dessa ventura, ter camisa;

E que não haja amor, marco ou divisa

A cercear meu lago de narciso.

Que sensualmente fêmea e sem juízo,

Leve-me pouco a pouco, hábil, precisa

Ao teu inferno e depois, com a brisa,

Transfere-me ao céu com teu sorriso.

Que tuas mãos me façam mil carícias

E ofuscado ante teus contornos

Eu goze desse amor todas delícias.

E farto enfim, mas face a um novo ardor

Que tu ainda com teus beijos mornos,

Leve-me, louco, a morrer de amor.

 

Eu, Palhaço Tude Celestino

 

“Enquanto o lábio trêmulo gargalha,

dentro do peito o coração soluça.”

(de ‘O Palhaço’, Pe. Antônio Tomaz)

 

Com o coração dopado, eis-me aqui em cena

No palco da ilusão pintado de alvaiade;

Trazendo uma esperança unida a uma saudade,

Enfrento a plebe-rude, essa feroz hiena.

Nas contrações da face escondendo a vil gangrena

Do meu terrível tédio e, em mágica habilidade,

Promovo galhofeiro e levo a chã vaidade

À infrene turba-multa que ruge na arena.

E em meio a essa gente e luzes divinais,

Escamoteio a dor de minhas emoções

Quando o aplauso ou a vaia estruge nas gerais.

Burlesco alvo à mercê desses contrastes todos,

Eu choro temeroso em meio às ovações

E rio como forte, enfrentando os apodos.

 

 

IlhasTude Celestino

Que tormento, meu Deus, se eu não a via,

Que angústia se a tinha a meu lado

Pois muito antes de ela ter chegado

Já a dor de sua partida eu pressentia.

Como era longa a ausência de um só dia

Quando eu contava as horas desolado

Como eu sofria, meu Deus, com ela abraçado,

Longe dela, meu Deus, como eu sofria!

Mas deste amor as chamas se apagaram

E dessa lava ardente, hoje absorto,

Contemplo só as cinzas que ficaram.

Foram-se as juras, foram-se os carinhos

Somos agora as ilhas de um mar morto

Vivemos lado a lado e tão sozinhos.

 

 

 

A Vingança de Zé de Aninha – Tude Celestino

São João! Fuguete! Istôro!

E eu aqui, queto, iscundido,

Muito triste e arrepindido,

Cum cara de mau agôro.

Eu so fio do Ás de Ouro

Qui, pur disventura minha,

Liquidei o Zé de Aninha

Nu’a noite de Natá

E agora vivo a pená

De um remorso qui me ispinha.

A sorte é quem ditrimina

O qui nós é nesse mundo;

Uns nasce pra vagabundo

E tem qui cumpri a sina,

As vez a gente arrimina

Faz tolice de minino

Mas num distorce o distino.

Zé nasceu pru baráio

Eu, da vida nos ataio,

Triminei seno assassino.

Mas paguei as minhas pena

Todinha à sociedade,

Só inda agora a maldade

Do remorso me condena;

Fecho os óio e vejo a cena

Do Zé a se acabá;

No seu sangue se banhá…

Tombém oiço as pancada

Dos sino, as badalada

Da ingrejinha do arraiá.

Iscute, seu moço, meu azá,

Foi vê naquela vingança

I simbora a isperança

D’eu um dia me salvá,

Dispois de o Zé eu matá,

Num buteco – o Perde e Ganhe

Eu quis inté abri champanhe;

Mas a vingança nos trai:

Jugano vingá meu pai,

Quaje matei minha mãe.

Minha mãe qui sofreu tanto

– Cuma ela merma me contô –

Qui derna qui se casô

Qui veve a derramá pranto,

Fez promessa a todo santo

Pra meu pai – O véi Celino,

Dexá o triste distino,

Do barái dexá os trio

E acabô foi veno o fio

Na prisão como assassino.

E meus ano de prisão,

Qui quaje num acabam mais.

Minha mãe num teve paz,

Só mágua no coração.

E só, naquela aflição,

Lembrei dela – Dona Aninha,

A mãe do Zé, u’a veinha

Qui veve a rezá pur ele.

Eu, veno triste a mãe dele,

Lembrava, triste, da minha.

Parece inté um mistéro.

Qué vê, repare, patrão:

Das grade de minha prisão,

Eu via de perto o impero

Da tristeza – o sumitéro.

E via sigui de pé,

Todo dia u’a muié…

– Era ela, Dona Aninha,

Qui ia toda tardinha

Rezá na cova do Zé.

As duas santas muié,

Sobe ainda na prisão,

Qui passavam privação

Talvez inté fome, inté.

Prá irem, cheia de fé,

U’a vê o fio novamente,

Teno no pé u’a corrente;

A ôta, pru campo santo.

Duas mãe com o mermo pranto

Chorano dô diferente.

Moço, nós tudo um dia

Divia entrá num xadrez,

Passá dois dia ou três,

Veno passá sem alegria

As hora nas inxovia

Mermo sem firi ninguém;

Garanto, qui era um bem

Siria útil a lição,

Diminuía os ladrão,

E os assassino tomém.

Mas, sim, minha penitença:

Paguei toda na prisão,

Mas a arma e o coração,

Tão presa em otra sentença;

No remorso, a mágua imensa

Qui me traz arrepindido,

Me taxaro de bandido

E, ao senti esse horrô,

Eu fiz a nosso senhô

Esse pungente pedido:

Oh! Deus, tenha a arma do Zé

No santo reino da glora

E me dexe vida a fora

Nos ispinho sangrano os pé.

Inté que um dia inté

Eu ganhe de novo a isperança

Qui só penano se arcança;

Dexe,meu Deus, eu sofrê!

E qui seja do meu vivê

Do Zé de Aninha a vingança.

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros, Notícias e política e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s