Trabalhando com Poesia

Quando eu digo que deixei de te amar, é porque eu te amo. Quando eu digo que não quero mais você, é porque eu te quero… Eu tenho medo de te dar meu coração, e confessar que eu estou em tuas mãos, mas não posso imaginar o que vai ser de mim, se eu te perder um dia… Eu me afasto e me defendo de você, mas depois me entrego… Faço tipo, falo coisas que eu não sou, mas depois eu nego… Mas a verdade é que sou louco por você, e tenho medo de pensar em te perder, eu preciso aceitar que não dá mais, pra separar as nossas vidas… E nessa loucura, de dizer que não te quero, vou negando as aparências, disfarçando as evidências, mas pra que viver fingindo, se eu não posso enganar meu coração, eu sei que te amo… Chega de mentiras, de negar o meu desejo, eu te quero mais que tudo, eu preciso do seu beijo, eu entrego a minha vida, pra você fazer o que quiser de mim, só quero ouvir você dizer que sim… Diz que é verdade, que tem saudade, que ainda você pensa muito em mim… Diz que é verdade, que tem saudade, que ainda você quer viver pra mim… E nessa loucura, de dizer que não te quero, vou negando as aparências, disfarçando as evidências, mas pra que viver fingindo, se eu não posso enganar meu coração, eu sei que te amo… Chega de mentiras, de negar o meu desejo, eu te quero mais que tudo, eu preciso do seu beijo, eu entrego a minha vida, pra você fazer o que quiser de mim, só quero ouvir você dizer que sim… Diz que é verdade, que tem saudade, que ainda você pensa muito em mim… Diz que é verdade, que tem saudade, que ainda você quer viver pra mim…” (Ana Carolina – Evidências – Comp.: José Augusto Paulo S. Vale)

Qualquer distância entre nós, virou um abismo sem fim, quando estranhei sua voz, eu te procurei em mim, ninguém vai resolver problemas de nós dois… Se tá tão difícil agora, se um minuto a mais demora, nem olhando assim mais perto, consigo ver porque tá tudo tão incerto… Será que foi alguma coisa que eu falei? Ou algo que fiz que te roubou de mim? Sempre que eu encontro uma saída, você muda de sonho e mexe na minha vida… O meu amor conhece cada gesto seu, palavras que o seu olhar só diz pro meu, se pra você a guerra está perdida, olha que eu mudo os meus sonhos, pra ficar na sua vida!… Se tá tão difícil agora, se um minuto a mais demora, nem olhando assim mais perto, consigo ver porque tá tudo tão incerto… Será que foi alguma coisa que eu falei? Ou algo que fiz que te roubou de mim? Sempre que eu encontro uma saída, você muda de sonho e mexe na minha vida… O meu amor conhece cada gesto seu, palavras que o seu olhar só diz pro meu, se pra você a guerra está perdida, olha que eu mudo os meus sonhos, pra ficar na sua vida!… O meu amor conhece cada gesto seu, palavras que o seu olhar só diz pro meu, se pra você a guerra está perdida, olha que eu mudo os meus sonhos, pra ficar na sua vida!…(Ana Carolina – Problemas – Comp.: Ana Carolina / Dudu Falcão / Chiara Civello)

Espera aí! Nem vem com essa história, eu nem quero ouvir. Não dá pra te esquecer agora, como assim? ‘Cê disse que me amava tanto ontem, eu juro que ouvi… Calma aí! Que diabo você tá dizendo agora? Que onda é essa de outro lance pra viver? Você nem pode tá falando sério… Vivi pra você. Morri pra você… Pois então vai! A porta esteve aberta o tempo todo, sai! Quem tá lhe segurando? Você sabe voar… Pois então vai! A porta na verdade nem existe, sai! O que está esperando? Você sabe voar… Então tá bom! É, senta e conta logo tudo devagar. Não minta, não me faça, suportar, você caindo nesse abismo enorme, tão fora de mim… Tá legal! É, e eu faço o quê com a nossa vida genial? ‘Cê vai viver pra outra vida e eu fico aqui, na vida que ficou em minha vida, tão perto de mim… Tão longe de mim… Pois então vai! A porta esteve aberta o tempo todo, sai! Quem tá lhe segurando? Você sabe voar… Pois então vai! A porta na verdade nem existe, sai! O que está esperando? Você sabe voar… Uhuu, de volta pra mim… De volta pra mim…(Ana Carolina – Vai – Comp.: Simone Saback)

Não fique triste! Procure o conforto que o céu dá a todos aqueles que se conformam e aceitam as dores com resignação. Se aquela criatura que você ama acima de tudo, mais do que a você mesmo, foi ingrata com você, não fique triste: peça que o Pai a ajude e que ela se torne cada vez mais feliz… Entregue ao Pai Todo-Compreensivo aqueles a quem você ama, e ame-os você também.” (Minutos de Sabedoria Pg. 215)

 

Bom dia pessoal,

De hoje até sábado estaremos na bela cidade de Mairi, participando do Primeiro Seminário Regional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. De lá, na medida em que o trabalho permita, estaremos publicando o “Trabalhando com Poesia”. Mais uma oportunidade de dialogar sobre Pessoas com Deficiência e as inovações da LBI. Motivo de agradecer as pérolas encontradas a cada passo desta caminhada pela vida e seguir lutando e pedindo sabedoria e luz para ver sempre o melhor caminho a seguir. #VamoQueVamo #PCDNaPauta #AcessibilidadePlena

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje textos do blog de Marcelo Auler. Vale a pena conferir:

 

Frei Betto: Por que não se fala em reforma política? Por Marcelo Auler – Uma constituinte exclusiva para a reforma política é a saída, mas com o retorno de Dilma Rousseff à presidência, sem os atuais golpistas que estão no Palácio do Planalto. Oficialmente, o título deste artigo escrito por Frei Betto, é “Cleptocracia Institucionalizada”, mas o cerne da questão atualmente, nesse momento de incerteza que todos vivemos, é outro. Está na frase final do autor do texto, o que me levou a postar o título acima. Não acho que devamos esquecer nem esmorecer no combate à corrupção que, como Betto mostra, dela já falava Padre Vieira, no século XVII. Era e é um problema com o qual temos que nos preocupar na expectativa de que deixe de ser. Ou, pelo menos, se torne algo pontual, jamais institucionalizado, ao ponto que se chegou…

http://www.marceloauler.com.br/frei-betto-por-que-nao-se-fala-em-reforma-politica/

 

Um estorvo chamado Cunha. Por Arnaldo César (*) – Quantas denúncias mais a Procuradoria Geral da República terá que fazer para que o deputado Eduardo Cunha, presidente afastado da Câmara Federal, deixe de ser um dos mandachuvas desta Nação interina? Com as tramoias envolvendo o Porto Maravilha, a Friboi e Hypermarcas, ele atingiu o placar de três denúncias. Anteriormente, o procurador Rodrigo Janot havia apoquentado o parlamentar pelas traquinagens na compra de uma plataforma da Mitsubishi e depois pelo envio de recursos para uma conta na Suíça, devidamente, camuflada em um truste sediado num paraíso fiscal…

 

http://www.marceloauler.com.br/um-estorvo-chamado-cunha/

 

Delegado esconde suas manobras judiciais e pede volta da censura ao blog. Por Marcelo Auler – Para o delegado Moscardi o repúdio à censura que ele propôs ao blog é uma questão de “corporativismo”. Ao recorrer ao 12° Juizado Especial Cível de Curitiba pedindo a revisão da decisão que extinguiu o seu processo de danos morais contra o editor deste blog, o delegado federal Maurício Moscardi Grillo solicitou o restabelecimento da censura e acusou o jornalista de promover um “escárnio”. Em outra petição dirigida à Turma Recursal do Tribunal de Justiça do Paraná, classificou de “corporativismo” o repúdio manifestado à censura: “Em razão dessa decisão o réu disseminou no meio jornalístico estar sofrendo censura, e pelo corporativismo, trouxe à decisão liminar e ao juízo a quo imensa atenção e exposição, seguidas das mais duras críticas por aqueles que desconheciam por completo o conteúdo dos autos“, disse por meio de sua advogada Márcia Eveline Mialik Marena…

 

http://www.marceloauler.com.br/delegado-esconde-suas-manobras-judiciais-e-pede-volta-da-censura-ao-blog/

 

 

Na defesa da biografia do marido, mulher de Paulo Freire reclama a Michel Temer. Por Marcelo Auler(*) – Após tomar conhecimento que, através de servidores de uso do Serviço de Processamento de Dados do governo Federal – SERPRO -. na tarde de teça-feira (28/06), alguém modificou a biografia de seu marido, Paulo Freire, incluindo trechos do de uma publicação do site do Instituto Liberal  chamando o educador brasileiro, reconhecido internacionalmente, de “Assassinato do Conhecimento”, sua viúva, Ana Maria Araújo Freire, a Nita Freire, protestou em carta ao vice-presidente no exercício interino da presidência, Michel Temer. “Para a construção de um país verdadeiramente democrático é da mais alta importância, que, órgãos do Estado ou que prestam serviços a ele, como o SERPRO, não estejam compactuando com interpretações de espíritos liberais inescrupulosos, que, intencionalmente maculam a honra de um homem que deu sua vida para que a educação, sobretudo a do Brasil, possibilitasse a libertação e a autonomia dos homens e das mulheres de nosso querido país. Nunca sob o bastão da intolerância, do fascismo ou do comunismo”, diz ela na carta que já chegou ao Palácio do Planalto…

http://www.marceloauler.com.br/na-defesa-da-biografia-do-marido-mulher-de-paulo-freire-reclama-a-michel-temer/

 

 

Veja a versão desta terça feira, bem como as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

 

https://oipa2.wordpress.com/2016/07/05/trabalhando-com-poesia-753
Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Terça-feira abençoada por Deus e protegida pela força guerreira de Ogum. Ogunhê!!!

 

Apio Vinagre Nascimento

e-mail: apiovinagre.adv@gmail.com

e-mail 1: apio.vinagre @pedraevinagre.adv.br

e-mail 2: oipa2@hotmail.com

e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br

site: http://www.pedraevinagre.adv.br
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr:
http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Skype: a_vinagre1
Youtube:
http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio 
Fones: (71) 98814-5332 / 99154-0168 / 99982-7223 / 98214-0894

 

Timidez – Cecília Meireles

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve…
– mas só esse eu não farei.
Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes…
– palavra que não direi.
Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,
– que amargamente inventei.
E, enquanto não me descobres,
os mundos vão navegando
nos ares certos do tempo,
até não se sabe quando…
e um dia me acabarei.


O meu amor – Cecília Meireles

O meu amor não tem
importância nenhuma.
Não tem o peso nem
de uma rosa de espuma!
Desfolha-se por quem?
Para quem se perfuma?
O meu amor não tem
importância nenhuma.


Canção – Cecília Meireles

Não te fies do tempo nem da eternidade,
que as nuvens me puxam pelos vestidos
que os ventos me arrastam contra o meu desejo!
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te vejo!
Não demores tão longe, em lugar tão secreto,
nácar de silêncio que o mar comprime,
o lábio, limite do instante absoluto!
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã eu morro e não te escuto!
Aparece-me agora, que ainda reconheço
a anêmona aberta na tua face
e em redor dos muros o vento inimigo…
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã eu morro e não te digo…

Anúncios
Esse post foi publicado em Livros, Notícias e política e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s