Trabalhando com Poesia

“… No serviço de auto-falante do morro do Pau da Bandeira, quem avisa é o Zé do Caroço, amanhã vai fazer alvoroço, alertando a favela inteira… Aí como eu queria que fosse em mangueira, que existisse outro Zé do Caroço, pra falar de uma vez pra esse moço, carnaval não é esse colosso, nossa escola é raiz, é madeira… Mas é o Morro do Pau da Bandeira, de uma Vila Isabel verdadeira… E o Zé do Caroço trabalha e, o Zé do Caroço batalha e, que malha o preço da feira… E na hora que a televisão brasileira, destrói toda gente com a sua novela, é que o Zé bota a boca no mundo, ele faz um discurso profundo, ele quer ver o bem da favela… Está nascendo um novo líder, no morro do Pau da Bandeira… Está nascendo um novo líder, no morro do Pau da Bandeira, no morro do Pau da Bandeira, no morro do Pau da Bandeira… Lelelelê Lelelelelelelelelê, Lelelelê Lelelelelelelelelê… No serviço de auto-falante do morro do Pau da Bandeira, quem avisa é o Zé do Caroço, amanhã vai fazer alvoroço, alertando a favela inteira… Aí como eu queria que fosse em mangueira, que existisse outro Zé do Caroço, pra falar de uma vez pra esse moço, carnaval não é esse colosso, nossa escola é raiz, é madeira… Mas é o Morro do Pau da Bandeira, de uma Vila Isabel verdadeira… E o Zé do Caroço trabalha e, o Zé do Caroço batalha e, que malha o preço da feira… E na hora que a televisão brasileira, destrói toda gente com a sua novela, é que o Zé bota a boca no mundo, ele faz um discurso profundo, ele quer ver o bem da favela… Está nascendo um novo líder, no morro do Pau da Bandeira… Está nascendo um novo líder, no morro do Pau da Bandeira, no morro do Pau da Bandeira, no morro do Pau da Bandeira… Lelelelê Lelelelelelelelelê, Lelelelê Lelelelelelelelelê…” (Seu Jorge – Zé do caroço – Comp.: Leci Brandão)

“…Ela é amiga da minha mulher, pois é, pois é, mas vive dando em cima de mim, enfim, enfim… Ainda por cima é uma tremenda gata, pra piorar minha situação, se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração, se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não… Minha mulher me perguntou até: qual é, qual é? Eu respondi que não tô nem aí, menti, menti… De vez em quando eu fico admirando, é muita areia pro meu caminhão , se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração, se fosse mulher feia tava tudo certo, mulher bonita mexe com meu coração… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não… O meu cunhado já me avisou, que se eu der mole ele vai me entregar, a minha sogra me orientou, isso não tá certo é melhor parar… Falei, ela não quis ouvir, pedi, ela não respeitou, eu juro! a carne é fraca mas nunca rolou… Falei, ela não quis ouvir, pedi, ela não respeitou, eu juro! a carne é fraca mas nunca rolou… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não.. Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não.. Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não.. Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não… Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não.. Não pego, eu pego, não pego, eu pego, eu não pego não…” (Seu Jorge – Amiga da minha mulher – Comp.: Gabriel Moura e Seu Jorge)

“… Carolina é uma menina bem difícil de esquecer, andar bonito e um brilho no olhar, tem um jeito adolescente que me faz enlouquecer e um molejo que não vou te enganar… Maravilha feminina, meu docinho de pavê, inteligente, ela é muito sensual, te confesso que estou apaixonado por você… Ô Carolina isso é muito natural! Ô Carolina eu preciso de você! Ô Carolina eu não vou suportar não te ver! Carolina eu preciso te falar! Ô Carolina eu vou amar você!… De segunda a segunda eu fico louco pra te ver, quanto eu te ligo você quase nunca está… Isso era outra coisa que eu queria te dizer, não temos tempo então melhor deixar pra lá… A princípio no Domingo o que você quer fazer? faça um pedido que eu irei realizar, olha aí amigo eu digo que ela só me dá prazer, essa mina Carolina é de abalar, ô… Ô Carolina eu preciso de você! Ô Carolina não vou suportar não te ver! Carolina eu preciso te falar! Ô Carolina eu vou amar você! Carolina, Carolina… Carolina, preciso te encontrar! Carolina, me sinto muito só1 Carolina, preciso te dizer! Ô Carolina eu só quero amar você! Carolina, Carolina… Carolina, preciso te encontrar! Carolina, me sinto muito só1 Carolina, preciso te dizer! Ô Carolina eu só quero amar você!… Carolina é uma menina bem difícil de esquecer, andar bonito e um brilho no olhar… Tem um jeito adolescente que me faz enlouquecer e um molejo que não vou te enganar… Maravilha feminina, meu docinho de pavê, inteligente, ela é muito sensual, te confesso que estou apaixonado por você… Ô Carolina eu preciso de você! Ô Carolina não vou suportar não te ver! Carolina eu preciso te falar! Ô Carolina eu vou amar você… Eu vou amar você, pois eu vou te dar muito carinho; Vou te dar beijinho no cangote., oi Carolina, menina bela, menina bela… Carolina, preciso te encontrar! Carolina, me sinto muito só! Carolina, preciso te dizer! Ô Carolina eu só quero amar você… Ô Carolina eu preciso de você! Ô Carolina não vou suportar não te ver! Carolina eu preciso te falar! Ô Carolina eu vou amar você… Eu vou amar você, pois eu vou te dar muito carinho; Vou te dar beijinho no cangote., oi Carolina, menina bela, menina bela… Carolina, preciso te encontrar! Carolina, me sinto muito só! Carolina, preciso te dizer! Ô Carolina eu só quero amar você… Ô Carolina eu preciso de você! Ô Carolina não vou suportar não te ver! Carolina eu preciso te falar! Ô Carolina eu vou amar você… Eu vou amar você, pois eu vou te dar muito carinho; Vou te dar beijinho no cangote., oi Carolina, menina bela, menina bela… Carolina, preciso te encontrar! Carolina, me sinto muito só! Carolina, preciso te dizer! Ô Carolina eu só quero amar você… Carolina, Carolina… Carol, Carol, Carol” (Seu Jorge – Carolina – Comp.: Seu Jorge)

“A vida é alegria, quando espalhamos apenas otimismo e amor em redor de nós. Busque sempre ajudar e ser vir, derramando felicidade em torno de você, e a alegria voltará para você mesmo. Procure viver integrado na Energia Cósmica, que se dá igualmente a todos, e você verá que sua vida se transformará num ato de puro amor e num paraíso de felicidades sem limites.” (Minutos de Sabedoria Pg. 277)

Bom dia pessoal,
Dia de tensão e emoção para a torcida do Bahia, que enfrenta hoje o Flamengo no Rio de Janeiro, pelo brasileirão da série A. o time baiano encontra-se na 12ª posição, necessitando de um triunfo para escapar do Z4.

A presidenta Dilma Rousseff, em anúncio de investimentos para mobilidade urbana em Salvador, nesta terça-feira (15), destacou a importância de se oferecer qualidade, preço de tarifas adequado e integração entre os diferentes modais disponíveis. Dilma reforçou a necessidade de se investir na construção de linhas de metrô em grandes cidades, como a capital baiana, que receberá do governo federal R$ 2,3 bilhões para construção do sistema metroviário.
“Essa obra mostra um novo momento no tratamento da mobilidade urbana do país. (…) Olharemos também as condições em que as pessoas são transportadas, se tem segurança rapidez e conforto. Temos de olhar a modicidade tarifária, se as pessoas estão pagando adequadamente. (…) O que vem acontecendo no Brasil é que temos que ter a concepção de que o metro, em grandes cidades é fundamental”, afirma.
A presidenta defendeu a integração do transporte para melhorar a acessibilidade e para diminuir a tarifa cobrada do usuário, com soluções como o bilhete único. Dilma lembrou que, além de pesar menos no orçamento das famílias, medidas como essa ainda devolvem tempo para as pessoas, que podem ter acesso a mais lazer, mais tempo em casa e para estudar.
“Os corredores de ônibus, o monotrilho, a barca, todas essas modalidades têm de ser integradas. Achei muito bom que apresentação aqui mostra a integração dos diferentes tipos de transporte. Uma cidade sempre é um campo em que as desigualdades sociais aparecem. (…) Fazer transporte transversal, que permita que todos os bairros sejam acessíveis, é fundamental para o transporte urbano”, completa.

(Fonte: http://blog.planalto.gov.br/dilma-metro-de-salvador-mostra-novo-momento-no-trato-da-mobilidade-urbana-do-pais/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=dilma-metro-de-salvador-mostra-novo-momento-no-trato-da-mobilidade-urbana-do-pais)

Confira o vídeo com o discurso da Presidenta Dilma:

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje textos de alguns importantes blogs. Vale a pena conferir:

Vox: Dilma vence em todos os cenários no 1º turno – Na simulação em que a presidente vence de maneira mais apertada, o resultado é de 41% para ela contra 40% da soma entre as intenções para a ex-ministra Marina Silva (21%) e o ex-governador José Serra (19%); Instituto Vox Populi realizou pesquisa nacional que aponta vitória da presidente Dilma Rousseff no primeiro turno das eleições de 2014 contra todos os seus adversários; todas as simulações foram testadas; Dilma versus o tucano Aécio Neves e o socialista Eduardo Campos; a presidente contra a ex-ministra Marina Silva e o ex-governador José Serra; ou enfrentando Aécio e Marina ou Campos e Serra; também foram testados todos os cenários possíveis de segundo turno; confira os índices (…)

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/117914/Vox-Dilma-vence-em-todos-os-cen%C3%A1rios-no-1%C2%BA-turno.htm

Campos deu carona ao escorpião?, Por Fernando Brito, no blog Tijolaço: – Mesmo na política brasileira, onde o interesse pessoal, com tanta frequência, é o centro das razões políticas, é difícil entender porque Eduardo Campos entregou sua candidatura, de maneira tão evidente, às mãos de harpia de Marina Silva. Porque parece evidente que não havia entre ambos, até a semana passada, sequer uma relação de proximidade, quanto mais uma identidade política, passo inicial de qualquer lealdade política.

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/10/campos-deu-carona-ao-escorpiao.html#more

O FANTASMA DA PROLETARIZAÇÃO ATEMORIZA OS MÉDICOS – Mercado e saúde não têm se revelado uma boa combinação: custos elevados, mau atendimento, negativas de exames e de cirurgias. O setor público não se sai melhor. O corporativismo e uma política deliberada de privatização contribuem para isso. É nesse contexto que as reações ao Mais Médicos precisam ser analisadas, por Paulo de Tarso Soares, Ana Paula Paulino da Costa, José Paulo Guedes Pinto, para Le Monde Diplomatique – O que ocorre na medicina não é diferente do que ocorre no resto da economia capitalista. A luta entre patrão e empregado, a tal luta de classes, faz que o trabalho direto seja substituído pelas máquinas. E esse processo não é indolor.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=ff47afc1bc40f685b0982f6b0e40248b&cod=12592

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/16/trabalhando-com-poesia-528

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quarta-feira abençoada por Deus e repleta da força da rainha dos ventos e trovões. Eparrey Oyá.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 1: apio.nascimento@sedesba.ba.gov.br
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Disparada – Geraldo Vandré

Prepare o seu coração
Prás coisas
Que eu vou contar
Eu venho lá do sertão
Eu venho lá do sertão
Eu venho lá do sertão
E posso não lhe agradar…

Aprendi a dizer não
Ver a morte sem chorar
E a morte, o destino, tudo
A morte e o destino, tudo
Estava fora do lugar
Eu vivo prá consertar…

Na boiada já fui boi
Mas um dia me montei
Não por um motivo meu
Ou de quem comigo houvesse
Que qualquer querer tivesse
Porém por necessidade
Do dono de uma boiada
Cujo vaqueiro morreu…

Boiadeiro muito tempo
Laço firme e braço forte
Muito gado, muita gente
Pela vida segurei
Seguia como num sonho
E boiadeiro era um rei…

Mas o mundo foi rodando
Nas patas do meu cavalo
E nos sonhos
Que fui sonhando
As visões se clareando
As visões se clareando
Até que um dia acordei…

Então não pude seguir
Valente em lugar tenente
E dono de gado e gente
Porque gado a gente marca
Tange, ferra, engorda e mata
Mas com gente é diferente…

Se você não concordar
Não posso me desculpar
Não canto prá enganar
Vou pegar minha viola
Vou deixar você de lado
Vou cantar noutro lugar

Na boiada já fui boi
Boiadeiro já fui rei
Não por mim nem por ninguém
Que junto comigo houvesse
Que quisesse ou que pudesse
Por qualquer coisa de seu
Por qualquer coisa de seu
Querer ir mais longe
Do que eu…

Mas o mundo foi rodando
Nas patas do meu cavalo
E já que um dia montei
Agora sou cavaleiro
Laço firme e braço forte
Num reino que não tem rei

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Temos rotas a seguir, podemos ir daqui pro mundo, mas, quero ficar porque, quero mergulhar mais fundo… Só de me encontrar no seu olhar, já muda tudo! Posso respirar você e, posso te enxergar no escuro… Tem muito tempo na estrada, muito tem! E como quem não quer nada, você vem… Depois da onda pesada, a onda zen e, namorar na almofada e dormir bem… Foi o seu olhar o que me encantou, quero um pouco mais desse seu amor… Foi o seu olhar o que me encantou, quero um pouco mais desse seu amor… Temos rotas a seguir, podemos ir daqui pro mundo, mas, quero ficar porque, quero mergulhar mais fundo… Só de me encontrar no seu olhar, já muda tudo! Posso respirar você e, posso te enxergar no escuro… Tem muito tempo na estrada, muito tem! E como quem não quer nada, você vem… Depois da onda pesada, a onda zen e, namorar na almofada e dormir bem… Foi o seu olhar o que me encantou, quero um pouco mais desse seu amor… Foi o seu olhar o que me encantou, quero um pouco mais desse seu amor…” (Seu Jorge – Seu Olhar – Comp.: Seu Jorge)

“… Minha cabeça bem confusa, só de ver ela passar, só de ver ela sem mim, ainda usa a mesma blusa, com o broche que eu lhe dei, combinando com o colar… Eu fico imaginando coisas, me pego imaginando coisas, eu fico imaginando coisas, me pego imaginando coisas… Lembranças de um tempo bom, que a gente se amava em paz, que pena que eu vacilei, agora que não dá mais, você não me deu perdão, não tem problema, espero que esteja bem, feliz como eu fui feliz… O tempo é quem vai dizer, a vida quem quis assim! Não sou capaz de entender, como saí de cena, não dá pra mim, eu vou voar, melhor assim… . Minha cabeça bem confusa, só de ver ela passar, só de ver ela sem mim, ainda usa a mesma blusa, com o broche que eu lhe dei, combinando com o colar… Eu fico imaginando coisas, me pego imaginando coisas, eu fico imaginando coisas, me pego imaginando coisas… Lembranças de um tempo bom, que a gente se amava em paz, que pena que eu vacilei, agora que não dá mais, você não me deu perdão, não tem problema, espero que esteja bem, feliz como eu fui feliz… O tempo é quem vai dizer, a vida quem quis assim! Não sou capaz de entender, como saí de cena, não dá pra mim, eu vou voar, melhor assim…” (Seu Jorge & Paula Lima – Cuidar de mim – Comp.: Seu Jorge / Gabriel Moura / Rogê)

“… Sou morador da favela, também sou filho de Deus, não sou de chorar mazelas, mas meu amor se perdeu… Sou operário da vida, da vida que Deus me deu, mas se eu chego atrasado, o meu alguém já comeu… João, José, Jesus, Mané, Tião, Lelé, Xangô, Bené… É a Cidade de Deus, só que Deus esqueceu de olhar, a essa gente que não cansa de apanhar… Não vem dizer que a situação é uma questão de trabalhar, que vai ter nego querendo te advogar… João, José, Jesus, Mané, Tião, Lelé, Xangô, Bené… João, José, Jesus, Mané, Tião, Lelé, Xangô, Bené… João, José, Jesus, Mané, Tião, Lelé. Xangô, Bené… João, José, Jesus, Mané, Tião, Lelé, Xangô, Bené…” (Seu Jorge – Convite para a vida – Comp.: Seu Jorge)

“Evite acusar e criticar. Procure, antes, colaborar, sobretudo com seu exemplo digno e nobre. Tudo tem sua razão de ser na vida, embora nem sempre saibamos compreender, porque não temos uma visão completa, já que só podemos ver a superfície das pessoas e coisas. Deixe o julgamento Aquele que vê os corações e que está dentro de cada um de nós, lendo os mais secretos pensamentos e intenções.” (Minutos de Sabedoria Pg. 276)

Bom dia pessoal,

O meu abraço nesta terça feira é dirigido a todos os professores e professoras, pela passagem do seu dia. Que a cada momento de suas vidas, a responsabilidade que lhes recai sobre os ombros seja, além de positivamente cumprida, seja digna e respeitosamente recompensada. Parabéns!

A Presidenta Dilma Roussef estará na Bahia nesta terça feira. Em Vitória da Conquista entrega formalmente quatro empreendimentos do Programa Minha Casa Minha Vida, no Bairro Senhorinha Cairo, contemplando 1740 famílias. Em parceria entre a SEDES, a SEDUR e a Prefeitura Municipal, um grupo de mulheres moradoras deste empreendimento receberam equipamentos de costura, do Programa Vida Melhor Urbano. As unidades habitacionais dos Residenciais Acácia (500 unidades), Ipê (366 unidades), Pau-Brasil (374 unidades) e Jequitibá (500 unidades) são destinados às famílias com renda de até R$ 1,6 mil (Faixa I). A entrega das moradias acontecerá no Loteamento Miro Cairo, bairro Senhorinha Cairo, e contará com a presença da presidenta Dilma Rousseff; do governador da Bahia, Jaques Wagner; do prefeito Guilherme Menezes; do presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda; entre outras autoridades.
Em Salvador a Presidenta assinará, Juntamente com o Governador Jaques Wagner, no Grand Hotel Stella Maris. Dilma irá participar da ordem de serviço de conclusão da Linha 1 e da construção da Linha 2 do metrô, que vai da Paralela até o Aeroporto, seguindo para Lauro de Freitas, além de anunciar outros investimentos do PAC Mobilidade em Salvador.

Segundo a Secretaria estadual de Desenvolvimento Urbano, com a assinatura do contrato da Parceria Público-Privada, a Linha 1 será concluída e a Linha 2 implantada. Ainda de acordo com a pasta, o trecho do metrô que vai da estação da Lapa até a estação Retiro entrará em funcionamento em junho de 2014. No mês de janeiro de 2015, será iniciada a operação comercial para o trecho Lapa a Pirajá.

A proposta apresentada pela CCR prevê um valor de R$ 127,6 milhões por ano, como contrapartida do Estado para o sistema metroviário. O que representa um deságio de 5,05% em relação ao teto estabelecido no edital de licitação do empreendimento (R$ 136 milhões).

Pensador – O edital de licitação do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas foi lançado em maio. Na ocasião, o governador da Bahia Jaques Wagner ressaltou o trabalho do senador Walter Pinheiro (PT-BA) para viabilizar o projeto: “Pinheiro participou de todo este trabalho como nosso secretário do Planejamento e hoje cumpre a tarefa de nos apoiar atuando em Brasília. Ele é pensador de todo este projeto que estamos fazendo”.
A implantação da Avenida 29 de Março e a duplicação da Avenida Gal Costa também tiveram a contribuição direta de Pinheiro. Quando assumiu, em 2009, a Secretaria de Planejamento a convite do governador, ele participou do nascedouro destas e outras soluções de mobilidade urbana da capital baiana.

São da lavra de Pinheiro a construção do acesso direto entre a Av. Luís Eduardo e a BR-324, e intervenções com viadutos e novas vias de acesso em locais de grande engarrafamento de veículos: Av. ACM (em frente ao Hiperposto); no cruzamento das avenidas Garibaldi e Vasco da Gama; na região de fluxo do Parque da Cidade, com um novo entroncamento da Av. Juracy Magalhães com a Av. ACM; no entroncamento da Vasco da Gama com a Centenário (na Rótula dos Barris); no Costa Azul, interligando a orla à Av. Magalhães Neto; e melhoria da ligação entre o Iguatemi e a Paralela. (Fonte: Site PT Bahia)

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, três textos do blog Brasil 247. Vale a pena conferir:

“Reinaldo tem razão: JB desmoralizou o mensalão” – Pela primeira vez em muito tempo, Reinaldo Azevedo, blogueiro de Veja.com, acertou; em artigo publicado nesta segunda-feira, ele afirma que o discurso político de Joaquim Barbosa solapa a credibilidade do Supremo Tribunal Federal; “Não dá! Alguém imagina um membro da Suprema Corte dos EUA a especular sobre a própria candidatura? Ou da Alemanha? Ou da França? Ou aqui pertinho, do Chile? Isso é coisa típica, lamento constatar, de republiqueta, em que as autoridades não se dão conta do papel de que estão investidas e não prestam atenção ao peso que têm suas respectivas funções”, diz ele; na prática, ao se colocar como presidenciável, Barbosa deixa no ar a dúvida: virou político agora ou já era quando conduzia o processo do chamado mensalão e fazia demagogia com a toga?

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/117807/Reinaldo-tem-raz%C3%A3o-JB-desmoralizou-o-mensal%C3%A3o.htm

Padilha: “torço para que Mais Médicos não seja usado como tema eleitoral” – Ministro da Saúde afirma que programa foi uma ação “de todos os prefeitos, de todos os partidos” e ressalta que se oposição atacar o programa vai cometer “um erro duplo”; para Padilha, a população saberá reconhecer o esforço da presidente Dilma na implantação do projeto; “não é qualquer presidente que tem a coragem que ela teve de lançar um programa como o Mais Médicos, enfrentando interesses da categoria”

http://www.brasil247.com/pt/247/saudeebemestar/117802/Padilha-tor%C3%A7o-para-que-Mais-M%C3%A9dicos-n%C3%A3o-seja-usado-como-tema-eleitoral.htm

“Não há por que Dilma temer qualquer adversário” – Como dublê de candidato a presidente em 2014, Lula fala ao jornal Página 12, da Argentina, cobrindo a frente externa para a presidente Dilma Rousseff, mas sem descuidar dos adversários eleitorais; “A maioria da população vê Dilma como a única capaz de garantir o aprofundamento das reformas sem permitir retrocesso”, disse ele; às vésperas de uma conferência em Buenos Aires, Lula bateu duro nos Estados Unidos; “O Alca não era um processo de integração econômica, mas de anexação da América Latina aos Estados Unidos”, disse; perguntado pelo jornalista Martín Granovsky se sua candidatura no lugar de Dilma é uma hipótese “absolutamente descartada” para 2014, Lula apenas respondeu com elogios a Dilma; leia íntegra:

http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/117757/%27N%C3%A3o-h%C3%A1-por-que-Dilma-temer-qualquer-advers%C3%A1rio%27.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/15/trabalhando-com-poesia-527

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Terça-feira abençoada por Deus.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

A Maré Encheu – Geraldo Vandré

A maré encheu
A maré vazou
Os cabelos da Morena
O riacho carregou

Era tão bonito a gente amando
Hoje vou sozinho vou lembrando
Ela que partiu, partiu chorando
Eu não sei chorar, vivo cantando

A maré encheu
A maré vazou
Os cabelos da Morena
O riacho carregou

Vida sem amor não vele nada
Samba só se faz com batucada
Triste só tem vez de madrugada
Ou mais, meu amor com minha amada

A maré encheu
A maré vazou
Os cabelos da Morena
O riacho carregou

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Tive razão, posso falar, não foi legal, não pegou bem! Que vontade de chorar, dói em pensar que ela não vem, só dói, mas pra mim tá tranquilo, eu vou zoar, o clima é de partida, vou dar sequência na vida!… E de bobeira é que eu não estou e você sabe como é que é, eu vou, mas poderei voltar quando você quiser! demorô vai ser melhor… Tive razão, posso falar, não foi legal, não pegou bem! Que vontade de chorar, dói em pensar que ela não vem, só dói, mas pra mim tá tranquilo, eu vou zoar, o clima é de partida, vou dar sequência na vida!… E de bobeira é que eu não estou e você sabe como é que é, eu vou, mas poderei voltar quando você quiser! demorô vai ser melhor… Tive razão, posso falar, não foi legal, não pegou bem! Que vontade de chorar, dói em pensar que ela não vem, só dói, mas pra mim tá tranquilo, eu vou zoar, o clima é de partida, vou dar sequência na minha vida!… E de bobeira é que eu não estou e você sabe como é que é, eu vou, mas poderei voltar quando você quiser! demorô vai ser melhor…” (Seu Jorge – Tive Razão – Comp.: Seu Jorge)

“…Pretinha, Uuuu Uuuu faço tudo pelo nosso amor, faço tudo pelo bem do nosso bem, meu bem, a saudade é minha dor e anda arrasando com o meu coração e não duvide que um dia eu te darei o céu… O meu amor junto com um anel, pra gente se casar, no cartório ou na igreja, se você quiser, se não quiser tudo bem, meu bem, mas tente compreender, morando em São Gonçalo você sabe como é, hoje a tarde a ponte engarrafou e eu fiquei a pé… Tentei ligar pra você, o orelhão da minha rua estava escangalhado, o meu cartão tava zerado, mas você crê se quiser… Mas tente compreender, morando em São Paulo você sabe como é, hoje a marginal engarrafou e eu fiquei a pé… Tentei ligar pra você, o orelhão da minha rua estava escangalhado, o meu cartão tava zerado, mas você crê se quiser, mas você crê se quiser, mas você crê se quiser, mas você crê se quiser, mas você crê se quiser…” (Seu Jorge – Pretinha – Comp.: Seu Jorge)

“…Ela sabe que eu quero, muito lhe espero, mas agora o assunto é particular, não acabou o amor, só o compromisso e isto não é banal, está com um novo amor e batalhou por isso, isto é muito pessoal… Ela sabe que eu quero, quanto tempo for espero, me desejo, me derreto com seu jeito de me olhar, porque o seu amor já virou meu vício, eu posso até me dar mal, por não ser seu amor, ou não ter compromisso, isto é particular… Agora eu vou lhe dá uma dica, uma dica, o mundo é tão lindo, ainda tem eu aqui te querendo, querendo, acordei pensando nisso… E o bom da vida é viver bem, estar bem, querer bem, deixa eu namorar… Viver bem, estar bem, querer bem, não é nada mau, viver bem, estar bem é particular… E o bom da vida é viver bem, estar bem, querer bem, deixa eu namorar… Viver bem, estar bem, querer bem, não é nada mau, viver bem, estar bem é particular…Ela sabe que eu quero, muito lhe espero, mas agora o assunto é particular, não acabou o amor, só o compromisso e isto não é banal, está com um novo amor e batalhou por isso, isto é muito pessoal… Ela sabe que eu quero, quanto tempo for espero, me desejo, me derreto com seu jeito de me olhar, porque o seu amor já virou meu vício, eu posso até me dar mal, por não ser seu amor, ou não ter compromisso, isto é particular… Agora eu vou lhe dá uma dica, uma dica, o mundo é tão lindo, ainda tem eu aqui te querendo, querendo, acordei pensando nisso… E o bom da vida é viver bem, estar bem, querer bem, deixa eu namorar… Viver bem, estar bem, querer bem, não é nada mau, viver bem, estar bem é particular… E o bom da vida é viver bem, estar bem, querer bem, deixa eu namorar… Viver bem, estar bem, querer bem, não é nada mau, viver bem, estar bem é particular…” (Seu Jorge – Pessoal particular – Comp.: Peu Meurray / Leonardo Reis / Seu Jorge)

“Mantenha-se calmo e sereno. Confie na Força Cósmica que enche todo o universo, inclusive sua própria pessoa. Focalize sua confiança em Deus que habita dentro de você e dentro de todas as criaturas. Liberte-se do medo, caminhe com segurança e procure ouvir as palavras de orientação, dita das, no mais profundo de seu coração, por Deus que habita dentro de você.” (Minutos de Sabedoria Pg. 275)

Bom dia pessoal,

Como foram de final de semana? Espero que bem. Mais uma semana se inicia e com ela se renovam as nossas expectativas de novas conquistas, de realizações e de sucesso.

Na nossa sugestão de leitura do “Trabalhando com Poesia” de hoje, três textos do site Pátria Latina. Vale a pena conferir:

“Marina empurra PSB para a direita”, Por Wanderley Guilherme dos Santos, no blog O Cafezinho: Em 48 horas de fulminante trajetória a ex-senadora Marina Silva provocou inesperados solavancos no panorama das eleições em 2014. Renegando o que há meses dizia professar aderiu ao sistema partidário que está aí, mencionou haver abrigado o PSB como Plano C, sem mencioná-lo a desapontados seguidores, e declarou guerra a um suposto chavismo petista. De quebra, prometeu enterrar a aniversariante república criada pela Constituição de 88, desprezando-a por ser “velha”. Haja água benta para tanta presunção.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=21a38ed2ee0c2c081c31286d29db2acc&cod=12590

Pesquisador demonstra impactos do Bolsa Família na aprendizagem – Para o especialista em políticas públicas Armando Simões, de 47 anos, está na hora de começar a imaginar o que a redução da pobreza pode fazer pela educação. Simões investigou se o Bolsa Família, maior programa de transferência condicionada de renda do mundo, influenciaria positivamente a aprendizagem dos alunos cujas famílias recebem o benefício.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=a7ea034186e14fb5f7b37cf664893cd2&cod=12586

AS MENTIRAS DO GOOGLE E DA MICROSOFT, por Dan Schiller/Le Monde Diplomtique – TESTEMUNHOS NO DEPARTAMENTO DE COMÉRCIO DOS EUA – Ao cancelar a visita de Estado que faria a Washington, a presidente Dilma destacou a responsabilidade da Casa Branca no caso Snowden. Por outro lado, as transnacionais da internet – parte integrante do sistema de vigilância orquestrado pelos serviços secretos dos Estados Unidos –são frequentemente poupadas das críticas.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e&cod=12576

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/13/trabalhando-com-poesia-526

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Segunda-feira abençoada por Deus e repleta da energia positiva.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Fabiana – Geraldo Vandré

Desde os tempos distantes de criança
Numa força sem par do pensamento,
Tem sentido infinito e resultante
Do que sempre será meu sentimento;
Todo teu, todo amor e encantamento,
Vertente, resplendor e firmamento.
Vive em tuas asas, todo o meu viver;
Meu sonhar marinho, todo amanhecer.
Como a flor do melhor entendimento,
A certeza que nunca me faltou,
Na firmeza do teu querer bastante,
Seja perto ou distante é meu sustento;
De lamentos não vive o que é querente
Do teu ser, no passado e no presente.
Vive em tuas asas, todo meu viver;
Meu sonhar marinho, todo amanhecer
Do futuro direi que sabem gentes,
De todos os rincões e continentes,
Que só tu sabes do meu querer silente,
Porque só tu soubeste, enquanto infante,
Das luzes do luzir mais reluzente,
Pertencer ao meu ser mais permanente.
Vive em tuas asas, todo o meu viver;
Meu Sonhar marinho, todo amanhecer.

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“…Tire suas mãos de mim, eu não pertenço a você! Não é me dominando assim, que você vai me entender. Eu posso estar sozinho, mas eu sei muito bem onde estou, você pode até duvidar, acho que isso não é amor… Será só imaginação? Será que nada vai acontecer? Será que é tudo isso em vão? Será que vamos conseguir vencer?… Nos perderemos entre monstros da nossa própria criação… Serão noites inteiras, talvez por medo da escuridão. Ficaremos acordados, imaginando alguma solução, pra que esse nosso egoísmo? Não destrua nosso coração… Será só imaginação? Será que nada vai acontecer? Será que é tudo isso em vão? Será que vamos conseguir vencer?… Brigar pra quê? Se é sem querer. Quem é que vai nos proteger? Será que vamos ter que responder, pelos erros a mais, eu e você?…” (Legião Urbana – Será – Comp.: Renato Russo/Dado Villa-Lobos)

“…De tarde quero descansar, chegar até a praia e ver se o vento ainda está forte e vai ser bom subir nas pedras… Sei que faço isso pra esquecer, eu deixo a onda me acertar, e o vento vai levando tudo embora… Agora está tão longe ver, a linha do horizonte me distrai… Dos nossos planos é que tenho mais saudade: quando olhávamos juntos, na mesma direção… Aonde está você agora, além de aqui, dentro de mim?… Agimos certo sem querer, foi só o tempo que errou, vai ser difícil sem você, porque você está comigo o tempo todo… E quando vejo o mar, existe algo que diz que a vida continua e se entregar é uma bobagem… Já que você não está aqui, o que posso fazer, é cuidar de mim… Quero ser feliz ao menos, lembra que o plano era ficarmos bem? Bem… Olha só o que eu achei: cavalos-marinhos… Sei que faço isso pra esquecer, eu deixo a onda me acertar, e o vento vai levando tudo embora…“ (Legião Urbana – Vento no Litoral – Comp.: Renato russo/Dado Villa-Lobos)

“…Uma menina me ensinou quase tudo que eu sei, era quase escravidão, mas ela me tratava como um rei… Ela fazia muitos planos, eu só queria estar ali, sempre ao lado dela, eu não tinha aonde ir… Mas, egoísta que eu sou, me esqueci de ajudar a ela como ela me ajudou, e não quis me separar… Ela também estava perdida, e por isso se agarrava a mim também, e eu me agarrava a ela, porque eu não tinha mais ninguém… E eu dizia, ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo… E eu dizia, ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo… E eu dizia, ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo… E eu dizia, ainda é cedo… Sei que ela terminou o que eu não comecei, e o que ela descobriu, eu aprendi também, eu sei… Ela falou: “Você tem medo.”, aí eu disse: “Quem tem medo é você.” Falamos o que não devia, nunca ser dito por ninguém… Ela me disse: “Eu não sei mais o que eu sinto por você, vamos dar um tempo, um dia a gente se vê.”… E eu dizia, ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo… E eu dizia, ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo… E eu dizia, ainda é cedo, cedo, cedo, cedo, cedo… E eu dizia, ainda é cedo…” (Legião Urbana – Ainda é cedo – Comp.: Ico-Ouro Preto / Dado Villa-Lobos / Renato Russo / Marcelo Bonfá)

Confira outros sucessos do Legião Urbana:

“Cultive a alegria em dose máxima. Alegria, porém, não é barulho: é um estado de alma de quem sente em si a plenitude da vida. A alegria provem de dentro de nós mesmos, da consciência tranquila, do cumprimento exato de nossos deveres, e vibra em nós apesar de todos os sofrimentos, calúnias e injustiças. Seja alegre sempre e, quando a tristeza quiser encobrir o sol de sua vida, entoe um cântico de louvor ao Pai, e a luz brilhara novamente em você.” (Minutos de Sabedoria Pg. 274)

Bom dia pessoal,

Dias seguem corridos e me impedindo de fazer o “Trabalhando com Poesia” com a amplitude que gosto, mas, vamo que vamo. Só não pode parar. A nossa homenagem às crianças, inclusive as que existem dentro de cada um (a) de nós.

Logo mais, às 8:30, estaremos na OAB Bahia, acompanhando um debate sobre Proposições que versam sobre redução da maioridade penal aceitando o convite do amigo Jerônimo Mesquita.

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, dois textos do site Correio do Brasil. Vale a pena conferir:

Um único Brasil e dois projetos em disputa – Em 2014 o povo brasileiro novamente elegerá uma opção entre dois projetos – Com o fim da peregrinação esotérica e “sonhática” de Marina Silva, fica provisoriamente desanuviado o cenário eleitoral de 2014. Como vem acontecendo em todas as eleições presidenciais desde o fim da ditadura militar, em 2014 o povo brasileiro novamente elegerá uma opção entre dois projetos e duas visões de país inteiramente distintas entre si. Será outra vez uma polarização sem matizes, sem relativismos, sem “terceiras-vias” e sem subterfúgios. Uma confrontação, enfim, de duas perspectivas frontalmente diferentes para o Brasil.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/opiniao/um-unico-brasil-e-dois-projetos-em-disputa/653040/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20131011

Haddad instala um ciclo a mais para alunos paulistanos no ano que vem – O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), assinou nesta quinta-feira os decretos que implementam o Mais Educação São Paulo – O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), assinou nesta quinta-feira os decretos que implementam o Mais Educação São Paulo, uma proposta de reforma curricular e estrutural na rede municipal, que foi apresentada há dois meses e esteve em consulta pública até 15 de setembro. Com a aprovação, o ensino fundamental da cidade passará a ter três ciclos no lugar dos dois atuais, já a partir do ano que vem.

http://correiodobrasil.com.br/educacao/haddad-instala-um-ciclo-a-mais-para-alunos-paulistanos-no-ano-que-vem/653016/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20131011

Lula se transforma em ‘candidato substituto’, enquanto Dilma não vem – Lula está em plena campanha, Brasil afora, pedindo votos para a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, no ano que vem – Ex-presidente da República e um dos líderes políticos mais influentes do país, o antigo líder sindical Luiz Inácio Lula da Silva colocou, mais uma vez, o pé na estrada. Ele segue a estratégia que chama de “candidato dublê” da presidenta Dilma Rousseff. Na manhã desta quinta-feira, Lula subiu falou durante mais de 40 minutos à 3ª Conferência Global sobre Trabalho Infantil, em Brasília, para reforçar sua associação ao Programa Bolsa Família, atacar a ajuda dos países ricos ao setor financeiro internacional e aproveitou para mandar recados aos adversários.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/lula-se-transforma-em-candidato-substituto-enquanto-dilma-nao-vem/653001/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20131011

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/11/3748/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma sexta-feira abençoada por Deus e coberta pela paz do Alá de Oxalá! Bom final de semana e até segunda feira.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Samba da Pessoa Que Quer Ser Feliz (Chico César)

a pessoa que quer ser feliz
que quer e que sempre quis
merece
que os deuses escutem sua prece
até o que nunca acontece
aconteça

que a longa noite amanheça
que a felicidade apareça
na forma disforme da luz
e amor que é ausência
e razão de sofrer
transforme-se em bem-querer
então esse bem-querer cresça

cresça como a flor
cresce no mangue em meio ao
manguezal / manguetown
cresça e fique imenso querer bem
até que essa pessoa esqueça o mal

Sonho de Curumim (Chico César)

Cunhã
Eu tive um sonho ruim
Sonhei que era de manhã
E um índio cherokee
Raptou você de mim
Cunhã
Tróia no xingu
Guerra das nações
Tacape atômico baixa no soho
E o grito de socorro é universal
Tróia no xingu
Guerra das nações
Reteso o arco da nova aliança
Dor signo flecha cruza o céu da aldeia global
A esperança é que no fim do episódio
Após o ódio
Vem o carnaval

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“…Aquele gosto amargo do teu corpo, ficou na minha boca por mais tempo; de amargo, então salgado ficou doce, assim que o teu cheiro forte e lento, fez casa nos meus braços e ainda leve, forte, cego e tenso, fez saber que ainda era muito e muito pouco… Faço nosso o meu segredo mais sincero, e desafio o instinto dissonante, a insegurança não me ataca quando erro, e o teu momento passa a ser o meu instante… E o teu medo, de ter medo, de ter medo, não faz da minha força confusão… Teu corpo é meu espelho, e em ti navego, e eu sei que a tua correnteza não tem direção… Mas, tão certo quanto o erro de ser barco a motor, e insistir em usar os remos, é o mal que a água faz quando se afoga, e o salva-vidas não está lá porque não vemos…” (Legião Urbana – Daniel na cova dos leões – Comp.: Renato russo)

“…Quem me dera, ao menos uma vez, ter de volta todo o ouro que entreguei a quem conseguiu me convencer que era prova de amizade, se alguém levasse embora até o que eu não tinha… Quem me dera, ao menos uma vez, esquecer que acreditei que era por brincadeira, que se cortava sempre um pano de chão de linho nobre e pura seda… Quem me dera ao menos uma vez, explicar o que ninguém consegue entender, que o que aconteceu ainda está por vir, e o futuro não é mais como era antigamente… Quem me dera, ao menos uma vez, provar que quem tem mais do que precisa ter, quase sempre se convence que não tem o bastante, fala demais por não ter nada a dizer… Quem me dera, ao menos uma vez, que o mais simples fosse visto como o mais importante, mas nos deram espelhos, e vimos um mundo doente… Quem me dera, ao menos uma vez, entender como um só Deus ao mesmo tempo é três, e esse mesmo Deus foi morto por vocês, sua maldade, então, deixaram Deus tão triste… Eu quis o perigo e até sangrei sozinho, entenda! Assim pude trazer você de volta pra mim. Quando descobri que é sempre só você, que me entende do início ao fim… E é só você que tem a cura, pro meu vício de insistir nessa saudade que eu sinto de tudo que eu ainda não vi… Quem me dera, ao menos uma vez, acreditar por um instante em tudo que existe, e acreditar que o mundo é perfeito, e que todas as pessoas são felizes… Quem me dera, ao menos uma vez, fazer com que o mundo saiba que seu nome, está em tudo e mesmo assim, ninguém lhe diz ao menos, obrigado… Quem me dera ao menos uma vez, como a mais bela tribo, dos mais belos índios, não ser atacado por ser inocente… Eu quis o perigo e até sangrei sozinho, entenda! Assim pude trazer você de volta pra mim. Quando descobri que é sempre só você, que me entende do início ao fim… E é só você que tem a cura, pro meu vício de insistir nessa saudade que eu sinto, de tudo que eu ainda não vi… Nos deram espelhos e vimos um mundo doente… Tentei chorar e não consegui… “ (Legião Urbana – Indios – Comp.: Renato russo)

“…Gosto de ver você dormir, que nem criança com a boca aberta, o telefone chega sexta-feira, aperto o passo por causa da garoa, me empresta um par de meias, a gente chega na sessão das dez, hoje eu acordo ao meio-dia, amanhã é a sua vez… Vem cá, meu bem, que é bom lhe ver, o mundo anda tão complicado, que hoje eu quero fazer tudo por você… Temos que consertar o despertador, e separar todas as ferramentas, que a mudança grande chegou, com o fogão e a geladeira e a televisão, não precisamos dormir no chão, até que é bom, mas a cama chegou na terça e na quinta chegou o som… Sempre faço mil coisas ao mesmo tempo, e até que é fácil acostumar-se com meu jeito, agora que temos nossa casa, é a chave que sempre esqueço… Vamos chamar nossos amigos, a gente faz uma feijoada, esquece um pouco do trabalho e fica de bate-papo, temos a semana inteira pela frente, você me conta como foi seu dia e a gente diz um pro outro: – Estou com sono, vamos dormir!… Vem cá, meu bem, que é bom lhe ver, o mundo anda tão complicado, que hoje eu quero fazer tudo por você… Quero ouvir uma canção de amor, que fale da minha situação, de quem deixou a segurança de seu mundo por amor…” (Legião Urbana – O mundo anda tão complicado – Comp.: Renato russo/Dado Villa-Lobos)

“Procure amar a tudo e a todos indistintamente. O amor é uma doação perene de luz e de felicidade, sem buscar retribuições e compensações. Em todas às criaturas está Deus que habita dentro de cada um de nós. Ame a Deus, amando a seu próximo tanto quanto a si mesmo. Distribua compreensão e paz, para que a felicidade possa morar definitivamente em seu coração.” (Minutos de Sabedoria Pg. 273)

Boa noite pessoal,

As atividades do dia não me permitiram uma maior formulação no “Trabalhando com Poesia” de hoje.

Na nossa sugestão de leitura de hoje artigos do Blog Brasil 247. Vale a pena conferir:

Lula aconselha Dilma após pacto Campos-Marina – Presidente e ex tiveram reunião de cerca de quatro horas com as presenças do presidente nacional do PT, Rui Falcão, do publicitário João Santana, do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e do ex-ministro da Secretaria de Comunicação Social, Franklin Martins; encontro discutiu “Mais Médicos”, discurso da presidente na Assembleia Geral da ONU, reforma política, mas as as eleições de 2014 foram o prato principal; “em relação às eleições, a avaliação que foi feita é que nós temos muito tempo ainda”, disse Mercadante; “foco principal para quem é governo é a qualidade do governo. Isso que trará nossa vitória, nisso que nós estamos seguros”, completou (…)

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/117454/Lula-aconselha-Dilma-ap%C3%B3s-pacto-Campos-Marina.htm

Juventude radical testa limites da ação política – Da ambientalista Ana Paula Maciel ao casal de namorados Luana e Humberto, novas gerações radicalizam em nome de causas objetivas e difusas; brasileira do Greenpeace virou questão de Estado, ao despertar apoio da presidente Dilma Rousseff diante do governo da Rússia, onde está presa sob acusação de pirataria; jovens paulistanos ressuscitam involuntariamente Lei de Segurança Nacional, na qual foram enquadrados por depredação de instalações militares nos últimos protestos em São Paulo; enquanto isso, invasão da Reitoria da USP tem pedido de reintegração de posse negado pela Justiça; até onde se pode ir?

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/117441/Juventude-radical-testa-limites-da-a%C3%A7%C3%A3o-pol%C3%ADtica.htm

Siemens aceita devolver verba de cartel ao governo – Presidente da companhia no Brasil, Paulo Ricardo Stark declarou aos vereadores da CPI dos Transportes da Câmara Municipal de São Paulo, nesta tarde, que “a Siemens está disposta a discutir acordo para ressarcimento de eventuais danos causados aos cofres públicos”, em decorrência do cartel formado por ela e outras 18 empresas em licitações do Metrô e trens do Estado; empresa é delatora de todo o suposto conluio por meio de acordo com o Cade; hoje, porém, Stark falou apenas em “indícios” do esquema; “A Siemens apurou indícios de possível formação de cartel que deverão ser apurados pelas autoridades competentes”; CPI ainda colhe depoimentos de representantes de outras empresas supostamente envolvidas

http://www.brasil247.com/pt/247/sp247/117439/Siemens-aceita-devolver-verba-de-cartel-ao-governo.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/10/trabalhando-com-poesia-525

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta-feira abençoada por Deus e coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Menos de Doer Mais de Doar (Carlos Careqa e Chico César)

Havia algo no ar
Um Zeppelim de paixão
Mais leve que o avião
Que acabou de passar

Havia algo no ar
Como uma pedra de gás
Gota, bolha e sinal
Havia algo e há

Havia algo no ar
Escureceu no meu quintal
Pra lá de Guiné Bissau
Não era rio e nem mar

Havia algo no ar
Que a solidão festejou
Pegar um barco em Manaus
Pegar um trem pra Moscou

Havia algo no ar
Feito o relógio do Sol
Caminho pro Pantanal
Havia e era total

Publicado em Livros | Marcado com , , | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Sempre precisei de um pouco de atenção, acho que não sei quem sou, só sei do que não gosto, e destes dias tão estranhos, fica a poeira se escondendo pelos cantos… Esse é o nosso mundo: O que é demais nunca é o bastante, e a primeira vez é sempre a última chance. Ninguém vê onde chegamos! Os assassinos estão livres, nós não estamos… Vamos sair, mas não temos mais dinheiro, os meus amigos todos estão procurando emprego, voltamos a viver como há dez anos atrás, e a cada hora que passa envelhecemos dez semanas… Vamos lá, tudo bem, eu só quero me divertir. Esquecer, dessa noite, ter um lugar legal pra ir… Já entregamos o alvo e a artilharia, comparamos nossas vidas e esperamos que um dia, nossas vidas possam se encontrar… Quando me vi tendo de viver comigo apenas e com o mundo, você me veio como um sonho bom. E me assustei, não sou perfeito, eu não esqueço… A riqueza que nós temos, ninguém consegue perceber, e de pensar nisso tudo, eu, homem feito, tive medo e não consegui dormir… Vamos sair, mas não temos mais dinheiro, os meus amigos todos estão procurando emprego, voltamos a viver como há dez anos atrás, e a cada hora que passa, envelhecemos dez semanas… Vamos lá, tudo bem, eu só quero me divertir, esquecer, dessa noite ter um lugar legal pra ir… Já entregamos o alvo e a artilharia, comparamos nossas vidas… E mesmo assim não tenho pena de ninguém…” (Legião Urbana – Teatro dos Vampiros – Comp.: Renato Russo / Dado Villa-Lobos)

“… Todos os dias quando acordo, não tenho mais o tempo que passou, mas tenho muito tempo… Temos todo o tempo do mundo… Todos os dias antes de dormir, lembro e esqueço como foi o dia… Sempre em frente. Não temos tempo a perder!… Nosso suor sagrado é bem mais belo que esse sangue amargo, e tão sério… E Selvagem, selvagem,
selvagem!… Veja o sol dessa manhã tão cinza, a tempestade que chega é da cor dos teus olhos castanhos… Então me abraça forte. E diz mais uma vez que já estamos distantes de tudo… Temos nosso próprio tempo… Temos nosso próprio tempo… Temos nosso próprio tempo… Não tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas… Agora, o que foi escondido é o que se escondeu, e o que foi prometido, ninguém prometeu, nem foi tempo perdido… Somos tão jovens… Tão Jovens… Tão Jovens!…” (Legião Urbana – Tempo perdido – Comp.: Renato Russo)

“… Parece cocaína, mas é só tristeza. Talvez tua cidade, muitos temores nascem do cansaço e da solidão… Descompasso, desperdício, herdeiros são agora da virtude que perdemos… Há tempos tive um sonho, não me lembro, não me lembro… Tua tristeza é tão exata, e hoje o dia é tão bonito. Já estamos acostumados a não termos mais nem isso… Os sonhos vêm, e os sonhos vão, e o resto é imperfeito… Dissestes que se tua voz tivesse força igual à imensa dor que sentes, teu grito acordaria, não só a tua casa, mas a vizinhança inteira… E há tempos, nem os santos têm ao certo a medida da maldade… E há tempos são os jovens que adoecem, e há tempos o encanto está ausente, e há ferrugem nos sorrisos, só o acaso estende os braços a quem procura abrigo e proteção, meu amor!… Disciplina é liberdade, compaixão é fortaleza, ter bondade é ter coragem, Ela disse: Lá em casa tem um poço, mas a água é muito limpa…” (Legião Urbana – Há tempos – Comp.: Renato Russo / Dado Villa-Lobos / Marcelo Bonfá)

“Tenha firmeza em suas atitudes e persistência em seu ideal. Mas seja paciente, não pretendendo que tudo lhe chegue de imediato. Há tempo para tudo. E tudo o que é seu virá às suas mãos, no momento oportuno. Saiba esperar o momento exato em que receberá os benefícios que pleiteia. Aguarde com paciência que os frutos amadureçam para que possa apreciar devidamente sua doçura.” (Minutos de Sabedoria Pg. 272)

Boa noite pessoal,

As atenções da Bahia esportiva nesse momento se voltam para a Fonte Nova, onde ocorreu, no momento em que produzia o “Trabalhando com Poesia” de hoje mais um BAxVI. O Esquadrão de aço venceu a partida por 2×0, com gols de Rafael Miranda e Fernandão e subiu para a nona posição na tabela de classificação, apenas um pontinho atrás do time do antigo aterro de Canabrava. O Artilheiro Fernandão, inclusive igualou a marca do inesquecível Beijoca com 12 gols numa mesma edição de brasileiro, ficando a seis gols do também ídolo tricolor Cláudio Adão.

Confiram os melhores momentos do Jogaço de bola dessa noite:

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje dois textos do blog Pátria Latinas. Vale a pena conferir:

“A INVASÃO DA LÍBIA PELA OTAN, A MORTE DE KADAFI E A TRAGÉDIA DE LAMPEDUSA” – No dia 5 de outubro, o governo italiano enviou a Lampedusa a ministra da Integração, Cecile Kyenge, para fazer o balanço da tragédia; a seguir o presidente da República, Giorgio Napolitano, mandou baixar a bandeira nacional nos prédios públicos para homenagear os 363 africanos mortos no mar. Nos campeonatos de futebol, basquete e vôlei as equipes dedicaram um minuto de silêncio para lembrar as vítimas, enquanto os canais estatais Rai-1, Rai2 e Rai-3 realizaram várias reportagens sobre o drama da imigração.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e&cod=12551

Enviado especial dos EUA deve fechar prisão – Protestos contra a prisão de Guantânamo são frequentes, como os realizados por organizações internacionais de direitos humanos. O governo dos Estados Unidos escolheu o novo enviado especial do país para o processo de encerramento da prisão militar norte-americana de Guantânamo, em Cuba. É Paul M. Lews, que era conselheiro-geral no Comitê de Serviços Armados da Câmara de Representantes (o equivalente à Câmara dos Deputados) no qual supervisionou as questões relacionadas com Guantánamo.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=22dabd20ca39458b881ee5a1a2404281&cod=12540

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/09/trabalhando-com-poesia-524

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quarta-feira abençoada por Deus e repleta da força da rainha dos ventos e trovões. Eparrey Oyá.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 1: apio.nascimento@sedesba.ba.gov.br
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

A prosa impúrpura do Caicó – Chico César

Ah! Caicó arcaico
Em meu peito catolaico
Tudo é descrença e fé

Ah! Caicó arcaico
Meu cashcouer mallarmaico
Tudo rejeita e quer

É com, é sem
Milhão e vintém
Todo mundo e ninguém
Pé de xique-xique, pé de flor

Relabucho, velório
Videogame oratório
High-cult simplório
Amor sem fim, desamor

Sexo no-iê
Oxente, oh! Shit
Cego Aderaldo olhando pra mim
Moonwalkmam

Publicado em Livros | Marcado com , , | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Já me acostumei com a tua voz, com teu rosto e teu olhar, me partiram em dois e procuro agora o que é minha metade… Quando não estás aqui, sinto falta de mim mesmo, e sinto falta do meu corpo junto ao teu… Meu coração é tão tosco e tão pobre, não sabe ainda os caminhos do mundo… Quando não estás aqui, tenho medo de mim mesmo, e sinto falta do teu corpo junto ao meu… Vem depressa pra mim, que eu não sei esperar, já fizemos promessas demais, e já me acostumei com a tua voz, quando estou contigo estou em paz… Quando não estás aqui, meu espírito se perde, voa longe… Longe… Longe…” (Legião Urbana – Sete cidades – Comp.: Renato Russo / Dado Villa-Lobos)

“…Quando tudo está perdido, sempre existe um caminho, quando tudo está perdido, sempre existe uma luz, mas não me diga isso… Hoje a tristeza não é passageira, hoje fiquei com febre a tarde inteira… E quando chegar a noite, cada estrela parecerá uma lágrima… Queria ser como os outros, e rir das desgraças da vida, ou fingir estar sempre bem, ver a leveza das coisas com humor… Mas não me diga isso! É só hoje, e isso passa, só me deixe aqui quieto, isso passa! Amanhã é um outro dia, não é?… Eu nem sei porque, me sinto assim. Vem de repente um anjo triste perto de mim… E essa febre que não passa, e meu sorriso sem graça, não me dê atenção, mas obrigado por pensar em mim… Quando tudo está perdido, sempre existe uma luz, quando tudo está perdido, sempre existe um caminho… Quando tudo está perdido, eu me sinto tão sozinho, quando tudo está perdido, não quero mais ser quem eu sou… Mas não me diga isso, não me dê atenção, e obrigado por pensar em mim… Não me diga isso, não me dê atenção, e obrigado por pensar em mim… “ (Legião Urbana – A via láctea – Comp.: Renato Russo / Dado Villa-Lobos/ Marcelo Bonfá)

“… Mas é claro que o sol vai voltar amanhã, mais uma vez, eu sei. Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã. Espera que o sol já vem… Tem gente que está do mesmo lado que você, mas deveria estar do lado de lá. Tem gente que machuca os outros, tem gente que não sabe amar… Tem gente enganando a gente, veja nossa vida como está, mas eu sei que um dia a gente aprende… Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo… Quem acredita sempre alcança… Mas é claro que o sol vai voltar amanhã, mais uma vez, eu sei. Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã. Espera que o sol já vem…Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena acreditar no sonho que se tem, ou que seus planos nunca vão dar certo, ou que você nunca vai ser alguém… Tem gente enganando a gente, veja nossa vida como está, mas eu sei que um dia a gente aprende… Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo… Quem acredita sempre alcança… Quem acredita sempre alcança!… Quem acredita sempre alcança!… Quem acredita sempre alcança!… Quem acredita sempre alcança!… Quem acredita sempre alcança!… Quem acredita sempre alcança!… Quem acredita sempre alcança!…” (Legião Urbana – Mais uma vez – Comp.: Renato Russo)

“Procure ser humilde em todas as circunstâncias. Humildade não é dizer “sim” a tudo e a todos. Nem é apregoar que somos humildes. Não é agachar-se mentalmente a tudo que os outros dizem. Não! Humildade é saber exatamente o que somos, o que valemos. É conhecer-nos a nós mesmos, procurando corrigir sinceramente nossos defeitos, e não nos querendo impor aos outros. Quem é humilde, em geral, não sabe que o é. Mas quem não é humilde é que pensa que é!” (Minutos de Sabedoria Pg. 271)

Bom dia pessoal,

Não podemos depositar sobre outras pessoas expectativas que são eminentemente nossas por natureza. Não é justo conosco, não é justo com o (a) outro (a). Estabelecer as suas metas e designar a si mesmo como responsável direto por sua execução e portanto pelo sucesso ou insucesso da missão. Essa é minha dica de hoje.

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, dois textos do blog Brasil 247. Vale a pena conferir:

“Fux: julgamento dos embargos deve ocorrer antes das eleições” – “Não dá para fazer previsão. Dá para ter uma visão otimista de que isso não chegue as eleições”, disse o ministro do STF; “é mais factível que ocorra no primeiro semestre. Bem mais factível”, acrescentou; relator disse que pretende colocar em julgamento os recursos sem “embaraços” ou questões de ordem; para isso, Fux pretende fazer acertos prévios com os demais ministros (…)

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/117067/Fux-julgamento-dos-embargos-deve-ocorrer-antes-das-elei%C3%A7%C3%B5es.htm

“Além de ruim, telefonia celular no Brasil é a mais cara do mundo” – País ainda é o que cobra mais caro pelas chamadas em termos absolutos. Segundo um relatório divulgado em Genebra pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), agência das Nações Unidas, o minuto para ligação entre celulares da mesma operadora no Brasil custa em média US$ 0,71, 70 vezes mais que em Hong Kong, por exemplo (…)

http://www.brasil247.com/pt/247/economia/117041/Al%C3%A9m-de-ruim-telefonia-celular-no-Brasil-%C3%A9-a-mais-cara-do-mundo.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/08/trabalhando-com-poesia-523

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Terça-feira abençoada por Deus.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

1 Valsa para três -Chico Pinheiro / Chico César

Nós três tão sós no salão sem par
Sem supor que o amor
E a valsa findam
E aí um de nós será
O mais triste, o mais só
Quem dera fosse eu
Só pra olhar pra você
Seguir sem mim
Vê os dois que vão
E algo falta
No arco do outro braço seu
sou eu

Dos três eu enfim sem chão, sem ar
Vou saber que o amor e a valsa findam
E aí dois de nós irão
De mãos dadas ao léu
Um deles fosse eu
Só pra voar com você
Dançar sem som, ir ao céu
Mas aí mesmo no alto
O amor que cala alça vôo também

Quem de nós dos três
Vai ficar só e chorar
Ou vai amar e sofrer
Viúvo ter ao lado
Noivo que não pode ser? Ah…

Qual de nós três, amor
Qual de nós dois
Quem dança agora, amor
Qual de nós três
FALTA UM PASSO, AMOR
Talvez vocês, eu
Vejo que a valsa finda
E ainda há nós três
Tão sós no salão sem par
Sem supor que o amor
E a valsa findam
E aí um de nós será
O mais triste, o mais só dos três

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… E mesmo sem te ver, acho até que estou indo bem, só apareço, por assim dizer, quando convém aparecer, ou quando quero… Quando quero… Desenho toda a calçada, acaba o giz, tem tijolo de construção, eu rabisco o sol que a chuva apagou… Quero que saibas que me lembro, queria até que pudesses me ver, és parte ainda do que me faz forte e, pra ser honesto, só um pouquinho infeliz… Mas tudo bem, tudo bem, tudo bem… Mas tudo bem, tudo bem, tudo bem… Lá vem, lá vem, lá vem de novo… Acho que estou gostando de alguém, e é de ti, que não me esquecerei… Quando quero…. Quando quero… Quando quero… Eu rabisco o sol que a chuva apagou… Acho que estou gostando de alguém…” (Legião Urbana – Giz – Comp.: Renato Russo / Dado Villa-Lobos / Marcelo Bonfá)

“…Tenho andado distraído, impaciente e indeciso. E ainda estou confuso, só que agora é diferente: estou tão tranquilo e tão contente… Quantas chances desperdicei, quando o que eu mais queria, era provar pra todo o mundo, que eu não precisava provar nada pra ninguém… Me fiz em mil pedaços, pra você juntar, e queria sempre achar explicação pro que eu sentia, como um anjo caído, fiz questão de esquecer que mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira, mas não sou mais tão criança a ponto de saber tudo… Já não me preocupo se eu não sei por que. Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê, e eu sei que você sabe, quase sem querer, que eu vejo o mesmo que você… Tão correto e tão bonito, o infinito é realmente um dos deuses mais lindos! Sei que, às vezes, uso palavras repetidas, mas, quais são as palavras que nunca são ditas?… Me disseram que você estava chorando, e foi então que eu percebi como lhe quero tanto. Quero tanto… Já não me preocupo se eu não sei por que. Às vezes, o que eu vejo, quase ninguém vê. E eu sei que você sabe, quase sem querer, que eu quero o mesmo que você…” (Legião Urbana – Quase sem querer – Comp.: Renato Russo / Dado Villa-Lobos)

“…Se fiquei esperando meu amor passar, já me basta que então, eu não sabia amar, e me via perdido e vivendo em erro, sem querer me machucar de novo, por culpa do amor… Mas, você e eu podemos namorar, e era simples: ficamos fortes… Quando se aprende a amar, o mundo passa a ser seu, quando se aprende a amar, o mundo passa a ser seu… Sei rimar romã com travesseiro, quero a minha nação soberana, com espaço, nobreza e descanso… Se fiquei esperando meu amor passar, já me basta que estava então, longe de sereno, e fiquei tanto tempo duvidando de mim, por fazer amor fazer sentido… Começo a ficar livre. Espero! Acho que sim… De olhos fechados não me vejo, e você sorriu pra mim… “Cordeiro de Deus que tirai os pecados do mundo, tendes piedade de nós… Cordeiro de Deus que tirai os pecados do mundo, tendes piedade de nós… Cordeiro de Deus que tirai os pecados do mundo, dai-nos a paz.”…“ (Legião Urbana – Se fiquei esperando meu amor – Comp.: Renato Russo / Dado Villa-Lobos)

“Mantenha aceso seu ideal de felicidade. Trabalhe visando ao bem próprio e ao bem da humanidade. Mas não tenha apenas a preocupação de acumular riquezas, que os vermes destroem e a ferrugem consome. Acumule riquezas duradoras, constituídas dos benefícios que presta a seus irmãos, porque amanhã você receberá de todos a alegria da vitória, auxiliada por você. A alegria do bem que se realiza é o maior tesouro que podemos obter.” (Minutos de Sabedoria Pg. 270)

Boa noite pessoal,

Como foram de final de semana? Espero que bem. A semana começa como sempre com as expectativas em alta. O Bahia deixou escapar mais uma ótima oportunidade de vencer o Vasco da Gama e se afastar ainda mais da Zona do Rebaixamento no Brasileirão. O time mantem quatro pontos do Z4 e está a quatro pontos do maior rival, que perdeu para o São Paulo por 3×2, em jogo de lances controversos no Morumbi. Nesta quarta-feira, graças à inteligência pura de um dirigente que diz ser torcedor do tricolor, teremos o maior clássico do Norte e Nordeste Brasileiro disputado numa quarta as 21 horas. E pensar que um cidadão desses queria ser presidente do Bahia e, arrogante que só, afirmou que só viria aclamado.

Na última sexta feira estivemos em Senhor do Bonfim, entregando equipamentos de costura, do programa Vida Melhor Urbano, para moradores (es) do Conjunto Monte Alegre II, empreendimento construído pelo Minha Casa Minha Vida entidades, com parceria com a União de Moradia. Amanhã a noite a Secretária Moema entrega equipamentos do Programa à Associação de pescadores de Remanso, durante a cerimônia de abertura do Festival gastronômico do Peixe, daquela região.

Na nossa sugestão de leitura do “Trabalhando com Poesia” de hoje, dois textos do site Pátria Latina. Vale a pena conferir:

Todos contra a Dilma, por Emir Sader – O fenômeno tem se repetido – na Bolívia, na Argentina, no Equador, no Brasil. Setores que saem dos governos – ou que sempre tinham se oposto – supostamente pela esquerda, percorrem uma trajetória que os leva a se situarem como oposições de direita. Evo Morales, Rafael Correa, os Kirchner, Lula e Dilma – teriam “traído”. E seriam piores que outros contendores, porque seguiriam fingindo que defendem as mesmas posições que os projetaram como grandes líderes nacionais. Por isso tem que ser frontalmente combatidos, derrotados, destruídos, sem o que os processos políticos seguiriam retrocedendo e não poderia avançar.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=0b7e4125b448b25fe94fded970aa057e&cod=12533

Médico palestino entra no Mais Médicos – Palestino diz que há muitos médicos em seu país, Por Marcos Carrieri, na Anba – A oportunidade de crescer profissionalmente, de atender pessoas que não têm acesso à saúde básica e o bom salário oferecido pelo programa governamental Mais Médicos atraíram o cirurgião geral palestino Tareq Abuiyada ao país. Aos 34 anos e casado com uma médica gaúcha, ele se interessou pelo programa, focado nos brasileiros mais carentes. Abuiyada nasceu na Faixa de Gaza, na Palestina, e viveu no país até completar 19 anos. Sempre quis ser médico e começou a realizar o sonho quando conquistou uma bolsa de estudos em Cuba.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=4bcd537b6c034e297f0030cf08887426&cod=12531

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/07/trabalhando-com-poesia-522

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Segunda-feira abençoada por Deus e repleta da energia positiva.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Respeitem Meus Cabelos Brancos -Chico César

Respeitem meus cabelos, brancos
Chegou a hora de falar
Vamos ser francos
Pois quando um preto fala
O branco cala ou deixa a sala
Com veludo nos tamancos

Cabelo veio da áfrica
Junto com meus santos

Benguelas, zulus, gêges
Rebolos, bundos, bantos
Batuques, toques, mandingas
Danças, tranças, cantos
Respeitem meus cabelos, brancos

Se eu quero pixaim, deixa
Se eu quero enrolar, deixa
Se eu quero colorir, deixa
Se eu quero assanhar, deixa
Deixa, deixa a madeixa balançar

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“…E se hoje não fosse essa estrada, se a noite não tivesse tanto atalho, o amanhã não fosse tão distante, solidão seria nada pra você… Se, ao menos, o meu amor estivesse aqui, e eu pudesse ouvir seu coração, se ao menos mentisse ao meu lado, estaria em minha cama, outra vez… Meu reflexo, não consigo ver na água, nem fazer canções sem nenhuma dor, nem ouvir o eco dos meus passos, nem lembrar meu nome quando alguém chamou… Se, ao menos, o meu amor estivesse aqui, e eu pudesse ouvir seu coração, se ao menos, mentisse ao meu lado, estaria em minha cama, outra vez… Nem ouvir os ecos dos meus passos, nem lembrar meu nome quando alguém chamou… Se, ao menos, o meu amor estivesse aqui, e eu pudesse ouvir seu coração, se ao menos, mentisse ao meu lado, estaria em minha cama, outra vez… Há beleza no rio do meu canto, há beleza em tudo que há no céu, porém, nada, com certeza, é mais bonito, quando lembro dos olhos do meu bem… Se, ao menos, o meu amor estivesse aqui, e eu pudesse ouvir seu coração, se ao menos, mentisse ao meu lado, estaria em minha cama, outra vez… Estaria em minha cama, outra vez… Estaria em minha cama, outra vez… Estaria em minha cama, outra vez…” (Zé Ramalho – O amanhã é distante – Comp.: Bob Dylan, versão por Geraldo Azevedo e Babal)

“… Tô vendo tudo, tô vendo tudo, mas, fico calado, faz de conta que sou mudo… Tô vendo tudo, tô vendo tudo, mas, fico calado, faz de conta que sou mudo… Um país que crianças elimina, que não ouve o clamor dos esquecidos, onde nunca os humildes são ouvidos e uma elite sem deus é quem domina, que permite um estupro em cada esquina e a certeza da dúvida infeliz, onde quem tem razão baixa a cerviz e massacram – se o negro e a mulher. Pode ser o país de quem quiser, mas não é, com certeza, o meu país… Um país onde as leis são descartáveis, por ausência de códigos corretos, com quarenta milhões de analfabetos e maior multidão de miseráveis, um país onde os homens confiáveis não têm voz, não têm vez, nem diretriz, mas corruptos têm voz e vez e bis e o respaldo de estímulo incomum, pode ser o país de qualquer um, mas não é com certeza o meu país… Um país que perdeu a identidade, sepultou o idioma português, aprendeu a falar pornofonês, aderindo à global vulgaridade, um país que não tem capacidade de saber o que pensa e o que diz, que não pode esconder a cicatriz de um povo de bem que vive mal, pode ser o país do carnaval, mas não é com certeza o meu país… Um país que seus índios discrimina e as ciências e as artes não respeita, um país que ainda morre de maleita, por atraso geral da medicina, um país onde escola não ensina e hospital não dispõe de raio-x, onde a gente dos morros é feliz, se tem água de chuva e luz do sol, pode ser o país do futebol, mas não é com certeza o meu país… Tô vendo tudo, tô vendo tudo, mas, fico calado, faz de conta que sou mudo… Um país que é doente e não se cura, quer ficar sempre no terceiro mundo, que do poço fatal chegou ao fundo, sem saber emergir da noite escura, um país que engoliu a compostura, atendendo a políticos sutis, que dividem o brasil em mil brasis, pra melhor assaltar de ponta a ponta, pode ser o país do faz-de-conta, mas não é com certeza o meu país… Tô vendo tudo, tô vendo tudo, mas, fico calado, faz de conta que sou mudo… “ (Zé Ramalho – O meu país – Comp.: Livardo Alves – Orlando Tejo – Gilvan Chaves)

“…Tá vendo aquele edifício moço? ajudei a levantar, foi um tempo de aflição, eram quatro condução, duas prá ir, duas prá voltar… Hoje depois dele pronto, olho prá cima e fico tonto, mas me vem um cidadão… E me diz desconfiado: “tu tá aí admirado? ou tá querendo roubar?” Meu domingo tá perdido, vou prá casa entristecido, dá vontade de beber… E prá aumentar meu tédio, eu nem posso olhar pro prédio que eu ajudei a fazer… Tá vendo aquele colégio moço? Eu também trabalhei lá, lá eu quase me arrebento, fiz a massa, pus cimento, ajudei a rebocar… Minha filha inocente, vem prá mim toda contente, “Pai vou me matricular”… Mas me diz um cidadão: “Criança de pé no chão, aqui não pode estudar”. Essa dor doeu mais forte, por que é que eu deixei o norte? Eu me pus a me dizer, lá a seca castigava, mas o pouco que eu plantava, tinha direito a comer… Tá vendo aquela igreja moço? Onde o padre diz amém. Pus o sino e o badalo, enchi minha mão de calo, lá eu trabalhei também… Lá foi que valeu a pena, tem quermesse, tem novena e o padre me deixa entrar… Foi lá que Cristo me disse: “Rapaz deixe de tolice, não se deixe amedrontar. Fui eu quem criou a terra, enchi o rio, fiz a serra, não deixei nada faltar… Hoje o homem criou asa e na maioria das casas, eu também não posso entrar… Fui eu quem criou a terra, enchi o rio, fiz a serra, não deixei nada faltar… Hoje o homem criou asa e na maioria das casas, eu também não posso entrar…” (Zé Ramalho – Cidadão – Comp.: Lucio Barbosa)

Confira outros sucessos de Zé Ramalho:

“Cultive a alegria em dose máxima. Alegria, porém, não é barulho: é um estado de alma de quem sente em si a plenitude da vida. A alegria provem de dentro de nós mesmos, da consciência tranquila, do cumprimento exato de nossos deveres, e vibra em nós apesar de todos os sofrimentos, calúnias e injustiças. Seja alegre sempre e, quando a tristeza quiser encobrir o sol de sua vida, entoe um cântico de louvor ao Pai, e a luz brilhara novamente em você.” (Minutos de Sabedoria Pg. 269)

Bom dia pessoal,

E as semanas de provas e trabalhos da faculdade se vão. Hora de pegar a estrada e levar mais esperança a mais pessoas. Hoje estaremos em Senhor do Bomfim, em mais uma ação do Programa Vida Melhor Urbano.

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, dois textos do site Brasil 247. Vale a pena conferir:

Perdeu, Marina – Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acaba de responder negativamente ao pedido de criação do Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva; a maioria dos ministros não se deixou levar pela pressão midiática criada pela ex-senadora e diz que sigla não passou por não ter cumprido exigências da Justiça Federal – a mais básica, a certificação de 492 mil assinaturas; apenas Gilmar Mendes votou favorável ao Rede, mas teve que levar lição da presidente Cármen Lúcia, que rebateu cada um dos argumentos utilizados por ele contra a Justiça Eleitoral; para continuar na disputa pela Presidência em 2014, a atual segunda colocada nas pesquisas de intenção de voto precisa correr para se filiar a outro partido – prazo acaba dia 5 de outubro; mas Marina ainda pretende levar batalha ao STF (..)

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/116650/Perdeu-Marina.htm

“JB quer demitir mulher de jornalista a quem agrediu” – Ganha mais um capítulo a relação conturbada entre o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, e os meios de comunicação; agora, ele quer a cabeça da funcionária Adriana Leineker Costa, lotada no gabinete do ministro Ricardo Lewandowski; a conduta “antiética”, segundo Barbosa, é o fato de ela ser casada com Felipe Recondo, do Estado de S. Paulo; o jornalista é o mesmo que o presidente do STF mandou “chafurdar no lixo” quando investigava gastos extraordinários dos ministros; dias atrás, outra jornalista do Estado, a correspondente Claudia Trevisan, foi presa, nos Estados Unidos, ao tentar entrevistá-lo; será que o Brasil tem um déspota à frente do Poder Judiciário?

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/116633/JB-quer-demitir-mulher-de-jornalista-a-quem-agrediu.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/04/trabalhando-com-poesia-521/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma sexta-feira abençoada por Deus e coberta pela paz do Alá de Oxalá! Bom final de semana e até segunda feira.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Traduzir-se – Ferreira Gulart

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir uma parte
na outra parte
— que é uma questão
de vida e morte —
será arte?
será arte?
será arte?
Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir uma parte
na outra parte
— que é uma questão
de vida e morte —
será arte?
será arte?
será arte?

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“…As borboletas estão voando, a dança louca das borboletas, quem vai voar, não quer dançar, só quer voar, avoar… Quem vai voar, não quer dançar, só quer voar, avoar… E as borboletas estão girando, estão virando a sua cabeça. Quem vai girar, não quer cair, só quer girar, não caia!… Quem vai girar, não quer cair, só quer girar, não caia!… E as borboletas estão invadindo os apartamentos, cinemas e bares, esgotos e rios e lagos e mares… Em um rodopio de arrepiar, derrubam janelas e portas de vidro, escadas rolantes e nas chaminés… Se sentam e pousam em meio à fumaça, de um arco-íris, se sabe o que é… Se sabe o que é… Se sabe o que é… Se sabe o que é… Se sabe o que é… E as borboletas estão invadindo os apartamentos, cinemas e bares, esgotos e rios e lagos e mares… Em um rodopio de arrepiar, derrubam janelas e portas de vidro, escadas rolantes e nas chaminés… Se sentam e pousam em meio à fumaça, de um arco-íris, se sabe o que é… Se sabe o que é… Se sabe o que é… Se sabe o que é… Se sabe o que é…” (Zé Ramalho– A dança das borboletas – Comp.: Zé Ramalho & Alceu Valença)

“… Não dá pé, não tem pé nem cabeça, não tem ninguém que mereça, não tem coração que esqueça, não tem jeito mesmo, não tem dó no peito, não tem nem talvez, ter feito o que você me fez, desapareça, cresça e desapareça… Não tem dó no peito, não tem jeito, não tem coração que esqueça, não tem ninguém que mereça, não tem pé, não tem cabeça, não dá pé, não é direito, não foi nada, eu não fiz nada disso e você fez um bicho de sete cabeças… Não dá pé, não tem pé nem cabeça, não tem ninguém que mereça, não tem coração que esqueça, não tem jeito mesmo, não tem dó no peito, não tem nem talvez, ter feito o que você me fez, desapareça, cresça e desapareça… Não tem dó no peito, não tem jeito, não tem ninguém que mereça, não tem coração que esqueça, não tem pé, não tem cabeça, não dá pé, não é direito, não foi nada, eu não fiz nada disso e você fez um bicho de sete cabeças, bicho de sete cabeças, bicho de sete cabeças, bicho de sete cabeças… “ (Zé Ramalho– Bicho de sete cabeças – Comp.: Geraldo Azevedo, Zé Ramalho e Renato Rocha)

“… Quantos olhos você têm pra me falar? Quantas bocas você diz a me olhar? Quantos dentes eram tristes? Quantos eram solidão? Outros eram diferentes, não nasceram para o chão… Quantos olhos você têm pra me falar? Quantas bocas você diz a me olhar? Quantos dentes eram tristes? Quantos eram solidão? Outros eram diferentes, não nasceram para o chão… Claros pelos evidentes nascerão em cada mão, lívidos e conscientes, pelo vinho e pelo pão… Beijos de doce veneno, quero sim e quero não, pelo fogo dos repentes, desafia o coração… Claros pelos evidentes nascerão em cada mão, lívidos e conscientes, pelo vinho e pelo pão… Beijos de doce veneno, quero sim e quero não, pelo fogo dos repentes, desafia o coração… Quantos olhos você têm pra me falar? Quantas bocas você diz a me olhar? Quantos dentes eram tristes? Quantos eram solidão? Outros eram diferentes, não nasceram para o chão… Quantos olhos você têm pra me falar? Quantas bocas você diz a me olhar? Quantos dentes eram tristes? Quantos eram solidão? Outros eram diferentes, não nasceram para o chão… Claros pelos evidentes nascerão em cada mão, lívidos e conscientes, pelo vinho e pelo pão… Beijos de doce veneno, quero sim e quero não, pelo fogo dos repentes, desafia o coração… Claros pelos evidentes nascerão em cada mão, lívidos e conscientes, pelo vinho e pelo pão… Beijos de doce veneno, quero sim e quero não, pelo fogo dos repentes, desafia o coração…” (Zé Ramalho – Pelo vinho e pelo pão – Comp.: Zé Ramalho)

“Tenha dinamismo em sua vida! Não fique aí parado, de braços cruzados. Não são as ideias bonitas que valem. São as ações práticas! Os pés que não caminham criam raízes. A vida é luta! Não espere que os necessita dos o venham procurar: vá visitá-los em seus tugúrios. Leve uma palavra de conforto, um sorriso de compreensão, um pensamento de ternura.” (Minutos de Sabedoria Pg. 268)

Bom dia pessoal,

Se me perguntassem a alguns meses atrás sobre a possibilidade de não ter meu pai presente em minha vida certamente minha resposta seria categórica: Pela saúde que o coroa tem, com fé em Deus ainda o terei ao meu lado fisicamente por muitos anos. Pois bem. Quis a vida, numa destas peças que ela sempre nos prega, me tirar meu velho no início do mês de junho. Hoje portanto meus caros amigos e amigas, é um dia de refletir sobre tudo que seu Emilio significou em minha vida. Ele que nasceu em 03 de Outubro de 1946 e que estaria completando seus 67 anos hoje, certamente estaria ao longo do dia trabalhando e batalhando por dias melhores, agora para meus irmãos menores e para sua companheira, não esquecendo dos outros filhos.

É pai. Que bom que tivemos a oportunidade de comemorar seus 65 anos e reunir a maioria dos seus netos (as), seus filhos (as), primos e amigos aqui em casa. Quem diria que aquela seria a última festa deste tipo no nosso convívio. A dor segue firme. Tem se diluído, mas, graças a sua forma de agir conosco, não apagou e nem apagará a nossa lembrança carinhosa de seu sorriso e de seus conselhos. Que Deus siga te tendo em seus braços meu velho.
Rodada de ontem não foi boa para o tricolor baiano que perdeu para o Corinthians por 2×0 em Mogi Mirim e perdeu a invencibilidade de cinco jogos no segundo turno. Time ocupa a 13º colocação, com 32 pontos mantendo sete pontos de distância da Zona de rebaixamento e nove do G4. O time de Canabrava venceu o Goiás na Fonte Nova, subindo para a quinta colocação no Campeonato com 37 pontos.

Na nossa sugestão de leitura de hoje artigos do Blog Brasil 247. Vale a pena conferir:

“Aécio usa artimanhas do avô para chefiar oposição’ – Com jeitinho, presidente do PSDB une partido, se articula com adversários e está a um passo de se consolidar como candidato mais viável da oposição à presidente Dilma Rousseff em 2014; anti-PT, Aécio Neves uniu os tucanos ao derrotar José Serra internamente sem briga, tem um convite na ponta da língua para fazer da estrela Marina Silva sua vice e um forte pacto de não agressão com o socialista Eduardo Campos; jovial e inquieto, mas conciliador e matreiro como Tancredo Neves, ele percorre o País reanimando as bases partidárias, ganhando musculatura eleitoral e aumentando o cacife numa aposta que, a depender da conjuntura econômica do próximo ano, pode fazê-lo cumprir um destino insólito: ser o que a morte não deixou o mestre ser (…)

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/116602/A%C3%A9cio-usa-artimanhas-do-av%C3%B4-para-chefiar-oposi%C3%A7%C3%A3o.htm

“Supertele brasileira”, a Oi agora é portuguesa – Portugal Telecom está assumindo o controle da Oi, que foi fruto da fusão entre as empresas Telemar e Brasil Telecom; negócio que injetará R$ 7 bilhões na empresa nacional; tais recursos permitirão a saída dos atuais sócios privados Sergio Andrade, da Andrade Gutierrez, e Carlos Jereissati, do grupo La Fonte; criação da “supertele” foi um dos negócios mais polêmicos do governo Lula; executivo Zeinal Bava, da Portugal Telecom, já dá as cartas na operadora, que ainda não conseguiu deslanchar no mercado brasileiro, e diz que a empresa estará entre “as maiores do mundo”; ministro Paulo Bernardo disse que anúncio favorece a competição (…)

http://www.brasil247.com/pt/247/economia/116522/Supertele-brasileira-a-Oi-agora-%C3%A9-portuguesa.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/03/trabalhando-com-poesia-520

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta-feira abençoada por Deus e coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Galo Galo – Ferreira Gulart

O galo
no salão quieto.

Galo galo
de alarmante crista, guerreiro,
medieval.

De córneo bico e
esporões, armado
contra a morte,
passeia.

Mede os passos. Pára.
Inclina a cabeça coroada
dentro do silêncio:

que faço entre coisas ?
de que me defendo ?

Anda.
No saguão.
O cimento esquece
o seu último passo.

Galo: as penas que
florescem da carne silenciosa
e duro bico e as unhas e o olho
sem amor. Grave
solidez.
Em que se apóia
tal arquitetura ?

Saberá que, no centro
de seu corpo, um grito
se elabora ?
Como, porém, conter,
uma vez concluído,
o canto obrigatório ?

Eis que bate as asas, vai
morrer, encurva o vertiginoso pescoço
donde o canto rubro escoa

Mas a pedra, a tarde,
o próprio feroz galo
subsistem ao grito.

Vê-se: o canto é inútil.

O galo permanece — apesar
de todo o seu porte marcial —
só, desamparado,
num saguão do mundo.
Pobre ave gurreeira!

Outro grito cresce
agora no sigilo
de seu corpo; grito
que, sem essas penas
e esporões e crista
e sobretudo sem esse olhar
de ódio,
não seria tão rouco
e sangrento

Grito, fruto obscuro
e extremo dessa árvore: galo.
Mas que, fora dele,
é mero complemento de auroras.

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Nada vejo por esta cidade que não passe de um lugar comum, mas o solo é de fertilidade, no jardim dos animais em jejum… Esperando alvorecer de novo, esperando anoitecer pra ver, a clareza da oitava estrela, esperando a madrugada vir. E eu não posso com a mão retê-la, e eu não passo de um rapaz comum, como e corro trafego na rua, fui graveto no bico do anum… Vez em quando sou dragão da lua, momentânea alienígena… A formiga em viva carne crua, perecendo e naufragando no mar Uê h…….oh…….oh….. naufragando no mar… E a papoula na terra do fogo… Sanguessuga sedenta de calor, desemboco o canto nesse jogo, como a cobra se contorce de dor. Renegando a honra da família, venerando todo ser criador, no avesso de um espelho claro, no chicote da barriga do boi, no mugido de uma vaca mansa, foragido como judas em paz, A pessoa que você mais ama, no planeta vendo o mundo girar…” (Zé Ramalho – Jardim das acácias – Comp.: Zé Ramalho)

“… Atenção artilheiro, três salvas de tiros de canhão, em honra aos mortos da Ilha da Ilusão, durante a última revolução do coração e da paixão, apontar a estibordo… Fogo!… Você é a orquídea negra, que brotou da máquina selvagem, e o anjo do impossível, plantou como nova paisagem… E o anjo do impossível, plantou como nova paisagem… Você é a dor do dia a dia, você é a dor da noite à noite, você é a flor da agonia, a chibata, o chicote e o açoite… Lá fora ecoa a ventania, e os ventos arrastam vendavais, do que foi, do que seria, do que nunca volta jamais… Parece até a própria tragédia grega, da mais profunda melancolia, parece a bandeira negra, da loucura e da pirataria… Atenção, artilheiro, três salvas de tiros de canhão, em honra aos mortos da Ilha da Ilusão, durante a última revolução do coração e da paixão, Apontar a estibordo… Fogo!…” (Zé Ramalho – Orquídea Negra – Comp.: Zé Ramalho)

“… Ainda há pouco, era apenas uma estrela, uma imensa tocha antes do mergulho, agora vem à tona, sua ira é intensa, e você deseja saber se há algo Que possa acalmá-lo outra vez… Os pássaros, a lua cheia e todo o céu leitoso, e todas as formas da natureza… Mostravam a grandeza do mundo, em lágrimas, condenado como Ulisses e como Príamos, morto com seus companheiros… Morto com seus companheiros… Morto…. Apareceu…. No momento em que a lua ia se elevando e todo pranto forma a imagem do homem… Ainda há pouco, era apenas uma estrela, uma imensa tocha antes do mergulho, agora vem à tona, sua ira é intensa, e você deseja saber se há algo Que possa acalmá-lo outra vez… Os pássaros, a lua cheia e todo o céu leitoso, e todas as formas da natureza… Mostravam a grandeza do mundo, em lágrimas, condenado como Ulisses e como Príamos, morto com seus companheiros… Morto com seus companheiros… Morto…. Apareceu…. No momento em que a lua ia se elevando e todo pranto forma a imagem do homem…” (Zé Ramalho – Força verde – Comp.: Zé Ramalho sobre poema de W. B. Yeats)

“Deus está dentro de você! Mas está também dentro de todas as demais criaturas que você encontra. Mesmo naqueles que não agem com acerto, está habitando permanentemente a Divindade, que dos erros das criaturas humanas faz nascer o bem e o progresso. Não julgue, pois, apressadamente, pois aquilo que lhe parece ser um erro pode ser o início de um resultado maravilhoso.” (Minutos de Sabedoria Pg. 267)

Bom dia pessoal,

Os olhares da torcida baiana hoje se voltam para a Fonte Nova, no lado rubro negro e nas telas da TV e os ouvidos nos rádios. O time de Canabrava joga hoje na Fonte Nova contra o Goiás, time que o venceu no primeiro turno, por 1×0. Expectativa da torcida rosa e cinza é vencer o time goiano. Já o tricolor baiano tentará reverter a derrota que sofreu para o alvinegro do Parque São Jorge no primeiro turno. A ordem no Esquadrão é aproveitar a crise do time paulista para manter a invencibilidade no segundo turno. Expectativa dos torcedores do Bahia é vê-lo ainda mais distante da zona do perigo e mais próximo do G4 na tabela.

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje dois textos de alguns importantes blogs. Vale a pena conferir:

“Dois mil cubanos chegam ao Brasil para segunda etapa do Mais Médicos” Via site Pátria Latina – Na primeira fase, 400 profissionais cubanos chegaram ao país e passaram por curso de formação e avaliação – por Yara Aquino,da Agência Brasil – De hoje (30) até o final desta semana chegam ao Brasil mais 2 mil médicos cubanos para a segunda etapa do Programa Mais Médicos. Hoje, os primeiros 135 profissionais de Cuba desembarcam em Vitória. Na próxima segunda-feira (7), os 2 mil cubanos iniciam o módulo de avaliação que tem duração de três semanas com aulas sobre língua portuguesa e o sistema brasileiro de saúde pública. As informações são do Ministério da Saúde…

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d70538d0bcd4bacb90ae29025815166f&cod=12503

“Lula diz que, se Marina cumpriu a lei, irá às urnas em 2014” – Ex-presidente da República e um dos líderes mais influentes na política brasileira, Luiz Inácio Lula da Silva afasta-se, sem levantar muita poeira, da polêmica em torno da criação do Rede Sustentabilidade por sua ex-colaboradora Marina Silva. A ex-ministra do Meio Ambiente é, hoje, a segunda colocada nas pesquisas de intenção de voto à Presidência da República, atrás apenas de sua sucessora Dilma Rousseff. Lula, porém, deixa claro que é favor do cumprimento da lei. A sigla tenta rever a decisão de cartórios de descartar sem justificativa 95 mil assinaturas não validadas.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/lula-diz-que-se-marina-cumpriu-a-lei-ira-as-urnas-em-2014/650147/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20131002

“Marina Silva recebe parecer negativo e tende a não se candidatar” – Marina Silva pode se despedir das eleições para o ano que vem – No que é, praticamente, a direção em que seguirá o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Ministério Público Eleitoral divulgou parecer contrário à criação da Rede Sustentabilidade, uma proposta de agremiação política liderada pela ex-ministra Marina Silva.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/marina-silva-recebe-parecer-negativo-e-tende-a-nao-se-candidatar/650301/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=b20131002

“LIBERDADE DE EXPRESSÃO: SUPREMA IRONIA”, Por Venício A. de Lima, no Observatório da Imprensa: A Ironia da Liberdade de Expressão – Estado Regulação e Diversidade na Esfera Pública: este é o título de um importante livro escrito pelo professor (hoje, “Emeritus”) da Yale Law School, Owen M. Fiss, onde se constrói o argumento sobre o papel fundamental do Estado como garantidor da liberdade de expressão (Renovar, 2005).

http://patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e&cod=12510

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/02/trabalhando-com-poesia-519/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quarta-feira abençoada por Deus e repleta da força da rainha dos ventos e trovões. Eparrey Oyá.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 1: apio.nascimento@sedesba.ba.gov.br
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Aprendizado – Ferreira Gulart

Do mesmo modo que te abriste à alegria
abre-te agora ao sofrimento
que é fruto dela
e seu avesso ardente.

Do mesmo modo
que da alegria foste
ao fundo
e te perdeste nela
e te achaste
nessa perda
deixa que a dor se exerça agora
sem mentiras
nem desculpas
e em tua carne vaporize
toda ilusão

que a vida só consome
o que a alimenta.

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… É aquela que fere, que virá mais tranquila, com a fome do povo, com pedaços da vida, como a dura semente, que se prende no fogo de toda multidão… Acho bem mais do que pedras na mão… Dos que vivem calados, pendurados no tempo, esquecendo os momentos, na fundura do poço, na garganta do fosso, na voz de um cantador… E virá como guerra, a terceira mensagem, na cabeça do homem aflição e coragem, afastado da terra, ele pensa na fera que o começa a devorar… Acho que os anos irão se passar, com aquela certeza que teremos no olho, novamente a ideia de sairmos do poço, da garganta do fosso, na voz de um cantador… E virá como guerra, a terceira mensagem, na cabeça do homem aflição e coragem, afastado da terra, ele pensa na fera que o começa a devorar… Acho que os anos irão se passar, com aquela certeza que teremos no olho, novamente a ideia de sairmos do poço, da garganta do fosso, na voz de um cantador…” (Zé Ramalho – A terceira lâmina – Comp.: Zé Ramalho)

“… Oh, eu não sei se eram os antigos que diziam, em seus papiros Papilon já me dizia, que nas torturas toda carne se trai, que normalmente, comumente, fatalmente, felizmente, displicentemente o nervo se contrai, oh, com precisão… Nos aviões que vomitavam paraquedas, nas casamatas, casas vivas, caso morras, e nos delírios, meus grilos temer, o casamento, o rompimento, o sacramento, o documento, como um passatempo quero mais te ver, oh, com aflição… Meu treponema não é pálido nem viscoso, os meus gametas se agrupam no meu som, e as querubinas, meninas rever, um compromisso submisso, rebuliço no cortiço, chame o Padre “Ciço” para me benzer, oh, com devoção… “ (Zé Ramalho – Vila do sossego – Comp.: Zé Ramalho)

“…Sinais de que os tempos passaram, passaram e mudaram demais. Sinais de que tudo mudaram, viraram para frente e pra trás… Sinais de que não temos culpa, de ficarmos assim, como simples mortais. Sinais de que não conhecemos o valor dessa vida voraz… Sinais no teu rosto cansado, calado, mesmo quando falais. Sinais de que vamos agora, na hora desse sonho audaz… Sinais de que ainda dá tempo, de chamar tua irmã, que perdeu-se no tempo. De falar com a outra, com teu homem querido, teu ator preferido, quem mais?… Sinais de algum alienígena, que faz sobre os campos, sinais. Sinais que parimos um clone, capaz de sermos imortais… Sinais que marcaram teu corpo, que tiraram as mãos do destino que vais. Sinais de que ainda nascemos e não temos ao menos a paz!… Oh, oh, oh sinais!…” (Zé Ramalho – Sinais – Comp.: Zé Ramalho)

“Enquanto dispuser de tempo, nesta Terra, dirija seus passos pela senda do bem. Procure agir, fazer sempre alguma coisa em benefício de alguém, embora seja apenas uma palavra de conforto, um gesto de carinho, um sorriso de incentivo. Faça alguma coisa em favor do próximo, e terá o coração cheio de alegria e de felicidade.” (Minutos de Sabedoria Pg. 266)

Bom dia pessoal,

Se inicia hoje a Conferência estadual de Assistência Social que tem o aobjetivo de Avaliar a situação atual da política de assistência social e propor novas diretrizes para o aperfeiçoamento e avanço do Sistema Único de Assistência Social (Suas), na Bahia. O evento realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), em parceria com o Conselho Estadual de Assistência Social (Ceas).

A mesa de abertura acontece às 15h, no dia 01de outubro, e o evento segue até o dia 02, no Hotel Fiesta – Salvador, com a presença da secretária de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes) e presidente do Conselho Estadual de Assistência Social, Moema Gramacho, além de representantes do Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS), Colegiado de Gestores Municipais de Assistência Social (Coegemas), Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Assistência Social (fonaceas) e Comissão Intergestores Bipartite (Cib), Fórum dos Trabalhadores do SUAS (FETSUAS/BA), entidades de organização de Assistência Social e organização de Usuários do SUAS.

Painéis temáticos – Durante os painéis simultâneos, distribuídos em seis eixos, serão discutidos: o cofinanciamento obrigatório da assistência social; gestão do SUAS: vigilância socioassistencial, processo de planejamento, monitoramento e avaliação, gestão do trabalho, gestão dos serviços, programas e projetos; gestão dos benefícios no SUAS e regionalização. Fazem parte painéis, delegados eleitos nas conferências municipais representantes da sociedade civil e governo, além de convidados e observadores.

A convocação da conferência é uma das principais competências dos Conselhos de Assistência Social sendo um importante espaço de participação popular e deliberação da Política de Assistência Social instituída pela Lei Orgânica de Assistência Social – LOAS/1993 alterada lei 12.435/2011, com atribuições de avaliar a Política Pública de Assistência Social e propor diretrizes para aperfeiçoamento do Sistema Único de Assistência Social (Suas).
(Fonte: Ascom/Sedes/BA).

Confira a programação em:

http://www.sedes.ba.gov.br/noticia/conferencia-estadual-discute-gestao-e-financiamento-na-efetivacao-do-suas

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, dois textos do blog Brasil 247. Vale a pena conferir:

“Globo dá tiro fatal na Rede: partido fora da lei” – Ao cravar, na manchete de sua edição de hoje, que a Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, “busca uma brecha”, estando, assim, fora dos parâmetros legais, o jornal carioca sepulta de vez as chances de criação do partido da ex-senadora; reportagem informa ainda que ela não tem as assinaturas necessárias para formar a Rede; dias atrás, colunistas do Globo haviam assumido um lobby aberto pela criação do partido, mas agora devem permitir que a Rede morra na praia; Marina será convidada para vice na chapa de Aécio

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/116392/Globo-d%C3%A1-tiro-fatal-na-Rede-partido-fora-da-lei.htm

Mídia esconde devassa em Andrea, o faz tudo do PSDB – Segundo vereador mais votado de São Paulo e do Brasil, embaixador do Brasil em Roma no governo Fernando Henrique, de quem foi tesoureiro da campanha à reeleição, secretário de Energia de Mario Covas, chefe das Subprefeituras com José Serra e secretário de Cultura de Geraldo Alckmin; largo currículo de Andrea Matarazzo não foi suficiente para que seu nome fosse destacado pela mídia tradicional na notícia da quebra, pela Justiça, de seus sigilos bancário e fiscal sob suspeita de envolvimento no escândalo de corrupção Alstom-Siemens…

http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/116353/M%C3%ADdia-esconde-devassa-em-Andrea-o-faz-tudo-do-PSDB.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/10/01/trabalhando-com-poesia-518

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Terça-feira abençoada por Deus.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Os mortos – Ferreira Gulart

os mortos vêem o mundo
pelos olhos dos vivos

eventualmente ouvem,
com nossos ouvidos,
certas sinfonias
algum bater de portas,
ventanias

Ausentes
de corpo e alma
misturam o seu ao nosso riso
se de fato
quando vivos
acharam a mesma graça

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“…Eu desço dessa solidão, espalho coisas sobre um chão de giz, há meros devaneios tolos a me torturar… Fotografias recortadas, em jornais de folhas, amiúde! Eu vou te jogar num pano de guardar confetes, eu vou te jogar num pano de guardar confetes… Disparo balas de canhão, é inútil, pois existe um grão-vizir. Há tantas violetas velhas, sem um colibri… Queria usar, quem sabe, uma camisa de força, ou de vênus, mas não vou gozar de nós, apenas um cigarro, nem vou lhe beijar, gastando assim o meu batom… Agora pego um caminhão, na lona, vou a nocaute outra vez. Prá sempre fui acorrentado no seu calcanhar… Meus vinte anos de “boy”, that’s over, baby! Freud explica… Não vou me sujar, fumando apenas um cigarro, nem vou lhe beijar, gastando assim o meu batom… Quanto ao pano dos confetes, já passou meu carnaval, e isso explica porque o sexo é assunto popular… No mais, estou indo embora!… No mais, estou indo embora!… No mais, estou indo embora!… No mais!…” (Zé Ramalho – Chão de giz – Comp.: Zé Ramalho)

“…Um velho cruza a soleira, de botas longas, de barbas longas, de ouro o brilho do seu colar… Na laje fria, onde quarava sua camisa e seu alforje de caçador… Oh! Meu velho e Invisível Avôhai!… Oh! Meu velho e Indivisível Avôhai!… Neblina turva e brilhante, em meu cérebro coágulos de sol… Amanita matutina e que transparente cortina ao meu redor… E se eu disser que é meio sabido, você diz que é meio pior, mas e pior do que planeta, quando perde o girassol… É o terço de brilhante nos dedos de minha avó, e nunca mais eu tive medo da porteira, nem também da companheira, que nunca dormia só… Avôhai! Avôhai! Avôhai!… O brejo cruza a poeira, de fato existe um tom mais leve, na palidez desse pessoal… Pares de olhos tão profundos, que amargam as pessoas que fitar… Mas que bebem sua vida, sua alma, na altura que mandar… São os olhos, são as asas, cabelos de Avôhai… Na pedra de turmalina e no terreiro da usina eu me criei… Voava de madrugada e na cratera condenada eu me calei… E se eu calei foi de tristeza, você cala por calar, mas e calado vai ficando, só fala quando eu mandar… Rebuscando a consciência, com medo de viajar, até o meio da cabeça do cometa, girando na carrapeta, no jogo de improvisar… Entrecortando, eu sigo dentro a linha reta, eu tenho a palavra certa, prá doutor não reclamar… Avôhai! Avôhai! Avôhai! Avôhai!…” (Zé Ramalho – Avohai – Comp.: Zé Ramalho)

“… Baby! Dê-me seu dinheiro que eu quero viver, dê-me seu relógio que eu quero saber, quanto tempo falta para lhe esquecer, quanto vale um homem para amar você… Minha profissão é suja e vulgar, quero um pagamento para me deitar, e junto com você estrangular meu riso, dê-me seu amor, que dele não preciso… Baby! Nossa relação acaba-se assim, como um caramelo que chega-se ao fim, na boca vermelha de uma dama louca, pague meu dinheiro e vista sua roupa… Deixe a porta aberta quando for saindo, você vai chorando e eu fico sorrindo, conte pr’as amigas que tudo foi mal, tudo foi mal! Nada me preocupa de um marginal… Baby! Dê-me seu dinheiro que eu quero viver, dê-me seu relógio que eu quero saber, quanto tempo falta para lhe esquecer, quanto vale um homem para amar você… Minha profissão é suja e vulgar, quero um pagamento para me deitar, e junto com você estrangular meu riso, dê-me seu amor, que dele não preciso… Baby! Nossa relação acaba-se assim, como um caramelo que chega-se ao fim, na boca vermelha de uma dama louca, pague meu dinheiro e vista sua roupa… Deixe a porta aberta quando for saindo, você vai chorando e eu fico sorrindo, conte pr’as amigas que tudo foi mal, tudo foi mal! Nada me preocupa de um marginal… Oh! Oh! Oh! Oh! Oh! Oh! Oooooooooh! Oooooooooh!…“ (Zé Ramalho – Garoto de aluguel – Comp.: Zé Ramalho)

“Procure cultivar a verdade, em relação aos outros, e também em relação a você mesmo. Só a verdade nos fará chegar à perfeição, porque ela nos faz conhecer o que real e verdadeiramente somos. E só chegaremos a ser perfeitos quando nos conhecermos, a fim de podermos corrigir-nos de nossos defeitos e nos lançar à conquista das virtudes que nos falam.” (Minutos de Sabedoria Pg. 265)

Bom dia pessoal,
Como foram de final de semana? Espero que bem. A semana começa como sempre com as expectativas em alta. O Bahia deixou escapar uma ótima oportunidade de vencer o Vasco da Gama e se afastar ainda mais da Zona do Rebaixamento no Brasileirão. O time mantem sete pontos do Z4 e está a dois pontos do maior rival, que venceu o Atlético paranaense por 5×3, em jogo de muitas emoções. Nesta quarta-feira o Tricolor vai a São Paulo enfrentar o Corinthians e o time de Canabrava enfrenta o Goiás, em Salvador.
Na nossa sugestão de leitura do “Trabalhando com Poesia” de hoje, dois textos do site Pátria Latina. Vale a pena conferir.
A superpotência impotente e seu menestrel errante, por M K Bhadrakumar, Asia Times Online – A expectativa era que o discurso anual do presidente dos EUA Barack Obama, na sessão da Assembleia Geral da ONU na 3ª-feira, trouxesse alguma notícia de alguma nova orientação norte-americana sobre o conflito sírio e a situação em torno do Irã. E sim, o Oriente Médio foi tema dominante no discurso, e apagou completamente outras questões, como a mudança climática ou a estratégia de reequilíbrio dos EUA na Ásia ou o desarmamento global.
http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=8fab6a38f0d73ed65a2ebba0c7d3a96e&cod=12484

Como preparar a opinião pública para uma guerra – Segundo um documento do Ministério da Defesa britânico publicado nesta sexta-feira (27) pelo jornal The Guardian, o governo deveria “lançar uma campanha constante e clara para influenciar nas áreas mais importantes da imprensa e da opinião pública” buscando recuperar o apoio popular que existiu na guerra das Malvinas e na Irlanda do Norte. O documento aconselha “reduzir a sensibilidade pública às consequências inerentes de uma operação militar”.
http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=1d41974ae0796141ff60a9845c9964b4&cod=12483
Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/30/trabalhando-com-poesia-517

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Segunda-feira abençoada por Deus e repleta da energia positiva.
Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282
Meu pai

meu pai foi
ao Rio se tratar de
um câncer (que
o mataria) mas
perdeu os óculos
na viagem

quando lhe levei
os óculos novos
comprados na Ótica
Fluminense ele
examinou o estojo com
o nome da loja dobrou
a nota de compra guardou-a
no bolso e falou:
quero ver
agora qual é o
sacana que vai dizer
que eu nunca estive
no Rio de Janeiro

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“…Oh! Deus, perdoe esse pobre coitado, que de joelhos rezou um bocado, pedindo pra chuva cair, cair sem parar… Oh! Deus, será que o senhor se zangou? E é só por isso que o sol se arretirou, fazendo cair toda chuva que há?… Oh! Senhor, pedi pro sol se esconder um pouquinho, pedi pra chover, mas chover de mansinho, pra ver se nascia uma planta, uma planta no chão… Oh! Meu Deus, Se eu não rezei direito, a culpa é do sujeito, desse pobre que nem sabe fazer a oração… Meu Deus, perdoe encher meus olhos d’água, e ter-lhe pedido cheio de mágoa pro sol inclemente se arretirar, retirar… Desculpe, pedir a toda hora, pra chegar o inverno e agora, o inferno queima o meu humilde Ceará… Oh! Senhor, pedi pro sol se esconder um pouquinho, pedi pra chover, mas chover de mansinho, pra ver se nascia uma planta no chão, planta no chão… Violência demais, chuva não tem mais, roubo demais, política demais, tristeza demais, o interesse tem demais!… Violência demais, fome demais, falta demais, promessa demais, seca demais, chuva não tem mais!… Lá no céu demais, chuva tem, tem, tem, não tem, e quando tem, é demais… Pobreza demais, como tem demais! falta demais, é demais, chuva não tem mais, seca demais, roubo demais, povo sofre demais. oh! demais… Oh! Deus. Oh! Deus. Só se tiver Deus. Oh! Deus. Oh! fome. Oh! interesse demais, Falta demais!…” (O Rappa – Súplica Cearense – Comp.: Gordurinha / Nelinho)

“… Moço, peço licença eu sou novo aqui, não tenho trabalho, nem passe, eu sou novo aqui, não tenho trabalho, nem classe, eu sou novo aqui, sou novo aqui, sou novo aqui… Eu tenho fé, fé, que um dia vai ouvir falar de um cara que era só um Zé, Zé, não é noticiário de jornal, não é, é… Não é noticiário de jornal, não é, é… Sou quase um cara, não tenho cor, nem padrinho, nasci no mundo, sou sozinho, não tenho pressa, não tenho plano, não tenho dono… Tentei ser crente, mas, meu cristo é diferente, a sombra dele é sem cruz, dele é sem cruz, no meio daquela luz, daquela luz, vai… Moço, peço licença eu sou novo aqui, não tenho trabalho, nem passe, eu sou novo aqui, não tenho trabalho, nem classe, eu sou novo aqui, sou novo aqui, sou novo aqui… Eu tenho fé, fé, que um dia vai ouvir falar de um cara que era só um Zé, Zé, não é noticiário de jornal, não é, é… Não é noticiário de jornal, não é, é… Sou quase um cara, não tenho cor, nem padrinho, nasci no mundo, sou sozinho, não tenho pressa, não tenho plano, não tenho dono… Tentei ser crente, mas, meu cristo é diferente, a sombra dele é sem cruz, dele é sem cruz, no meio daquela luz, daquela luz, vai… E eu voltei pro mundo, aqui embaixo, minha vida corre plana… Comecei errado, mas hoje eu tô ciente, tô tentando, se possível, zerar do começo e repetir o play, repetir o play… Não me escoro em outro e nem cachaça, o que fiz tinha muita procedência, eu me seguro em minha palavra, em minha mão, em minha lavra… Sou quase um cara, não tenho cor, nem padrinho, nasci no mundo, eu sou sozinho, não tenho pressa, não tenho plano, não tenho dono… Tentei ser crente, mas, meu cristo é diferente, a sombra dele é sem cruz, dele é sem cruz, no meio daquela luz, daquela luz… “ (O Rappa – Meu mundo é o barro – Comp.: Lauro Farias / Marcelo Falcão / Marcelo Lobato / Marcos Lobato / Xandão)

“… A chama da vela que reza, direto com santo conversa, ele te ajuda te escuta, num canto colada, no chão, mas sombras mexem… Pedidos e preces viram cera quente… Pedidos e preces viram cera quente… A fé no sufoco da vela abençoada, no dia dormido, o fogo já não existe ali, saíram do abrigo, são quase nada… A molecada corre e corre, ninguém tá triste… A molecada corre e corre, ninguém tá… Se tudo move, se o prédio é santo, se é pobre, mais pobre fica, vira bucha de balão, ao som de funk… E apertada tua avenida… A cera foi tarrada, não se admire… Se tudo move, se o prédio é santo, se é pobre, mais pobre fica, vira bucha de balão, ao som de funk… E apertada tua avenida… A cera foi tarrada, não se admire… Tá no céu, não espere o tiro apenas mire… A cera foi tarrada, não se admire… Tá no céu balão de bucha não espere o tiro, apenas mire… Depois da benção o peito amassado, é hora do cerol, é hora do traçado, quem não cobre fica no samba atravessado, sobe balão no céu rezado… Depois da benção o peito amassado, é hora do cerol, é hora do traçado, quem não cobre fica no samba atravessado, sobe balão no céu rezado… A chama da vela que reza, direto com santo conversa, ele te ajuda te escuta, num canto colada, no chão, mas sombras mexem… Pedidos e preces viram cera quente… Pedidos e preces viram cera quente… A fé no sufoco da vela abençoada, no dia dormido, o fogo já não existe ali, saíram do abrigo, são quase nada… A molecada corre e corre, ninguém tá triste… A molecada corre e corre, ninguém tá… Se tudo move, se o prédio é santo, se é pobre, mais pobre fica, vira bucha de balão, ao som de funk… E apertada tua avenida… A cera foi tarrada, não se admire… Se tudo move, se o prédio é santo, se é pobre, mais pobre fica, vira bucha de balão, ao som de funk… E apertada tua avenida… A cera foi tarrada, não se admire… Tá no céu, não espere o tiro apenas mire… A cera foi tarrada, não se admire… Tá no céu balão de bucha não espere o tiro, apenas mire… Depois da benção o peito amassado, é hora do cerol, é hora do traçado, quem não cobre fica no samba atravessado, sobe balão no céu rezado… Depois da benção o peito amassado, é hora do cerol, é hora do traçado, quem não cobre fica no samba atravessado, sobe balão no céu rezado…” (O Rappa – Reza vela – Comp.: Lauro Farias / Marcelo Falcão / Marcelo Lobato / Marcos Lobato / Rodrigo Vale / Xandão)

Confira outros sucessos de o Rappa:

“Jamais desanime! Embora sua dor pareça insuportável e sem remédio, ela há de terminar, e a alegria voltará a brilhar em seu coração. Não há noite eterna à qual não suceda a luz de um dia radiante. Dos sofrimentos passados, conservamos apenas uma lembrança quase apagada. Assim acontecerá amanhã com os sofrimentos de hoje. Entregue tudo ao Tempo, que, com sua mão compassiva, balsamizará todas as suas dores.” (Minutos de Sabedoria Pg. 264)

Bom dia pessoal,

Mais um final de semana chegando e, com ele a nossa expectativa de momentos de tranquilidade e de paz com nossas famílias. Desejo a cada um de vocês momentos de felicidade e de descontração. Estamos na época de degustar o caruru de São Cosme e São Damião. Os santos gêmeos são dos mais populares santos da Igreja Católica.

Há relatos que atestam serem originários da Arábia, de uma família nobre de pais cristãos, no século III. Seus nomes verdadeiros eram Acta e Passio.

Um estudou Medicina e o outro Farmácia na Síria e depois foram praticar em Egéia. Diziam “Nós curamos as doenças em nome de Jesus Cristo e pelo seu poder”.

Exerciam a medicina e farmácia na Síria, em Egéia e na Ásia Menor, sem receber qualquer pagamento. Por isso, eram chamados de anárgiros, ou seja, inimigos do dinheiro.

Cosme e Damião foram martirizados na Síria, porém é desconhecida a forma exata como morreram. Perseguidos por Diocleciano, foram trucidados e muitos fiéis transportaram seus corpos para Roma.

Foram sepultados no maior templo dedicado a eles, feito pelo Papa Félix IV (526-30), na Basílica no Fórum de Roma com as iniciais SS – Cosme e Damião.

Há várias versões para suas mortes, mas nenhuma comprovada por documentos históricos. Uma das fontes relata que eram dois irmãos, bons e caridosos, que realizavam milagres e por isso teriam sido amarrados e jogados em um despenhadeiro sob a acusação de feitiçaria e de serem inimigos dos deuses romanos.

Segundo outra versão, na primeira tentativa de matá-los, foram afogados, mas salvos por anjos. Na segunda, foram queimados, mas o fogo não lhes causou dano algum. Apedrejados na terceira vez, as pedras voltaram para trás, sem atingi-los. Por fim, morreram degolados.

Lendas: Existiam num reino dois pequenos príncipes gêmeos que traziam sorte a todos. Os problemas mais difíceis eram resolvidos por eles; em troca, pediam doces balas e brinquedos. Esses meninos faziam muitas traquinagens e, um dia, brincando próximos a uma cachoeira, um deles caiu no rio e morreu afogado. Todos do reino ficaram muito tristes pela morte do príncipe. O gêmeo que sobreviveu não tinha mais vontade de comer e vivia chorando de saudades do seu irmão, pedia sempre a Deus que o levasse para perto do irmão. Sensibilizado pelo pedido, Deus resolveu levá-lo para se encontrar com o irmão no céu, deixando na terra duas imagens de barro. Desde então, todos que precisam de ajuda deixam oferendas aos pés dessas imagens para ter seus pedidos atendidos.

Na mitologia grega, há muito se cultuava esses santos, havendo registros, desde o século V, quando esse culto já estava estabilizado no Mediterrâneo, de cultos que relatam a existência, em seus cultos, de um óleo santo, atribuído a Cosme e Damião, e que tinha o poder de curar doenças e dar filhos às mulheres estéreis.

Alguns grupos concentram seus esforços para demonstrar que Cosme e Damião não existiram de fato, que eram apenas a versão cristã da lenda dos filhos gêmeos de Zeus, Castor e Pólux. Esta versão é combatida por aqueles que acreditam na real existência dos irmãos, embora a superstição que o povo tem muitas vezes faça supor que haja uma adaptação do costume pagão.

O dia de São Cosme e Damião é celebrado também pelo Candomblé, Batuque, Xangô do Nordeste, Xambá e pelos centros de Umbanda onde são associados aos ibejis, gêmeos amigos das crianças que teriam a capacidade de agilizar qualquer pedido que lhes fosse feito em troca de doces e guloseimas. O nome Cosme significa “o enfeitado” e Damião, “o popular”.

Estas religiões os celebram no dia 27 de setembro, enfeitando seus templos com bandeirolas e alegres desenhos, tendo-se o costume, principalmente no Rio de Janeiro, de dar doces e brinquedos às crianças que lotam as ruas em busca dos agrados. Na Bahia, as pessoas comemoram oferecendo caruru, vatapá, doces e pipoca para a vizinhança.
A Igreja Católica Apostólica Romana, desde tempos imemoriáveis até o Calendário Romano de 1962, que vigorou até 1969, celebrava a festa de santos Cosme e Damião no dia 27 de setembro. Porém, em 1969, com a reforma litúrgica, o Calendário Romano passou a comemorá-los no dia 26, pois, considerada a importância de São Vicente de Paulo, também celebrado dia 27, preferiram não pôr as duas Memórias na mesma data. São Vicente ficou com o dia 27, já que era a data sabida de sua morte; já Santos Cosme e Damião, como não se sabe a data de morte deles, tiveram sua Memória movida para o dia 26 de setembro. Ainda assim, católicos tradicionalistas, devotos mais antigos e as religiões afro-brasileiras que também os cultuam, como o Candomblé e a Umbanda, continuam a comemorá-los no dia 27. Apesar da mudança na Igreja Católica, ao menos no Brasil, por conta da tradição, populares continuam fazendo comemorações no dia 27 de setembro.

Cosme e Damião também são celebrados pela Igreja Ortodoxa, mas há três pares de santos Cosme e Damião celebrados por essa Igreja. O mais comumente associado a santos Cosme e Damião médicos na Síria é celebrado em 1º de novembro, como Santos Cosme e Damião da Ásia Menor. Mas há uma celebração em 17 de outubro, de Santos Cosme e Damião da Cilícia, e outra em 1º de julho, de Santos Cosme e Damião de Roma. Os três pares são da classe dos santos anárgiros, isto é, “desapegados do dinheiro”, o que faz com que se pense que os três se referem ao mesmo par.
São considerados no Brasil os Santos padroeiros dos Farmacêuticos e Médicos. A bonita história de São Cosme e São Damião – que por sua vez é marcada por visões diferentes, dependendo da crença de cada religião – demonstra a complementaridade e interdependência que as profissões irmãs, a medicina e a farmácia, possuem. Talvez o sucesso atribuído às curas milagrosas dos irmãos gêmeos, na idade média, nada mais fosse do que a antecipação da divisão do trabalho, ocorrida apenas no século XIII, onde a farmácia foi separada oficialmente da medicina e considerada uma profissão.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cosme_e_Dami%C3%A3o

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, dois textos do site Pátria Latina. Vale a pena conferir:

“DILMA NA ONU E A REAÇÃO VIRA-LATA”, Por Cadu Amaral, em seu blog: O discurso da presidenta Dilma Rousseff na abertura da 68ª Assembleia-Geral das Nações Unidas ainda repercute, especialmente nas redes sociais. E o que se vê, em boa quantidade, infelizmente, é o complexo de vira-lata arraigado em muita gente, aliado a quem tenta, de uma forma ou de outra, desmerecer a postura de nossa presidenta.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d41d8cd98f00b204e9800998ecf8427e&cod=12466

“O PESO DA SONEGAÇÃO”, por Ladislau Dowbor, Le Monde Diplomatique – Os vazamentos do dinheiro público – As eleições nos custam R$ 2 bilhões, é até pouca coisa. Mas a manipulação permitida nos custa centenas de bilhões por meio dos mecanismos que se tornaram legais ou de difícil controle judiciário. A deformação do sistema tributário desonera os muito ricos e fragiliza o setor público, reproduzindo a desigualdade.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=d0e5de6daedcf05cad800f50b14875e6&cod=12473

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/27/trabalhando-com-poesia-516/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma sexta-feira abençoada por Deus e coberta pela paz do Alá de Oxalá! Bom final de semana e até segunda feira.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

O Ás de Ouro – Tude Celestino

Seu moço, eu já fui incréu,
Mas num baráio, meu patrão,
Nunca mais eu boto a mão
Inquanto huvé Deus no Céu!
Baráio é morte, é ruína,
E pru mode essa silibrina
Pai de famia se mata
Dispôs que impenha a aprecata
E perde a ropa e o chapéu.
Todo jogo é tentação,
Mas num baraio, seu dotô,
Foi que o anjo inganadô
Butô mais quengo e treição
É cum ele que o sujo ganha
As arma qui ele arrebanha
Nos arçapão das cafuas
Pois é u’a verdade nua:
Baráio é a bíbria do cão!
Meu pai já foi home abastado
Quando eu ainda era minino,
Quando eu cresci, seu Celino
Já era, então, um pé rapado.
Vaca, casa, budega,
As casinha, os boi, as égua,
Roça, casa de farinha,
Quando pensou que ainda tinha,
Já o baráio tinha levado.
Migué Celini Paranho
O Ás de Ouro cunhecido,
Era um véio distemido
E ao falá num me acanho,
Ao perdê tudo, meu pai
Dixe ansim: Num jogo mais!
No baráio sapecô fogo
Pagô as dívida do jogo
E foi dá dia de ganho.
Meu pai era um véio pacato;
Cum eu o leite frivia,
Pois sei que o jogo esse dia
Era u’a cama de gato;
E eu dismanchava a baiúca,
Dismantelava a arapuca,
Gritava: Arco de reis!
Matava dois cabra ou três
E me imbrenhava no mato.
Pur quê eu nunca quis tostão
Num seno meu, seu dotô
O meu tumém eu num dô
Nem qui venha um batainhão;
E mode esse rejume,
Eu cunheci o negrume
Do Manto dos disingano
Dos qui leva quinze ano
No fundo de u’a prisão.
Hoje qui tudo acabô
E qui eu já fui perduado,
Qui no baú do passado
Num guardo mais essa dô,
Essa mágua, essa enlusão,
Vô abri meu coração
Qui é pra todo mundo vê
E eu contá pra vamicê
Cuma o caso se passô:
Foi no arraiá dos Firmino
Numa noite de Natá,
In vez de i pra ingrejinha oiá
Nos presepe Deus Minino
Fui foi pr’um jogo que tinha
Na casa de Zé de Aninha,
Um jogadô patotero
Qui robô muito dinhero
Do meu pai – do véi Celino.
Pur o cabra eu tinha rêxa
Guardada no coração,
Dessas que garra um cristão
E nem cum a morte num dêxa.
Atrás do Zé, no sucaro,
Cuma cachorro no faro,
Há muito tempo eu vivia
E ele bem sabia
A razão de minhas quêxa.
Fui e entrei no mundéu;
Zé de Aninha cum distreza
Butava as carta na mesa
Si rino sempre pra eu;
Figurô terno e ás de ouro
Sinti um tremô no coro
E falei cum frio na ispinha:
Nesta ronda, Zé de Aninha,
Os ás qui sai é meu.
Ele dixe: Cuma quêra,
Do princípio inté o fim;
Seu pai tomém era ansim
Mas já lhe fiz a cavêra.
E eu lhe dixe: Mas cum fio
Num ande fora dos trio;
Vou lhe avisá, num se zangue:
Lhe afogo todo em seu sangue
Se jogá cum ladroêra.
E arrancano o meu punhá
Finquei de leve na mesa
Quando larguei, qui beleza,
O cabo tremeu no ar.
Dois capanga do Zé
Qui tavam atrás dele, in pé,
Tremero veno meu fogo;
Zé deu saída no jogo
E cumecemo a jogá.
Meia noite a pressão
Do nosso jogo subia;
Eu no ás sempre perdia
E o Zé si rino… Apois não!
E eu já cheio de incerteza,
Oiei dibaxo da mesa
E vi então cum esses óio
Qui nunca teve dordóio
Dois ás de baráio no chão.
Dano um sarto de cavalo,
Ranquei o punhá da mesa,
E, cum toda ligereza,
Sigurei Zé no gargalo
E dei vinte punhalada
Inquanto qui in disparada
Os dois capanga fugia
E na ingrejinha se uvia
Cantarem a missa do galo.
Quinze ano – ou foi cem?
Eu amarguei na prisão.
Já sou homem de bem;
Só vivo do meu trabáio.
Num peguei mais in baráio,
Dexei aquela vidinha.
Mas o tal de Zé de Aninha
Nunca mais roba ninguém.

A Vingança de Zé de Aninha – Tude Celestino

São João! Fuguete! Istôro!
E eu aqui, queto, iscundido,
Muito triste e arrepindido,
Cum cara de mau agôro.
Eu so fio do Ás de Ouro
Qui, pur disventura minha,
Liquidei o Zé de Aninha
Nu’a noite de Natá
E agora vivo a pená
De um remorso qui me ispinha.
A sorte é quem ditrimina
O qui nós é nesse mundo;
Uns nasce pra vagabundo
E tem qui cumpri a sina,
As vez a gente arrimina
Faz tolice de minino
Mas num distorce o distino.
Zé nasceu pru baráio
Eu, da vida nos ataio,
Triminei seno assassino.
Mas paguei as minhas pena
Todinha à sociedade,
Só inda agora a maldade
Do remorso me condena;
Fecho os óio e vejo a cena
Do Zé a se acabá;
No seu sangue se banhá…
Tombém oiço as pancada
Dos sino, as badalada
Da ingrejinha do arraiá.
Iscute, seu moço, meu azá,
Foi vê naquela vingança
I simbora a isperança
D’eu um dia me salvá,
Dispois de o Zé eu matá,
Num buteco – o Perde e Ganhe
Eu quis inté abri champanhe;
Mas a vingança nos trai:
Jugano vingá meu pai,
Quaje matei minha mãe.
Minha mãe qui sofreu tanto
– Cuma ela merma me contô –
Qui derna qui se casô
Qui veve a derramá pranto,
Fez promessa a todo santo
Pra meu pai – O véi Celino,
Dexá o triste distino,
Do barái dexá os trio
E acabô foi veno o fio
Na prisão como assassino.
E meus ano de prisão,
Qui quaje num acabam mais.
Minha mãe num teve paz,
Só mágua no coração.
E só, naquela aflição,
Lembrei dela – Dona Aninha,
A mãe do Zé, u’a veinha
Qui veve a rezá pur ele.
Eu, veno triste a mãe dele,
Lembrava, triste, da minha.
Parece inté um mistéro.
Qué vê, repare, patrão:
Das grade de minha prisão,
Eu via de perto o impero
Da tristeza – o sumitéro.
E via sigui de pé,
Todo dia u’a muié…
– Era ela, Dona Aninha,
Qui ia toda tardinha
Rezá na cova do Zé.
As duas santas muié,
Sobe ainda na prisão,
Qui passavam privação
Talvez inté fome, inté.
Prá irem, cheia de fé,
U’a vê o fio novamente,
Teno no pé u’a corrente;
A ôta, pru campo santo.
Duas mãe com o mermo pranto
Chorano dô diferente.
Moço, nós tudo um dia
Divia entrá num xadrez,
Passá dois dia ou três,
Veno passá sem alegria
As hora nas inxovia
Mermo sem firi ninguém;
Garanto, qui era um bem
Siria útil a lição,
Diminuía os ladrão,
E os assassino tomém.
Mas, sim, minha penitença:
Paguei toda na prisão,
Mas a arma e o coração,
Tão presa em otra sentença;
No remorso, a mágua imensa
Qui me traz arrepindido,
Me taxaro de bandido
E, ao senti esse horrô,
Eu fiz a nosso senhô
Esse pungente pedido:
Oh! Deus, tenha a arma do Zé
No santo reino da glora
E me dexe vida a fora
Nos ispinho sangrano os pé.
Inté que um dia inté
Eu ganhe de novo a isperança
Qui só penano se arcança;
Dexe,meu Deus, eu sofrê!
E qui seja do meu vivê
Do Zé de Aninha a vingança.

Redenção – Tude Celestino

Sarve, Oh! Deus Onipotente!
Qui criou o céu e o má,
Qui veno a gente pecá
Ainda perdoa a gente;
Sempre bondoso e cremente,
Nos dá toda proteção,
É pai ditoso e, então,
Seu amô é santo, é puro
Qui inté pru crime mais duro
Ele reserva um perdão!
Minha istora é cunhecida
Pur todo esse sertão,
Só ninguém sabe, patrão,
Qui a liberdade quirida,
Quando a gente vê perdida
É qui o remorso aparece
E dentro da gente, cresce.
Mas cadê pudê vortá
Do mei da trama e evitá
As teia qui o diabo tece?
Ao obtê a liberdade,
Num teno mais o meu pai,
Minha mãe, vai mas num vai,
Saí triste, na verdade.
Minha mãe, pur piedade,
Do muito qui ocorreu,
Num relato pra eu.
Ansim, preso, eu num sabia
Qui a fome, muitos dia,
Na sua porta bateu.
Mas minha mãe inda me viu
Gozano da liberdade.
Mas já avançada da idade,
Com mais um ano, partiu.
Me abraçano sorriu
Quando sua hora chegô,
Sorrino me abençoô,
E pru céu, cuma um anjinho,
Ansim Cuma um passarinho,
Sua alma pura vuô.
Fiquei sozinho no mundo,
Inda pur cima, mal visto.
Me agarrei cum Jesus Cristo
Pra num sê um vagabundo.
Meu desgosto era profundo
Quando eu via Dona Aninha
Qui tombém ficô sozinha,
Pois viúva criô Zé,
Qui eu ajuntei os pé
Naquela hora mesquinha.
Deus me perdoe – Ave Maria!
Se vou dizê coisa fea:
Mermo sorto ou na cadea
Eu tinha a merma agonia,
A merma dô me afrigia
Cuma se eu fosse um ateu,
Era triste os dia meu…
Parecia, meu patrão,
Qui Deus, cum toda razão,
Andava cum raiva d’eu.
Apesá de tê dexado
A danada da cadêa
Tinha na alma u’a peia
Eu vivia amargurado.
Tinha um remorso incausado
Qui num achava meizinha,
Mas u’a voz, u’a tardinha,
Me dixe qui pra eu vivê
Eu tinha qui obtê
O perdão de Dona Aninha.
Fui entonce, sem demora,
Pru ranchim, pra casa dela,
Qui, pra mim, virô capela
E ela, Nossa Senhora!
Dona Aninha, minh’alma implora,
Eu vim aqui lhe implorá
Seu perdão; e ela, a me oiá
Cum uns zoinho imbaciado
Me abraçô e, abraçado,
Nós cumecemo a chorá.
Dipois sirrimo. E Jesus,
Num registro na parede
Do ranchim, bem junto à rede,
Tombém sirriu lá da cruz.
A sala se incheu de luz
Viro u’a ingreja a casinha
Diante, intão, da veinha,
Sentei o juei no chão,
De Deus sintino o perdão
No perdão de Dona Aninha.
E ainda, pur sorte minha,
Cumpretano o seu perdão,
Numa noite de São João,
Ela quis sê minha madrinha.
Ansim, a doce veinha
Fez eu isquecê o qui se deu,
O meu passado morreu
E a minha vida hoje é bela.
A minha mãe, hoje, é ela
E o Zé, pra ela, sô eu.
Sarve, Oh! Deus Onipotente!
Qui criou o céu e o má,
Qui veno a gente pecá
Ainda perdoa a gente;
Sempre bondoso e cremente,
Nos dá toda proteção,
É pai ditoso e, então,
Seu amô é santo, é puro
Qui inté pru crime mais duro
Ele reserva um perdão.

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Oh Lord, oh Lord, oh Lord, oh Lord… Lord, Lord, Lord, Lord, Oh Lord, oh Lord, oh Lord, oh Lord… Lord, Lord, Lord, Lord… Em algum lugar, pra relaxar, eu vou pedir pros anjos cantarem por mim… Pra quem tem fé, a vida nunca tem fim, não tem fim… É… Se você não aceita o conselho, te respeito, resolveu seguir, ir atrás, cara e coragem… Só que você sai em desvantagem se você não tem fé, se você não tem fé… Te mostro um trecho, uma passagem de um livro antigo, pra te provar e mostrar que a vida é linda, dura, sofrida, carente em qualquer continente, mas boa de se viver em qualquer lugar… É… Volte a brilhar, volte a brilhar… Um vinho, um pão e uma reza, uma lua e um sol, sua vida, portas abertas… Em algum lugar, pra relaxar, eu vou pedir pros anjos cantarem por mim… Pra quem tem fé, a vida nunca tem fim, não tem fim… Em algum lugar, pra relaxar, eu vou pedir pros anjos cantarem por mim… Pra quem tem fé a vida nunca tem fim… Oh Lord, oh Lord, oh Lord, oh Lord… Lord, Lord, Lord, Lord, Oh Lord, oh Lord, oh Lord, oh Lord… Lord, Lord, Lord, Lord… Te mostro um trecho, uma passagem de um livro antigo, pra te provar e mostrar que a vida é linda, dura, sofrida, carente em qualquer continente, mas boa de se viver em qualquer lugar… Podem até gritar, gritar, podem até barulho então fazer, ninguém vai te escutar se não tem fé, ninguém mais vai te ver… Inclinar seu olhar sobre nós e cuidar, inclinar seu olhar sobre nós e cuidar… Inclinar seu olhar sobre nós e cuidar… Inclinar seu olhar sobre nós e cuidar… Pra você pode ser… Em algum lugar, pra relaxar, eu vou pedir pros anjos cantarem por mim, pra quem tem fé a vida nunca tem fim… Pra você pode ser, pode ser, pra você pode ser… Nunca tem fim… Nunca tem fim… Nunca tem fim… Oh Lord, oh Lord, oh Lord, oh Lord… Em algum lugar, pra relaxar… Eu vou pedir pros anjos cantarem por mim… Pra quem tem fé, a vida nunca tem fim… Em algum lugar, pra relaxar… Eu vou pedir pros anjos cantarem por mim… Pra quem tem fé, a vida nunca tem fim… A fé na vitória tem que ser inabalável, pra você pode ser, pra você pode ser, pra você pode ser… Em algum lugar, pra relaxar… Eu vou pedir pros anjos cantarem por mim… Pra quem tem fé, a vida nunca tem fim” (O Rappa – Anjos (Pra quem tem fé) – Comp.: Marcelo Falcão)

“… Enquanto a voz amena fala de equilíbrio, um rosto é só um rosto e quem está falando parece uma questão divina… E a tv tira a atenção, na hora do culto hardcore… Pois a miséria é um insulto, motiva a fé, motiva a fé, motiva a fé do mundo… E o defunto não deve enjeitar a cova, humilde, desumano, não vou duvidar do passado… Como se já não existissem velas para acender, mas que diferença faz se nossas mães não choram mais? não choram mais… E de meu pai não vejo sorriso, se o velhos não podem Criar suas rugas… O novo já nasce velho… O novo já nasce velho… O novo já nasce velho… O novo já nasce velho… O novo já nasce velho… Enquanto a voz amena fala de equilíbrio, um rosto é só um rosto e quem está falando parece uma questão divina… E a tv tira a atenção, na hora do culto hardcore… Pois a miséria é um insulto, motiva a fé, motiva a fé, motiva a fé do mundo… E o defunto não deve enjeitar a cova, humilde, desumano, não vou duvidar do passado… Como se já não existissem velas para acender, mas que diferença faz se nossas mães não choram mais? não choram mais… E de meu pai não vejo sorriso, se o velhos não podem Criar suas rugas… O novo já nasce velho… O novo já nasce velho… O novo já nasce velho… O novo já nasce velho… O novo já nasce velho… “ (O Rappa – O novo já nasce velho – Comp.: Marcelo Falcão, Marcelo Lobato, Marcelo Yukka)

“… Pra enxergar o infinito, debaixo dos meus pés, não basta olhar de cima e buscar no escuro, no obscuro a sombra que me segue todo dia… Deixo quieto e seguro as páginas dos sonhos que não li e outra vez não me impeço de dormir… Os jornais não informam mais e as imagens nunca são tão claras como a vida. Vou aliviar a dor e não perder as crianças de vista… Não perca as crianças de vista… Não perca as crianças de vista… Não perca as crianças de vista… Família, um sonho ter uma família… Família, um sonho de todo dia… Família é quem você escolhe pra viver… Família é quem você escolhe pra você… Não precisa ter conta sanguínea, é preciso ter sempre um pouco mais de sintonia… Pra enxergar o infinito, debaixo dos meus pés, não basta olhar de cima e buscar no escuro, no obscuro a sombra que me segue todo dia… Deixo quieto e seguro as páginas dos sonhos que não li e outra vez não me impeço de dormir… Os jornais não informam mais e as imagens nunca são tão claras como a vida. Vou aliviar a dor e não perder as crianças de vista… Não perca as crianças de vista… Não perca as crianças de vista… Não perca as crianças de vista… Família, um sonho ter uma família… Família, um sonho de todo dia… Família é quem você escolhe pra viver… Família é quem você escolhe pra você… Não precisa ter conta sanguínea, é preciso ter sempre um pouco mais de sintonia…” (O Rappa – Não perca as crianças de vista – Comp.: O Rappa)

“Onde quer que encontre uma criança derrame sobre ela todo o seu carinho, estenda-lhe a mão para ajudá-la a crescer. Em cada criança, existe um dia novo que surge para a felicidade do mundo. Em casa, na escola, num jardim, num hospital, jamais olhe com indiferença para uma criança: facilite ao máximo a estrada que ela vai percorrer e semeie de flores o caminho que ela palmilhar.” (Minutos de Sabedoria Pg. 263)

Bom dia pessoal,

As atenções de toda a torcida tricolor hoje está voltada para a Colômbia, onde o esquadrão enfrenta o Nacional de Medelin. A partida vale pela Copa Sul Americana de futebol. O clube baiano retorna a competições internacionais, jogando no exterior após mais de duas décadas. Força ao Esquadrão. #BBMP

Na nossa sugestão de leitura de hoje artigos do Blog Correio Nagô. Vale a pena conferir:

Lá vem ele com esse papo sobre racismo! por: George Oliveira – O racismo velado é a ordem do dia. Ele está bastante presente em nosso cotidiano. Talvez você nunca tenha parado para pensar sobre um tipo de racismo bastante sutil e estas breves palavras pretendem incentivar a reflexão sobre o assunto. Pode passar despercebido a “olho nu”, mas um olhar um pouco mais apurado consegue identificá-lo nas entrelinhas e perceber a forma como é utilizado como estratégia de dominação.

http://correionago.ning.com/profiles/blogs/l-vem-ele-com-esse-papo-sobre-racismo-por-george-oliveira
Maria da Penha acumula 700 mil ações contra agressores – Números expressivos mostram acerto da lei, mas não escondem os entraves que ainda impedem sua aplicação mais efetiva e universal

Exatos sete anos após entrar em vigor, em 22 de setembro de 2006, a Lei Maria da Penha acumula perto de 700 mil procedimentos judiciais contra agressores de mulheres no Brasil, entre atendimentos, medidas de proteção e prisões, segundo levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

http://correionago.ning.com/profiles/blogs/maria-da-penha-acumula-700-mil-acoes-contra-agressores

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/26/trabalhando-com-poesia-515/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta-feira abençoada por Deus e coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Antecipação – Tude Celestino

Chegaste!oh! entra, eu te procurei tanto…
Sem bússola, sem norte, ao léu, sem endereço
Oh! Que incessante busca, quanto tropeço!
Quantas vezes sorri para esconder o pranto.
Para despir do tédio o nebuloso manto
Sonhei marmóreas ilusões que eram de gesso.
Paguei por minha tristeza um elevado preço
Nas noites que embalei em mavioso canto
Jogral apaixonado, tendo a lira ao peito,
Eu te busquei, amor. Cantando, eu ia e vinha
Jogando o coração a esmo, insatisfeito.
Sei agora o porque daquela mágoa infinda
Que me apertava o peito, é que n’alma eu já tinha
Saudades de você, sem conhecer-te ainda.

Inconseqüência – Tude Celestino

Da luz do teu olhar sereno eu preciso
Para guiar-me mansamente em meu caminho.
Quero teu colo morno para ser meu ninho
E teu corpo para ser meu paraíso.
Para suster meu passo trôpego e indeciso,
Requeiro o braço amigo e o teu carinho;
Para afastar meu tédio, ouvir o som de pinho
Em serenata que se expande em teu sorriso.
Do teu andar sutil, requisito os maneios;
Da tua boca rubra, quero o beijo quente
Para aplacar-me n’alma todos meus anseios.
Mas uma voz me diz, quebrando-me o encanto:
-Quem és tu, boêmio louco, inconseqüente,
que nada tens a dar e ousas pedir tanto?

Dentro da Noite – Tude Celestino

Varando a noite eu vi pelos cassinos
A esbórnia destruindo patrimônios
Vi anjos transformando-se em demônios
E mestres cometendo desatinos.
Vi nas vielas torcerem destinos;
Vi virgens que pediram a Santo Antônio
Um lar e o sacrossanto matrimônio
Serem pastos de vis e libertinos.
Vi a inocência ao léu sob as marquises
Morrendo ante um escol inconseqüente
E a pureza do olhar das meretrizes
Vi ante mil estrelas assombradas
Boêmios sob um céu indiferente
Sereno estuprando as madrugadas.

Boêmio II – Tude Celestino

Boêmio, eu não sei porque tão desregrado
Trocas assim teu lar pelo antro da taberna,
E a saúde destróis e tua alma tão terna
Arrastas pela rua como um desvairado.

Num poema genial, no bar improvisado,
Retratas no asfalto o homem da caverna,
E os copos se sucedem e lá por fora inverna,
E num verso profano o vinho é sublimado

E a noite avança, e enquanto o lar te espera em calma,
Na madrugada fria, com a mente em brasa,
Desvendas insensato os teus segredos d’alma

E já manhã agora, a dúvida o situa,
Entre o dever imperioso de ir pra casa
E uma vontade louca de ficar na rua.

Publicado em Livros | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Se meus joelhos não doessem mais diante de um bom motivo, que me traga fé, que me traga fé… Se por alguns segundos eu observar e só observar a isca e o anzol, a isca e o anzol, a isca e o anzol, a isca e o anzol… Ainda assim, estarei pronto pra comemorar, se eu me tornar menos faminto e curioso, curioso… O mar escuro trará o medo, lado a lado com os corais, mais coloridos… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Se eu ousar catar na superfície de qualquer manhã, as palavras de um livro, sem final! Sem final! Sem final! Sem final! Final… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Se eu ousar catar na superfície de qualquer manhã, as palavras de um livro, sem final! Sem final! Sem final! Sem final! Final… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões… Valeu a pena… Valeu a pena… Sou pescador de ilusões, sou pescador de ilusões…” (O Rappa – Pescador de ilusões – Comp.: Lauro Farias / Marcelo Falcão / Marcelo Lobato / Marcelo Yuka / Xandão)

“… Hey Joe, onde é que você vai com essa arma aí na mão? Hey Joe, esse não é o atalho pra sair dessa condição… dorme com tiro acorda ligado, tiro que tiro trik-trak boom para todo lado… meu irmão, é só desse jeito consegui impor minha moral, eu sei que sou caçado e visto sempre como um animal… sirene ligada os homi chegando trik-trak boom boom, mas eu vou me mandando… Hey Joe, assim você não curte o brilho intenso da manhã…acorda com tiro, dorme com tiro… Hey Joe, o que o teu filho vai pensar quando a fumaça baixar? fumaça de fumo, fogo de revólver e é assim que eu faço, eu faço a minha história… Meu irmão, aqui estou por causa dele e vou te dizer: Talvez eu não tenha vida, mas é assim que vai ser… Armamento pesado, o corpo é fechado, eu quero é mais ver, mais vai ser difícil me deter… Hey Joe, muitos castelos já caíram e você ta na mira… Tá na mira, tá na mira, tá na mira!… Hey Joe, muitos castelos já caíram e você ta na mira… Tá na mira, tá na mira, tá na mira!… Também Morre quem atira… Também morre quem atira… Também morre quem atira… menos de 5% dos caras do local, são dedicados a alguma atividade marginal e impressionam quando aparecem nos jornais, tapando a cara com trapos, com uma uzi na mão, parecendo árabes, árabes, árabes do caos… Sinto muito cumpadi, mas é burrice pensar que esses caras é que são os donos da biografia, já que a grande maioria daria um livro por dia, sobre arte, honestidade e sacrifício, sacrifício, arte, honestidade e sacrifício… Também Morre quem atira… Também morre quem atira… Também morre quem atira…” (O Rappa e Marcelo D2 – Hey Joe – Comp.: Billy Roberts (versão: O Rappa))

“… Se eles são Exu, eu sou Iemanjá, se eles matam o bicho, eu tomo banho de mar, com o corpo fechado ninguém vai me pegar, Lado A, lado B, Lado B, lado A… No bê abá da chapa quente, eu sou mais Jorge Bem, tocando bem alto no meu walkman, esperando o carnaval do ano que vem… Não sei se o ano vai ser do mal, ou se vai ser do bem… Se vai ser do bem, do bem, do bem… Se vai ser do bem, se vai ser do bem, do bem, do bem!… O que te guarda a lei dos homens, o que me guarda a lei de Deus, não abro mão da mitologia negra, para dizer que eu não pareço com você… Há um despacho na esquina pro futuro, com oferendas carimbadas todo dia e eu vou chegar, pedir e agradecer, pois a vitória de um homem as vezes se esconde num gesto forte, que só ele pode ver… Eu sou guerreiro, sou trabalhador e todo dia vou encarar, com fé em Deus e na minha batalha… Espero estar bem longe, quando o rodo passar!… Espero estar bem longe quando tudo isso passar… Eu sou guerreiro, sou trabalhador e todo dia vou encarar, com fé em Deus e na minha batalha… Espero estar bem longe, quando o rodo passar!… Espero estar bem longe quando tudo isso passar… Se eles são Exu, eu sou Iemanjá, se eles matam o bicho, eu tomo banho de mar, com o corpo fechado ninguém vai me pegar, Lado A, lado B, Lado B, lado A… No bê abá da chapa quente, eu sou mais Jorge Bem, tocando bem alto no meu walkman, esperando o carnaval do ano que vem… Não sei se o ano vai ser do mal, ou se vai ser do bem… Se vai ser do bem, do bem, do bem… Se vai ser do bem, se vai ser do bem, do bem, do bem!… O que te guarda a lei dos homens, o que me guarda a lei de Deus, não abro mão da mitologia negra, para dizer que eu não pareço com você… Há um despacho na esquina pro futuro, com oferendas carimbadas todo dia e eu vou chegar, pedir e agradecer, pois a vitória de um homem as vezes se esconde num gesto forte, que só ele pode ver… Eu sou guerreiro, sou trabalhador e todo dia vou encarar, com fé em Deus e na minha batalha… Espero estar bem longe, quando o rodo passar!… Espero estar bem longe quando tudo isso passar… Eu sou guerreiro, sou trabalhador e todo dia vou encarar, com fé em Deus e na minha batalha… Espero estar bem longe, quando o rodo passar!… Espero estar bem longe quando tudo isso passar…” (O Rappa – Lado B Lado A – Comp.: Falcão / Lauro Farias / Marcelo Lobato / Marcelo Yuka / Xandão)

“Acenda sua luz interior, a luz da sabedoria e da bondade. Dedique alguns minutos de seu dia à meditação, porque o (a) homem/mulher iluminado (a) não encontra trevas em seu caminho. Por onde passa, a luz se irradia de si mesmo, atingindo todos os que lhe estão perto. Mergulhe em seu íntimo, e ouça a voz de sua consciência, que é a voz silenciosa de Deus falando dentro de você mesmo.” (Minutos de Sabedoria Pg. 262)

Bom dia pessoal,

Estar de bem consigo mesmo é aspecto fundamental na sua caminhada. Feito isso você terá a capacidade de enfrentar qualquer situação. Sem essa condição, qualquer brisa será um tornado em sua vida. Nunca se esqueça disso. Não se trata do que os outros te fazem, mas, de quanto você está pronto e preparado para isso. É minha dica de hoje.

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje dois textos do blog Brasil 247. Vale a pena conferir:

Lula: “vitória de Dilma é minha vitória; tô no jogo” – Ex-presidente concedeu entrevista a um grupo de jornalistas da Rede Brasil Atual, site, rádio e revista, da TVT e do jornal ABCD Maior; ele afirma que seu papel no processo será o “papel que a Dilma quiser” que ele tenha; admite dificuldades na permanência do governador Eduardo Campos na base de apoio, vê obstáculos adicionais nas alianças com o PSB em alguns estados, como CE e PE, e vai considerar um grande feito, uma vez consolidada a ruptura, que os partidos façam um pacto de não hostilidade nos palanques em que forem adversários; sobre o julgamento da Ação Penal 470, ex-presidente foi cauteloso: “depois que o julgamento estiver totalmente concluído eu vou falar. Tenho muita coisa pra falar”

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/115864/Lula-vit%C3%B3ria-de-Dilma-%C3%A9-minha-vit%C3%B3ria;-t%C3%B4-no-jogo.htm

CRMs sabotam, mas médicos apoiam Mais médicos – Médicos assinam manifesto em apoio ao programa federal que tem a desaprovação dos conselhos de medicina; documento reforça necessidade da vinda dos médicos estrangeiros para o país; “nós temos convicção de que progressivamente esse programa irá se consolidar e terá na população seu sustentáculo. A própria categoria médica, ao não se sentir prejudicada pelos colegas que ingressam no sistema, adotará uma postura mais racional e amistosa, e nossas entidades terão que realisticamente atualizar suas posições”, afirmam manifesto, assinado por 20 profissionais com longa carreira na medicina…

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/115862/CRMs-sabotam-mas-m%C3%A9dicos-apoiam-Mais-m%C3%A9dicos.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/25/trabalhando-com-poesia-514/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quarta-feira abençoada por Deus e repleta da força da rainha dos ventos e trovões. Eparrey Oyá.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 1: apio.nascimento@sedesba.ba.gov.br
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Eu, Palhaço – Tude Celestino

“Enquanto o lábio trêmulo gargalha, dentro do peito o coração soluça.” (de ‘O Palhaço’, Pe. Antônio Tomaz)
Com o coração dopado, eis-me aqui em cena
No palco da ilusão pintado de alvaiade;
Trazendo uma esperança unida a uma saudade,
Enfrento a plebe-rude, essa feroz hiena.
Nas contrações da face escondendo a vil gangrena
Do meu terrível tédio e, em mágica habilidade,
Promovo galhofeiro e levo a chã vaidade
À infrene turba-multa que ruge na arena.
E em meio a essa gente e luzes divinais,
Escamoteio a dor de minhas emoções
Quando o aplauso ou a vaia estruge nas gerais.
Burlesco alvo à mercê desses contrastes todos,
Eu choro temeroso em meio às ovações
E rio como forte, enfrentando os apodos.

Ilhas – Tude Celestino

Que tormento, meu Deus, se eu não a via,
Que angústia se a tinha a meu lado
Pois muito antes de ela ter chegado
Já a dor de sua partida eu pressentia.
Como era longa a ausência de um só dia
Quando eu contava as horas desolado
Como eu sofria, meu Deus, com ela abraçado,
Longe dela, meu Deus, como eu sofria!
Mas deste amor as chamas se apagaram
E dessa lava ardente, hoje absorto,
Contemplo só as cinzas que ficaram.
Foram-se as juras, foram-se os carinhos
Somos agora as ilhas de um mar morto
Vivemos lado a lado e tão sozinhos.

Boêmio – Tude Celestino

Boêmio, eu sei, teu mal não tem remédio,
Teu riso louco, tua louca alegria,
São guizos que prendeste com ironia
No nebuloso manto do teu tédio.
No peito magro que já foi tão nédio
Cravaste o punhal da hipocondria
E para disfarçar tua agonia
Manténs o bar num incessante assédio
E assim, ébrio, disperso, desregrado,
No riso a esconder pesar profundo,
Destróis em ti o que há de mais sagrado
Tuas ânsias de revolta mal contendo,
Vês entre as taças de licor imundo
Teus sonhos todos, um por um, morrendo.

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Faltou luz mas era dia, o sol invadiu a sala, fez da TV um espelho, refletindo o que a gente esquecia… Faltou luz mas era dia… dia… Faltou luz mas era dia, dia, dia… O som das crianças brincando nas ruas, como se fosse um quintal, a cerveja gelada na esquina, como se espantasse o mal… O chá pra curar esta azia, um bom chá pra curar esta azia, todas as ciências de baixa tecnologia… Todas as cores escondidas nas nuvens da rotina… Pra gente ver… por entre prédios e nós… Pra gente ver… o que sobrou do céu… Faltou luz mas era dia, o sol invadiu a sala, fez da TV um espelho, refletindo o que a gente esquecia… Faltou luz mas era dia… dia… Faltou luz mas era dia, dia, dia… O som das crianças brincando nas ruas, como se fosse um quintal, a cerveja gelada na esquina, como se espantasse o mal… O chá pra curar esta azia, um bom chá pra curar esta azia, todas as ciências de baixa tecnologia… Todas as cores escondidas nas nuvens da rotina… Pra gente ver… por entre prédios e nós… Pra gente ver… o que sobrou do céu…” (O Rappa – o que sobrou do céu – Comp.: Falcão / Lauro Farias / Marcelo Lobato / Marcelo Yuka / Xandão)

“… A minha alma tá armada e apontada para cara do sossego! pois paz sem voz, paz sem voz, não é paz, é medo!… A minha alma tá armada e apontada para cara do sossego! pois paz sem voz, paz sem voz, não é paz, é medo!… As vezes eu falo com a vida, as vezes é ela quem diz: “Qual a paz que eu não quero conservar pra tentar ser feliz ?”… As vezes eu falo com a vida, as vezes é ela quem diz: “Qual a paz que eu não quero conservar pra tentar ser feliz ?”… A minha alma tá armada e apontada para cara do sossego! pois paz sem voz, paz sem voz, não é paz, é medo!… A minha alma tá armada e apontada para cara do sossego! pois paz sem voz, paz sem voz, não é paz, é medo!… As vezes eu falo com a vida, as vezes é ela quem diz: “Qual a paz que eu não quero conservar pra tentar ser feliz ?”… As vezes eu falo com a vida, as vezes é ela quem diz: “Qual a paz que eu não quero conservar pra tentar ser feliz ?”… As grades do condomínio, são pra trazer proteção, mas também trazem a dúvida se é você que tá nessa prisão… Me abrace e me dê um beijo, faça um filho comigo, mas não me deixe sentar na poltrona no dia de domingo, domingo!… Procurando novas drogas de aluguel, neste vídeo coagido, é pela paz que eu não quero seguir admitindo… As vezes eu falo com a vida, as vezes é ela quem diz: “Qual a paz que eu não quero conservar pra tentar ser feliz ?”… As vezes eu falo com a vida, as vezes é ela quem diz: “Qual a paz que eu não quero conservar pra tentar ser feliz ?”… As grades do condomínio, são pra trazer proteção, mas também trazem a dúvida se é você que tá nessa prisão… Me abrace e me dê um beijo, faça um filho comigo, mas não me deixe sentar na poltrona no dia de domingo, domingo!… Procurando novas drogas de aluguel, neste vídeo coagido, é pela paz que eu não quero seguir admitindo… Procurando novas drogas de aluguel, neste vídeo coagido, é pela paz que eu não quero seguir admitindo… Me abrace e me dê um beijo, Faça um filho comigo, mas não me deixa sentar na poltrona, no dia de domingo! domingo!… Procurando novas drogas de aluguel, neste vídeo coagido, é pela paz que eu não quero seguir admitindo… Procurando novas drogas de aluguel, neste vídeo coagido, é pela paz que eu não quero seguir admitindo… É pela paz que eu não quero seguir… É pela paz que eu não quero seguir… É pela paz que eu não quero seguir admitido… É pela paz que eu não quero seguir… É pela paz que eu não quero seguir… É pela paz que eu não quero seguir admitido… “ (O Rappa – Minha Alma (A Paz Que Eu Não Quero) – Comp.: Falcão / Lauro Farias / Marcelo Lobato / Marcelo Yuka / Xandão)

“… A ideia lá comia solta, subia a manga, amarrotada social… No calor alumínio, não tinha caneta nem papel, uma ideia fugiu, era o rodo cotidiano, era o rodo cotidiano… Espaço é curto, quase um curral, na mochila amassada, uma quentinha abafada… Meu troco é pouco, é quase nada… Meu troco é pouco, é quase nada… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Não se anda por onde gosta, mas por aqui não tem jeito, todo mundo se encosta, ela some é lá no ralo de gente, ela é linda mas não tem nome, é comum e é normal… Sou mais um no Brasil da Central, da minhoca de metal, que corta as ruas… Da minhoca de metal… É… como um concorde apressado, cheio de força, que voa, voa mais pesado que o ar… E o avião, o avião, o avião do trabalhador… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Espaço é curto, quase um curral, na mochila amassada, uma quentinha abafada… Meu troco é pouco, é quase nada… Meu troco é pouco, é quase nada… Não se anda por onde gosta, mas por aqui não tem jeito, todo mundo se encosta, ela some é lá no ralo de gente, ela é linda mas não tem nome, é comum e é normal… Sou mais um no Brasil da Central, da minhoca de metal, que corta as ruas… Da minhoca de metal… É… como um concorde apressado, cheio de força, que voa, voa mais pesado que o ar… E o avião, o avião, o avião do trabalhador… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Ô Ô Ô Ô Ô my brother… Ô Ô Ô Ô Ô my brother…” (O Rappa – Rodo Cotidiano – Comp.: Lauro Farias / Marcelo Falcão / Marcelo Lobato / Marcos Lobato / Xandão)

“Tenha a certeza de que nenhum mal lhe pode acontecer, porque a Força divina é sua proteção permanente. O mal que lhe acontece talvez seja apenas uma experiência, pela qual você passa. “Mas tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus”, mesmo as dores e sofrimentos, as doenças e perseguições. Nenhum mal pode atingi-lo, a não ser aquele que você mesmo pratica.” (Minutos de Sabedoria Pg. 261)

Boa noite pessoal,

Nesta terça feira a soberania brasileira foi representada de forma maiúscula na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. A Presidenta Dilma Roussef, de forma impecável abordou, entre diversos aspectos da política internacional, a questão relativa à prática de espionagem pelos Estados Unidos. “Imiscuir-se dessa forma na vida de outros países fere o Direito Internacional e afronta os princípios que devem reger as relações entre eles, sobretudo, entre nações amigas. Jamais pode uma soberania firmar-se em detrimento de outra soberania. Jamais pode o direito à segurança dos cidadãos de um país ser garantido mediante a violação de direitos humanos e civis fundamentais dos cidadãos de outro país.”, afirmou categórica para os representantes das nações representadas na ONU.

Confira a íntegra do Discurso da Presidenta Dilma:

http://www2.planalto.gov.br/imprensa/discursos/discurso-da-presidenta-da-republica-dilma-rousseff-na-abertura-do-debate-geral-da-68a-assembleia-geral-das-nacoes-unidas-nova-iorque-eua

Veja o Vídeo:

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, dois textos do blog Pátria Latina:

“Espionagem é afronta”, diz Dilma na ONU, por Redação Carta Capital – ‘Uma soberania jamais se firmar em detrimento de outra’, diz Dilma sobre espionagem – Na abertura da 68ª Assembleia Geral presidenta ressaltou que interceptações ferem o direito internacional e são “afronta” aos princípios que regem relações bilaterais

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=fadb05d5189a7da64138023a4e807b45&cod=12462

“Apoio a Genoíno; O dia em que Chico Buarque virou Geni” Raras vezes se vê uma notícia perdida neste mundo de sobreinformação causar tamanha perplexidade. A informação da Rede Brasil Atual (RBA) de que o compositor e escritor Chico Buarque aderiu ao abaixo-assinado em defesa do deputado José Genoíno, réu da Ação Penal 470, o “mensalão”, expôs na internet uma enxurrada de sentimentos que falam muito sobre como nós brasileiros enxergamos os políticos e desconfiamos do funcionamento das instituições democráticas – por consequência, da democracia em si.

http://www.patrialatina.com.br/editorias.php?idprog=f6002b64f932b16eb8fc5cec2690beb9&cod=12461

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/24/trabalhando-com-poesia-513

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Terça-feira abençoada por Deus.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Simultâneos – Tude Celestino

O vozerio em torno era aguerrido
Mas nós dizíamos versos simultaneamente
Ao ouvido um do outro e sua voz dolente
Embalava de sonhos meu atento ouvido.
Quando de minha vez, em mil rimas perdido,
Tentando compensá-la pelo áureo presente,
Tropeçava no verso e a lira cadente
Descantava cativa um sonho dolorido
Cumpliciada com a brisa que passava
Envolta em ondas de Perfume, a minha face
A sua cabeleira afagava.
E a noite complacente meu desejo embala
Desejo que crucia e me leva ao traspasse,
Por conter, insensato, a ânsia de beijá-la.

Ouve-me – Tude Celestino

Entra em minh’alma, vem! Mas não perguntes nada
Que eu também a ti, nada perguntarei.
Eu me esqueci de tudo e agora já nem sei
Se houve pedras ou flores pela minha estrada.
Se castelos ergui na doida caminhada
Que inconseqüente fiz, jamais os encontrei.
Mas que importa se fui pária ou se fui rei,
Qual na existência vã é o meu degrau na escada?
Não sei se vim ou se fui, que sei da vida?
Chegar não é talvez o mesmo que ir embora?
Não sei, só sei que amo. Ouve-me, querida,
O ontem se foi, o amanhã nem sei se posso
Dizer se vem ou não; amemo-nos agora,
Neste hoje que é eterno e tão somente nosso.

Imponderável – Tude Celestino

Começou… não, nem sei se começou
Foi um vislumbre, apenas um olhar,
Um prenúncio de sol, tênue luar,
U’a pluma que a brisa esvoaçou.
Um sonho belo que não se sonhou
Um lírio inexistente num altar
Uma canção que não se ouviu cantar,
Um instante sublime que passou.
Foi música que ouvi quase em surdina
Miragem? Sim! Mas guardo na retina
Como um esbater de asas de cetim.
Volátil aroma de etérea flor
Foi amor… mas que estranho amor,
“Sem nunca ter princípio, teve fim”.

Lago de Narciso – Tude Celestino

Não basta ser feliz, ainda preciso,
Além dessa ventura, ter camisa;
E que não haja amor, marco ou divisa
A cercear meu lago de narciso.
Que sensualmente fêmea e sem juízo,
Leve-me pouco a pouco, hábil, precisa
Ao teu inferno e depois, com a brisa,
Transfere-me ao céu com teu sorriso.
Que tuas mãos me façam mil carícias
E ofuscado ante teus contornos
Eu goze desse amor todas delícias.
E farto enfim, mas face a um novo ardor
Que tu ainda com teus beijos mornos,
Leve-me, louco, a morrer de amor.

Publicado em Livros | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Monstro invisível que comanda a horda, arrasando tudo o que é de praxe, eu to laje acima, no cerol que traz a vida pra baixo, brilhante ideia de uma cabeça nervosa, grafitando um outro muro de raiva, eles já sabiam, mas deixaram a sina guiar a sorte… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar… Poço lado e sujo, cria do descaso, alimentando folhas em branco e preto, outra epidemia desanima quem convive com medo, botões e atalhos amplificam a distância e a preguiça de estar lado a lado veste a armadura, esse é o poder solitário… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar… Monstro invisível que comanda a horda, arrasando tudo o que é de praxe, eu to laje acima, no cerol que traz a vida pra baixo, brilhante ideia de uma cabeça nervosa, grafitando um outro muro de raiva, eles já sabiam, mas deixaram a sina guiar a sorte… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar… Vejo a minha história com a sua comungar… Comungar, comungar, comungar, comungar, comungar, vejo a história, ela comungar, vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história, ela comungar, vejo a minha história com a sua comungar, vejo a história ela comungar… Comungar, comungar, comungar, comungar, ei… Comungar, comungar, comungar, comungar, ei… Monstro invisível arrasando tudo como é de praxe, tudo como é de praxe, é de praxe, eu to laje acima e o cerol que traz a vida pra baixo, pra baixo, pra baixo, pra baixo…” (O Rappa – Monstro Invisivel – Comp.: Falcão / Lauro Farias / Marcelo Lobato / Xandão)

“… Podem avisar, pode avisar, invente uma doença que me deixe em casa pra sonhar… Pode avisar, podem avisar, invente uma doença que me deixe em casa pra sonhar… Com o novo enredo, outro dia de folia… Com o novo enredo, outro dia de folia… Eu ia explodir, eu ia explodir, mas eles não vão ver os meus pedaços por aí… Eu ia explodir, eu ia explodir, mas eles não vão ver os meus pedaços por aí… Me deixa, que hoje eu to de bobeira, bobeira… Me deixa que hoje eu to de bobeira, bobeira… Hoje eu desafio o mundo, sem sair da minha casa, hoje eu sou um homem mais sincero e mais justo comigo… Hoje eu desafio o mundo, sem sair da minha casa, hoje eu sou um homem mais sincero e mais justo comigo… Podem os homens vir, que não vão me abalar, os cães farejam o medo, logo não vão me encontrar… Não se trata de coragem, mas meus olhos estão distantes, me camuflam na paisagem, dando um tempo, tempo, tempo pra cantar… Me deixa, que hoje eu to de bobeira, bobeira… Me deixa que hoje eu to de bobeira, bobeira… Hoje eu desafio o mundo, sem sair da minha casa, hoje eu sou um homem mais sincero e mais justo comigo… Hoje eu desafio o mundo, sem sair da minha casa, hoje eu sou um homem mais sincero e mais justo comigo… Podem os homens vir, que não vão me abalar, os cães farejam o medo, logo não vão me encontrar… Não se trata de coragem, mas meus olhos estão distantes, me camuflam na paisagem, dando um tempo, tempo, tempo pra cantar… Me deixa, que hoje eu to de bobeira, bobeira… Me deixa que hoje eu to de bobeira, bobeira… Me deixa, que hoje eu to de bobeira, bobeira… Me deixa que hoje eu to de bobeira, bobeira…” (O Rappa – Me deixa – Comp.: Falcão / Lauro Farias / Marcelo Lobato / Marcelo Yuka / Xandão)

“… Brindo a casa, brindo a vida, meus amores, minha família… Brindo a casa, brindo a vida, meus amores, minha família… Atirei-me ao mar, mar de gente onde eu mergulho sem receio… Mar de gente onde eu me sinto por inteiro… Eu acordo com uma ressaca, guerra explode na cabeça e eu me rendo a um milagroso dia… Essa é a luz que eu preciso, luz que ilumina, cria e nos dá juízo… Essa é a luz que eu preciso, luz que ilumina, cria e nos dá juízo, luz que ilumina, cria e nos dá juízo… Voltar com a maré, sem se distrair, tristeza e pesar… Sem se entregar, mal, mal vai passar, mal vou me abalar, mal, mal vai passar, mal vou me abalar, esperando verdades de criança, um momento bom como… voltar com a maré, sem se distrair, navegar é preciso, se não a rotina te cansa, tristeza e pesar, sem se entregar… Interesses na Babilônia viram nevoeiro, poços em chamas, tiram proveito, passa, passa, passa, passa, passa, passageiro… A arte ainda se mostra primeiro… Uma onda segue a outra, assim o mar olha pro mundo, assim o mar olha pro mundo!… Brindo a casa, brindo a vida, meus amores, minha família… Brindo a casa, brindo a vida, meus amores, minha família… Atirei-me ao mar, mar de gente onde eu mergulho sem receio… Mar de gente onde eu me sinto por inteiro… Eu acordo com uma ressaca, guerra explode na cabeça e eu me rendo a um milagroso dia… Essa é a luz que eu preciso, luz que ilumina, cria e nos dá juízo… Essa é a luz que eu preciso, luz que ilumina, cria e nos dá juízo, luz que ilumina, cria e nos dá juízo… Voltar com a maré, sem se distrair, tristeza e pesar… Sem se entregar, mal, mal vai passar, mal vou me abalar, mal, mal vai passar, mal vou me abalar, esperando verdades de criança, um momento bom como… voltar com a maré, sem se distrair, navegar é preciso, se não a rotina te cansa, tristeza e pesar, sem se entregar… Interesses na Babilônia viram nevoeiro, poços em chamas, tiram proveito, passa, passa, passa, passa, passa, passageiro… A arte ainda se mostra primeiro… Uma onda segue a outra, assim o mar olha pro mundo, assim o mar olha pro mundo!…“ (O Rappa – Mar de gente – Comp.: Lauro Farias / Marcelo Falcão / Marcelo Lobato / Xandão)

“Se alguém lhe mostrasse uma semente defeituosa e feia, dizendo que dentro dela havia bela e per fumada flor, você acreditaria, porque sabe que da semente nasce a planta que produz a flor. Pois bem, acredite também que, dentro de você, por mais imperfeito que seja, nascerá, purificada e bela, a sua alma imortal que alcançará a felicidade! Tenha fé em si mesmo, e busque aperfeiçoar-se.” (Minutos de Sabedoria Pg. 260)

Bom dia pessoal,

Como foram de final de semana? Espero que bem. O final de semana foi de alegrias para a maior torcida do Norte e Nordeste brasileiro. O triunfo do Bahia sobre o vice-líder do Brasileiro, Botafogo/RJ no domingo, por 2×1, demonstrou uma capacidade de reação e de atuação corajosa do time tricolor da boa terra, como é chamado o Bahia no sul e sudeste. O time chegou aos 31 pontos e ocupa a décima posição na tabela, mesma pontuação do time de Canabrava, que empatou com o Grêmio, no Manoel Barradas no sábado. Em comum nas duas partidas, erros da arbitragem. O Grêmio foi nitidamente prejudicado pelo árbitro auxiliar, que anulou um gol legítimo do tricolor gaúcho. Já o tricolor baiano foi beneficiado pelo erro do auxiliar, que não atentou para a posição da linha de seu ataque, na feitura do gol do triunfo. Entretanto, falando como torcedor, nossos times já foram prejudicados por erros assim, logo, para equilibrar as coisas, nada como ter o mesmo tratamento não é mesmo? O Bahia está em Medelin, Colômbia, onde enfrenta o atual líder do Campeonato Colombiano, o Nacional de Medelin, pela Copa Sulamericana, na Quinta feira a noite.

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/24/trabalhando-com-poesia-512

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Segunda-feira abençoada por Deus e repleta da energia positiva.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Perenal II (Tude Celestino)

Mais um dia se vai em minha lembrança
Contínua, reinando persistente.
Cativa, sem defesa a minha mente
Pensando só em ti, jamais se cansa.
Quando do ocaso, o véu difuso avança,
Ainda estou a cismar e docemente
Busco um alívio, olhando o céu poente,
Abismo em cores onde o sol se lança.
E a noite vem; meu fado continua,
Feito de sombras, teu vulto risonho
Em meu redor diáfano flutua.
Teu nome em prece rezo e adormeço
E ei-la integralmente no meu sonho
Meu Deus, eu nem dormindo te esqueço.

Minha Nau Desarvorada (Tude Celestino)

Quando o ciclone da vida
Leva meu barco à deriva
E o nevoeiro me priva
De encontrar uma saída,
Só você, minha querida,
Em meio à turva jornada,
É minha luz na madrugada,
Minha ilha, meu tesouro,
Meu porto, meu ancoradouro
Pra minha nau desarvorada.

É Fácil Fazer Poesia (Tude Celestino)

É fácil fazer poesia
Quando canta o coração,
Fazer do verso – oração!
De culto – você, Maria!
Quando se ama, Maria
Se é poeta e cantor
Preso à chama do amor
É fácil fazer poesia
Pode estar chuvoso o dia,
Escuro, de cerração,
Parece que é verão:
Há sol na alma da gente.
Vive-se para o amor somente
Quando canta o coração.
Do teu sorriso, a canção
Que me inebria e me acalma,
Ouvindo é fácil minh’alma
Fazer do verso oração!
Ter universo na mão
Numa constante harmonia,
E em divinal melodia
Sem dissonância nem guerra,
Fazer o céu cá na terra,
De culto – você, Maria.

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Fico vendo essas coisas, vendo tudo acontecer, injustiças e maus tratos e o abuso do poder… Quando olham minha gente, nunca é pra proteger, muitas cosias acontecem e o meu povo resistindo… Oh!Jah! Negro no poder… Pra já! Negro no poder… Oh!Jah! Negro no poder… Pra já! Negro no poder… Fico vendo essas coisas, vendo tudo acontecer, injustiças e maus tratos e o abuso do poder… Quando olham minha gente, nunca é pra proteger, muitas cosias acontecem e o meu povo resistindo… Oh!Jah! Negro no poder… Pra já! Negro no poder… Oh!Jah! Negro no poder… Pra já! Negro no poder…” (Cidade Negra – Negro no poder – Comp.: Bernardo/Bino/Da Gama/Lazão)

“… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Pro outro lado de lá. Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Brasil, Jamaica… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Pro outro lado de lá. Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Eu fui… Brasil, Jamaica… Sou brasileiro, sou muito feliz, ouvi seu nome muito além de Paris… Saímos pra tocar, fomos pro lado de lã, América, Europa, de que tanto ouvi falar… Ouvi muitas histórias, “Mundo novo é aqui”. Terra das maravilhas, Disneylandia e Mickey Mouse… Tocar com Ziggy Marley em Miami foi legal, todas as potências do reggae mundial, então… E Jimmy Cliff na baixada uma hora nos falou, que na Jamaica em Montego Bay, numa favela ele viu nascer um rei… Sua mensagem que muito nos marcou, “Pois o reggae quando bate você nunca sente dor”… Assim dizia o rei que o mundo encantou… Assim dizia o rei que ao mundo provou… Que a liberdade e a sapiência, a sapiência… São peças chaves pra maior inteligência… Um grande sonho a se realizar, reggae, Brasil, estou louco pra tocar… Shabba Ranks, Pato Banton, Burning spear, Wailing souls, Big Youth ,Cocotea,… Sinto muito mas eu tenho que partir… Sinto muito mas eu tenho que partir… Na baixada uma hora nos falou, que na Jamaica em Montego Bay, numa favela ele viu nascer um rei… Sua mensagem que muito nos marcou, “Pois o reggae quando bate você nunca sente dor”… Assim dizia o rei que o mundo encantou… Assim dizia o rei que ao mundo provou… Que a liberdade e a sapiência, a sapiência… São peças chaves pra maior inteligência… Um grande sonho a se realizar, reggae, Brasil, estou louco pra tocar… Shabba Ranks, Pato Banton, Burning spear, Wailing souls, Big Youth ,Cocotea,… Sinto muito mas eu tenho que partir… Sinto muito mas eu tenho que partir… “ (Cidade Negra – Downtown – Comp.: Cidade Negra)

“… Oh, isso é que me faz sorrir, oh, isso é que me faz chorar… Oh, isso é que me faz sorrir, oh, isso é que me faz chorar… Isso é que faz a vida. Isso é que faz a vida. Oh, isso deu pra mim no tarô, oh, isso deu pra mim no tarô, oh, isso deu pra mim no tarrô-ô… Isso deu nos búzios, que a minha irmã jogou pra mim. Isso deu nos búzios, que a minha irmã jogou… É o que te faz seguir na vida, é o que te faz meu bem-querer. É o que te faz seguir na vida, é o que te faz meu bem-querer… É a alegria viva, é a visão de benzer… Pra você também. Pra você também. Pra você també-ém… Ah, meu Zumbi! Ah, meu Jacó! Ai, ai, meu Deus! Pense neles só só só… Pense neles só!… Ah, meu Zumbi! Ah, meu Jacó! Ai, ai, meu Deus! Pense neles só só só… Pense neles só!… Oh, isso é que me faz sorrir, oh, isso é que me faz chorar… Oh, isso é que me faz sorrir, oh, isso é que me faz chorar… Isso é que faz a vida. Isso é que faz a vida. Oh, isso deu pra mim no tarô, oh, isso deu pra mim no tarô, oh, isso deu pra mim no tarrô-ô… Isso deu nos búzios, que a minha irmã jogou pra mim. Isso deu nos búzios, que a minha irmã jogou… É o que te faz seguir na vida, é o que te faz meu bem-querer. É o que te faz seguir na vida, é o que te faz meu bem-querer… É a alegria viva, é a visão de benzer… Pra você também. Pra você também. Pra você també-ém… Ah, meu Zumbi! Ah, meu Jacó! Ai, ai, meu Deus! Pense neles só só só… Pense neles só!… Ah, meu Zumbi! Ah, meu Jacó! Ai, ai, meu Deus! Pense neles só só só… Pense neles só!…” (Cidade Negra – Minha irmã – Comp.: Toni Garrido)

Confira outros sucessos de Cidade Negra:

“Evite o álcool. Se pode ser remédio, quando usado em pequenas doses, traz malefícios incalculáveis, se nos leva ao abuso. Pare enquanto é tempo. Construa em sua mente a sua própria imagem livre de beber, e repita muitas vezes ao dia, seguidamente: nada me vencerá! Sou forte e vencerei todos os meus vícios! Não diga: “não quero mais beber”! Diga antes: não gosto mais de bebida!” (Minutos de Sabedoria Pg. 259)

Bom dia pessoal,

Em atividades na quarta (18) no Bairro da Paz e ontem (19) em Cajazeiras V, tivemos a oportunidade de, juntamente com a Secretária Moema e o Secretário Rui Costa, Dar continuidade às ações do Programa Vida Melhor Urbano.

No Bairro da Paz, empreendedores individuais, cooperativas e associações do Bairro da Paz, em Salvador, receberam na manhã desta quarta-feira (18) equipamentos para ampliar a produção e renda, por meio do programa ‘Vida Melhor Urbano’. A entrega incluiu uma cozinha industrial completa, uma linha de costura com 23 máquinas, além de outros 57 equipamentos individuais, como carrinhos de churrasco, pizza e de coleta de recicláveis. O programa é coordenado pela Casa Civil do Estado e executado em parceria com as secretarias de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes) e do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre).

Já em Cajazeiras V e Castelo Branco, Empreendedores receberam equipamentos individuais que irão possibilitar-lhes melhores condições de prosseguir em seus empreendimentos.

Lidar com a vida exige firmeza de propósitos. O mundo a sua volta sempre te cobrará posições. Algumas delas incoerentes e nem sempre capazes de causar-lhe orgulho de si mesmo. Lembre-se: Independente da expectativa do mundo a sua volta, será sempre uma decisão sua, consigo mesmo. Seu crescimento, sua subida jamais necessitará acontecer pisando ou destruindo a caminhada de outras pessoas. Siga seu caminho, construa seus triunfos, mas, permita-se assistir e seja construtor de outros triunfos a sua volta. É minha dica para esta sexta-feira.

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, dois textos do site Correio do Brasil. Vale a pena conferir.

Base aliada vota de acordo com o Planalto e mantém vetos da Presidência – O Congresso manteve, em sessão que chegou à madrugada desta quarta-feira, os vetos presidenciais em sete matérias, incluindo o projeto que pretendia acabar com a cobrança de multa adicional do FGTS em casos de demissão sem justa causa, informou a Coordenação-Geral da Casa, após a votação. Seriam necessários os votos de 257 deputados e 41 senadores para reverter os vetos presidenciais, o que não aconteceu em nenhum dos casos. O Congresso não informou o placar das votações.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/base-aliada-vota-de-acordo-com-o-planalto-e-mantem-vetos-da-presidencia/646198/

Governador do PSB cogita sair do partido após fim da aliança com PT – A saída do PSB do governo da presidente Dilma Rousseff (PT), embora o partido não tenha rompido totalmente com a base aliada, tem sido alvo de críticas por parte do governador do Ceará, Cid Gomes. Cid, que sempre defendeu a permanência do PSB junto ao governo e o apoio da legenda à reeleição de Dilma, teria dito, logo após a reunião que definiu os rumos do partido, na véspera, que irá pensar se permanece ou sai da sigla socialista. Segundo fontes que participaram da reunião da cúpula socialista, em Brasília, Cid teria desejado que o partido tomasse esta decisão mais adiante, sendo voto vencido por todos os demais integrantes da Executiva Nacional. Caso venha a sair do PSB e filiar-se a outro partido, Cid poderá ter o apoio do PT para lançar como seu sucessor o senador Eunício Miranda (PMDB), algo que hoje não interessa ao partido.

http://correiodobrasil.com.br/noticias/politica/governador-do-psb-cogita-sair-do-partido-apos-fim-da-alianca-com-pt/646833/

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/20/trabalhando-com-poesia-511/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma sexta-feira abençoada por Deus e coberta pela paz do Alá de Oxalá! Bom final de semana e até segunda feira.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Clara – Cassemiro de Abreu

Não sabes, Clara, que pena
eu teria se — morena
tu fosses em vez de clara!
Talvez… quem sabe… não digo…
mas refletindo comigo
talvez nem tanto te amara!

A tua cor é mimosa,
brilha mais da face a rosa
tem mais graça a boca breve.
O teu sorriso é delírio…
És alva da cor do lírio,
és clara da cor da neve!

A morena é predileta,
mas a clara é do poeta:
assim se pintam arcanjos.
Qualquer, encantos encerra,
mas a morena é da terra
enquanto a clara é dos anjos!

Mulher morena é ardente:
prende o amante demente
nos fios do seu cabelo;
— A clara é sempre mais fria,
mas dá-me licença um dia
que eu vou arder no teu gelo!

A cor morena é bonita,
mas nada, nada te imita
nem mesmo sequer de leve.
— O teu sorriso é delírio…
És alva da cor do lírio,
és clara da cor da neve!

Eu nasci além dos mares – Cassemiro de Abreu

Eu nasci além dos mares:
Os meus lares,
Meus amores ficam lá!
— Onde canta nos retiros
Seus suspiros,
Suspiros o sabiá!

Oh que céu, que terra aquela,
Rica e bela
Como o céu de claro anil!
Que seiva, que luz, que galas,
Não exalas
Não exalas, meu Brasil!

Oh! que saudades tamanhas
Das montanhas,
Daqueles campos natais!
Daquele céu de safira
Que se mira,
Que se mira nos cristais!

Não amo a terra do exílio,
Sou bom filho,
Quero a pátria, o meu país,
Quero a terra das mangueiras
E as palmeiras,
E as palmeiras tão gentis!

Como a ave dos palmares
Pelos ares
Fugindo do caçador;
Eu vivo longe do ninho,
Sem carinho;
Sem carinho e sem amor!

Debalde eu olho e procuro…
Tudo escuro
Só vejo em roda de mim!
Falta a luz do lar paterno
Doce e terno,
Doce e terno para mim.

Distante do solo amado
— Desterrado —
A vida não é feliz.
Nessa eterna primavera
Quem me dera,
Quem me dera o meu país!

O QUE É – SIMPATIA – Cassemiro de Abreu

(A uma menina)

Simpatia – é o sentimento
Que nasce num só momento,
Sincero, no coração;
São dois olhares acesos
Bem juntos, unidos, presos
Numa mágica atração.

Simpatia – são dois galhos
Banhados de bons orvalhos
Nas mangueiras do jardim;
Bem longe às vezes nascidos,
Mas que se juntam crescidos
E que se abraçam por fim.

São duas almas bem gêmeas
Que riem no mesmo riso,
Que choram nos mesmos ais;
São vozes de dois amantes,
Duas liras semelhantes,
Ou dois poemas iguais.

Simpatia – meu anjinho,
É o canto do passarinho,
É o doce aroma da flor;
São nuvens dum céu d’Agôsto,
É o que m’inspira teu rosto…
– Simpatia – é – quase amor!

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Você precisa saber o que passa aqui dentro, eu vou falar pra você! Você vai entender a força de um pensamento, pra nunca mais esquecer… Pensamento é um momento que nos leva a emoção, pensamento positivo, que faz bem ao coração… O mal não… O mal não… Sempre que para você chegar terá que atravessar a fronteira do pensar… A fronteira do pensar… E o pensamento é o fundamento, eu ganho o mundo sem sair do lugar, eu fui para o Japão com a força do pensar, passei pelas ruínas e parei no Canadá, subi o Himalaia pra no alto cantar, com a imaginação que faz você viajar, todo mundo… Estou sem lenço, e o documento, meu passaporte é visto em todo lugar… Acorda meu Brasil com o lado bom de pensar, detone o pesadelo pois o bom ainda virá… Você precisa saber o que passa aqui dentro, eu vou falar pra você! Você vai entender a força de um pensamento, pra nunca mais esquecer… Custe o tempo que custar, que esse dia virá! Nunca pense em desistir, não, te aconselho a prosseguir… O tempo voa rapaz, pegue seu sonho rapaz, a melhor hora e o momento é você quem faz… Recitem poesias e palavras de um rei, faça por onde que eu te ajudarei… Recitem poesias e palavras de um rei, faça por onde que eu te ajudarei… Recitem poesias e palavras de um rei, faça por onde que eu te ajudarei… Recitem poesias e palavras de um rei, faça por onde que eu te ajudarei…” (Cidade Negra – Pensamento – Comp.: Da Gamma)

“…Dizem que guardam bom lugar pra mim no céu, logo que eu for pro beleléu… A minha vida só eu sei como guiar, pois ninguém vai me ouvir se eu chorar… Mas enquanto o sol puder arder, não vou querer meus olhos escurecer… Pois se eles querem meu sangue, verão o meu sangue só no fim… E se eles querem meu corpo, só se eu estiver morto, só assim… Meus inimigos tentam sempre me ver mal, mas minha força é como o fogo do Sol… Pois quando pensam que eu já estou vencido, é que meu ódio não conhece o perigo… Mas enquanto o Sol puder brilhar, eu vou querer a minha chance de olhar… Pois se eles querem meu sangue, verão o meu sangue só no fim… E se eles querem meu corpo, só se eu estiver morto, só assim… E eu vou lutar pra ter as coisas que eu desejo, não sei do medo, amor, pra mim não tem preço… Serei mais livre quando não for mais que osso, do que vivendo com a corda no pescoço… Mas enquanto o Sol no céu estiver, eu vou fechar meus olhos quando quiser… Pois se eles querem meu sangue, verão o meu sangue só no fim… E se eles querem meu corpo, só se eu estiver morto, só assim… Pois se eles querem meu sangue, verão o meu sangue só no fim… E se eles querem meu corpo, só se eu estiver morto, só assim…“ (Cidade Negra – Querem meu sangue – Comp.: Jimmy Cliff / Nando Reis)

“… Prá entender o Erê, tem que tá moleque, uh! Erê, Erê! Tem que conquistar alguém, que a consciência leve… Há semanas em que tudo vem, há semanas que é seca pura. Há selvagens que são do bem, há seqüência do filme muda… Milhões de anos luz podem durar, o que alguns segundos na vida podem representar… O Erê é a criança sincera, convicção fazendo a vida como o sol nos traz… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Prá entender o Erê, tem que tá moleque, uh! Erê, Erê! Tem que conquistar alguém, que a consciência leve… Pare e pense no que já se viu, pense e sinta o que já se fez… O mundo visto de uma janela, pelos olhos de uma criança… Milhões de anos luz podem durar, o que alguns segundos na vida podem representar… O Erê é a criança sincera, convicção fazendo a vida como o sol nos traz… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe que o sentimento não trai… Um bom sentimento não trai… Você sabe!…” (Cidade Negra – O erê – Comp.: Bernardo Vilhena / Da Gama / Toni Garrido)

“Mantenha sempre no mesmo nível sua coragem para o bem. Não falamos da coragem de palavras, que é fácil. Contar vantagens, todos contam… Mas a coragem da luta contra seus próprios vícios é que tem valor, porque daí surgirá a vitória final. Seja constante e persistente, caminhe reto para a frente e para o alto, e mantenha firme sua coragem na ação de cada dia em busca do ideal.” (Minutos de Sabedoria Pg. 258)

Boa noite pessoal,

O “Trabalhando com Poesia” de hoje chega mais tarde. As tarefas do trabalho e da faculdade acabaram por não me permitir fazê-lo mais cedo. Espero que entendam.

Como abordamos ontem, o Ministro Celso de Melo manteve o seu entendimento em relação ao cabimento dos embargos Infringentes no desenrolar da AP-470.

Confira aqui a Íntegra do Voto: https://oipa2.wordpress.com/2013/09/19/trabalhando-com-poesia-510/voto-celso-de-melo-embargos-infringentes-ap-470/

Na nossa sugestão de leitura de hoje artigos que repercutem a questão. Vale a pena conferir:

“Celso de Mello decide que STF vai julgar Infringentes”, Por Rafael Baliardo e Elton Bezerra (Site Consultor – O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, deu nesta quarta-feira (18/9) voto favorável ao cabimento dos Embargos Infringentes na Ação Penal 470, o processo do mensalão, e assim fechou o julgamento em 6 a 5 pela admissibilidade do recurso. Último a votar na questão, o decano desempatou o julgamento, e assim garantiu a 12 réus o direito de ter parte de suas condenações revista pela corte. Celso de Mello acompanhou a divergência aberta pelo ministro Luís Roberto Barroso e os votos do revisor, Ricardo Lewandowski, e dos colegas Dias Toffoli, Rosa Weber e Teori Zavascki. Ficaram vencidos o relator e presidente do STF, Joaquim Barbosa, e os ministros Luiz Fux, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Marco Aurélio.

http://www.conjur.com.br/2013-set-18/leia-voto-celso-mello-conceder-embargos-infringentes

Greenhalgh: chicana de Barbosa virou aula magna (Via Brasil 247)- Segundo o advogado Luiz Eduardo Greenhalgh, a chicana que negou 5 minutos a Celso de Melo na semana passada se transformou em aula magna de mais de duas horas; “o tiro saiu pela culatra”, disse ele. – O advogado e ex-deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh, uma das principais lideranças do PT paulista, verbalizou no Twitter o entendimento que tomou conta tato de seu partido quanto dos advogados que defendem os principais réus da AP 470, o “mensalão”.

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/115360/Greenhalgh-chicana-de-Barbosa-virou-aula-magna.htm

A contragosto, Barbosa proclama vitória dos réus (Via Brasil 247) – Só depois de ser cobrado pelos colegas Luiz Fux e Carmen Lúcia, Joaquim Barbosa proclamou o resultado favorável aos réus; enfim, ele admitiu os embargos infringentes; sessão foi encerrada às 18h22; gesto teatral da renúncia à toga, para se lançar à presidência, não ocorreu; novos recursos beneficiam apenas réus que tiveram pelo menos quatro votos favoráveis, como José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoino (PT-SP) e João Paulo Cunha (PT-SP); Barbosa teve nova derrota, quando tentou limitar em 15 dias prazo para apresentação dos infringentes.

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/115349/A-contragosto-Barbosa-proclama-vit%C3%B3ria-dos-r%C3%A9us.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/19/trabalhando-com-poesia-510/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quinta-feira abençoada por Deus e coberta de paz e protegida pelo Caçador de uma flecha só. Okearô Odé!!

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Saudades – Cassemiro de Abreu

Nas horas mortas da noite
Como é doce o meditar
Quando as estrelas cintilam
Nas ondas quietas do mar;
Quando a lua majestosa
Surgindo linda e formosa,
Como donzela vaidosa
Nas águas se vai mirar!

Nessas horas de silêncio,
De tristezas e de amor,
Eu gosto de ouvir ao longe,
Cheio de mágoa e de dor,
O sino do campanário
Que fala tão solitário
Com esse som mortuário
Que nos enche de pavor.

Então — proscrito e sozinho —
Eu solto aos ecos da serra
Suspiros dessa saudade
Que no meu peito se encerra.
Esses prantos de amargores
São prantos cheios de dores:
— Saudades — dos meus amores,
— Saudades — da minha terra !

Sonhando – Cassemiro de Abreu

Um dia, oh linda, embalada
Ao canto do gondoleiro,
Adormeceste inocente
No teu delírio primeiro,
– Por leito o berço das ondas,
Meu colo por travesseiro!

Eu, pensativo, cismava
Nalgum remoto desgosto,
Avivado na tristeza
Que a tarde tem, ao sol-posto,
E ora mirava as nuvens,
Ora fitava teu rosto.

Sonhavas então, querida,
E presa de vago anseio
Debaixo das roupas brancas
Senti bater o teu seio,
E meu nome num soluço
À flor dos lábios te veio!

Tremeste como a tulipa
Batida do vento frio…
Suspiraste como a folha
Da brisa ao doce cicio…
E abriste os olhos sorrindo
Às águas quietas do rio!

Depois – uma vez – sentados
Sob a copa do arvoredo,
Falei-te desse soluço
Que os lábios abriu-te a medo…
– Mas tu, fugindo, guardaste
Daquele sonho o segredo!…

Uma História – Cassemiro de Abreu

A brisa dizia à rosa:
– “Dá, formosa,
Dá-me, linda, o teu amor;
Deixa eu dormir no teu seio
Sem receio,
Sem receio minha flor!

Da tarde virei da selva
Sobre a relva
Os meus suspiros te dar;
E de noite na corrente
Mansamente
Mansamente te embalar!” –

E a rosa dizia à brisa:
– “Não precisa
Meu seio dos beijos teus;
Não te adoro… és inconstante…
Outro amante,
Outro amante aos sonhos meus!

Tu passas de noite e dia
Sem poesia
A repetir-me os teus ais;
Não te adoro… quero o Norte
Que é mais forte
Que é mais forte e eu amo mais!” –

No outro dia a pobre rosa
Tão vaidosa
No hastil se debruçou;
Pobre dela! – Teve a morte
Porque o Norte
Porque o Norte a desfolhou!…

Voto Celso de Melo – Embargos Infringentes AP 470

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Se me chamar eu vou agora, se me chamar eu vou correndo. Se é pra voar no mundo afora, eu vou, eu vou… Se me chamar eu vou agora, se me chamar eu vou correndo. Se é pra voar no mundo afora, vou que nem flecha, vou que nem vulcão… Um furacão que foi lançado ao mar, algum talento, tua bondade, oh divindade vem mostrar o céu… Vou que nem flecha, vou que nem vulcão… Um furacão que foi lançado ao mar, algum talento, tua bondade, oh divindade vem mostrar o céu… Quero ir com você pra negril e floripa não pode esperar…Vou fazer filhote no Brasil, lavar a alma, lavar a alma… Quero ir com você pra negril e floripa não pode esperar…Vou fazer filhote no Brasil, lavar a alma, lavar a alma… Se me chamar eu vou agora, se me chamar eu vou correndo. Se é pra voar no mundo afora, eu vou, eu vou… Se me chamar eu vou agora, se me chamar eu vou correndo. Se é pra voar no mundo afora, vou que nem flecha, vou que nem vulcão… Um furacão que foi lançado ao mar, algum talento, tua bondade, oh divindade vem mostrar o céu… Vou que nem flecha, vou que nem vulcão… Um furacão que foi lançado ao mar, algum talento, tua bondade, oh divindade vem mostrar o céu… Quero ir com você pra negril e floripa não pode esperar…Vou fazer filhote no Brasil, lavar a alma, lavar a alma… Quero ir com você pra negril e floripa não pode esperar…Vou fazer filhote no Brasil, lavar a alma, lavar a alma…” (Cidade Negra – A flecha e o vulcão – Comp.: Da Gamma / Toni Garrido)

“… Amor! Estamos atravessando o milênio, o novo tempo está chegando… A cor do sol está brilhando e anuncia um novo dia de folia… A inocência do respeito, a alegria de estar sério, o bom humor e sentimento, nós vamos levar, eh!… Deixar prá trás maus pensamentos, desequilíbrios, as amarguras, viver em paz todo o momento, dentro de casa, no meio da rua… Se você acha impossível, ter tudo isso e um amor tranquilo, que tal tentar só um pouquinho? Experimente ver no que dá… E vê se dá! Experimente para ver se dá… Experimente para ver se dá… Viva sempre. Aproveite o momento!… E vê se dá! Experimente para ver se dá… Experimente para ver se dá… Viva sempre. Aproveite, aproveite, aproveite o momento!… Amor! Estamos atravessando o milênio, o novo tempo está chegando… A cor do sol está brilhando e anuncia um novo dia de folia… A inocência do respeito, a alegria de estar sério, o bom humor e sentimento, nós vamos levar, eh!… Deixar prá trás maus pensamentos, desequilíbrios, as amarguras, viver em paz todo o momento, dentro de casa, no meio da rua… Se você acha impossível, ter tudo isso e um amor tranquilo, que tal tentar só um pouquinho? Experimente ver no que dá… E vê se dá! Experimente para ver se dá… Experimente para ver se dá… Viva sempre. Aproveite o momento!… E vê se dá! Experimente para ver se dá… Experimente para ver se dá… Viva sempre. Aproveite, aproveite, aproveite o momento!… Experimente tentar de uma forma diferente, experimente pensar um pouquinho na gente, viva sempre, aproveite o momento!… 1001 lendas de um novo milênio, de um novo milênio, de um novo milênio… 1001 lendas de um novo milênio, de um novo milênio, de um novo milênio…” (Cidade Negra – A cor do sol – Comp.: Lazão / Da Gama / Bernardo Vilhena)

“…Lá no meio da baixada, um gueto do Brasil, olhando pela laje, pra o céu que se abriu… Vivia num barraco que seu pai lhe deu. Essa era a vida do Johnny B. Good… O que ele aprendeu, ele aprendeu com a vida, e tocava sua guitarra como ninguém… E foi go, go Johnny, Johnny B. Good, tonight… E foi go, go Johnny Johnny B. Good… E foi go, go Johnny, Johnny B. Good, tonight… E foi go, go Johnny Johnny B. Good… Carregava sua guitarra como um filho seu, animava a multidão no balanço do trem… Até o maquinista se envolvia também… Ali todos sabiam que nascia um rei… E foi go, go Johnny, Johnny B. Good, tonight… E foi go, go Johnny Johnny B. Good… E foi go, go Johnny, Johnny B. Good, tonight… E foi go, go Johnny Johnny B. Good… A mãe disse que ele tem que ser um homem de bem. E tocar com seus amigos numa reggae band, vem chegando gente de todo o lugar prá ouvir ele tocar até o amanhecer… E lá na área o comentário era geral, que Johnny vai brilhar, além do trilho do trem… E foi go, go Johnny, Johnny B. Good, tonight… E foi go, go Johnny Johnny B. Good… E foi go, go Johnny, Johnny B. Good, tonight… E foi go, go Johnny Johnny B. Good… E foi go, Johnny!!…” (Cidade Negra – Johnny B. Good – Comp.: Chuck Berry – Versão: Da Gama / Bino / Toni / Lazão)

“Mantenha sempre no mesmo nível sua coragem para o bem. Não falamos da coragem de palavras, que é fácil. Contar vantagens, todos contam… Mas a coragem da luta contra seus próprios vícios é que tem valor, porque daí surgirá a vitória final. Seja constante e persistente, caminhe reto para a frente e para o alto, e mantenha firme sua coragem na ação de cada dia em busca do ideal.” (Minutos de Sabedoria Pg. 257)

Bom dia pessoal,

Nesta quarta-feira, todas as atenções estarão voltadas para o Supremo Tribunal Federal, especificamente no Ministro Celso de Melo, que profere seu voto em relação aos embargos Infringentes na Ação Penal 470.

Acolhendo-os ou os negando, vale a pena observar a fundamentação do voto do Decano da Suprema Corte. Comentava com alguns colegas e amigos. O acolhimento dos embargos deverá ser uma estratégia de Celso de Melo, para além de manter a coerência do seu entendimento quanto à pertinência dos Infringentes na referida ação penal, pode funcionar como poderosa ferramenta de legitimação, não só da sua posição acirrada pela condenação dos réus durante o julgamento inicial, mas, principal e fundamentalmente a posição que deverá adotar em relação aos mesmos num eventual segundo julgamento.

celso-de-mello-e1344470185362

Conjecturas à parte. Agora é aguardar a tarde desta quarta-feira e o seu resultado final.

A secretária de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), Moema Gramacho, representando o Governo do Estado da Bahia, falou, na manhã dessa quarta-feira (17), sobre o programa estadual de inclusão produtiva Vida Melhor, no II Seminário Pactuação Federativa no Brasil sem Miséria, que vai até amanhã (18), em Brasília.

Moema e Teresa Campelo

Leia mais em:

http://www.sedes.ba.gov.br/noticia/moema-gramacho-leva-resultados-positivos-do-vida-melhor-a-brasila

Em nossa sugestão de leitura para o “Trabalhando com Poesia” de hoje dois textos do blog de Altamiro Borges:

“Dilma e a defesa soberania nacional” – A nota oficial com que o Palácio do Planalto confirmou o cancelamento da viagem da presidenta Dilma Rousseff aos Estados Unidos merece ser lida com atenção.

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/09/dilma-e-defesa-soberania-nacional.html

“Celso de Mello vai peitar a mídia?” Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania: Apesar de o ministro Celso de Mello ter ficado refém de suas próprias palavras sobre os embargos infringentes, apesar de sua aparente disposição em seguir a lei e apesar de o veículo mais antipetista da imprensa nacional (O Globo) ter cochilado e deixado um repórter publicar na internet a prova definitiva de que aqueles embargos são legais, sugiro que ninguém subestime o poder da pressão que o decano do STF está sofrendo.

http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/09/celso-de-mello-vai-peitar-midia.html

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/18/trabalhando-com-poesia-509/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma quarta-feira abençoada por Deus e repleta da força da rainha dos ventos e trovões. Eparrey Oyá.

Apio Vinagre Nascimento
e-mail 1: apio.nascimento@sedesba.ba.gov.br
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Desejo – Cassemiro de Abreu

Se eu soubesse que no mundo
Existia um coração,
Que só’ por mim palpitasse
De amor em terna expansão;
Do peito calara as mágoas,
Bem feliz eu era então!

Se essa mulher fosse linda
Como os anjos lindos são,
Se tivesse quinze anos,
Se fosse rosa em botão,
Se inda brincasse inocente
Descuidosa no gazão;

Se tivesse a tez morena,
Os olhos com expressão,
Negros, negros, que matassem,
Que morressem de paixão,
Impondo sempre tiranos
Um jugo de sedução;

Se as tranças fossem escuras,
Lá castanhas é que não,
E que caíssem formosas
Ao sopro da viração,
Sobre uns ombros torneados,
Em amável confusão;

Se a fronte pura e serena
Brilhasse d’inspiração,
Se o tronco fosse flexível
Como a rama do chorão,
Se tivesse os lábios rubros,
Pé pequeno e linda mão;

Se a voz fosse harmoniosa
Como d’harpa a vibração,
Suave como a da rola
Que geme na solidão,
Apaixonada e sentida
Como do bardo a canção;

E se o peito lhe ondulasse
Em suave ondulação,
Ocultando em brancas vestes
Na mais branda comoção
Tesouros de seios virgens,
Dois pomos de tentação;

E se essa mulher formosa
Que me aparece em visão,
Possuísse uma alma ardente,
Fosse de amor um vulcão;
Por ela tudo daria…
— A vida, o céu, a razão!

Poesia e Amor – Cassemiro de Abreu

A tarde que expira,
A flor que suspira,
O canto da lira,
Da lua o clarão;
Dos mares na raia
A luz que desmaia,
E as ondas na praia
Lambendo-lhe o chão;

Da noite a harmonia
Melhor que a do dia,
E a viva ardentia
Das águas do mar;
A virgem incauta,
As vozes da flauta,
E o canto do nauta
Chorando o seu lar;

Os trêmulos lumes,
Da fonte os queixumes,
E os meigos perfumes
Que solta o vergel;
As noites brilhantes,
E os doces instantes
Dos noivos amantes
Na lua de mel;

Do templo nas naves
As notas suaves,
E o trino das aves
Saudando o arrebol;
As tardes estivas,
E as rosas lascivas
Erguendo-se altivas
Aos raios do sol;

A gota de orvalho
Tremendo no galho
Do velho carvalho,
Nas folhas do ingá;
O bater do seio,
Dos bosques no meio
O doce gorjeio
Dalgum sabiá;

A órfã que chora,
A flor que se cora
Aos raios da aurora,
No albor da manhã;
Os sonhos eternos,
Os gozos mais ternos,
Os beijos maternos
E as vozes de irmã;

O sino da torre
Carpindo quem morre,
E o rio que corre
Banhando o chorão;
O triste que vela
Cantando à donzela
A trova singela
Do seu coração;

A luz da alvorada,
E a nuvem dourada
Qual berço de fada
Num céu todo azul;
No lago e nos brejos
Os férvidos beijos
E os loucos bafejos
Das brisas do sul;

Toda essa ternura
Que a rica natura
Soletra e murmura
Nos hálitos seus,
Da terra os encantos,
Das noites os prantos,
São hinos, são cantos
Que sobem a Deus!

Os trêmulos lumes,
Da veiga os perfumes,
Da fonte os queixumes,
Dos prados a flor,
Do mar a ardentia
Da noite a harmonia,
Tudo isso é – poesia!
Tudo isso é – amor!

Quando Tu Choras – Cassemiro de Abreu

Quando tu choras, meu amor, teu rosto
Brilha formoso com mais doce encanto,
E as leves sombras de infantil desgosto
Tornam mais belo o cristalino pranto.

Oh! nessa idade da paixão lasciva
Como o prazer, é o chorar preciso:
Mas breve passa – qual a chuva estiva –
E quase ao pranto se mistura o riso.

É doce o pranto de gentil donzela,
É sempre belo quando a virgem chora:
– Semelha a rosa pudibunda e bela
Toda banhada do orvalhar da aurora.

Da noite o pranto, que tão pouco dura,
Brilha nas folhas como um rir celeste,
E a mesma gota transparente e pura
Treme na relva que a campina veste.

Depois o sol, como sultão brilhante,
De luz inunda o seu gentil serralho,
E às flores todas – tão feliz amante –
Cioso sorve o matutino orvalho.

Assim, se choras, inda és mais formosa,
Brilha teu rosto com mais doce encanto:
– Serei o sol e tu serás a rosa…
Chora, meu anjo, – beberei teu pranto!

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário

Trabalhando com Poesia

“… Eu sei que ela nunca mais apareceu, na minha vida, minha mente, novamente, eu sei que o que ficou não desapareceu, a minha vida muda sempre lentamente… E como a lua que dá voltas pelo céu, que mexe tanto com o presente quanto o ausente… Eu sei, eu sei, eu sei, eu sei, eu sei, eu sei… Não sou vidente mas sei o rumo do seu coração… Permita, que o amor invada sua casa, coração… Que o amor invada sua casa, coração… Que o amor invada sua casa… Saia, não vaia, não caia na navalha, que corta a tua carne e sangra todo… O que você precisa descobrir… Eu sei que ela nunca mais apareceu, na minha vida, minha mente, novamente, eu sei que o que ficou não desapareceu, a minha vida muda sempre lentamente… E como a lua que dá voltas pelo céu, que mexe tanto com o presente quanto o ausente… Eu sei, eu sei, eu sei, eu sei, eu sei, eu sei… Não sou vidente mas sei o rumo do seu coração… Permita, que o amor invada sua casa, coração… Que o amor invada sua casa, coração… Que o amor invada sua casa… Saia, não vaia, não caia na navalha, que corta a tua carne e sangra todo… O que você precisa descobrir… Permita, que o amor invada sua casa, coração… Que o amor invada sua casa, coração… Que o amor invada sua casa… Please, don’t stop it now… Please, don’t stop it now… Please, don’t stop it now…” (Cidade Negra – A sombra da maldade – Comp.: Cidade Negra)

“… Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite. Bem no fundo todo mundo quer zoar… Todo mundo sonha em ter uma vida boa. Sábado à noite tudo pode mudar… Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite. Bem no fundo todo mundo quer zoar… Todo mundo sonha em ter uma vida boa. Sábado à noite tudo pode mudar… A semana passou num piscar de olhos, eu não vi! E o tempo que voa como um vento, não senti!… Minha vida está congelada desde a última vez que lhe vi… Só me interessa voltar ao ponto de onde parti… Passa segunda, terça e quarta-feira, nem aí! E na quinta e na sexta o tempo parece repetir!… Quando o sol do último dia ameaça se despedir, é que o povo põe uma roupa e sai prá se distrair… Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite. Bem no fundo todo mundo quer zoar… Todo mundo sonha em ter uma vida boa. Sábado à noite tudo pode mudar… Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite. Bem no fundo todo mundo quer zoar… Todo mundo sonha em ter uma vida boa. Sábado à noite tudo pode mudar… A semana passou num piscar de olhos, eu não vi! E o tempo que voa como um vento, não senti!… Minha vida está congelada desde a última vez que lhe vi… Só me interessa voltar ao ponto de onde parti… Passa segunda, terça e quarta-feira, nem aí! E na quinta e na sexta o tempo parece repetir!… Quando o sol do último dia ameaça se despedir, é que o povo põe uma roupa e sai prá se distrair… Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite. Bem no fundo todo mundo quer zoar… Todo mundo sonha em ter uma vida boa. Sábado à noite tudo pode mudar… Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite. Bem no fundo todo mundo quer zoar… Todo mundo sonha em ter uma vida boa. Sábado à noite tudo pode mudar… Sábado à noite tudo pode mudar… Sábado à noite tudo pode mudar… Sábado à noite tudo pode! Tudo pode! Tudo, tudo pode! Pode tudo!… Sábado à noite tudo pode mudar, eh! Sábado à noite, sábado à noite, eh! Tudo pode mudar. Sábado à noite, sábado à noite!!!…“ (Cidade Negra – Sábado a noite – Comp.: Lulu Santos)

“…A favor da comunidade, que espera o bloco passar, ninguém fica na solidão, embarca com suas dores pra longe do seu lugar… A favor da comunidade, que espera o bloco passar, ninguém fica na solidão, o bloco vai te levar, ninguém fica na solidão… A verdade prova que o tempo é o senhor dos dois destinos, dos dois destinos… Já que pra ser homem tem que ter a grandeza de um menino, de um menino… No coração de quem faz a guerra nascerá uma flor amarela, como um girassol, como um girassol, como um girassol amarelo, amarelo… Todo dia, toda hora, na batida da evolução, a harmonia do passista vai encantar a avenida, e todo o povo vai sorrir, sorrir, sorrir… E todo o povo vai sorrir, sorrir, sorrir… A verdade prova que o tempo é o senhor dos dois destinos, dos dois destinos… Já que pra ser homem tem que ter a grandeza de um menino, de um menino… No coração de quem faz a guerra nascerá uma flor amarela, como um girassol, como um girassol, como um girassol amarelo, amarelo…” (Cidade Negra – Girassol – Comp.: Bino Farias / Lazão / Da Gama / Toni Garrido / Pedro Luis)

“Faça tudo com amor! Tudo o que é feito sem amor sai mal feito, e tende à destruição. Só o amor constrói obras eternas e penetra profundamente o coração da humanidade, porque só o amor é positivo. Tudo o que não é amor é negativo. Faça tudo com amor, porque o próprio Deus é amor. Quando as criaturas fizeram tudo com amor, saberão o que é a saúde e a felicidade.” (Minutos de Sabedoria Pg. 256)

Bom dia pessoal,

Definitivamente há pessoas que não conseguem lidar com liberdade e respeito. Não é possível que ao ser tratado de forma digna e respeitosa, algumas figuras ainda achem que vale mais a pena a prática do “Levar vantagem em tudo, certo?”. Mais perniciosa ainda é essa atitude quando sabidamente levará outras pessoas, não praticantes das mesmas imbecilidades a ser penalizadas. Mas, é isso. Vida que segue.

Nas nossas sugestões de leitura de hoje, dois textos do blog Brasil 247:

Globo perde recurso no caso de sonegação – Globo é acusada de sonegar R$ 713 milhões ao Fisco federal, por mudanças suspeitas na formação societária das empresas do grupo; Conselho Administrativo de Recursos Fiscais do Ministério da Fazenda rejeitou argumentos contra autuação da Receita Federal; segundo o blog O Cafezinho, a Rede Globo disfarçou a compra dos direitos de transmissão dos jogos da Copa do Mundo de 2002 como investimentos em participação societária no exterior; desde que a sonegação se tornou pública, em meio a onda de protestos que ocorreram no Brasil, a emissora se tornou um dos alvos dos manifestantes, que chegaram a jogar até fezes em uma das sedes da TV

http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/115136/Globo-perde-recurso-no-caso-de-sonega%C3%A7%C3%A3o.htm

CFM insiste em sabotar programa Mais Médicos – Conselhos de Medicina continuam périplo para dificultar a completa execução do programa; em nota divulgada nesta segunda-feira, eles pedem informação sobre o local de trabalho dos intercambistas e seus respectivos tutores e supervisores; conselhos desta forma descumprem parecer da Advocacia-Geral da União, que impede os Conselhos Regionais de Medicina de todo o país de exigir qualquer documentação extra para os médicos estrangeiros que atuarão no programa Mais Médicos; conselhos argumentam que querem realizar atividades de fiscalização para evitar irregularidades, abusos e dar mais segurança à população no processo de atendimento

http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/115129/CFM-insiste-em-sabotar-programa-Mais-M%C3%A9dicos.htm

Veja a versão de hoje e as anteriores do “Trabalhando com Poesia”, no nosso blog “Espaço de Sobrevivência”. Nele você pode acessar links dos principais sites institucionais e de informações para seu uso. Visite, comente, indique:

https://oipa2.wordpress.com/2013/09/17/3694/

Abraços nos amigos beijos nas amigas e nos filhos, com os desejos de muito axé, energias positivas e que a vida e a paz possam sempre reinar em nossos corações e na nossa rotina. Uma Terça-feira abençoada por Deus.
Apio Vinagre Nascimento
e-mail 2: oipa@uol.com.br
e-mail 3: apioptlf@yahoo.com.br
msn: oipa2@hotmail.com
Blog: https://oipa2.wordpress.com
Twitter: http://www.twitter.com/a_vinagre
Facebook: http://www.facebook.com/apio.vinagre
Flickr: http://www.flickr.com/photos/a_vinagre
Orkut: http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=9196573284471271823
Skype: a_vinagre1
Youtube: http://www.youtube.com/user/sobreviventeapio
Fones: (71) 8814-5332 / 9154-0168 / 9982-7223 / 8251-9282

Metastasio – Cassemiro de Abreu

I

A primavera é a estação dos risos,
Deus fita o mundo com celeste afago,
Tremem as folhas e palpita o lago
Da brisa louca aos amorosos frisos.
Na primavera tudo é viço e gala,
Trinam as aves a canção de amores,
E doce e bela no tapiz das flores
Melhor perfume a violeta exala.
Na primavera tudo é riso e festa,
Brotam aromas do vergel florido,
E o ramo verde de manhã colhido
Enfeita a fronte da aldeã modesta.
A natureza se desperta rindo,
Um hino imenso a criação modula,
Canta a calhandra, a juriti arrula,
O mar é calmo porque o céu é lindo.
Alegre e verde se balança o galho,
Suspira a fonte na linguagem meiga,
Murmura a brisa: – Como é linda a veiga!
Responde a rosa: – Como é doce o orvalho!

II

Mas como às vezes sobre o céu sereno
Corre uma nuvem que a tormenta guia,
Também a lira alguma vez sombria
Solta gemendo de amargura um treno.
São flores murchas; – o jasmim fenece,
Mas bafejado s’erguerá de novo
Bem como o galho do gentil renovo
Durante a noite, quando o orvalho desce.
Se um amargo de ironia cheio
Treme nos lábios do cantor mancebo,
Em breve a virgem do seu casto enlevo
Dá-lhe um sorriso e lhe intumesce o seio.
Na primavera – na manhã da vida –
Deus às tristezas o sorriso enlaça,
E a tempestade se dissipa e passa
À voz mimosa da mulher querida.
Na mocidade, na estação fogosa,
Ama-se a vida a mocidade é crença,
E a alma virgem nesta festa imensa
Canta, palpita, s’extasia e goza.

1º de julho de 1858.

Meus oito anos – Cassemiro de Abreu

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é – lago sereno,
O céu – um manto azulado,
O mundo – um sonho dourado,
A vida – um hino d’amor!

Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d’estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!

Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minhã irmã!

Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito,
– Pés descalços, braços nus –
Correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!

Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!

…………………………..

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
– Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
A sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!

Canção do Exílio – Cassemiro de Abreu

Se eu tenho de morrer na flor dos anos
Meu Deus! não seja já;
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
Cantar o sabiá!

Meu Deus, eu sinto e tu bem vês que eu morro
Respirando este ar;
Faz que eu viva, Senhor! dá-me de novo
Os gozos do meu lar!

O país estrangeiro mais belezas
Do que a pátria não tem;
E este mundo não vale um só dos beijos
Tão doces duma mãe!

Dá-me os sítios gentis onde eu brincava
Lá na quadra infantil;
Dá que eu veja uma vez o céu da pátria,
O céu do meu Brasil!

Se eu tenho de morrer na flor dos anos
Meu Deus! não seja já!
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
Cantar o sabiá!

Quero ver esse céu da minha terra
Tão lindo e tão azul!
E a nuvem cor-de-rosa que passava
Correndo lá do sul!

Quero dormir à sombra dos coqueiros,
As folhas por dossel;
E ver se apanho a borboleta branca,
Que voa no vergel!

Quero sentar-me à beira do riacho
Das tardes ao cair,
E sozinho cismando no crepúsculo
Os sonhos do porvir!

Se eu tenho de morrer na flor dos anos,
Meu Deus! não seja já;
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
A voz do sabiá!

Quero morrer cercado dos perfumes
Dum clima tropical,
E sentir, expirando, as harmonias
Do meu berço natal!

Minha campa será entre as mangueiras,
Banhada do luar,
E eu contente dormirei tranqüilo
À sombra do meu lar!

As cachoeiras chorarão sentidas
Porque cedo morri,
E eu sonho no sepulcro os meus amores
Na terra onde nasci!

Se eu tenho de morrer na flor dos anos,
Meu Deus! não seja já;
Eu quero ouvir na laranjeira, à tarde,
Cantar o sabiá!

Publicado em Livros | Marcado com | Deixe um comentário